Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Evelinda Marramon Trindade

234 vues

Publié le

Avaliação e Impacto de Tecnologias em Saúde - Uso de Evidências Científicas no Estado de São Paulo

Publié dans : Santé
  • Soyez le premier à commenter

Evelinda Marramon Trindade

  1. 1. Coordenadoria de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde (CCTIES) SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO CONITEC – Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS
  2. 2. 30 de maio de 2012 Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo • Lei 12.401 – CONITEC incorporação de novas tecnologias na Tabela do SUS: δ sustentabilidade dos programas DECRETO No. 7.646, de 21 de dezembro de 2011 RENAME RENASES
  3. 3. Coordenadoria de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde (CCTIES) e INSTITUTO DE SAÚDE SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO
  4. 4. DIRETRIZES AMPLAS E ESPECÍFICAS, PLANOS DE AÇÃO DA SES-SP: 2011-2019 COORDENADORIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO EM SAÚDE ʘ Propiciar inovação tecnológica para o aprimoramento dos processos em saúde ʘ Aperfeiçoar os mecanismos de desenvolvimento de pessoal para a qualificação dos profissionais do SUS
  5. 5. Em 2012, a Coordenadoria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos em Saúde, em consonância com o Plano Plurianual da SES (2012/2015) e com a Lei nº 12.401, de 28 de Abril de 2012 do MS, apresentou uma proposta para criação de uma em Saúde visando utilizar essa ferramenta como critério de tomada de decisões com as 03 seguintes finalidades
  6. 6.  identificar os procedimentos realizados pelas Instituições Hospitalares ligadas à SES/SP que não eram ressarcidos pela Tabela SUS para inclusão via Ministério da Saúde ;  integrar e articular os Núcleos de Avaliações de Tecnologias em Saúde já implantados em algumas Instituições ligadas a Universidades, para formação de trabalhos multicêntricos potencializando a expertise para resultados mais agregadores;
  7. 7.  Capacitar instituições hospitalares ligadas à SES para usar a ferramenta e assim, formar uma Rede que pudesse, ao longo de um período, se familiarizar com essa ferramenta de tomada de decisões e, desta forma, utilizar melhor os recursos tanto na aquisição de medicamentos, equipamentos, procedimentos sempre visando uma melhor assistência à Saúde dos usuários .
  8. 8. Coordenadoria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos de Saúde
  9. 9. C – Secretaria (DC 49.343/2005) Coordenadoria de Ciência Tecnologia e Inovação (DC 49.343/2005) D - Conselho Estadual da Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde (Conforme Res.SS 26/2008-Rep) B – Assistência Técnica (DC 49.343/2005) 12- Grupo de Sangue Art. 28º. DC 49.343/2005) 16 - Grupo de Difusão do Conhecimento (DC 54.036/2009) 13 - Centro de Coordenação da Rede Estadual de Hematologia e Hemoterapia. 14 - Núcleo de Monitoramento de Qualidade 15 - Núcleo de Monitoramento de Produção 17 - Centro de Documentação/ Coordenação de Informação Técnico Científica (DC 54.739/2009) 18 – Núcleo de Capacitação aperfeiçoamento profissionais de saúde 1- Grupo de Gerenciamento Administrativo (DC 49343/2005) 6 - Grupo de Desenvolvimento de Ciência, Tecnologia e Inovação (PES 2012-2015) 19 - Instituto de Saúde (DC 55004/2009) 2- Núcleo de Apoio Administrativo (Art. 7º - DC 51283/2006) 3 – Núcleo de Finanças (Art. 45º. DC49343/2005) 4 – Núcleo de Expediente 5 – Núcleo de Recursos Humanos (Art.46º. DC49343/2005) 7 - Centro de Inovação Tecnológica de Produtos e Processos – NITSs (DC 54.690/2009) 8 - Núcleo de Pesquisa Clínica 9 - Núcleo de Economia da Saúde 10 - Centro de Avaliação e Incorporação de Tecnologias 11 - Núcleo de Coordenação dos NATSs
  10. 10. SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO
  11. 11.  Propostas para Incorporação Tabela SUS à CONITEC: formulário integralmente preenchido∫ modelo de Pareceres Técnico-Científicos, PTCs ∫ REBRATS & CONITEC.  Oficinas de Treinamento para elaboração de PTCs e avaliação econômica com os NATSs da
  12. 12. New technologies emerging: to substitute or to be added? to the established & old ones, all well studied? The decision challenge Fase IV CLINICAL TRIALS EFFECTIVENESS & SAFETY thousands sick Routine conditions Fase III CLINICAL TRIALS EFFICACY & SAFETY hundreds sick Fase II CLINICAL TRIALS EFFICACY & SAFETY some sick Fase I CLINICAL TRIALS EFFECT & SAFETY some healthy PRE CLINICAL TRIALS HEALTH CARE SYSTEM T1 T2 TECHNOLOGICALNEW TECHNOLOGIES INTERDEPENDENCE RELATED TECNOLOGIES SUPPORT TECNOLOGIES DIFFUSION OF TECHNOLOGIES INDUSTRY OLD TECHNOLOGIES From Trindade E. Adoption of new technologies in health care: The factors analysis challenge. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro: FIOCRUZ [in press] 2007
  13. 13. Cerca de 10 reuniões mensais por ano com as Instituições participantes e cerca de 120 pessoas capacitadas, + passos: 1. Oficinas de Avaliações Econômicas de Tecnologias em Saúde – Professor Jeffrey Hoch - Canadá 2. Oficinas de Revisões Sistemáticas e Meta-análises 3. Oficinas de Relatórios de revisões com estudos mistos 4. Oficinas de Redação de Projetos Científicos 5. Oficinas de Câmaras técnicas (bibliotecárias) 6. Oficinas de Farmacoeconomia 7. Formação de Grupos Técnicos de Trabalho Após o primeiro ano
  14. 14. E nas reuniões mensais também passamos a discutir processo de Melhorias da Assistência à Saúde – Boas Práticas de Assistência que proporcionam melhorias que, muitas vezes, não necessitam de recursos financeiros, e assim agregando novas instiuições e novos parceiros. Oficinas descentralizadas
  15. 15. Com Instituições parceiras, como o Instituto de Saúde foi criado o Aprimoramento em Avaliação de Tecnologias em Saúde com 05 vagas e já com as primeiras turmas concluídas.
