Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.
Metodologias de Análise da
Qualidade de Estudos
Científicos
{
Livia Amaral Alonso Lopes
Orientador Cassyano J. Correr
Universidade Federal do Paraná
Mestrado em Ciências Farmacêutica...
Risco de Viés da Cochrane
Consort
Escala Jadad
Prisma
Strobe
Stard
Red Equator
Grade
Oxford
Metodologias
Red Equator
(Enchancing the Quality and Transparency of health research)
Lista de verificação (check-list)
Não recomendado...
Consort
Prisma
Strobe
Stard
Red Equator
Ensaios clínicos controlados (25 itens)
Revisões sistemática (27 itens)
Estudos ob...
Schulz, 2010
Schulz, 2010
Risco de Viés da Cochrane
Consort
Escala Jadad
Prisma
Strobe
Stard
Red Equator
Grade
Oxford
Metodologias
Criado para formulação de guias e protocolos para
responder a uma pergunta específica
Grade
Oxford
Metodologias
Oxford
Cla...
Grade Oxford
Phillips, 2009
Oxford
Não distingue diferença na qualidade metodológica
Em uma mesma
categoria
Em diferentes níveis:
Ex. ensaio clínico x...
Grade
(The grades of recomendation, assessment, development and
evaluation)
Grupo de pesquisadores, profissionais da saúde...
Grade
Objetivo principal:
Classificação que faz um balanço entre os riscos e benefícios de
uma intervenção
Considera valor...
Grade
Critérios para avaliar a qualidade independem do desenho do
estudo
Delimitação clara entre qualidade de evidência e ...
Grade
qualidade da evidência X força de recomendação
Oñate-Ocaña, 2009
Qualidade da evidência:
1. Limitações do desenho
2. Resultados inconsistentes
3. Ausência de Evidência Direta
4. Resultado...
Força da evidência:
Oñate-Ocaña, 2009
Risco de Viés da Cochrane
Consort
Escala Jadad
Prisma
Strobe
Stard
Red Equator
Grade
Oxford
Metodologias
Escala JADAD
Halpern, 2005
Escala JADAD
Não verifica viés importante
Simples e fácil aplicação
ocultamento da distribuição aleatória
Higgins, 2011
pouco transparente
Desvantagens Utilização de Escalas
Apesar de ser simples não está apoiada em evidências
empíricas
Ideal...
Ferramenta de Avaliação Risco de
Viés Cochrane
Viés é o erro sistemático
Presença de viés não determina o quanto foi afeta...
Higgins, 2011
Ferramenta cochrane para Avaliação risco de viés
Avaliação baseada em 6
Domínios
Não é uma escala
Nem uma lista de
verific...
Domínios
1. Viés de seleção
Ocultamento alocação
Geração sequência
aleatória
2. Viés de performance Cegamento de profissio...
4. Viés de atrito
Desfechos seletivos
Desfechos incompletos
5. Viés de relato
6. Outros
Domínios
Higgins, 2011
Viés de Seleção
Carvalho, 2013
Viés de Seleção
Carvalho, 2013
Viés de performance
Carvalho, 2013
Viés de Detecção
Carvalho, 2013
Viés de atrito ou perda
Carvalho, 2013
Viés de relato ou publicação
Carvalho, 2013
Outros Viéses
Carvalho, 2013
Programa Revman
Carvalho, 2013
Avaliação do resumo do Risco de Viés
1. Resumo do Risco de Viés em um estudo
2. Resumo do risco de Viés em um desfecho den...
Importante ser considerado
Importância de cada domínio para determinada revisão
Direção provável de
viés
Magnitude do viés...
Limitações
Não há ponderação da importância de cada desfecho ou de
cada estudo
Dificuldade na avaliação:
Alto risco x risc...
Estratégias possíveis de Análise
1. Limitada a estudos com baixo risco de viés
2. Análises múltiplas
(alto risco x baixo r...
Dificuldades para meu projeto
Grande heterogeneidade de estudos
Não busca responder a uma pergunta específica
Ensaios clín...
Direcionamento
Utilização da Ferramenta Cochrane
Adaptações nesta ferramenta
Utilização de ferramentas complementares?
Referências
Costa L. O. P., Maher C. G., Lopes A. D et al. Como escrever de forma
transparente artigos científicos relevan...
Referências
Alonso-Coello P., Rigaua D., Sanabriaa A. J. Calidad y fuerza: el sistema
GRADE para la formulación de recomen...
Metodologias avaliação qualidade estudos científicos
Prochain SlideShare
Chargement dans…5
×

Metodologias avaliação qualidade estudos científicos

4 633 vues

Publié le

A apresentação aborda algumas metodologias de análise da qualidade metodológica e qualidade de relato de estudos científicos. A apresentação teve foco em metododologias para avaliação de Ensaios Clínicos.

