Treinamento de  Segurança do Trabalho - Burti Filiais
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Treinamento de Segurança do Trabalho - Burti Filiais

on

  • 11,120 vues

 

Statistiques

Vues

Total des vues
11,120
Vues sur SlideShare
11,120
Vues externes
0

Actions

J'aime
4
Téléchargements
545
Commentaires
3

0 Ajouts 0

No embeds

Accessibilité

Catégories

Détails de l'import

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Droits d'utilisation

© Tous droits réservés

Report content

Signalé comme inapproprié Signaler comme inapproprié
Signaler comme inapproprié

Indiquez la raison pour laquelle vous avez signalé cette présentation comme n'étant pas appropriée.

Annuler
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Êtes-vous sûr de vouloir
    Votre message apparaîtra ici
    Processing...
  • bom ?
    Êtes-vous sûr de vouloir
    Votre message apparaîtra ici
    Processing...
  • Conheça os produtos da Zanel - Equipamentos de proteção individual.

    Acesse:
    http://www.zanel.com.br
    Êtes-vous sûr de vouloir
    Votre message apparaîtra ici
    Processing...
  • Material excelente.
    Êtes-vous sûr de vouloir
    Votre message apparaîtra ici
    Processing...
Poster un commentaire
Modifier votre commentaire

Treinamento de Segurança do Trabalho - Burti Filiais Presentation Transcript

  • 1. Editora Gráficos Burti Ltda. TREINAMENTO DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES Rio Sul Segurança do Trabalho - Burti
  • 2. OBJETIVOS Informar os colaboradores quanto aos riscos a que possam estar expostos durante o exercício do trabalho Conscientizá-lo quanto aos meios de proteção disponíveis Prepará-los no atendimento a emergências
  • 3. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Segurança e saúde no trabalho Acidentes do trabalho Riscos de acidentes Classificação dos riscos ambientais Equipamento de Proteção Individual - EPI Prevenção e combate a incêndio Atendimento a emergências
  • 4. SEGURANÇA DO TRABALHODefiniçãoSegurança do trabalho é o conjunto de medidas que sãoadotadas visando minimizar os acidentes de trabalho,doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade dotrabalhador e sua capacidade de trabalho.
  • 5. SEGURANÇA DO TRABALHODepto. Segurança do Trabalho BurtiTodas as situações de riscos e necessidades de regularizaçãodos mesmos devem ser comunicadas as Depto. de Segurançado Trabalho (Itaqua) por e-mail: ssilva@burti.com.br outelefone: 11-4646-2192.
  • 6. ACIDENTE DO TRABALHOCONCEITO LEGALAcidente de Trabalho – É o que ocorre pelo exercício do trabalho aserviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbaçãofuncional que cause a morte, perda ou redução, permanente outemporária da capacidade para o trabalho.DOENÇA PROFISSIONALAssim entendida a produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalhopeculiar a determinada atividade e constante da respectiva relaçãoelaborada pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social.Ex.: Tendinite nos digitadores.DOENÇA DO TRABALHOAssim entendida a adquirida ou desencadeada em função de condiçõesespeciais no ambiente de trabalho, e com ele se relacionediretamente, e constante da relação mencionada no item anterior.Ex.: Surdez em digitadores que trabalhem em ambientes ruidosos.