  16. 16. REPATS HOJE: 20 INSTITUIÇÕES COM NUCLEOS DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS FORMALMENTE CONSTITUÍDOS: 1. HC FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO 1. Instituto Central 2. INCOR 3. INSTITUTO DE MEDICINA FÍSICA – IMREA 4. INRAD 5. IOT 2. HC FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU 3. HC FACULDADE DE CIENCIAS MÉDICAS DA UNICAMP 1. CAISM 4. HC FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO 5. HC DA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA 6. HOSPITAL AMARAL CARVALHO DE JAHU 7. FACULDADE DE TECNOLOGIA - FATEC – SOROCABA – tecnologia em saúde 8. CENTRO DE ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER – CAISM – UNICAMP 9. HOSPITAL DE BASE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO 10. FACULDADE DE MEDICINA DA UNOESTE – PRESIDENTE PRUDENTE 11. HOSPITAL DE CANCER DE BARRETOS – FUNDAÇÃO PIO XII 12. INSTITUTO DE SAÚDE DA SES/SP 13. INSTITUTO DE PESOS E MEDIDAS – IPEN 14. FACULDADE DE CIENCIAS FARMACÊUTICAS DE RIBEIRÃO PRETO – USP • HOSPITAL BRIGADEIRO – HOSPITAL DE TRANSPLANTES “ DR. EURICLEDES ZERBINI “
  17. 17. 1. INSTITUTO EMÍLIO RIBAS 2. HOSPITAL MUNICIPAL DE TATUAPÉ 3. HOSPITAL ESTADUAL DE BAURU 4. HOSPITAL E MATERNIDADE LEONOR MENDES DE BARROS 5. IRMANDADE DA SANTA CASA DE SÃO PAULO 6. INSTITUTO DE CANCER DO ESTADO DE SÃO PAULO 7. INSTITUTO DANTE PAZZANEZE DE CARDIOLOGIA 8. INSTITUTO BOLDRINI – ASSISTENCIA AO CANCER INFANTIL 9. HOSPITAL GUILHERME ÁLVARO DE SANTOS  INSTITUIÇÕES PARTICIPANTES SEM A OFICIALIZAÇÃO DOS NATS
  18. 18. Legend c CENTRO DE ATENÇÃO INTEGRADA À MULHER – CAISM - UNICAMP c FUNDAÇÃO BOLDRINI c HOSPITAL DAS CLINICAS DA UNIVERSIDADE DE CAMPINAS – UNICAMP c HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU – UNESP c HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO – USP c HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FMUSP c HOSPITAL DE BASE DA FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA – FAMEMA c HOSPITAL DE BASE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO – FUNFARME c HOSPITAL DE CANCER DE BARRETOS c HOSPITAL ESTADUAL DE BAURU c HOSPITAL ESTADUAL DE PRESIDENTE PRUDENTE c HOSPITAL GERAL DE ITAPECERIDA DA SERRA c HOSPITAL GUILHERME ÁLVARO c HOSPITAL MUNICIPAL DR. CÁRMINO CARICCHIO c HOSPITAL REGIONAL DE COTIA c HOSPITAL REGIONAL DE PRESIDENTE PRUDENTE c HOSPITAL SÃO PAULO – ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA c INSTITUTO AMARAL CARVALHO c INSTITUTO DA CRIANÇA – FMUSP c INSTITUTO DE CARDIOLOGIA DANTE PAZZANESE c INSTITUTO DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA - FMUSP c INSTITUTO DE RADIOLOGIA – INRAD – FMUSP c INSTITUTO DO CANCER DO ESTADO DE SÃO PAULO – ICESP c INSTITUTO DO CORAÇÃO – INCOR – FMUSP c INSTITUTO EMÍLIO RIBAS c IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO PAULO
  19. 19. REPATS HOJE  CERCA DE 1500 PROFISSIONAIS TREINADOS EM OFICINAS  12 reuniões anuais com discussão de temas diversos advindos nas instituições, abertura para ouvir as práticas exitosas e não exitosas das instituições  Mestrado profissionalizante coordenado pelo Instituto de Saúde  inicialização dos trabalhos de ATS com os diretórios regionais de saúde SES/SP  parceria com SCODES – – coordenação das demandas estratégicas do sus com a finalidade de auxílio nos processos de enfrentamento de ações de judicialização junto da SES/SP  participação nos processos de seleção de prioridades em pesquisa para o SUS - PPSUS  Oficinas técnicas em instituições fora do domicílio de São Paulo   Produção de PTCs e PCDTs  Acompanhamento metodológico dos projetos de Estudos Clínicos, PTCs e PCDTs pelas instituições parceiras
  20. 20. Coordenadoria de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde (CCTIES) Planejamento e Incorporação de Tecnologias e Insumos Estratégicos e SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO INSTITUTO DE SAÚDE
  21. 21. 1. Demanda de pacientes em cuidados paliativos no Estado de São Paulo – pesquisa multicêntrica com 06 NATS envolvidos; 2. Estratificação de risco cirúrgico como instrumento de inovação em programas de cirurgia cardíaca no sus do Estado de São Paulo; 3. Implantação e resultados dos núcleos de segurança do paciente em instituições de assistência à saúde;
