Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Análise da Rede - #CiclofaixaPaulista

1 540 vues

Publié le

Análises da repercussão em mídias sociais sobre a inauguração da ciclofaixa localizada na Av. Paulista em junho de 2015.

Publié dans : Données & analyses
  • Soyez le premier à commenter

Análise da Rede - #CiclofaixaPaulista

  1. 1. Análise da Rede: #CICLOFAIXAPAULISTA Débora Zanini João Paulo Belucci
  2. 2. Análise da Rede: #CICLOFAIXAPAULISTA Em 28 de junho de 2015, a Prefeitura de São Paulo promoveu a inauguração da primeira ciclofaixa localizada na Avenida Paulista. Do campo politico para as mídias sociais, sua implementação tornou-se tema de debate acalorado, intensificado por ativistas pró e contrários. Esta apresentação busca apresentar os resultados de anélises acerca de sua repercussão em Twitter e Facebook.
  3. 3. Em setembro de 2014, o debate sobre a implantação de ciclofaixas nas principais avenidas de São Paulo aquece o campo politico. Iniciativas partidárias pró e contrárias a causa repercurem em mídias sociais e geram interesse pelo tema. No decorrer de 2015, o interesse pelo tema, segundo o Google Trends, torna a aumenar.
  4. 4. Rede de citações: TWITTER
  5. 5. METODOLOGIA Foram feitas 4 coletas no Twitter nos dias 26, 27, 28 e 29 de junho com a query de busca no Twitter sendo ((ciclovia OR ciclofaixa) AND lang:pt), para apenas filtrar menções em português. A análise foi feita com enfoque nos cálculos: Indegree dos nós: para identificar os principais influenciadores da temática Modularidade: identificar as redes de apoiadores e de críticos à inauguração da ciclovia. A base de dados de todos os dias foi analisada em um único grafo.
  6. 6. REPERCUSSÃO EM TWITTER 12.500 tweets Na véspera de sua inauguração, o volume de citações relacionadas à #CICLOFAIXAPAULISTA registrou aumento no Twitter. Apenas nos dias 27 e 28 de junho foram pelo menos 12.500 ocorrências.
  7. 7. 4 dias de coletas 2.586 usuários envolvidos 26.734 tweets Foi aplicada a modelagem Force Atlas 2, para dispor os nós com maior afinidade mais próximo entre si. Com aplicação da estatística de modularidade, verificam-se 5 principais clusters. O diâmetro dos nós apresentado é proporcional a quantidade de interações envolvidas.
  8. 8. Neste mapa de relações, percebe-se que a grande parte da discussão se deu de 2 maneiras distintas: 1 – na periferia, composta por perfis de pessoas que falaram sobre o assunto de maneira individual, sem criar relação de (menção ou replie a outros perfis). 2 – ao centro, composta por perfis de pessoas que participaram da discussão de forma mais interativa, gerando relação com outros perfis (mencionando ou retweetando outras perfis). Mentions 72% Tweet 23% Replie to 5% Tabela 1 – Tipos de interação entre os perfis 1 2
  9. 9. INDEGREE – IDENTIFICANDO INFLUENCIADORES Aplicou-se a métrica de nó indegree que identificou os formadores de opinião para esta temática foram: - haddad_fernando - danilogentili - folha - cartacapita - estadao - jornaloglobo - G1 - cynaramenezes Cada influenciador aparece perto de seu grupo de influência, gerando clustres por afinidade.
  10. 10. CLUSTERS – IDENTIFICANDO APOIADORES E CRÍTICOS CRÍTICA APOIO CRÍTICA
  11. 11. • O cluster de usuários com tendência favorável à ciclofaixa ocupa a porção central do grafo, portanto é mais interconectado, típico de uma rede de ativismo. • Neste grupo também há maior variedade de perfis com elevado indegree, sendo assim a capacidade de influenciar é mais distribuída. • O perfil @haddad_fernando aparace como o mais influenciador em todo o grafo, ocupando ainda posição central. O tema ciclofaixa está fortemente associado à ele, o que indica que o politico ganha em aprovação por parte do grupo favorável à ciclofaixa. • Nos grupos de oposição não aparecerm líderes politicos. Dois dos clusters de oposição com mais usuários são guiados por um discurso de deboche. REDE DE TWITTER - CONCLUSÕES
