Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Amnistia Internacional

5 197 vues

Publié le

Publié dans : Formation
  • Soyez le premier à commenter

Amnistia Internacional

  1. 2. Índice <ul><li>Pág. </li></ul><ul><li>Introdução 3 </li></ul><ul><li>O que é a amnistia internacional 4 </li></ul><ul><li>Orgânica da amnistia internacional 5 </li></ul><ul><li>Missão da amnistia internacional 6 </li></ul><ul><li>História da amnistia internacional 7 </li></ul><ul><li>Visão e missão da AI em Portugal 8 </li></ul>
  2. 3. Introdução <ul><li>Neste trabalho vamos falar sobre a Amnistia Internacional, saber o que é, como funciona e qual a sua missão. </li></ul>
  3. 4. O que é a Amnistia Internacional <ul><li>A Amnistia Internacional é um movimento global de 3,2 milhões de membros, apoiantes e activistas em mais de 150 países e territórios que luta para pôr fim aos abusos dos Direitos Humanos. </li></ul><ul><li>Tem como  Visão  um mundo em que cada pessoa goze de todos os direitos plasmados na Declaração Universal dos Direitos Humanos e outros padrões internacionais de Direitos Humanos. </li></ul><ul><li>Independentes de qualquer Governo, ideologia política interesse económico ou religião e são financiados pelas quotas dos associados e doações. São um movimento de activistas com diferentes graus de envolvimento: ou como membros ou como apoiantes. </li></ul><ul><li>A Amnistia Internacional é um movimento que congrega pessoas de todo o mundo que se envolvem em campanhas para que os Direitos Humanos internacionalmente reconhecidos sejam respeitados e protegidos. </li></ul><ul><li>Acreditam que os abusos de direitos humanos em qualquer lado são problema de todos. </li></ul><ul><li>Indignados com os abusos de direitos humanos mas inspirados pela esperança de um mundo melhor, trabalham para melhorar a vida das pessoas através de campanhas e de solidariedade internacional. </li></ul><ul><li>A   Missão  é investigar e agir de modo a prevenir e a pôr fim a abusos de Direitos Humanos e exigir justiça para aqueles cujos direitos tenham sido violados. </li></ul><ul><li>Os membros e apoiantes exercem a sua pressão junto de governos, de entidades políticas, empresas e grupos intergovernamentais. </li></ul><ul><li>Os activistas agem pelos vários temas dos Direitos Humanos mobilizando a pressão pública através de manifestações de rua, vigílias, lobby directo e, entre outras, através de campanhas  on-line  e  off-line . </li></ul>
  4. 5. A orgânica da Amnistia Internacional <ul><li>O Comité Executivo Internacional da Amnistia (CEI) é eleito democraticamente na Assembleia geral mundial (Conselho Internacional) que se realiza bianualmente . </li></ul><ul><li>O papel do CEI consiste em providenciar orientações e liderança para o movimento da Amnistia Internacional por todo o mundo. As suas funções chave estão definidas nos Estatutos Internacionais e incluem: </li></ul><ul><li>Garantir o cumprimento por parte do movimento, dos Estatutos da Amnistia Internacional; </li></ul><ul><li>Assegurar a implementação do Plano Estratégico Integrado da Amnistia Internacional; </li></ul><ul><li>Assegurar a gestão financeira sustentável da Amnistia Internacional ao nível internacional; </li></ul><ul><li>Autorizar a criação de secções, estruturas e outros organismos da Amnistia Internacional; </li></ul><ul><li>Responsabilizar as secções, estruturas e outros organismos da Amnistia Internacional pelo seu funcionamento, devendo estas apresentar relatório ao Comité Executivo Internacional; </li></ul><ul><li>Tomar decisões internacionais em nome e representação da Amnistia Internacional; </li></ul><ul><li>Garantir o desenvolvimento dos Recursos Humanos . </li></ul>
  5. 6. Missão da Amnistia Internacional <ul><li>A visão da AI – Portugal é a de um mundo em que cada pessoa desfruta de todos os Direitos Humanos consagrados na Declaração Universal dos Direitos Humanos e noutros padrões internacionais de Direitos Humanos. De modo a cumprir esta visão, a missão da AI – Portugal consiste na investigação e acção focada em prevenir e pôr fim aos abusos graves desses Direitos. </li></ul><ul><li>A AI - Portugal forma uma comunidade global de defensores(as) dos Direitos Humanos, regidos(as) pelos princípios de solidariedade internacional, da acção efectiva no caso das vítimas individuais, da cobertura global, da universalidade e indivisibilidade dos Direitos Humanos, da imparcialidade e independência, da democracia e do respeito mútuo. </li></ul><ul><li>A AI - Portugal dirige-se aos governos, organizações