  22. 22. 4. Impacto de informações disponibilizados no Portal Saúde Baseada em Evidências na Prática Clínica dos profissionais de saúde do Estado de São Paulo; 5. Implementação do Registro Paulista de tratamento cirúrgico do câncer de pulmão; 6. Promovendo a inovação em saúde através de start-ups 7. Protocolo clínico terapêutico na assistência a gestantes e puérperas usuárias de drogas psicoativas
  23. 23. • Registry de Cirs de Cancer de Pulmão • SP-SCORE-SUS Benchmarking em Cirs Cardíacas em Adultos • Cardio-ASSIST- fatores de risco em Cirs das cardiopatias congênitas • Evid-SP Portal Saúde Baseada em Evidências na Prática Clínica
  24. 24. Revisão da utilização do tomógrafo com 16 multislices e simulação do impacto econômico do programa no InCor e para o Sistema Único de Saúde Trindade E, Rochitte CE, Lemos P, Ramires J, Fujii S, Baos MN, Aguiar LL, Silva JE, Cruz M, Gotti T. Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, InCor-HC/FMUSP A freqüência elevada de dor torácica aguda implica em complexos exames para diferenciar aquelas devidas às estenoses coronarianas >50%. Os diagnósticos de angina e isquemia do miocárdio são a quinta causa mais freqüente de atendimento no sistema de saúde público no Brasil. O exame invasivo, percutâneo e intraluminal é o padrão-ouro e apresenta associação com morbidade e mortalidade adicionais. O rápido desenvolvimento dos tomógrafos com múltiplas colunas de detectores e imagens tridimensionais promete alternativas não invasivas. Métodos: estudo retrospectivo de janeiro de 2004 e agosto de 2005, dos prontuários eletrônicos da série consecutiva de pacientes e documentos dos seus exames e/ou procedimentos no InCor. O modelo de simulação do desempenho utilizou as probabilidades derivadas na meta-análise de 32 estudos comparativos entre a coronariografia convencional invasiva e a angiotomocoronariografia, bem como as probabilidades de eventos observadas para estes pacientes durante todo o período do estudo. Os custos reais de operação e manutenção do tomógrafo e materiais de consumo utilizados nos exames foram estimados de acordo com os custos médios das compras pelo pregão ou Bolsa Eletrônica do estado de São Paulo durante o ano de 2005. A projeção de impacto para o Sistema Único de Saúde, SUS, utiliza valores das Tabelas de ressarcimento do Sistema de Internações Hospitalares, SIH, e Informações Ambulatoriais, SIA, freqüências e média de ressarcimento para os procedimentos terapêuticos acumulados no DATASUS/MS. Probabilidades segundo número de casos % positivos no InCor e parâmetros FP e FN da literatura meta-analisada Experiência InCor TODOSExperiência InCor TODOS –– jan 2004jan 2004 --ago 2005ago 2005 e simulação se ae simulação se a AngioTomoCoronariografia fosse aplicadaAngioTomoCoronariografia fosse aplicada a prioria priori a todas anginas atípicas com risco reduzido oua todas anginas atípicas com risco reduzido ou moderado de estenosemoderado de estenose CoronariografiaCoronariografia InvasInvas.:.: 13.50013.500 =>=> 2.2002.200 Angioplastia,Angioplastia, 1.1251.125 Cirurgia,Cirurgia, 2.0002.000 MedsMeds ee 10.00010.000 //ObservaçãoObservação 6,5% FP =6,5% FP = 130130 estenose < 50%estenose < 50% 4% FN =4% FN = 8080 estenose > 50%estenose > 50% 40% PV =40% PV = 720720 estenose > 50%estenose > 50% 53,5% NV53,5% NV = 1.070= 1.070 SEMSEM ou estenose < 50ou estenose < 50%% 6,5% FP =6,5% FP = 130130 estenose < 50%estenose < 50% 4% FN =4% FN = 8080 estenose > 50%estenose > 50% 40% PV =40% PV = 720720 estenose > 50%estenose > 50% 53,5% NV53,5% NV = 1.070= 1.070 SEMSEM ou estenose < 50ou estenose < 50%% >15% apresentou angina atípica:>15% apresentou angina atípica: AcuráciaAcurácia : 91%: 91% poderia fazer AngioTomoCoronariografiapoderia fazer AngioTomoCoronariografia EspecificidadeEspecificidade: 95%: 95% NNão Invasivaão Invasiva a prioria priori SensibilidadeSensibilidade >83%>83% ObservaObservaççãoão ObservaObservaççãoão CirCir.. RevascRevasc.. AngioplastiaAngioplastia CirCir.. RevascRevasc.. AngioplastiaAngioplastia ObservaObservaççãoão CirCir.. RevascRevasc.. AngioplastiaAngioplastia CondutaConduta R$ 4.843.440,00R$ 4.843.440,00R$ 2.076.900,00R$ 2.076.900,00 R$ 0,00 diferenR$ 0,00 diferenççaaR$ 449.400,00R$ 449.400,001.0701.070 R$ 0,00 diferenR$ 