Psicologia - Interacção e Influência Social
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Psicologia - Interacção e Influência Social

on

  • 20,326 vues

 

Statistiques

Vues

Total des vues
20,326
Vues sur SlideShare
20,191
Vues externes
135

Actions

J'aime
1
Téléchargements
330
Commentaires
1

1 intégré 135

http://www.slideshare.net 135

Accessibilité

Catégories

Détails de l'import

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Droits d'utilisation

© Tous droits réservés

Report content

Signalé comme inapproprié Signaler comme inapproprié
Signaler comme inapproprié

Indiquez la raison pour laquelle vous avez signalé cette présentation comme n'étant pas appropriée.

Annuler
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Votre message apparaîtra ici
    Processing...
  • Muito bom! Merci!
    Are you sure you want to
    Votre message apparaîtra ici
    Processing...
Poster un commentaire
Modifier votre commentaire

Psicologia - Interacção e Influência Social Psicologia - Interacção e Influência Social Presentation Transcript

  • Psicologia Interacção e Influência Social
  • Sumário
    • Conformidade à maioria
    • Influência da minoria
    • Obediência à autoridade
    • O poder das situações
    • Rebelião
  • Conformidade à Maioria View slide
  • Obediência e Resistência Conformidade à maioria View slide
  • Obediência e Resistência Conformidade à maioria
    • Solomon Asch realizou uma série de estudos sobre este assunto
    • O sujeito da experiência senta-se à mesa na companhia de sete a nove participantes cúmplices do experimentador
    • Apresenta-se ao grupo três linhas verticais com diferentes comprimentos
  • Obediência e Resistência Conformidade à maioria Pede-se ao sujeitos que indiquem a linha de b que tem o mesmo comprimento da linha em a
  • Obediência e Resistência Conformidade à maioria
    • Cada pessoa anuncia a sua decisão na sua vez
    • O sujeito da experiência é sempre o último a pronunciar-se
    • Na maioria das tentativas todos dão a mesma resposta (que é óbvia)
  • Obediência e Resistência Conformidade à maioria
    • No entanto, em algumas tentativas, previamente combinadas pelo experimentador, os participantes cúmplices dão respostas erradas
    • A questão é a de saber até que ponto o sujeito é influenciado pela opinião unânime, mas errada, do grupo.
  • Obediência e Resistência Conformidade à maioria
    • Os resultados da experiência de Asch foram surpreendentes:
    • 75% dos sujeitos conformaram-se à opinião errada da maioria pelo menos uma vez.
    • O número de elementos do grupo não era determinante (com 16 ou com 4 elementos, os resultados eram os mesmos)
  • Obediência e Resistência Conformidade à maioria
    • Porque será que o facto de a resposta correcta ser óbvia não foi suficiente para garantir a independência da maioria?
    • Segundo alguns autores, a conformidade à maioria resulta precisamente do carácter óbvio da resposta . (Na vida real, discordamos com mais frequência quando as soluções não são óbvias: qual a melhor política para combater a crise, que quadro é mais bonito, etc.)
  • Obediência e Resistência Conformidade à maioria
    • No entanto, a situação experimental provocada por Asch é mais radical:
    • Trata-se de uma discordância unânime sobre um simples facto físico.
    • Não é necessário grande esforço para ser detectado o erro da maioria.
  • Obediência e Resistência Conformidade à maioria
    • O sujeito experimental pensará que a resposta unânime do grupo é incompreensível;
    • Mas pensará também que a sua discordância será incompreensível para o grupo.
  • Obediência e Resistência Conformidade à maioria
    • Os membros do grupo podem pensar que o sujeito é incapaz ou que está fora da realidade.
    • Por outro lado, a discordância sistemática do sujeito pode ser interpretada como insultuosa ou provocatória.
  • Obediência e Resistência Conformidade à maioria
    • O problema para o sujeito é:
    • O que pensam os outros de mim?
    • O que acham eles que eu penso deles?
    • Este duplo problema inibe a divergência e gera forte pressão para que o sujeito se conforme.
  • Obediência e Resistência Conformidade à maioria
    • Esta interpretação é reforçada pelo facto de a presença de um dissidente no grupo baixar drasticamente o nível de conformidade de 32% para 6% das tentativas.
    • Pouco importa o estatuto do dissidente:
    • A té pode ser um participante que não inspire muita confiança.
  • Influência da Minoria
  • Obediência e Resistência Influência da Minoria
  • Obediência e Resistência Influência da Minoria