intergovernamentais, grupos políticos armados, empresas e outros actores não estatais. </li></ul><ul><li>A AI - Portugal pretende denunciar as violações de Direitos Humanos de um modo preciso, rápido e persistente. Sistemática e imparcialmente investiga os factos dos casos individuais e os padrões dos abusos de Direitos Humanos. Os resultados das investigações são publicitados e é mobilizada a opinião pública para exercer pressão sobre os governos e outras entidades para que estes terminem com aqueles abusos. </li></ul><ul><li>Além do trabalho desenvolvido sobre violações específicas de Direitos Humanos, a AI - Portugal apela a todos os governos que observem o primado da lei, que ratifiquem e implementem os padrões de Direitos Humanos; promove uma ampla variedade de actividades em educação de Direitos Humanos; encoraja organizações intergovernamentais, indivíduos e todos os agentes sociais a apoiar e a respeitar os Direitos Humanos. </li></ul>
  6. 7. A História da Amnistia Internacional <ul><li>Em 1961, um advogado Inglês, Peter Benenson lançou uma campanha mundial (“Apelo para Amnistia 1961”) com a publicação de um artigo proeminente “Os Prisioneiros Esquecidos” no Jornal “The Observer”. A notícia da detenção de dois estudantes portugueses que elevaram os seus copos para brindar em público à liberdade, levou Benenson a escrever este artigo. O seu apelo foi publicado em muitos outros jornais pelo mundo fora tornando-se assim na génese da Amnistia Internacional. </li></ul><ul><li>A primeira reunião internacional teve lugar em Julho de 1961, com delegados da Bélgica, do Reino Unido, França, Alemanha, Irlanda, Suíça e dos EUA. Decidiram estabelecer “um movimento permanente em defesa da liberdade de opinião e de religião &quot;. </li></ul><ul><li>Um pequeno escritório e uma pequena biblioteca, dirigida por voluntários, abriu em Peter Benenson’s chambers , em Mitre Court , Londres. A “Rede dos Três” foi então estabelecida consistindo no facto de cada grupo da Amnistia Internacional adoptar três prisioneiros de diferentes áreas geográficas e políticas de modo a enfatizar a imparcialidade do trabalho de cada grupo. </li></ul><ul><li>No dia dos Direitos Humanos, 10 de Dezembro, a primeira vela da Amnistia (o logótipo da Amnistia é uma vela envolta em arame farpado) foi acesa na Igreja de St-Martin-in-the-Fields , em Londres. </li></ul>
  7. 8. Visão e Missão da Amnistia Internacional Portugal <ul><li>A visão da AI – Portugal é a de um mundo em que cada pessoa desfruta de todos os Direitos Humanos consagrados na Declaração Universal dos Direitos Humanos e noutros padrões internacionais de Direitos Humanos. De modo a cumprir esta visão, a missão da AI – Portugal consiste na investigação e acção focada em prevenir e pôr fim aos abusos graves desses Direitos. </li></ul><ul><li>A AI - Portugal forma uma comunidade global de defensores(as) dos Direitos Humanos, regidos(as) pelos princípios de solidariedade internacional, da acção efectiva no caso das vítimas individuais, da cobertura global, da universalidade e indivisibilidade dos Direitos Humanos, da imparcialidade e independência, da democracia e do respeito mútuo. </li></ul><ul><li>A AI - Portugal dirige-se aos governos, organizações intergovernamentais, grupos políticos armados, empresas e outros actores não estatais. </li></ul>
  8. 9. Visão e Missão da Amnistia Internacional Portugal Cont. <ul><li>A AI - Portugal pretende denunciar as violações de Direitos Humanos de um modo preciso, rápido e persistente. Sistemática e imparcialmente investiga os factos dos casos individuais e os padrões dos abusos de Direitos Humanos. Os resultados das investigações são publicitados e é mobilizada a opinião pública para exercer pressão sobre os governos e outras entidades para que estes terminem com aqueles abusos. </li></ul><ul><li>Além do trabalho desenvolvido sobre violações específicas de Direitos Humanos, a AI - Portugal apela a todos os governos que observem o primado da lei, que ratifiquem e implementem os padrões de Direitos Humanos; promove uma ampla variedade de actividades em educação de Direitos Humanos; encoraja organizações intergovernamentais, indivíduos e todos os agentes sociais a apoiar e a respeitar os Direitos Humanos. </li></ul>
  9. 10. Conclusão <ul><li>Após a realização deste trabalho ficamos a conhecer como funciona a organização da Amnistia Internacional. </li></ul>
  10. 11. Trabalho realizado Por: <ul><li>Sérgio Filipe Vaz Rodrigues Nº26 7ºE </li></ul><ul><li>e </li></ul><ul><li>Emanuel Ribeiro Nº9 7ºE </li></ul>

×