0,00 diferenççaa130130 R$ 411.600,00R$ 411.600,005959 R$ 682.080,00R$ 682.080,00122122R$ 367.500,00R$ 367.500,00210210 R$ 1.411.200,00R$ 1.411.200,00202202 R$ 2.338.560,00R$ 2.338.560,00418418R$ 1.260.000,00R$ 1.260.000,00720720 (2)(2) AngioAngio TomoTomo a priori /a priori / AnginasAnginas AtAtíípicaspicas R$ 4.166.400,00R$ 4.166.400,00R$ 2.660.000,00R$ 2.660.000,00 R$ 0,00 diferenR$ 0,00 diferenççaaR$ 1.596.000,00R$ 1.596.000,001.2001.200 R$ 1.568.000,00R$ 1.568.000,00224224 R$ 2.598.400,00R$ 2.598.400,00464464R$ 1.064.000,00R$ 1.064.000,00800800 (1)(1) CoronarioCoronario InvasivaInvasiva Custo SubCusto Sub--TotalTotalNNCusto SubCusto Sub--TotalTotalNNEstratEstratéégiagia ObservaObservaççãoão ObservaObservaççãoão CirCir.. RevascRevasc.. AngioplastiaAngioplastia CirCir.. RevascRevasc.. AngioplastiaAngioplastia ObservaObservaççãoão CirCir.. RevascRevasc.. AngioplastiaAngioplastia CondutaConduta R$ 4.843.440,00R$ 4.843.440,00R$ 2.076.900,00R$ 2.076.900,00 R$ 0,00 diferenR$ 0,00 diferenççaaR$ 449.400,00R$ 449.400,001.0701.070 R$ 0,00 diferenR$ 0,00 diferenççaa130130 R$ 411.600,00R$ 411.600,005959 R$ 682.080,00R$ 682.080,00122122R$ 367.500,00R$ 367.500,00210210 R$ 1.411.200,00R$ 1.411.200,00202202 R$ 2.338.560,00R$ 2.338.560,00418418R$ 1.260.000,00R$ 1.260.000,00720720 (2)(2) AngioAngio TomoTomo a priori /a priori / AnginasAnginas AtAtíípicaspicas R$ 4.166.400,00R$ 4.166.400,00R$ 2.660.000,00R$ 2.660.000,00 R$ 0,00 diferenR$ 0,00 diferenççaaR$ 1.596.000,00R$ 1.596.000,001.2001.200 R$ 1.568.000,00R$ 1.568.000,00224224 R$ 2.598.400,00R$ 2.598.400,00464464R$ 1.064.000,00R$ 1.064.000,00800800 (1)(1) CoronarioCoronario InvasivaInvasiva Custo SubCusto Sub--TotalTotalNNCusto SubCusto Sub--TotalTotalNNEstratEstratéégiagia Impacto econômico diferencialdiferencial /InCor/InCor Teste Sub-Totais Presente Ausente Totais + TP FP TP+FP - FN TN FN+TN Sub-Totais TP+FN FP+TN Total Angio Sub- Tomography Totais Coronariana Presente Ausente + 0,4 0,065 0,305 - 0,04 0,495 0,695 Sub-Totais 0,44 0,56 TOTAL Estenose Coronaria | DAC Condição Análise de decisão:Análise de decisão: Dores torácicas agudasDores torácicas agudas alternativas diagnalternativas diagnóósticas e terapêuticassticas e terapêuticas Dor TorácicaDor Torácica Típica: p = 0,85Típica: p = 0,85 Atípica: p = 1Atípica: p = 1 -- 0,850,85 Angiotomocoronariografia (2)Angiotomocoronariografia (2) Coronariografia invasiva (1)Coronariografia invasiva (1) Coronariografia invasiva (1)Coronariografia invasiva (1) Dor TorácicaDor Torácica Típica: p = 0,85Típica: p = 0,85 Atípica: p = 1Atípica: p = 1 -- 0,850,85 Angiotomocoronariografia (2)Angiotomocoronariografia (2) Coronariografia invasiva (1)Coronariografia invasiva (1) Coronariografia invasiva (1)Coronariografia invasiva (1) ocorrênciaocorrênciaocorrênciaocorrência decisão | critdecisão | critéérios clrios clíínicosnicos (1) Coronariografia(1) Coronariografia ppestenoseestenose> 50%> 50%= 0,4 = 1= 1-- (1) Coronariografia(1) Coronariografia invasiva ppestenoseestenose> 50%> 50% pp Não ou estenose Não Trat.= 1= 1-- 0,4 AngioplastiaAngioplastiaAngioplastiaAngioplastia p =p = 0,140,14 p = 0,58p = 0,58 AngioplastiaAngioplastiaAngioplastiaAngioplastia p =p = 0,280,28 Cirurgia RevascularizaCirurgia Revascularizaççãoão MedsMeds sem Revascularizasem Revascularizaççãoão estenoseestenose> 50%> 50%= 0,4*0,9 = 1= 1= 1= 1---- ObservaObservaObservaObservaççãoão (2)(2) AngioTomoAngioTomo CoronariografiaCoronariografia NNààoo InvasivaInvasiva estenoseestenose> 50%> 50% = 1= 1= 1= 1---- 0,360,36--0,140,14 AngioplastiaAngioplastiaAngioplastiaAngioplastia p =p = 0,140,14 p = 0,58p = 0,58 AngioplastiaAngioplastiaAngioplastiaAngioplastia p =p = 0,280,28 Cirurgia RevascularizaCirurgia Revascularizaççãoão MedsMeds sem Revascularizasem Revascularizaççãoão ppincertezaincertezade estenose ou nãode estenose ou não= 0,14= 0,14 (1)(1)ppincertezaincertezade estenose ou nãode estenose ou não= 0,14= 0,14 (1)(1) pp ppNão ou estenose NãoNão ou estenose Não TratTrat.. ObservaObservaObservaObservaççãoão Análise de decisão:Análise de decisão: Dores torácicas agudasDores torácicas agudas alternativas diagnalternativas diagnóósticas e terapêuticassticas e terapêuticas Dor TorácicaDor Torácica Típica: p = 0,85Típica: p = 0,85 Atípica: p = 