Tecnologia da Informação Aplicada à Logística
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Tecnologia da Informação Aplicada à Logística

on

  • 17,632 vues

Evolução da Logística - aula dia 09.03.10

Evolução da Logística - aula dia 09.03.10

Statistics

Vues

Total Views
17,632
Views on SlideShare
17,581
Embed Views
51

Actions

Likes
2
Downloads
499
Comments
0

7 Ajouts 51

http://professoraelisangelaxavier.blogspot.com 19
http://professoraelisangelaxavier.blogspot.com.br 15
http://cemporcentogoogle.blogspot.com 4
http://www.slideshare.net 4
http://cemporcentogoogle.blogspot.com.br 4
http://www.professoraelisangelaxavier.blogspot.com.br 3
http://www.professoraelisangelaxavier.blogspot.com 2
Plus...

Accessibilité

Catégories

Détails de l'import

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Droits d'utilisation

© Tous droits réservés

Report content

Signalé comme inapproprié Signaler comme inapproprié
Signaler comme inapproprié

Indiquez la raison pour laquelle vous avez signalé cette présentation comme n'étant pas appropriée.

Annuler
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Votre message apparaîtra ici
    Processing...
Poster un commentaire
Modifier votre commentaire

    Tecnologia da Informação Aplicada à Logística Tecnologia da Informação Aplicada à Logística Presentation Transcript

