Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Alfabetização

478 vues

Publié le

  • Soyez le premier à commenter

  • Soyez le premier à aimer ceci

Alfabetização

  1. 1. História social da infância e da família. Reflexões sobre alfabetização
  2. 2. G -5 Alana Sousa Helen do Socorro Joana Ferraz Luzineide Fiel Maria Lúcia Gonçalves
  3. 3. Resenha do livro de Philippe Aries “ História social da infância e da família. 1º Sentimento de infância – As idades da vida.  No século XVI ou XVII as exigências de identidade civil ainda não eram tão impostas.
  4. 4. O traje das crianças • Na idade média as crianças eram vestidas indiferentemente de idade, nada na roupa a separava do adulto.
  5. 5. Pequena contribuição a história dos jogos e brincadeiras. • Por volta de 1600 as brincadeiras apareciam apenas na primeira infância, a criança jogava os mesmos jogos e participavam das mesma atividades dos adultos.
  6. 6. Do despudor a inocência. • Na sociedade medieval o sentimento de infância não existia.
  7. 7. A vida escolástica. Observando a história da educação no período medieval podemos notar o progresso do sentimento da infância.
  8. 8. 1- Jovens e velhos escolares da idade média. 2 -Uma instituição nova: o colégio. No início um asilo para pobres ( bolsistas); No princípio os menores (alunos da gramática), os grandes (alunos de lógica e física); 3- Origens das classes escolares. Século XV, divisão da população escolar em grupos da mesma capacidade; A necessidade de adaptar o ensino do mestre ao nível do aluno; 4- As idades dos alunos. Final do século XVII, eliminação das crianças muito pequenas. 5- Os progressos da disciplina. Ideias da fraqueza da infância; Sentimento da responsabilidade do mestre; Disciplina humilhante; 6- As pequenas escolas. Dois tipos de ensino: para o povo, para a burguesia e aristocracia. 7- A rudeza da infância escolar. Os hábitos das classes do século XIX foram impostos conceitos sem os viverem concretamente.
  9. 9. Reflexões sobre alfabetização. Antes da década de 80 a alfabetização era realizada por meio de dois métodos: 1 Sintético ( das partes para o todo), está dividido em alfabético, fonético e silábico. 2 Analítico ( do todo para as partes), está dividido em palavração, sentênciação e global. Após a década de 80 a alfabetização passou a ser realizada através de estágios, esses estágios podem ser representados pelos níveis pré-silábico, silábico, silábico- alfabético e alfabético.
  10. 10. A compreensão do sistema de escrita: construção originais da criança e informação específica dos adultos. Emília Ferreiro e Ana Teberosky. Informações específicas – Leitores adultos ou crianças maiores. Algumas implicações pedagógicas – Valorização das capacidades da criança.
  11. 11. Deve-se ou não se deve ensinar a ler e escrever na pré-escola? Um problema mal colocado.  Para Emília Ferreiro a função da pré-escola deveria ser de permitir ás crianças que não tiveram convivência com a escrita, informações básicas sobre ela, em situações de uso social ( não meramente escolar).
  12. 12. Resenha do livro “ Reflexões sobre a alfabetização”, de Emília Ferreiro. • O texto é importante para o educador, para dar subsídio para que ele questione a sua prática, reveja o modo de conceber o ensino e a aprendizagem.
  13. 13. Fim!

×