1Atípica: p = 1 -- 0,850,85 Angiotomocoronariografia (2)Angiotomocoronariografia (2) Coronariografia invasiva (1)Coronariografia invasiva (1) Coronariografia invasiva (1)Coronariografia invasiva (1) Dor TorácicaDor Torácica Típica: p = 0,85Típica: p = 0,85 Atípica: p = 1Atípica: p = 1 -- 0,850,85 Angiotomocoronariografia (2)Angiotomocoronariografia (2) Coronariografia invasiva (1)Coronariografia invasiva (1) Coronariografia invasiva (1)Coronariografia invasiva (1) ocorrênciaocorrênciaocorrênciaocorrência decisão | critdecisão | critéérios clrios clíínicosnicos (1) Coronariografia(1) Coronariografia ppestenoseestenose> 50%> 50%= 0,4 = 1= 1-- (1) Coronariografia(1) Coronariografia invasiva ppestenoseestenose> 50%> 50% pp Não ou estenose Não Trat.= 1= 1-- 0,4 AngioplastiaAngioplastiaAngioplastiaAngioplastia p =p = 0,140,14 p = 0,58p = 0,58 AngioplastiaAngioplastiaAngioplastiaAngioplastia p =p = 0,280,28 Cirurgia RevascularizaCirurgia Revascularizaççãoão MedsMeds sem Revascularizasem Revascularizaççãoão estenoseestenose> 50%> 50%= 0,4*0,9 = 1= 1= 1= 1---- ObservaObservaObservaObservaççãoão (2)(2) AngioTomoAngioTomo CoronariografiaCoronariografia NNààoo InvasivaInvasiva estenoseestenose> 50%> 50% = 1= 1= 1= 1---- 0,360,36--0,140,14 AngioplastiaAngioplastiaAngioplastiaAngioplastia p =p = 0,140,14 p = 0,58p = 0,58 AngioplastiaAngioplastiaAngioplastiaAngioplastia p =p = 0,280,28 Cirurgia RevascularizaCirurgia Revascularizaççãoão MedsMeds sem Revascularizasem Revascularizaççãoão ppincertezaincertezade estenose ou nãode estenose ou não= 0,14= 0,14 (1)(1)ppincertezaincertezade estenose ou nãode estenose ou não= 0,14= 0,14 (1)(1) pp ppNão ou estenose NãoNão ou estenose Não TratTrat.. ObservaObservaObservaObservaççãoão ComparaCompara Impacto econômico diferencialdiferencial /InCor nas/InCor nas 2.000 dores torácicas atípicas2.000 dores torácicas atípicas segundosegundo ressarcimento dasressarcimento das alternativas diagnósticasalternativas diagnósticas e terapêuticase terapêuticas p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização (1)(1) CoronarioCoronario-- grafia invasivagrafia invasiva R$ 1.330,00R$ 1.330,00 p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 AngioplastiaAngioplastia ppNãoNão ou estenose Nãoou estenose Não TratTrat.. = 74%= 74% ObservaObservaççãoão ppincertezaincertezade estenose ou nãode estenose ou não = 14%= 14%(1) R$ 1.330,00(1) R$ 1.330,00 pp = 63%= 63%  p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 AngioplastiaAngioplastia pp = 74%= 74% ppincertezaincertezade estenose ou nãode estenose ou não = 14%= 14%(1) R$ 1.330,00(1) R$ 1.330,00 pp = 63%= 63%  p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização = 26%= 26% p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 AngioplastiaAngioplastia pp = 74%= 74%= 74%  ppincertezaincertezade estenose ou nãode estenose ou não = 14%= 14%(1) R$ 1.330,00(1) R$ 1.330,00 (2)(2)AngioTomoAngioTomo CoronariografiaCoronariografia [não invasiva][não invasiva] R$ 420,00R$ 420,00 (2)(2)AngioTomoAngioTomo CoronariografiaCoronariografia [não invasiva][não invasiva] R$ 420,00R$ 420,00 (2)(2)AngioTomoAngioTomo CoronariografiaCoronariografia [não invasiva][não invasiva] R$ 420,00R$ 420,00 pp = 63%= 63%  ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50% trat.= 22% (1)= 22% (1) p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização = 22% (1)= 22% (1) p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização = 22% (1)= 22% (1) p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 AngioplastiaAngioplastia p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização = 22% (1)= 22% (1) p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 Angioplastia p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização não ou estenose Nãonão ou estenose Não TratTrat.. ObservaObservaççãoão Angioplastia ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50% trat. p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização (1)(1) CoronarioCoronario-- grafia invasivagrafia invasiva R$ 1.330,00R$ 1.330,00 p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 AngioplastiaAngioplastia ppNãoNão ou estenose Nãoou estenose Não TratTrat.. = 74%= 74% ObservaObservaççãoão ppincertezaincertezade estenose ou nãode estenose ou