  12. 12. Rede de ativismo: FACEBOOK
  13. 13. METODOLOGIA Realizou-se a coleta de posts e usuários envolvidos em 17 páginas de Facebook, consideradas as mais relevantes no Brasil sobre os temas ciclismo / cicloativismo. Foi considerada também a página da Prefeitura de São Paulo. Todas a bases de dados das 17 páginas foram analisadas em um único grafo. Período: 22 a 29 de junho de 2015. – Período no qual foi observado maior frequência de publicação de conteúdo sobre o tema em questão nas páginas analisadas. Objetivo: analisar possíveis grupos formados, a importância de cada página/movimento na rede, a disseminação de conteúdo, a quantidade e a relevância dos atores e os tipos de conteúdo envolvidos.
  14. 14. TÍTULO 17 páginas 186 posts 35.183 usuários envolvidos 48.548 interações Foi aplicada a modelagem Force Atlas 2, com opção de strong gravity, para disport os nós com maior afinidade mais próximo entre si. Com aplicação da estatística de modularidade, verificam-se 4 principais clusters. O diâmetro dos nós é proporcional a quantidade de interações envolvidas.
  15. 15. Prefeitura de SP Movimento Conviva Vá de Bike Pequenos clusters na periferia com diversas páginas de ativismo. CLUSTERS
  16. 16. A página “Vá de Bike” resulta na formação do cluster mais denso, em rosa. A rede mais densa indica elevada interconexão entre posts e pessoas. Observam-se alguns nós com diâmetro médio, indicando mais interações. Alguns destes nós estão próximos ao centro da rede densa (rosa + azul escuro). Com esta modelagem, isso indica que conteúdos desta página conseguem engajar usuários de páginas distintas. ANÁLISE DA REDE
  17. 17. As páginas da Prefeitura de SP e do Movimento Conviva publicaram os 3 posts com maior volume de interações, porém estão na periferia da rede de ativismo. Há poucos conexões, principalmente, entre o cluster verde, do Movimento Conviva, e a rede mais densa. Diversas páginas formam uma densa rede de ativismo: “Bike Tour SP”, “Blog do Ciclista”, “Ir e Vir de Bike”, além da já citada “Vá de Bike”. ANÁLISE DA REDE
  18. 18. INTERMEDIAÇÃO No grafo ao lado foi aplicada a estatística de intermediação ou betweenness, que mede o diâmetro dos nós de acordo com sua capacidade de conectar grupos de usuários distintos. Além dos três maiores nós, representando os posts que receberam mais interações, é possível detectar diversos nós em rosa, alguns ao centro e outros na periferia no grafo, com maior capacidade de intermediação. Em maioria são posts da página “Vá de Bike”
  19. 19. O conteúdo que aparece no centro da rede mais densa de ativismo, com maior poder de intermediação, tem duas principais variações: Celebração/afirmação: #vaiterciclofaixa. Contestação/argumentação: imagens e vídeos com argumentos para defender a existência de demanda por ciclofaixa na capital paulista. INTERMEDIAÇÃO
  20. 20. REDE DE FACEBOOK - CONCLUSÕES • Páginas de cicloativismo formam uma rede mais interconectada, sobretudo aquela que tem como principal influenciador a página “Vá de Bike”; • Diferente do Twitter, no Facebook o perfil que representa a prefeitura de São Paulo não ocupa uma posição central no debate. Uma hipótese levantada é que o tema ciclofaixa aparece mais associado à figura de Fernando Haddad do que ao governo municipal. • Não foi possível identificar um grupo de oposição nas páginas selecionadas.
  21. 21. DÉBORA ZANINI zanini.debora@gmail.com @zaninidebora linkedin.com/in/deborazanini JOÃO PAULO BELUCCI jpbeluci@gmail.com @jpbeluci linkedin.com/in/jpbeluci
  22. 22. OBRIGADO!

×