Revisão dos ciclos biológicos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Revisão dos ciclos biológicos

on

  • 1,430 vues

Parasitologia

Parasitologia

Statistiques

Vues

Total des vues
1,430
Vues sur SlideShare
1,430
Vues externes
0

Actions

J'aime
0
Téléchargements
85
Commentaires
0

0 Ajouts 0

No embeds

Accessibilité

Catégories

Détails de l'import

Uploaded via as Microsoft Word

Droits d'utilisation

© Tous droits réservés

Report content

Signalé comme inapproprié Signaler comme inapproprié
Signaler comme inapproprié

Indiquez la raison pour laquelle vous avez signalé cette présentation comme n'étant pas appropriée.

Annuler
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Votre message apparaîtra ici
    Processing...
Poster un commentaire
Modifier votre commentaire

Revisão dos ciclos biológicos Revisão dos ciclos biológicos Document Transcript

  • REVISÃO DOS CICLOS BIOLÓGICOS ESQUISTOSSOMÍASE (Schistosoma mansoni) 1. O OVO (forma diagnóstica) é eliminado junto às fezes, em local úmido (à beira de rios). Em contato com a água os ovos eclodem e libera o 2. MIRACÍDIO larva alongada e revestida por um epitélio ciliado que lhe permite nadar rápido e em circulo até alcançar o 3. MOLUSCO da espécie Biophalaria glabrata (hospedeiro intermediário). Os miracídios penetram nos tecidos do molusco e transformam-se em 4. ESPOROCISTOS e são liberados pelo molusco na forma de 5. CERCÁRIAS, larva que tem corpo piriforme e calda bifurcada. Possui geotropismo negativo, ou seja, nada sempre em direção a luz. Essa é a forma infectante ao 6. HOMEM (hospedeiro definitivo). Ao penetrar a pele humana sofre modificações morfológicas e ao cair na corrente sanguínea passa a se chamar 7. ESQUISTOSSÔMULOS , e seguem pela corrente sanguínea até atingir o mesentério. No mesentério encontra condições favoráveis para que possam desenvolver-se e torna-se 8. VERMES ADULTOS. Residem nas vênulas mesentéricas. Na presença do macho e da fêmea ocorre a reprodução sexuada e a fêmea inicia a ovoposição por volta de 35 dias após infecção.
  • FASCIOLÍASE (Fasciola hepática) 1. Os OVOS (forma diagnóstica) são arrastados pela bile e compõem o bolo fecal. Saem com as fezes (hospedeiros definitivos infectados) não embrionadas. 2. Necessitam de local úmido para embrionar-se. Ao entra em contato com o meio aquático, após embrionar- se, os ovos eclodem liberando o 3. MIRACÍDIO larva com revestimento ciliar que nada em busca do 4. MOLUSCO do gênero Lymnaea (hospedeiro intermediário). No interior do molusco os miracídios transformam-se em esporocistos, rédias e cercárias. Deixam o molusco na forma de 5. CERCÁRIAS, larva ovóide ou arredondada e com calda simples. As cercárias aderem à vegetação com suas ventosas, perde a calda e descarregam o produto de suas glândulas cistógenas, cujo material passa a formar um envoltório cístico em torno do seu corpo, ou seja, encistam e passam a ser chamadas de 6. METACERCÁRIAS (forma infectante) que são ingeridas pelos 7. HOSPEDEIROS DEFINITIVOS (vertebrados) suscetível. Ao chegar à luz do intestino, no duodeno, desencistam e as larvas liberadas perfuram a parede intestinal e invadem a cavidade peritonial, perfuram a cápsula de Glisson, invadindo o fígado. 8. Durante o trânsito pelo parênquima hepático, vão crescendo e nos canais biliares completam a sua evolução com o amadurecimento sexual, ou seja, tornam-se VERMES ADULTOS. Onde na presença de dois exemplares realizam a reprodução cruzada e põem os ovos.
