Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

(Transformar 16) sessão 4

302 vues

Publié le

Sessão 4

  • Soyez le premier à commenter

  • Soyez le premier à aimer ceci

(Transformar 16) sessão 4

  1. 1. Gestão de Projetos Sociais PMD Pro1 Sessão 04
  2. 2. Onde estamos? Monitoramento, avaliação e controle Identificação e design do projeto Definição do projeto Transição do projeto Porta de decisão Gerenciamento das Partes Interessadas Gerenciamento da Justificativa Gerenciamento de Riscos Gerenciamento do Escopo Gerenciamento do Tempo Gerenciamento dos Recursos
  3. 3. Definição do Projeto (p.43) 1. O estabelecimento da estrutura de governança do projeto. 2. Autorização oficial para o início do projeto. 3. Comunicação para o lançamento do projeto. Monitoramento, avaliação e controle Identificação e design do projeto Definição do projeto Transição do projeto Porta de decisão
  4. 4. Governança do Projeto (p.43) O que é uma estrutura de governança do projeto e para que serve?
  5. 5. Governança do Projeto (p.43) Define a estrutura de gerenciamento dentro da qual as decisões do projeto são tomadas Autoridade Respon- sabilidade
  6. 6. Representantes dos vários interessados (p.44) Composição Financiador Beneficiário sênior Organização implementad ora (quem faz) O projeto está fornecendo valor como um todo? Fornecer o financiamento e os recursos necessários para se obter esse valor. Somente 1 O projeto está atendendo as necessidades das pessoas que trabalharão diretamente com os produtos do projeto? Mais de 1 ou grupo Os produtos do projeto podem ser agregados com recursos disponíveis e com o nível de qualidade exigido? Mais de 1 ou grupo
  7. 7. Comitê de Governança • Vários representantes do financiador • 1 representante da empresa contratada pelo financiador para co-executar • 1 representante da organização executora • Nenhum beneficiário • Gerente do Projeto sem participação, sem voz e sem poder de influência Qual análise sobre este comitê de governança e sobre os resultados que o projeto pode ter atingido?
  8. 8. Comitê de Governança • Vários representantes do financiador • 1 representante da empresa contratada pelo financiador para co-executar • 1 representante da organização executora • Nenhum beneficiário • Gerente do Projeto sem participação, sem voz e sem poder de influência Qual análise sobre este comitê de governança e sobre os resultados que o projeto pode ter atingido? - Projeto não conseguiu expandir, como planejado; - Interesses do financiador sobrepondo o impacto social do projeto; - Diversos problemas de governança durante o projeto; - Demissão de membros da equipe do projeto, a pedido do financiador.
  9. 9. Ata de constituição (p.46) Objetivos: Autorizar oficialmente o início do projeto e o uso de recursos; Garantir entendimento compartilhado do projeto entre os principais interessados; Documentar um compromisso compartilhado com os objetivos do projeto e os recursos/atividades Riscos de não ter uma ata de constituição: Empregar recurso em um projeto sem o compromisso e o apoio dos principais tomadores de decisão; Os principais interessados não compartilharem um entendimento comum do projeto. Documento VIVO que fornece uma descrição de alto nível do projeto e que é assinado pela equipe de administração do projeto
  10. 10. Ata de constituição (p.47) • Propósito do projeto • Resultados/produtos do projeto • Estimativas de projeto de alto nível • Riscos do projeto • Tolerâncias do projeto • Controle sobre mudanças do projeto
  11. 11. Tolerâncias (p.71) As tolerâncias do projeto definem os limites de desempenho dentro dos quais o gerente de projetos pode manter a autonomia. O desafio será diferenciar quais problemas e respostas propostos estão dentro da autoridade do gerente de projetos e quais não estão.
  12. 12. Tolerâncias no Controle de Mudanças (p.71) Margem de Tolerância 0 50 100 150 200 250 Tempo Custo Alcance Risco Qualidade Benefícios Ideal Tolerância Máxima Tolerância Mínima