não = 14%= 14%(1) R$ 1.330,00(1) R$ 1.330,00 pp = 63%= 63%  p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 AngioplastiaAngioplastia pp = 74%= 74% ppincertezaincertezade estenose ou nãode estenose ou não = 14%= 14%(1) R$ 1.330,00(1) R$ 1.330,00 pp = 63%= 63%  p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização = 26%= 26% p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 AngioplastiaAngioplastia pp = 74%= 74%= 74%  ppincertezaincertezade estenose ou nãode estenose ou não = 14%= 14%(1) R$ 1.330,00(1) R$ 1.330,00 (2)(2)AngioTomoAngioTomo CoronariografiaCoronariografia [não invasiva][não invasiva] R$ 420,00R$ 420,00 (2)(2)AngioTomoAngioTomo CoronariografiaCoronariografia [não invasiva][não invasiva] R$ 420,00R$ 420,00 (2)(2)AngioTomoAngioTomo CoronariografiaCoronariografia [não invasiva][não invasiva] R$ 420,00R$ 420,00 (2)(2)AngioTomoAngioTomo CoronariografiaCoronariografia [não invasiva][não invasiva] R$ 420,00R$ 420,00 (2)(2)AngioTomoAngioTomo CoronariografiaCoronariografia [não invasiva][não invasiva] R$ 420,00R$ 420,00 (2)(2)AngioTomoAngioTomo CoronariografiaCoronariografia [não invasiva][não invasiva] R$ 420,00R$ 420,00 pp = 63%= 63%  ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50% trat.ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50% trat.= 22% (1)= 22% (1) p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização = 22% (1)= 22% (1) p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização = 22% (1)= 22% (1) p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 AngioplastiaAngioplastia p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização = 22% (1)= 22% (1) p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 Angioplastia p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização = 22% (1)= 22% (1) p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização = 22% (1)= 22% (1) p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização = 22% (1)= 22% (1) p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 AngioplastiaAngioplastia p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização = 22% (1)= 22% (1) p = 64% x R$ 5.600,00p = 64% x R$ 5.600,00 Angioplastia p = 36% x R$ 7.000,00p = 36% x R$ 7.000,00 Cirurgia RevascularizaçãoCirurgia Revascularização não ou estenose Nãonão ou estenose Não TratTrat.. ObservaObservaççãoão Angioplastia ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50% trat.ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50%ppestenoseestenose > 50%> 50% trat. Impacto econômico diferencialdiferencial /InCor/InCor R$ 1.269,50R$ 1.269,50R$ 8.652,59R$ 8.652,59800800930930(2)(2) R$ 6.920.340,00R$ 6.920.340,00R$ 4.843.440,00R$ 2.076.900,00R$ 2.076.900,00930930(2)(2) R$ 6.826.400,00R$ 6.826.400,00R$ 4.166.400,00R$ 2.660.000,00R$ 2.660.000,002.0002.000(1)(1) DiferenDiferenççaa CasoCaso AngioTomoAngioTomo ReembolsoReembolso porpor Caso ResolvidoCaso Resolvido ResolutividadeResolutividade N de casosN de casos NN CoronCoron InvasInvas.. > 10%> 10%R$ 9.922,09R$ 9.922,096886882.0002.000(1)(1) ReembolsoReembolso Total / EstratTotal / Estratéégiagia Terapia:Terapia: IntervenIntervençções +ões + CirurgiasCirurgiasTriagemTriagem NN CoronCoron.. InvasInvas.. R$ 1.269,50R$ 1.269,50R$ 8.652,59R$ 8.652,59800800930930(2)(2) R$ 6.920.340,00R$ 6.920.340,00R$ 4.843.440,00R$ 2.076.900,00R$ 2.076.900,00930930(2)(2) R$ 6.826.400,00R$ 6.826.400,00R$ 4.166.400,00R$ 2.660.000,00R$ 2.660.000,002.0002.000(1)(1) DiferenDiferenççaa CasoCaso AngioTomoAngioTomo ReembolsoReembolso porpor Caso ResolvidoCaso Resolvido ResolutividadeResolutividade N de casosN de casos NN CoronCoron InvasInvas.. > 10%> 10%R$ 9.922,09R$ 9.922,096886882.0002.000(1)(1) ReembolsoReembolso Total / EstratTotal / Estratéégiagia Terapia:Terapia: IntervenIntervençções +ões + CirurgiasCirurgiasTriagemTriagem NN CoronCoron.. InvasInvas.. ObservaObservaççãoão ObservaObservaççãoão CirCir.. RevascRevasc.. AngioplastiaAngioplastia CirCir.. RevascRevasc.. AngioplastiaAngioplastia ObservaObservaççãoão CirCir.. RevascRevasc.. AngioplastiaAngioplastia CondutaConduta R$ 72.651.600,00R$ 72.651.600,00R$ 27.163.500,00R$ 27.163.500,00 R$ 0,00 diferenR$ 0,00 diferenççaaR$ 6.741.000,00R$ 6.741.000,0016.05016.050 R$ 0,00 diferenR$ 0,00 diferenççaa1.9531.953 R$ 6.174.000,00R$ 