  • TENÍASES (T. saginata e T.solium) 1. Os OVOS ou PROGLOTES GRÁVIDAS são eliminados junto às fezes de um indivíduo portador da forma adulta do verme. Disseminados contaminam solo, água e alimentos. 2. Os hospedeiros intermediários – BOI (T.saginata) e o PORCO (T.solium) contaminam-se ingerindo alimentos contaminados por ovos ou proglotes (principalmente os porcos devido a seus hábitos coprófagos) do parasito. Ao atingir o estômago e o duodeno, dos hospedeiros intermediários, os ovos sofrem ação dos sucos digestivos e da bile, estímulos necessários para a ativação do embrião e eclosão da 3. ONCOSFERA, que penetra na mucosa intestinal e ganha a circulação atingido os pontos mais diversos do organismo. Ao fixarem-se nos tecidos e órgãos as larvas desenvolvem-se para forma de 4. CISTICERCOS, onde atinge o completo amadurecimento e a capacidade infectante. 5. O HOMEM (hospedeiro definitivo) se infecta ao comer carne de boi ou de porco crua ou mal cozida contendo cisticercos. 6. Os cisticercos são liberados no tubo digestivo, desenvaginam os escólex, fixam-se à mucosa e crescem como tênias adultas. 1 2 3 4 5 6
  • CISTICERCOSE (Taenia solium) 1. O OVO da T.solium, ao ser ingerido 2. pelo HOMEM, seja por heteroinfecção ou por auto-infecção interna ou externa, atinge o estômago e o duodeno, sofrem ação dos sucos digestivos e da bile, estímulos necessários para a ativação do embrião e eclosão da 3. ONCOSFERA, que penetra na mucosa intestinal e ganha a circulação atingido os pontos mais diversos do organismo. Ao fixarem-se nos tecidos e órgãos as larvas desenvolvem-se para forma de 4. CISTICERCOS, onde atinge o completo amadurecimento e a capacidade patogênica, desencadeada por um processo de inflamação granulomatosa.
  • DIFOLOBOTRÍASE (Diphyllobothrium latum)
  • HIMENOLEPSÍASE (Hymenolepis nana)
  • EQUINOCOCOSE HUMANA - HIDATIDOSE Equinococose humana (ou hidatidose) é causada por estágios larvais de cestóides (vermes) do gênero Echinococcus.  AGENTE ETIOLÓGICO Ordem: Cyclophyllidea Família: Teniidae Gênero: Echinococcus Espécies: E. granulosus (1) O ADULTO Echinococcus granulosus (3 a 6 mm de comprimento) reside no intestino delgado dos hospedeiros definitivos. (2) Os OVOS embrionados são eliminados pelas fezes dos cães e contaminam o ambiente, como os pastos. Quando ingeridos pelos hospedeiros intermediários, assim como no homem, há dissolução do embrióforo e a liberação da oncosfera por estímulo do suco gástrico . (3) A ONCOSFERA, assim que é liberada no duodeno do hospedeiro intermediário, com seus acúleos atravessa a parede intestinal, caindo na circulação, migrando para os músculos, baço, SNC, pulmão. No fígado, o embrião hexacanto, se transforma em (4) CISTO HIDÁTICO ou HIDÁTIDE e se aloja em diferentes órgãos. Dentro dessas hidátides contém numerosas vesículas originadas por brotamento interno. No interior dessas vesículas desenvolvem as (5) PROTOESCÓLEX (larva com escoléx). Quando o hospedeiro definitivo (cães) ingere carne ou vísceras dos hospedeiros intermediários contendo os cistos hidáticos ou hidátides, as protoescólex desenvaginam-se no duodeno e com seus (6) escólex (escólex da protoescólex), se anexam à mucosa intestinal, e transformam-se em parasitas (7) ADULTOS em 32 a 80 dias.  TRANSMISSÃO Os seres humanos são infectados pela ingestão de ovos, com consequente libertação de oncosferas no intestino e o desenvolvimento de cistos que acumulam líquidos em vários órgãos.  HOSPEDEIROS DEFINITIVO: cães e outros canídeos INTERMEDIÁRIO: normalmente - ovinos e caprinos, mas pode ocorrer em suínos, gado, cavalos, camelos. ERRÁTICO: O homem
  • TRATAMENTO DOENÇAS MEDICAMENTOS DOSES ESQUISTOSSOMÍASE Praziquantel (dose única de 600mg) Adulto: 50mg/kg Criança: 60mg/kg Oximniquina Adulto: (comprimido) – 15mg/kg (xarope) – 50mg/kg Criança: (xarope) – 20mg/kg FASCIOLÍASE Triclabendazol 40-50mg/kg Duas vezes ao dia com intervalo de 6 a 8 horas, depois das refeições TENÍASES Praziquantel (dose única de 600mg) Adulto: 50mg/kg Criança: 60mg/kg Niclozamida Adulto: 2 g dose única em jejum Criança: 1-2 g Albendazol ou Membendazol :200 mg 2 vezes ao dia durante 4 dias CISTICERCOSE PRAZIQUANTEL + CORTICÓIDE + ANTICONVULSIVANTE TERAPIA COMBINADA - DIFOLOBOTRÍASE - HIMENOLEPSÍASE - EQUINOCOCOSE OU HIDATIDOSE Praziquantel Adulto: Criança: Niclosamida Adulto: Criança: