Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)

42 711 vues

Publié le

Trabalho realizado para a disciplina de Português (11ºano)

Publié dans : Formation

Corridas do hipodromo (Cap. X - Os Maias)

  1. 1. Corridas do hipódromo (Capítulo X) Trabalho realizado por: Alexandra, nº 2 Ana Luísa, nº 4 Joana, nº 17 Marisa, nº 21 Escola Secundária de Alberto Sampaio Ciências Socioeconómicas – 11ºM 2011-2012 - Português
  2. 2. Resumo do episódio Carlos estava cansado da sua relação com a Condessa de Gouvarinho e quando esta lhe diz que se quer encontrar com ele em Santarém, este tenta recusar pois quer se libertar dela devido às suas loucuras e a ele não conseguir tirar da cabeça Maria Eduarda. No entanto, acaba por ceder aos desejos da Gouvarinho. Num dos jantares no Ramalhete, o tema de conversa concentra-se nas Corridas do hipódromo que estavam prestes a se realizar em Belém. No dia das corridas, fazem-se apostas, onde todos apostam contra Vladimiro, cavalo em que Carlos tinha apostado. Vladimiro vence e Carlos ganha 12 libras, facto muito comentado. Carlos tenta aproveitar a situação para encontrar a sua amada, o que acaba por não acontecer, e para falar com Dâmaso com o objetivo de saber se este conseguiu convidar os Castro Gomes para um serão na casa de Craft. No entanto, quando Carlos encontra Dâmaso é confrontado com a noticia de que Castro Gomes partira para o Brasil, ficando a mulher em Lisboa num andar arrendado na casa de Cruges.
  3. 3. Temas abordados Ω As corridas do Hipódromo; Ω O atraso da sociedade lisboeta; Ω A sua falta de civismo; Ω Desejo de imitação do estrangeiro; Ω Sociedade que vive de aparências. Ω Falta de coerência entre os trajes e a ocasião; Ω Desprazer revelado pelo facto de as pessoas não revelarem qualquer interesse pelo invento; Ω A desordem e agressões físicas não adequadas ao evento.
  4. 4. Personagens  Carlos da Maia:  Culto e bem educado  Cosmopolitista  Sensual  Diletantista  Alto de pele branca e olhos negros  Maria Eduarda  Misteriosa  Nunca é vitima de criticas  Sensual  Alta, loira de olhos negros  Intitulada de “Deusa” e “perfeita”
  5. 5.  Dâmaso Salcede:  Súmula de defeitos:  Presumido  Cobarde  Sem dignidade  Baixo e gordo  Condessa de Gouvarinho  Imoral  Sem escrúpulos  Fútil  Cabelos crespos e ruivos  Pele clara, fina e doce  Nariz petulante  Olhos negros e brilhantes
  6. 6. Tomás de Alencar:  Poeta romântico  Incoerente  Contradiz-se  Falso moralista  Alto e asceta  D. Maria da Cunha  Faz parte da alta sociedade  Elevado nível de cultura e de saber como estar  Possuidora de uma beleza encantadora  Gosta de estar presente em todos os eventos/acontecimentos sociais
  7. 7. Costumes socioculturais da época  Uso de vestuário de “missa” para todo o tipo de eventos sociais, (vestuário inadequado);  Estar presente não por interesse pelo evento mas apenas para ver quem está e como vai vestido e/ou acompanhado;  Imitar os acontecimentos/eventos realizados no estrangeiro
  8. 8. Elementos descritivos e seu simbolismo Ω O hipódromo parecia um arraial; Ω As pessoas não sabiam ocupar os seus lugares; Ω As senhoras traziam "vestidos sérios de missa"; Ω O bufete tinha um aspecto nojento; Ω A 1ª corrida terminou numa cena de pancadaria; Ω As 3ª e 4ª corridas terminaram bruscamente; Ω Desinteresse generalizado; Ω A sorte de Carlos, ganhando todas as apostas, é indício de futura desgraça. (Sorte no jogo… Azar no amor).
  9. 9. Marcas queirosianas Ω Sinestesia - “…e a escaldar na luz…” Ω Adjectivação - “…cheirinho adocicado e triste…” Ω Uso do diminutivo - “…cheirinho adocicado…” Ω Uso do advérbio – “…pasmava languidamente…” Ω Uso do gerúndio - “Carlos, rindo, …” Ω Discurso indirecto livre – “Nessa tarde lá tinham voltado as palavras que ela balbuciava, caída sobre o seu peito, com os olhos afogados numa ternura suplicante “ se tu quiseres! Que felizes que seriamos! Que vida adorável! Ambos sós! …” …. ?” Ω Neologismos - «vermelhejavam» ou «negrejavam»; Ω Empréstimos- “ … era um gentleman…”
  10. 10. Conclusão Com o estudo deste episódio podemos concluir que os objetivos das corridas foram um fracasso total, que a sociedade lisboeta estava atrasada em relação a outras sociedades como a francesa e a inglesa, que a sociedade portuguesa vivia muito de aparências e que não demonstravam qualquer interesse por eventos/acontecimentos culturais. Foi interessante fazer este trabalho pois ajudou nos a compreender um pouco mais a nossa antiga sociedade e fez nos perceber algumas diferenças entre a nossa antiga sociedade e a nossa atual sociedade. Esperemos que tenham gostado do nosso trabalho e que vos tenha ajudado a compreender um pouco melhor este episódio tão importante desta obra tão comentada e referida como um retrato da nossa sociedade na segunda metade do século XIX.

×