  13. 13. Lançamento do Projeto (p.48) Comunica formalmente o início do projeto Assegura que as contrapartes têm conhecimento consistente do projeto Apresenta as contrapartes ao projeto Objetivo: Comunicar as atividades aos vários interessados na intervenção Como foi, será ou poderia ter sido o lançamento do seu projeto?
  14. 14. Lançamento Foram enviados convites para todas as partes interessadas: Partidos políticos Prefeitura Municipal Câmara de Vereadores Universidades locais Foram feitas aparições em blogs, rádios e TV local, no intuito de divulgar o Programa que estava sendo levado para Ilhéus (o Programa Cidades Sustentáveis é uma iniciativa da Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis e anterior ao Instituto Nossa Ilhéus).
  15. 15. Fase 2: Definição do projeto Papel de Governança Patrocinador Estrutura de Governança Ata de Constituição Lançamento do Projeto Autorizar o início, a utilização de recursos, entendimento compartilhado. Comunicar, ampliar conhecimento, apresentar o projeto. CONSOLIDANDO
  16. 16. Planejamento do Projeto - O Planejamento do Projeto - Gerenciamento do Escopo - Gerenciamento do Tempo - Gerenciamento das Partes Interessadas - Gerenciamento dos Recursos do Projeto
  17. 17. Planejamento do Projeto (p.49) Monitoramento, avaliação e controle Identificação e design do projeto Definição do projeto Transição do projeto Porta de decisão
  18. 18. Como as fases do Ciclo de Vida de Projetos interagem? Inicio do projeto Final do projeto Identificação e Desenho do projeto NíveldetrabalhoeInteraçãodasfases Definição do projeto Planejamento do projeto Implementação / Execução do projeto Transição do projeto Monitoramento, avaliação e controle do projeto REVISANDO
  19. 19. Como é a “cara” de um planejamento de projeto?
  20. 20. Proposta de um projeto X Planejamento de um projeto Definição Fundamental
  21. 21. Definição Fundamental O que é a proposta? O que é o planejamento?
  22. 22. Proposta X Plano de Implementação (p.50)Proposta do Projeto (O quê?) Plano de Implementação do Projeto (Como?) Objetivo Obter a aprovação e financiamento p/ projeto (comunicação direta e clara, com ideias que “vendam”). Garantir que o projeto ocorra dentro do prazo, do escopo e do orçamento e de acordo com os parâmetros de qualidade estabelecidos. Lógico e completo. Formato Quase sempre definido pelo doador ou Agência de investimento. Definido pela equipe do projeto e principais interessados. Nivel de Detalhe Limitado em nível de detalhes (frente ao objetivo, formato e tempo de preparação da proposta). Detalhamento desenvolvido pela equipe e principais interessados. Participação Escrito por uma pequena equipe (restrições de tempo). Processo participativo: técnicos, gerentes, financeiros, financiadores, beneficiários, especialistas. Público Dirigida a doadores e parceiros (ou agências com potencial financeiro) Dirigido às necessidades da equipe que implementa as atividades do projeto. Calendário e agenda Quase sempre escrita com limites de tempo, e meses ou até anos antes da sua implementação. Podem reconsiderar a proposta para desenvolver, revisar ou atualizar os planos no início da implementação e nos marcos do ciclo de vida do projeto. Em que fase é elaborado? Identificação e Desenho Planejamento
  23. 23. O Planejamento de Implementação do Projeto éOgerenciamentodoprojetoé: Equilibrado Abrangente Integrado Participativo ReiterativoR P I A E
  24. 24. Dados do Índice de Maturidade de Gestão de Projetos (Equilibrado) 0 0,5 1 1,5 2 2,5 3 3,5 Identificação & Design Definição Planejamento Implementaçã o e Execução Monitorament o, avaliação e controle Transição 0 0,5 1 1,5 2 2,5 3 Gerenciament o do Escopo Gerenciament o do Tempo Gerenciament o dos Recursos Gerenciament o dos riscos Gerenciament o da Justificativa Gerenciament o das partes interessadas
