Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.
A CRISE DE 1383-13851383O rei D. Fernando morreu em Lisboa no dia 22 de Outubro de1383, poucos dias antes de completar 38 ...
A CRISE DE 1383-13851384O segundo cerco de Lisboa foi imposto pelas forçasde Castela em 1384 e durou 4 meses e 27 dias.Oco...
A CRISE DE 1383-13851385Entre o fim de 1383 e o princípio de 1385, Nuno ÁlvaresPereira subjugou a maioria das cidades port...
cronologia• 1383– Abril – A princesa Beatriz de Portugal (filha única dorei Fernando ) casa com o rei João I de Castela– 2...
Prochain SlideShare
Chargement dans…5
×

A crise de 1383 - 1385 - História 8º ano

2 931 vues

Publié le

  • Identifiez-vous pour voir les commentaires

A crise de 1383 - 1385 - História 8º ano

  1. 1. A CRISE DE 1383-13851383O rei D. Fernando morreu em Lisboa no dia 22 de Outubro de1383, poucos dias antes de completar 38 anos de idade, edeixou o país mergulhado numa grave crise de sucessão, pois,em virtude do Tratado de Salvaterra, assinado com Castela, asua única filha legítima, D. Beatriz, estava casada com D. João Ide Castela.Nesse tratado estabelecia-se que D. Beatriz seria rainha dePortugal e que, até ter um filho legítimo maior de 14 anos, suamãe, a rainha viúva D. Leonor, exerceria a regência do reino.D. Leonor Teles assumiu a regência e mandou aclamar D. Beatrizcomo rainha. Mas surgiu contestação, em especial por parte dopovo e de alguns fidalgos fiéis a D. Fernando. Instalou-se a crise,o país dividiu-se, a revolta espalhou-se por todo o reino.Os descontentes organizaram-se, encabeçados por Álvaro Pais, ecom a colaboração do Mestre de Avis, D. João, planearam ogolpe de 6 de Dezembro de 1383, que conduziu ao assassinatodo conde Andeiro, castelhano tido como amante da regente, eao triunfo dos revoltosos.
  2. 2. A CRISE DE 1383-13851384O segundo cerco de Lisboa foi imposto pelas forçasde Castela em 1384 e durou 4 meses e 27 dias.Ocorreu no contexto da sucessão de D. Beatriz à morte de D.Fernando (crise de 1383-1385), diante da revolta popular queculminou com a aclamação do Mestre de Avis como Regedor eDefensor do Reino.É descrito por Fernão Lopes, que refere alguns dadosinteressantes sobre a cerca da cidade, à época, descrevendo asmedidas defensivas, entre as quais: A cerca era amparada por 77 torres, no topo das quais forammontados caramanchões de madeia, visando optimizar adefesa; Os muros da cerca eram rasgados por 38 portas. A maiscrítica era a chamada Porta de Santa Catarina, defronte daqual se estabeleceu o arraial de Castela, e defronte à qual seregistrava maior número de escaramuças. O lado da Ribeira era defendido por duas grossas estacadas,desde as águas do rio até ao pé da cerca; uma estacada dobrada defendia o Caminho de Santos, porbaixo da Torre da Atalaia; O cerco de Lisboa foi levantado a 3 de Setembro de 1384,devido sobretudo à epidemia de Peste Negra que assolou oexercito Castelhano, causando-lhe muitas baixas, houvetambém ataques na periferia do cerco por parte de forças doexército de D. João, Mestre de Aviz, forças essas chefiadaspelo fronteiro do Alentejo, Nuno Álvares Pereira.
  3. 3. A CRISE DE 1383-13851385Entre o fim de 1383 e o princípio de 1385, Nuno ÁlvaresPereira subjugou a maioria das cidades portuguesas que haviamdeclarado apoio à princesa Beatriz e ao marido João I de castela.Durante a Páscoa, chegaram a Portugal astropas inglesas enviadas em resposta ao pedido de ajuda feitopor João de Avis.Apesar de não serem um grande contingente, contavam-se àvolta de 600 homens, eram tropas na sua maioria veteranas daGuerra dos cem anos (1337 – 1453), bem treinados nas tácticasde sucesso da infantaria inglesa. Entre o contingente inglês,encontrava-se uma divisão de archeiros, que haviam provado oseu valor contra cargas de cavalaria.Com tudo a jogar a seu favor, João de Avis organizou umareunião das Cortes em Coimbra, juntando todas as figurasimportantes do reino. É aí que, a 6 de Abril, foi aclamado João I,o primeiro Rei da Disnastia de Avis, num claro acto de guerracontra as pretensões castelhanas.Num dos seus primeiros éditos reais, João I nomeia NunoÁlvares Pereira Contestável de Portugal e protector do reino.Pouco depois, rei e general partem para o Norte, para acabarcom os últimos focos de apoio a Castela.
  4. 4. cronologia• 1383– Abril – A princesa Beatriz de Portugal (filha única dorei Fernando ) casa com o rei João I de Castela– 22 de Outubro - O rei Fernando morre: a rainha viúva Leonortorna-se regente em nome de Beatriz e João de Castela– Começa a resistência, liderada por João, Grão-Mestre de Avis :vários castelos são ocupados• 1384– Janeiro – João I de Castela invade Portugal– Abril – Os portugueses ganham a batalha dos Atoleiros– Maio – Começa o cerco de Lisboa; é enviada uma embaixada aInglaterra– Julho – Uma frota portuguesa rompe o cerco de Lisboa, emboracom pesadas derrotas– 3 de Setembro - João I de Castela, retira-se para o seu reino– Inverno – Nuno Álvares Pereira e João de Avis subjugamcidades a favor de Castela• 1385– Páscoa – Chegada dos aliados ingleses– 6 de Abril - João de Avis é aclamado rei nas Cortes de Coimbra.– 29 de Maio – Dá-se a batalha de Trancoso– Junho - João I de Castela invade Portugal com toda a força,depois da derrota de uma expedição punitiva na batalha deTrancoso– 14 de Agosto – Batalha de Aljubarrota, vitória definitiva dePortugal, fim.

×