6.174.000,00882882 R$ 10.231.200,00R$ 10.231.200,001.8271.827R$ 5.512.500,00R$ 5.512.500,003.1503.150 R$ 21.168.000,00R$ 21.168.000,003.0243.024 R$ 35.078.400,00R$ 35.078.400,006.2646.264R$ 18.900.000,00R$ 18.900.000,0010.80010.800 (2)(2) AngioAngio TomoTomo a prioria priori R$ 62.496.000,00R$ 62.496.000,00R$ 39.900.000,00R$ 39.900.000,00 R$ 0,00 diferenR$ 0,00 diferenççaaR$ 23.940.000,00R$ 23.940.000,0018.00018.000 R$ 23.520.000,00R$ 23.520.000,003.3603.360 R$ 38.976.000,00R$ 38.976.000,006.9606.960R$ 15.960.000,00R$ 15.960.000,0012.00012.000 (1)(1) CoronarioCoronario InvasivaInvasiva Custo SubCusto Sub--TotalTotalNNCusto SubCusto Sub--TotalTotalNNEstratEstratéégiagia ObservaObservaççãoão ObservaObservaççãoão CirCir.. RevascRevasc.. AngioplastiaAngioplastia CirCir.. RevascRevasc.. AngioplastiaAngioplastia ObservaObservaççãoão CirCir.. RevascRevasc.. AngioplastiaAngioplastia CondutaConduta R$ 72.651.600,00R$ 72.651.600,00R$ 27.163.500,00R$ 27.163.500,00 R$ 0,00 diferenR$ 0,00 diferenççaaR$ 6.741.000,00R$ 6.741.000,0016.05016.050 R$ 0,00 diferenR$ 0,00 diferenççaa1.9531.953 R$ 6.174.000,00R$ 6.174.000,00882882 R$ 10.231.200,00R$ 10.231.200,001.8271.827R$ 5.512.500,00R$ 5.512.500,003.1503.150 R$ 21.168.000,00R$ 21.168.000,003.0243.024 R$ 35.078.400,00R$ 35.078.400,006.2646.264R$ 18.900.000,00R$ 18.900.000,0010.80010.800 (2)(2) AngioAngio TomoTomo a prioria priori R$ 62.496.000,00R$ 62.496.000,00R$ 39.900.000,00R$ 39.900.000,00 R$ 0,00 diferenR$ 0,00 diferenççaaR$ 23.940.000,00R$ 23.940.000,0018.00018.000 R$ 23.520.000,00R$ 23.520.000,003.3603.360 R$ 38.976.000,00R$ 38.976.000,006.9606.960R$ 15.960.000,00R$ 15.960.000,0012.00012.000 (1)(1) CoronarioCoronario InvasivaInvasiva Custo SubCusto Sub--TotalTotalNNCusto SubCusto Sub--TotalTotalNNEstratEstratéégiagia Compara manejo de 30.000 dores torácicasCompara manejo de 30.000 dores torácicas atípicas segundo probabilidades empíricasatípicas segundo probabilidades empíricas Em 30.000 dores torácicas atípicasEm 30.000 dores torácicas atípicas R$ 1.269,50R$ 1.269,50R$ 8.652,59R$ 8.652,5911.99711.99713.95013.950(2)(2) R$R$ 103.805.100,00103.805.100,00R$R$ 72.651.600,0072.651.600,00R$R$ 31.153.500,0031.153.500,0013.95013.950(2)(2) R$R$ 102.396.000,00102.396.000,00R$R$ 62.496.000,0062.496.000,00R$R$ 39.900.000,0039.900.000,0030.00030.000(1)(1) DiferenDiferenççaa CasoCaso AngioTomoAngioTomo ReembolsoReembolso porpor Caso ResolvidoCaso Resolvido ResolutividadeResolutividade N de casosN de casos NN CoronCoron.. InvasInvas.. > 10%> 10%R$ 9.922,09R$ 9.922,0910.32010.32030.00030.000(1)(1) ReembolsoReembolso Total / EstratTotal / Estratéégiagia Terapia:Terapia: IntervenIntervençções +ões + CirurgiasCirurgiasTriagemTriagem NN CoronCoron.. InvasInvas.. R$ 1.269,50R$ 1.269,50R$ 8.652,59R$ 8.652,5911.99711.99713.95013.950(2)(2) R$R$ 103.805.100,00103.805.100,00R$R$ 72.651.600,0072.651.600,00R$R$ 31.153.500,0031.153.500,0013.95013.950(2)(2) R$R$ 102.396.000,00102.396.000,00R$R$ 62.496.000,0062.496.000,00R$R$ 39.900.000,0039.900.000,0030.00030.000(1)(1) DiferenDiferenççaa CasoCaso AngioTomoAngioTomo ReembolsoReembolso porpor Caso ResolvidoCaso Resolvido ResolutividadeResolutividade N de casosN de casos NN CoronCoron.. InvasInvas.. > 10%> 10%R$ 9.922,09R$ 9.922,0910.32010.32030.00030.000(1)(1) ReembolsoReembolso Total / EstratTotal / Estratéégiagia Terapia:Terapia: IntervenIntervençções +ões + CirurgiasCirurgiasTriagemTriagem NN CoronCoron.. InvasInvas.. Conclusão: AngioTomo Corononariana a priori, nos casos de anginas atípicas com reduzido ou moderado risco de estenose, se demonstraria:  ser a estratégia dominante,  resolver > 10% casos,  economizar > 10%,  permitir elevar resolutividade e acesso. Resultados: Vantagens e desvantagens da tomografia computadorizada:  reduzir em até 50% o tempo do tecnólogo e, reduz ±25% a quantidade de meio de contraste; tem potencial de aumento da receita, segundo gerenciamento do espaço, do pessoal e da rotação / manejo dos pacientes. o número de imagens gerenciadas eletronicamente aumenta exponencialmente impondo novos requerimentos de sistemas para sua comunicação e armazenamento,  a manutenção dos tomógrafos multi-detectores é mais dispendioso, particularmente o tubo de Raios-X. Brasil: acessos SUS 2005 [DATASUS/MS]  93.000 atendimentos ambulatoriais  56.210 internações hospitalares  35.880 angioplastias coronarianas  20.330 cirurgias de revascularização • do miocárdio  seria provável a observação de quase 30.000 anginas atípicas ou casos de baixa a moderada probabilidade de ocorrência de estenoses SIMBRAVISA SUS – FLORIANÓPOLIS – – 2006 –