Publié dans : Santé
  • Soyez le premier à commenter

Metodologias avaliação qualidade estudos científicos

  1. 1. Metodologias de Análise da Qualidade de Estudos Científicos
  2. 2. { Livia Amaral Alonso Lopes Orientador Cassyano J. Correr Universidade Federal do Paraná Mestrado em Ciências Farmacêuticas Laboratório de Serviços Clínicos e Evidências em Saúde Análise da aplicabilidade para Ensaios Clínicos
  3. 3. Risco de Viés da Cochrane Consort Escala Jadad Prisma Strobe Stard Red Equator Grade Oxford Metodologias
  4. 4. Red Equator (Enchancing the Quality and Transparency of health research) Lista de verificação (check-list) Não recomendado para utilizar como índice de qualidade Guia para relato transparente e detalhado Costa, 2011
  5. 5. Consort Prisma Strobe Stard Red Equator Ensaios clínicos controlados (25 itens) Revisões sistemática (27 itens) Estudos observacionais (22 itens) Estudos acurácia diagnóstica (25 itens) Costa, 2011
  6. 6. Schulz, 2010
  7. 7. Schulz, 2010
  8. 8. Risco de Viés da Cochrane Consort Escala Jadad Prisma Strobe Stard Red Equator Grade Oxford Metodologias
  9. 9. Criado para formulação de guias e protocolos para responder a uma pergunta específica Grade Oxford Metodologias Oxford Classifica os estudos conforme nível de evidência
  10. 10. Grade Oxford Phillips, 2009
  11. 11. Oxford Não distingue diferença na qualidade metodológica Em uma mesma categoria Em diferentes níveis: Ex. ensaio clínico x estudo observacional Hierarquia pode desencorajar a análise crítica Phillips, 2009
  12. 12. Grade (The grades of recomendation, assessment, development and evaluation) Grupo de pesquisadores, profissionais da saúde a partir de 2000 diretrizes para determinar a força de recomendação para diretrizes clínicas Alonso-Coello, 2013
  13. 13. Grade Objetivo principal: Classificação que faz um balanço entre os riscos e benefícios de uma intervenção Considera valores e preferências para clínicos e pacientes Considera uso racional dos recursos Alonso-Coello, 2013
  14. 14. Grade Critérios para avaliar a qualidade independem do desenho do estudo Delimitação clara entre qualidade de evidência e força de recomendação Alonso-Coello, 2013
  15. 15. Grade qualidade da evidência X força de recomendação Oñate-Ocaña, 2009
  16. 16. Qualidade da evidência: 1. Limitações do desenho 2. Resultados inconsistentes 3. Ausência de Evidência Direta 4. Resultados imprecisos 5. Suspeita de viés de publicação Alonso-Coello, 2013
  17. 17. Força da evidência: Oñate-Ocaña, 2009
  18. 18. Risco de Viés da Cochrane Consort Escala Jadad Prisma Strobe Stard Red Equator Grade Oxford Metodologias
  19. 19. Escala JADAD Halpern, 2005
  20. 20. Escala JADAD Não verifica viés importante Simples e fácil aplicação ocultamento da distribuição aleatória Higgins, 2011
  21. 21. pouco transparente Desvantagens Utilização de Escalas Apesar de ser simples não está apoiada em evidências empíricas Ideal analisar um estudo segundo cada critério Higgins, 2011
  22. 22. Ferramenta de Avaliação Risco de Viés Cochrane Viés é o erro sistemático Presença de viés não determina o quanto foi afetado os resultados Conceito qualidade metodológica!!! Higgins, 2011
  23. 23. Higgins, 2011
  24. 24. Ferramenta cochrane para Avaliação risco de viés Avaliação baseada em 6 Domínios Não é uma escala Nem uma lista de verificação Ensaios Clínicos Avaliação crítica de forma separada Higgins, 2011