  • 7. ACIDENTE DO TRABALHOACIDENTE POR ATO DE TERCEIRO:Quando outra pessoa “provoca o acidente”.Culposo - sem intenção, por negligência,imprudência.Doloso – Com intenção, por sabotagem,ofensa física.ACIDENTE POR FORÇA MAIOR:Oriunda de fenômenos da natureza,incêndios,inundações, descargas elétricas (raios), desdeque ocorridas no local e horário de trabalho.ACIDENTE FORA DO LOCAL DE TRABALHO :Cumprimento de Ordem de Serviço,sob autoridade da empresa.Ex.: Viagens a serviço, sob qualquermeio de locomoção.
  • 8. ACIDENTE DO TRABALHOACIDENTE DE TRAJETO:É quando o empregado sofre um acidente no percurso da sua residência para otrabalho ou do trabalho para sua residência.O QUE PODE DESCARACTERIZAR O ACIDENTE DE TRAJETO Exceder o tempo habitual - Realização do percurso além do tempo habitual Se ocorrer uma parada entre esses dois pontos (residência/trabalho – trabalho/residência) o acidente de trajeto poderá ser descaracterizado, sendo de responsabilidade do acidentado e não da empresa, qualquer despesa salvo, se em jurisprudência for decidido em contrário.
  • 9. PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES Ato Inseguro São atitudes, atos, ações ou comportamentos do trabalhador contrários às normas de segurança. Condição Insegura São deficiências, defeitos ou irregularidades técnicas nas instalações físicas, máquinas e equipamentos que presentes no ambiente podem causar acidentes de trabalho. Ato Inseguro + Condição Insegura
  • 10. PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES
  • 11. PRINCIPAIS CAUSAS DE ACIDENTES
  • 12. PLANO DE AÇÃOEMERGÊNCIAL P A E
  • 13. PLANO DE AÇÃO EMERGÊNCIALO que é um Plano de Ação Emergencial? O Plano de Ação Emergencial - PAE é programa desenvolvido pela empresa para determinar procedimentos de respostas a emergências e definir as responsabilidades e ações de cada um mediante essas situações. O plano deve proporcionar aos colaboradores da empresa preparação para uma resposta rápida, eficiente e segura em situações de emergências, priorizando a proteção efetiva da vida, a segurança e o bem estar do público, dos colaboradores, a prevenção do meio ambiente, da reputação e da imagem da empresa e de seus acionistas.Procedimentos Gerais em caso de AbandonoRecomendação: Observe atentamente a sua área de trabalho e memorize a sua via de escape. As regras recomendadas para as situações de emergência devem ser lidas periodicamente. Lembre-se que na hora da emergência, o tempo não é suficiente grande para permitir leitura de instruções.Orientações a serem adotadas durante a execução do plano de abandono:
  • 14. PLANO DE AÇÃO EMERGÊNCIALProcedimentos Gerais em caso de AbandonoAo soar o alarme de emergência, deverão ser tomadas as seguintes providências:desligue os equipamentos elétricos;pegue somente seus pertences pessoais (de mão);dirija-se a porta de saída de emergência mais próxima;dirija-se ao ponto de concentração (local pré-determinado pelo plano de Abandono),sem correr, sem empurrar;mantenha a calma (evite acidentes, tumulto e pânico);oriente os visitantes, explique o que está ocorrendo, leve-o para a fila e coloque-o àsua frente;se você ficar preso em meio à fumaça, respire pelo nariz, em rápidas inalações. Sepossível, molhe um lenço e utilize-o como máscara improvisada. Procure rastejar paraa saída, pois o ar é sempre melhor junto ao piso;se você ficar preso em uma sala cheia de fumaça, fique junto ao piso, onde o ar ésempre melhor. Se possível, fique perto de uma janela, de onde poderá chamar porsocorro;ande em fila indiana, mantendo-se em ordem;caso você esteja em um andar que não seja o seu, junte-se ao grupo desse andar;mantenha distância de 01 braço da pessoa que estiver à sua frente;seriedade é fundamental, evite barulho desnecessário;