  25. 25. Abrangente Descrição do Projeto Indicadores Fontes de verificação Pressupost os Impacto Objetivos Resultados – Produtos Atividades Marco Lógico Trabalho direto Trabalho direto + Trabalho indireto
  26. 26. Integrado Coleta de dados Árvores de Problema + Objetivos Marco Lógico Matriz de Monitoramento e Avaliação Identificação e Análise das Partes Identificação dos Riscos EAP Diagrama de Rede + Estimativas Diagrama de Gantt RECI Orçamento Baseado em Atividades
  27. 27. Participativo Princípios da andragogia: - Entender o porquê antes de se engajar; - Autonomia do participante (o adulto sente-se capaz de tomar suas próprias decisões e gosta de ser percebido e tratado como tal pelos outros. ); - Alavancar na relevância das experiências anteriores - Maior interesse na participação surge quando consegue relacioná- la com situações de sua vida e que possa ter aplicação na vida; - Motivação interna de participação (ligadas aos valores e objetivos pessoais de cada um) Quem tem experiência em conduzir o desenvolvimento de ferramentas participativas?
  28. 28. Reiterativo Quem assistiu o vídeo? https://vimeo.com/128498236
  29. 29. Gerenciamento do Escopo (p.83) O que é EAP*? A Estrutura Analítica do Projeto é a ferramenta usada pelos Gerentes de Projeto para planejar o ESCOPO do PROJETO. DEFINICÃO - EAP é uma divisão hierárquica do trabalho de um projeto. A EAP organiza o escopo do projeto em um resumo ou hierarquia de “pacotes de trabalho” *Work Breakdown Structure – Prince2 *Estructura de Desglose del Trabajo
  30. 30. EAP – Formato Gráfico (p.83)
  31. 31. EAP – Formato Gráfico (p.83) DICAS ÚTEIS: Agregue colunas à EAP sempre que necessário. Muitas vezes no marco lógico faltam componentes importantes do plano de trabalho, como a gestão e administração do projeto. É necessário agregá-los à EAP para ter uma estimativa REAL do plano, orçamento, cronograma, etc. Se houver muitas partes envolvidas, faça um “contrato de EAP”.
  32. 32. EAP – Formato Identado (p.84) Projeto do Rio Delta 1. Sistema de gerenciamento de resíduos fecais 1.1. Sistema de monitoramento de nível fecal 1.2. Campanhas de conscientização pública 1.3. Construção de latrinas 1.3.1. Preparativos de pré-construção 1.3.1.1. Plano aprovado pelo ministério 1.3.1.2. Especificações de engenharia aprovadas 1.3.1.3. Estudo de lençóis freáticos 1.3.2. Preparativos dos proprietários 1.3.3. Serviços de suprimento 2. Sistema de gerenciamento de lixo doméstico 2.1. etc.
  33. 33. O Planejamento de Implementação do Projeto é ReiterativoR Planejamento em Ondas Sucessivas
  34. 34. EAP – Dúvidas (p.85) • Que formato usar? • Quem deve estar envolvido? • Quantos níveis? • O que deve ser incluído na EAP? • Verbos ou substantivos? •As atividades devem ser escritas em ordem cronológica? Uma EAP pode se tornar infinita? O que precisamos fazer para ter uma EAP gerenciável?
  35. 35. EAP – Projeto Legado
  36. 36. EAP Legado – Pacotes de trabalho Projeto Legado Legado 2014 Trabalho direto Adm/Gerencia mento Legado 2015 Processo seletivo Trabalho direto Adm / Gerenciamento
  37. 37. EAP – Projeto Legado 2014 Maior detalhamento
  38. 38. EAP – Legado – Ondas Sucessivas
  39. 39. EAP – Legado – Ondas Sucessivas Esta etapa do projeto foi detalhada no início de 2015, para realização desta edição do projeto.
  40. 40. Como fazer a EAP? 1. Reunir a equipe do projeto e partes interessadas relevantes; 2. Listar os principais pacotes de trabalho em relação ao alcance do objetivo; 3. Abaixo dos pacotes de trabalho, a equipe começa a listar as principais entregas e atividades que devem ser realizadas. 4. Depois, alocar da melhor forma para representar o pacote de trabalho – não necessariamente é a ordem cronológica.
  41. 41. O que vimos hoje? • Planejamento • Interação no ciclo de vida • Proposta x Projeto • Gerenciamento do Escopo • Escopo do Produto x Escopo do Projeto • Estrutura Analítica do Projeto • Planejamento em Ondas Sucessivas
  42. 42. Até a próxima!

×