  25. 25. Domínios 1. Viés de seleção Ocultamento alocação Geração sequência aleatória 2. Viés de performance Cegamento de profissionais e participantes 3. Viés de detecção Cegamento avaliadores de desfecho Higgins, 2011
  26. 26. 4. Viés de atrito Desfechos seletivos Desfechos incompletos 5. Viés de relato 6. Outros Domínios Higgins, 2011
  27. 27. Viés de Seleção Carvalho, 2013
  28. 28. Viés de Seleção Carvalho, 2013
  29. 29. Viés de performance Carvalho, 2013
  30. 30. Viés de Detecção Carvalho, 2013
  31. 31. Viés de atrito ou perda Carvalho, 2013
  32. 32. Viés de relato ou publicação Carvalho, 2013
  33. 33. Outros Viéses Carvalho, 2013
  34. 34. Programa Revman Carvalho, 2013
  35. 35. Avaliação do resumo do Risco de Viés 1. Resumo do Risco de Viés em um estudo 2. Resumo do risco de Viés em um desfecho dentro de um estudo (recomendado) 3. Resumo do risco de viés de um desfecho em vários estudos (recomendado) 4. Resumo do Risco de Viés em vários estudos em geral Higgins, 2011
  36. 36. Importante ser considerado Importância de cada domínio para determinada revisão Direção provável de viés Magnitude do viés direção para nulidade e resultado positivo (viés de menor importância) cegamento para desfechos subjetivos x desfechos objetivos Higgins, 2011
  37. 37. Limitações Não há ponderação da importância de cada desfecho ou de cada estudo Dificuldade na avaliação: Alto risco x risco pouco claro Baixo risco x Alto risco Higgins, 2011
  38. 38. Estratégias possíveis de Análise 1. Limitada a estudos com baixo risco de viés 2. Análises múltiplas (alto risco x baixo risco x todos os estudos) 3. Risco de Viés de todos os estudos ( mesmo risco de viés) Higgins, 2011
  39. 39. Dificuldades para meu projeto Grande heterogeneidade de estudos Não busca responder a uma pergunta específica Ensaios clínicos intervenções não farmacológicas Falta de ferramenta específica para EC de intervenções não farmacológicas/farmacêuticas
  40. 40. Direcionamento Utilização da Ferramenta Cochrane Adaptações nesta ferramenta Utilização de ferramentas complementares?
  41. 41. Referências Costa L. O. P., Maher C. G., Lopes A. D et al. Como escrever de forma transparente artigos científicos relevantes para a prática da Fisioterapia. Rev Bras Fisioter. 2011;15(4):267-71. Schulz K. F., Altman D. G., Moher D. CONSORT 2010 Statement: Updated Guidelines for Reporting Parallel Group Randomized Trials. Ann Intern Med. 2010;152:726-732. Phillips B., Ball C., Sackett D. Et. Al. Oxford Centre for Evidence-based Medicine Levels of Evidence. Updated by Jeremy Howick March 2009. Disponível em: http://www.cebm.net Oñate-Ocaña L. F., Ochoa-Carrillo F. J. Sistema GRADE para clasificar nivel de evidencia y grado de las recomendaciones para la elaboración de guías de buena práctica clínica. Cir Ciruj 2009;77:417-419.
  42. 42. Referências Alonso-Coello P., Rigaua D., Sanabriaa A. J. Calidad y fuerza: el sistema GRADE para la formulación de recomendaciones en las guías de práctica clínica. Arch Bronconeumol. 2013;49(6):261–267. Halpern S. H., Dougla M. J., Jadad scale for reporting randomized controlled trials. Evidence-based Obstetric Anesthesia, 2005. Higgins J.P.T., Green S. Cochrane Handbook for Systematic Reviews of Interventions Version 5.1.0 [updated March 2011]. The Cochrane Collaboration, 2011. Disponível em: www.cochrane-handbook.org. Carvalho A. P. V., Silva V., Grande A. J. Avaliação do risco de viés de ensaios clínicos randomizados pela ferramenta da colaboração Cochrane. Diagn Tratamento. 2013;18(1):38-44.

×