  • 15. PLANO DE AÇÃO EMERGÊNCIALProcedimentos Gerais em caso de Abandono nunca se tranque em salas ou sanitários, não tire as roupas, pois as mesmas estarão protegendo seu corpo; durante a execução do abandono não Fume! não interrompa por nenhum motivo o processo de saída; NÃO RETORNE às dependências do local da ocorrência; ao chegar no local do ponto de concentração pré-determinado, mantenha-se em ordem e devidamente disciplinado; somente retorne ao seu trabalho após a liberação do Corpo de Bombeiros; obedecendo as orientações do Corpo de Bombeiros você estará seguro e salvo, siga-as e respeite-as.
  • 16. PLANO DE AÇÃO EMERGÊNCIALSituação de EmergênciaEMERGÊNCIA POR INCÊNDIOAo notar em qualquer lugar do prédio:Fumaça;Cheiro de queimado;Estalidos;Fogo.Siga imediatamente até a botoeira de alarme de emergência mais próxima daocorrência e aperte o botão do alarme para liberar o sinal sonoro do sistema dealarmes, ou entre em contato com a Portaria do prédio para informar a ocorrência.Oriente-se pelas placas de sinalização de fuga para sair do prédio. Carlos – Zelador: 7813-2107
  • 17. PLANO DE AÇÃO EMERGÊNCIALAMEAÇAS DE BOMBASAo notar em qualquer lugar do prédio:Malas, bolsas ou pacotes abandonados com objetos semelhantes adispositivos explosivos;Veículo suspeito estacionado por longo período próximo à empresa comobjetos suspeitos em seu interior;Ameaças por telefone.Entre em contato imediatamente com a Portaria do prédio para informar oocorrido .
  • 18. PLANO DE AÇÃO EMERGÊNCIALACIDENTES PESSOAIS GRAVESAo detectar a ocorrência de um acidente pessoal grave, deveimediantemente:Pedir a ajuda de outras pessoas, chamar ou mandar chamar porsocorrro;Aproxime-se da(s) vítima(s) para verificar seu estado de consciência.Não movimentar ou fazer movimentos bruscos no corpo da vítima, salvo asocasiões onde a vida está sendo ameaçada por desabamentos, explosões,incêndios ou qualquer outra situação que coloque a vida da vítima emperigo.Em caso de acidentes leves, faça uso da caixa de primeiros socorros.
  • 19. PREVENÇÃO E COMBATE ÁINCÊNDIO S
  • 20. PREVENÇÃO E COMBATE À INCÊNDIOSRecomendações para se evitar o fogo Armazenagem adequada de materiais combustíveis e inflamáveis; Cuidados com instalações elétricas; Instalação de para-raios; Manter ordem e limpeza; Riscos de faíscas e fagulhas.
  • 21. PREVENÇÃO E COMBATE À INCÊNDIOSELEMENTOS QUE COMPÕEM O FOGOPara que haja fogo, necessitamos reunir os quatro elementosessenciais: Combustível Calor Comburente Reação em cadeiaO Combustível em contato com uma fonte de Calor e empresença de um Comburente (geralmente o oxigênio contidono ar) começará inflamar gerando a Reação em cadeia.
  • 22. PREVENÇÃO E COMBATE À INCÊNDIOSPROPOGAÇÃO DO CALOR ConduçãoTransferência de calor através de um corpo sólido de molécula em molécula. Transferência de calor através de um corpo. ConvecçãoTransferência de calor pelo movimentoascendente de massas de gases. Movimentação de massas gasosas transporta o calor para cima e horizontalmente nos andares.  Irradiação Transferência de calor por ondas deOndas caloríficas atingem os objetos, energia calorífica que deslocam através aquecendo-as. do espaço.