  25. 25. ROCHITTE C, TRINDADE E, MAGALHÃES T, VOLNEI A, ZANCANER L, PIRES F, VARGAS J, GUITIERREZ MA, LUCARELLI C, CÉSAR LAM, LEMOS P, STOLF NG, SANTOS RD, MARCHETTI I, SHIRAHIGE CA, SANTOS SR Saúde PPSUS – SP – 2009 Chamada FAPESP & Instituto de Saúde-SES/SP 11/2009. Coordenadores: Prof. Dr. Carlos Eduardo Rochitte e Dra. Evelinda Trindade
  26. 26. Adriana Camargo de Carvalho Vivian C. Antunes dos Santos Erica Mie Okumura Silvia Yukari Togoro Miguel L. Tedde Evelinda Trindade André Deeke Sasse State University of Campinas- Brazil
  27. 27. Mudança no estadiamento em 8 - 44 % dos casos Mudança na conduta em até 30 % dos casos * em até 62 % dos casos ** FDG-PET pode ser (+) em até 50 % dos pts que se pensava estarem em remissão completa
  28. 28. • O preço da dose de FDG no Brasil é o dobro (EUA e Europa: U$ 150,00 a U$ 200,00) Efetividade=estádios X Relação de Custo - efetividade • PET/CT 89% R$ 39.571,29 X CT 79% R$ 42.102,29. • Variar a probabilidade de qualidade de vida dos doentes mantem o mesmo valor esperado de ressarcimento médio total de R$ 44.382,96 (R$ 44.349,96 a R$ 44.427,96) = estimativa robusta.
  29. 29. • Reclassificação do estadiamento frente aos achados histológicos: Sensibilidade 100% Especificidade 96%
  30. 30. Pré- QT Pós- QT
  31. 31. Dr. Omar AV Mejía Estratificação de Risco Cirúrgico como Instrumento de Inovação em Programas em Cirurgia Cardíaca no Sistema Único de Saúde do Estado de São Paulo: Estudo SP-SCORE-SUS
  32. 32. Piracicaba Núcleos de Avaliação de Tecnologias em Saúde (NATS SES-SP)
  33. 33. Arq. Bras. Cardiol. vol.101 no.6 São Paulo Dec. 2013 Iniciando a discutir resultados
  34. 34. In Hospital Mortality Rate by RACHS-1 Risk Category (14 sites, surgeries during Sep 2008 and Jun 2010) 5.0 12.9 24.6 55.0 13.8 1.4 4.0 7.3 26.7 17.2 0.0 0.8 0.8 0 10 20 30 40 50 60 Risk 1 (N=873) Risk 2 (N=1513) Risk 3 (N=895) Risk 4 (N=191) Risk 5 (N=1) Risk 6 (N=20) Unassigned (n=80) RACHS-1 Risk Category InHospitalMortalityRate(%) IQIC US Avg.
  35. 35. N= 465 consecutive cases Heart Institute HC/São Paulo University Medical School
  36. 36. $0,00 $10.000,00 $20.000,00 $30.000,00 $40.000,00 $50.000,00 CS_1 CS_2 CS_3 CS_4 Estimate Cost Low 95% CI Estimate Cost Average Estimate Cost Upper 95% CI
  37. 37. Publicações: http:// conitec.gov.br// index.php/decisões sobre a incorporação de tecnologias no sus – 2015 http:// conitec.gov.br// images/relatorios/2015/everolimo.transplantehepaticoadulto_final.pdf http:// conitec.gov.br// images/relatorio/imunossupressores.transplantecardiaco.final.pdf http:// conitec.gov.br// images/consultas/relatorios/2015/relatorioimunossupressores transplante pulmonar.pdf http:// conitec.gov.br// images/relatorios/2015/relatorio PCDT doençasraras CP final 142 2015.pdf REPATS HOJE
  38. 38. REPATS HOJE Transmissões das reuniões via web-conferência – via Rede Rute possibilitando maior participação Endereço: WEBCONF2.RNP.BR/RUTEINCOR- ENTRAR COMO CONVIDADO – COLOCAR NOME E INSTITUIÇÃO
  39. 39. Disponibilização das apresentações em YOUTube : REPATS SAUDE Apresentação de trabalhos e participações nos HTAI dos anos de 2012 a 2016:
  40. 40. PROJETOS 1. Estimular a produção de PTCs dos NATS na Instituições já oficializadas, identificando e auxiliando os processos metodológicos; 2. Promoção de cursos EAD para possibilitar crescimento e aprimoramento de profissionais capacitados ; 3. Firmar parceria com a Consultoria Jurídica para auxiliar e basear os processos de Judicialização. Reunião da REPATS – CODES – CNJ – CAJUFA - para discutir os processos judiciais ordenando compra de insulinas de ação rápida
  41. 41. Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária
  42. 42. EQUIPE CENTRAL NA SES_SP: SÉRGIO SWAIN MULLER – SMULLER@SAUDE.SP.GOV.BR EVELINDA TRINDADE – EMTRINDADE@SAUDE.SP.GOV.BR ANDREA ZAMBERLAN – AGZAMBERLAN@SAUDE.SP.GOV.BR PATRÍCIA NIERI – PNIERI@ISAUDE.SP.GOV.BR OBRIGADO
  43. 43. emtrindade@saude.sp.gov.br

×