    • Moscovici e outros investigadores europeus realizaram experiências laboratoriais idênticas às de Asch.
    • Pediu-se aos sujeitos que fizessem juízos perceptivos simples na presença de cúmplices do experimentador que davam sempre respostas erradas.
  • Obediência e Resistência Influência da Minoria
    • Em vez de um único sujeito no meio de um grupo de cúmplices, os investigadores decidiram colocar quatro sujeitos num grupo com mais dois cúmplices (que davam sempre respostas incorrectas).
    • Os participantes cúmplices estavam em minoria, portanto.
  • Obediência e Resistência Influência da Minoria
  • Obediência e Resistência Influência da Minoria
  • Obediência e Resistência Influência da Minoria
  • Obediência e Resistência Influência da Minoria
  • Obediência e Resistência Influência da Minoria
    • Em resumo:
    • As maiorias têm poder social para aprovar, reprovar, aceitar ou rejeitar;
    • O poder das maiorias produz obediência e conformidade pública (raramente a privada).
  • Obediência e Resistência Influência da Minoria
    • Em resumo:
    • As minorias raramente têm poder social;
    • O poder das minorias, percebidas como credíveis, é o de produzir mudanças genuínas de atitude e, consequentemente, inovação, mudança social e até revolução .
  • Obediência e Autoridade
  • Obediência e Resistência Obediência e Autoridade
    • Na Alemanha Nazi de 1933 a 1945, milhões de pessoas inocentes foram levadas à morte em campos de concentração.
    • Podemos pensar, com boas razões, que Hitler era um psicopata.
    • Mas será que podemos dizer o mesmo das pessoas que obedeceram a Hitler?
  • Obediência e Resistência Obediência e Autoridade
  • Obediência e Resistência Obediência e Autoridade
    • Hannah Arendt, que assistiu ao julgamento de Eichmann, julgado e condenado pelo tribunal de Nuremberga pelo crimes nazis que cometeu, acha que não.
    • Na sua opinião, Eichmann era um burocrata estúpido e muito vulgar. (ler: Relatório sobre a banalidade do mal, de Hannah Arendt)
  • Obediência e Resistência Obediência e Autoridade
    • “ Em determinadas circunstâncias, a pessoa mais vulgar pode tornar-se num criminoso”. Hannah Arendt
  • Obediência e Resistência Obediência e Autoridade
  • Obediência e Resistência Obediência e Autoridade
    • Esta questão da obediência à autoridade foi estudada empiricamente numa série de estudos importantes e polémicos conduzidos por Stanley Milgram (1963, 1974) na Universidade de Yale.
    • (Ver texto de apoio sobre experiência de Milgram e trabalho de grupo realizado na sala de aula)
  • Obediência e Resistência Obediência e Autoridade
    • As experiências de Milgram foram muito criticadas por gerarem situações artificiais.
    • Vejamos então uma experiência de obediência à autoridade numa situação do quotidiano (Hofling et al., 1966):
  • Obediência e Resistência Obediência e Autoridade
    • Uma enfermeira recebe uma chamada telefónica de um médico que ela conhecia de nome mas não pessoalmente;
    • O médico diz-lhe que gostaria que um determinado doente tomasse a medicação, de forma a poder ver o resultado quando chegasse à enfermaria
  • Obediência e Resistência Obediência e Autoridade
    • Diz-lhe que o nome do medicamento é Astroten, e que se encontra no armário dos medicamentos.
    • A caixa dos comprimidos diz: Astroten, cápsulas de 5mg; dose normal: 5mg; dose máxima diária: 10mg.
  • Obediência e Resistência Obediência e Autoridade
    • O médico pede à enfermeira que dê uma dose de 20mg ao doente e diz:
    • Estarei aí dentro de dez minutos e, nessa altura assino a receita, mas gostaria que o remédio já tivesse começado a fazer efeito.
    • Nestas condições, 95% das enfermeiras testadas deram o medicamento ao doente.
  • Obediência e Resistência Obediência e Autoridade
    • A obediência das enfermeiras viola várias regras hospitalares:
    • A receita não podia ser feita por telefone;
    • A dose era excessiva;
    • A medicação não era autorizada, isto é, não fazia parte da lista dos remédios que podiam ser utilizados na enfermaria.
  • Obediência e Resistência Obediência e Autoridade
    • O p edido tinha sido feito por uma pessoa desconhecida.
    • As enfermeiras só sabiam o nome do médico e que ele trabalhava no hospital.
  • O Poder das Situações
  • Obediência e Resistência O Poder das Situações
  • Obediência e Resistência O Poder das Situações
  • Obediência e Resistência O Poder das Situações
  • Obediência e Resistência O Poder das Situações
  • Obediência e Resistência O Poder das Situações
  • Obediência e Resistência O Poder das Situações