  • 23. PREVENÇÃO E COMBATE À INCÊNDIOSMÉTODO DE EXTINÇÃO DOFOGOA extinção do fogo baseia-se na retirada de um dos três elementosessenciais que provocam o fogo . Retirada de materialNesse método de extinção é retirada o elemento combustível. ResfriamentoNesse método de extinção é retirada o elemento Calor. AbafamentoAs chamas estão “vivas” enquanto há oxigênio suficiente, a falta domesmo resultará na extinção do fogo, é exatamente isso que oabafamento faz, isola o combustível em chamas do comburente.
  • 24. PREVENÇÃO E COMBATE À INCÊNDIOSCLASSES DE FOGO CLASSE “A”: São materiais de fácil combustão, queimam tanto na superfície como em profundidade, deixando resíduos. Ex.: madeira, papel, etc. CLASSE “B”: São os produtos que queimam somente na superfície. Ex.: gasolina, óleos, graxas, etc. CLASSE “C”: Ocorre em equipamentos elétricos energizados. Ex.: motores, quadros de distribuição, etc. CLASSE “D”: Ocorre em materiais pirofóricos como magnésio, zircônio, titânio, etc. CLASSE A CLASSE B CLASSE C CLASSE D Combustíveis Líquido e Gases Equipamentos Metais sólidos Inflamáveis Energizados Pirofóricos
  • 25. PREVENÇÃO E COMBATE À INCÊNDIOSTIPOS DE EXTINTORES Dióxido de Carbono, mais conhecido como Gás Carbonico ou CO2, usado preferencialmente nos incêndios classe “B” e “C”. Pó Químico Sêco, usado nos incêndios classe “B” e “C”. Em materiais pirofóricos (classe “D”), será utilizado um pó químico especial. Água Pressurizada, usado principalmente em incêndios de classe “A”. Em incêndios de classe “C”, só deve ser utilizado sob forma de neblina. Nunca utilizar este tipo de extintor em incêndios de classe “B”. CO2 PÓ QUÍMICO ÁGUA
  • 26. PREVENÇÃO E COMBATE À INCÊNDIOSINSPEÇÃO DE EXTINTORES Todo extintor deverá ter uma ficha de controle de inspeção, devendo ser inspecionado no mínimo 1 vez por mês, sendo observado seu aspecto externo, os lacres, manômetros e se os bicos e válvulas de alívio não estão entupidas. Cada extintor deverá ter em seu bojo, uma etiqueta contendo data de carga, teste hidrostático e número de identificação.
  • 27. PREVENÇÃO E COMBATE À INCÊNDIOSLOCALIZAÇÃO E SINALIZAÇÃO DEEXTINTORES Os extintores deverão ser instalados em locais de fácil acesso e visualização; Os locais destinados aos extintores devem ser sinalizados por placas; Sua parte superior não poderá estar a mais de 1,60 m acima do piso; Extintores não poderão estar instalados em paredes de escadas e não poderão ser encobertos por pilhas de materiais.
  • 28. NOÇÕES BÁSICAS DEPRIMEIROSSOCORROS
  • 29. NOÇÕES BÁSICAS DE PRIMEIROS SOCORROSPrimeiros Socorros, são todas as medidas quedevem ser tomadas de imediato para evitaragravamento do estado de saúde ou lesão deuma pessoa antes do atendimento médico.
  • 30. NOÇÕES BÁSICAS DE PRIMEIROS SOCORROSAÇÕES DE SOCORRISTA Isolar a área, evitando o acesso de curiosos; Observar a vítima, verificando alterações ou ausência de respiração,hemorragias, fraturas, colorações diferentes da pele, presença de suorintenso, expressão de dor; Observar alteração da temperatura, esfriamento das mãos e/ou pés; Manter a calma, assumindo a liderança do atendimento; Procurar que haja comunicação imediata com hospitais,ambulâncias, bombeiros, polícia se necessário. A atitude do socorrista pode significar a vida ou a morte da pessoasocorrida.
  • 31. NOÇÕES BÁSICAS DE PRIMEIROS SOCORROSDESMAIOSNormalmente, o desmaio não passa de um acidente leve, só se agravandoquando é causado por grandes hemorragias. Como socorrer:  se a pessoa estiver prestes a desmaiar, coloque-a sentada com a cabeça entre as pernas;  se o desmaio já ocorreu, deitar a vítima no chão, verificar respiração e palidez;  afrouxar as roupas;  erguer os membros inferiores; Obs.: Se a vítima não se recuperar de 2 a 3 minutos, procurar assistência médica.