    • Logística
      Passado X Presente
      Sistemas Tecnológicos
      Tipos de organização
    • Conceitos X Resultados
      Logística é a gestão na empresa do movimento de cargas, pessoas e documentos da forma mais adequada, pois engloba, necessariamente, todo aquele processo.
      logística existe no nível do suprimento da organização, no processo produtivo e no nível das vendas e distribuição, focando:
      funcionamento de tudo harmoniosamente,
      no tempo e local certos
      na adequação dos equipamentos
      na qualificação de pessoal
      Principalmente, pelo menor custo, objetivando otimização de resultados.
    • Passado
      O conhecimento logístico foi utilizado de forma mais sistemática na arte da guerra, tornando-se um diferencial para quem conseguia implementar estratégias mais eficientes de movimentação e deslocamento das tropas, suprimentos e equipamentos.
      As características da logística desenvolvidas para fins militares apresentavam muita afinidade com as atividades industriais, esta estratégia passou a ser utilizada com sucesso nas empresas, dando origem à logística empresarial.
      Com o passar dos tempos a logística avançou em muitas dimensões, constituindo-se numa ferramenta operacional que ultrapassou muitas barreiras.
    • Passado
      Antes, o segmento empresarial percebia que bastava simplesmente vender o produto e estava liberado de suas obrigações com seus clientes.
      Hoje, sabe-se que vender e colocar o produto em tempo hábil, com menor custo possível, disponível no mercado é um ponto-chave que determinará o sucesso ou fracasso de uma organização.
      Trabalhar a logística é conhecer todas suas variáveis e controlá-las de forma que se ajustem ao tipo de serviço, produto ou mercadoria que se está gerenciando.
    • Reestruturação da Logística
      Os estudos da logística e sua história demonstram que desde a segunda guerra mundial, a logística tem passado por uma evolução que apresenta várias fases (Almeida, 2000).
      Assim, é possível observar que ao longo das últimas décadas a logística tem sido otimizada e seus diversos componentes, antes considerados essenciais, deram lugar a outros.
      Componentes, antes considerados irrelevantes, tornaram-se muito importantes e alguns outros foram repensados, alterados e reestruturados
      Componentes que antes não eram relevantes, facilitados por novas tecnologias, assim se tornaram.
    • Tecnologia hoje
      Uma logística eficiente deve atentar para o gerenciamento das informações a fim de conseguir melhores resultados.
      No mercado já existe uma gama de empresas que desenvolvem software e hardware para a área de logística. O grande entrave está na alimentação de dados para que os sistemas executem o processamento das informações, em tempo hábil, para a tomada de decisões.
    • Tecnologia hoje
      Conforme Davis apud Ballou (1995), a essência de um sistema de informações deve ter os seguintes alicerces: base de dados, procedimentos para recuperá-los, programas de processamento de dados e programas capazes de analisá-los.
      Os dados para fins logísticos podem vir de fontes diversas. O maior desafio da gestão de informações é organizá-los e armazená-los em uma única base de dados.
    • Graficamente falando...
      Gerenciamento estratégico: integração entre Sistemas Administrativos, Estruturas, e Cultura em Sistemas Estratégicos e Operacionais.
    • Um novo modelo de estratégia logística.
    • Segundo Poter, 1992
      “A tecnologia de processamento de informações permitiu o estabelecimento de sistemas de informações gerenciais em áreas como logística, gerência de estoque, programação da produção e programação da força de vendas.”
    • O Nível Estrutural
      Segundo O’Laughlin, Kevin A. e Copacino, William C. (in TheLogisticsHandbook, Robeson, J. F. e Copacino W. C., 1994), o nível estrutural pode ser composto pelo design de canal e pela estrutura de rede. O Design do canal envolve determinar quais atividades e funções necessitam ser estruturadas para um determinado nível de serviços e quais organizações participarão delas. Em outras palavras é definir a extensão e o grau de participação de cada um dos membros da cadeia de negócios, na distribuição.
    • Nível Funcional
      No nível funcional situam-se as atividades de gestão das atividades fundamentais – informação, armazenagem, transportes - sem as quais a logística não pode funcionar. Ballou (1993) definiu a logística empresarial como sendo aquela que trata de todas as atividades de (gestão de) movimentação e armazenagem, que facilitam o fluxo de produtos desde o ponto de aquisição da matéria-prima até o ponto de consumo final, assim como (gestão) dos fluxos de informação que colocam os produtos em movimento, com o propósito de providenciar níveis de serviço adequados aos clientes a um custo razoável.
    • Gestão da informação
      Se incumbe de definir o design e operação da infra-estrutura de informação; inclui a definição do ciclo de processamento de pedidos, escolha de software, hardware e sistemas integrados de comunicação, rastreamento e segurança.
    • Gestão da armazenagem
      Busca definir o design e operação da infra-estrutura de armazenagem e inclui lay-out das instalações, tecnologia de seleção e manuseio de materiais, produtividade, segurança e regulamentação legal, entre outras.
    • Gestão dos transportes
      Define design e operação da infra-estrutura de transportes e pode incluir considerações sobre escolha de modais, seleção de transportadores, racionalização dos transportes, consolidação de cargas, roteirização, agendamento, gerenciamento de frotas, medição de performance de transportes etc. Estas atividades são consideradas primárias porque elas são essenciais para a coordenação e o cumprimento da função logística.
    • Nível de Implementação
      Neste nível se incluem as atividades de suporte e apoio, aquelas que funcionam como objetos ou instrumentos para se executar as tarefas logísticas que suprirão as operações logísticas. Este é o nível operacional, onde se dão as atividades cotidianas da logística. Consiste nos sistemas de suporte à logística, como políticas e procedimentos, manutenção das instalações e equipamentos e gerenciamento e mudança da cultura organizacional.
      Inclui ainda:
      Organização dos serviços.
      Planejamento e controle das operações.
      Política de serviço ao cliente.
      Etc.
    • Bibliografia
      ALMEIDA, Celio M. P. R. Um Levantamento das Práticas de Logística na Indústria de Alimentos, de classe mundial, no Estado de São Paulo. São Paulo. Dissertação apresentada ao Departamento de Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo como parte dos requisitos para a obtenção do título de Mestre em Administração. 2000.
      BALLOU, Ronald H. Logística Empresarial: transportes, administração de materiais e distribuição física. São Paulo. Atlas. 1993.
      BOWERSOX, Donald J., CLOSS, David J. Logistical Management: the integrated supply chain process. 3.ª Ed. New York. McGraw-Hill. 1986.
      CHRISTOPHER, Martin. Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. São Paulo. Ed Futura. 1997.
    • Bibliografia
      CHRISTOPHER, Martin. O Marketing da Logística. São Paulo. Ed Pioneira. 1999.
      DORNIER, Philippe-Pierre, ERNST, Ricardo, FENDER, Michel, KOUVELIS, Panos. Logística e Operações Globais: textos e casos. São Paulo. Ed. Atlas. 2000.
      FLEURY, Paulo F., WANKE, Peter, FIGUEIREDO, Kleber. Logística empresarial: a perspectiva brasileira. São Paulo. Atlas. 2000.
      HAX, Arnoldo C., MAJLUF, Nicolas S. Strategic Management: Na Integrative Perspective. Prentice Hall Inc., Englewood Cliffs. New Jersey. 1984.
      HOOLEY, Graham J., SAUNDERS, John A., Piercy, Nigel F.. Estratégia de Marketing e Posicionamento Competitivo.São Paulo. 2.ª Ed. Prentice Hall. 2001.
      LAMBERT, Douglas M., STOCK, James R. Strategic Logistics Management. 3.ª Ed. U.S.A. Irwin/McGraw-Hill. 1992.
    • Bibliografia
      MAGEE, John F. Logística Industrial: análise e administração dos sistemas de suprimento e distribuição. São Paulo. Ed. Pioneira. 1977.
      NOVAES, Antônio G. Sistemas Logísticos: transporte, armazenagem e distribuição física de produtos. São Paulo. Ed. Edgar Blücher Ltda. 1989.
      NOVAES, Antônio G. Logística e Gerenciamento da Cadeia de Distribuição: estratégia, operação e avaliação. Rio de Janeiro. Campus. 2001.
      PORTER, Michael E. Vantagem Competitiva: criando e sustentando um desempenho Superior. Rio de Janeiro. 7.ª Ed. Ed. Campus. 1992.
      ROBESON, James F., COPACINO, William C. The Logistics Handbook. New York. The Free Press. 1994.