  • 32. NOÇÕES BÁSICAS DE PRIMEIROS SOCORROSCRISE CONVULSIVA Como socorrer:  deite a vítima no chão e afaste tudo que estiver ao seu redor que possa machucá-la;  retire objetos como próteses, óculos, colares, etc;  coloque um pano ou lenço dobrado entre os dentes e desaperte a roupa da vítima;  não dê líquido à pessoas que estejam inconscientes;A vítima de crise convulsiva  cessada a convulsão, deixa a vítima(ataque epiléptico), fica retraída ecomeça a se debater repousar calmamente, pois poderáviolentamente, podendo dormir por minutos ou horas;apresentar os olhos virados para  nunca deixa de prestar socorro àcima. vítima de convulsão.
  • 33. NOÇÕES BÁSICAS DE PRIMEIROS SOCORROSCHOQUES ELÉTRICOSO que fazer? Corte a corrente elétrica imediatamente; Se a vítima ainda estiver conectada à corrente elétrica, use pano bem grosso, borracha, madeira ou material não condutor de eletricidade para salvá-la da corrente; Se o choque elétrico tiver sido muito forte, pode ter causado parada cardiorrespiratória. Caso a vítima esteja com ausência de pulso e de batimentos cardíacos, ou ainda lábios e unhas arroxeadas, inicie imediatamente a massagem cardíaca com a respiração boca a boca, alternadamente.
  • 34. NOÇÕES BÁSICAS DE PRIMEIROS SOCORROSEntorse - LuxaçãoEntorseForte torção no localO que fazer? Coloque compressa de gelo (não coloque o gelo diretamente na pele). Imobilize a vítima; Procure ajuda especializada. Luxação Entorse O osso de uma articulação sai do lugar O que fazer?  Tratar como fratura.
  • 35. NOÇÕES BÁSICAS DE PRIMEIROS SOCORROSFRATURASÉ um tipo de lesão onde Como socorrer:ocorre a quebra de um osso.  imobilização;Existem 2 tipos de fraturas:  movimentar o menos possível;Exposta ou aberta: quando  colocar gelo no local de 20 a 30há o rompimento da pele. minutos;Interna ou fechada: quando  improvisar talas;não há o rompimento da  proteger o ferimento com gase oupele. pano limpo (para casos de fraturasEm ambos os casos, expostas ou abertas).acontece dor intensa,deformação do local afetado,incapacidade de movimentoe inchaço.
  • 36. NOÇÕES BÁSICAS DE PRIMEIROS SOCORROSManobra de Heimlich 1º Posicionar-se atrás 2º Com a mão 3º Envolver a mão da vítima. Colocar o esquerda, encontrar direita com a mão cotovelo direito na a ponta do osso esquerda. Pressionar o crista ilíaca direita da esterno da vítima e abdome da vítima vítima e fechar a mão colocar a raiz do puxando-o para si e direita polegar da mão para cima cinco vezes. direita dois dedos Essa compressão deve abaixo desse ponto. ser suficiente para . erguer o calcanhar da vítima do solo.
  • 37. NOÇÕES BÁSICAS DE PRIMEIROS SOCORROSO QUE É RCP?Reanimação Cardio Pulmonar (RCP), consiste nacombinação de respiração boca a boca com compressõesexternas sobre o peito.
  • 38. COMUNICAÇÃOLEMBRE-SE:-Todo acidente do trabalho deverá ser comunicado imediatamente aoRH da Burti Itaquá.-Os extintores de incêndio deverão ser encaminhados à manutenção acada 12 meses. Não podem ser obstruídos.-Todos os colaboradores deverão passar por avaliação médica a cada12 meses. PCMSO.-A pasta de documentos deverá estar disponível aos fiscais do Ministériodo Trabalho.- A caixa de primeiros socorros deverá ser mantida em local visível.Atenção para os prazos de validade. Não poderá conter medicamentos. Segurança do Trabalho - Burti