Successfully reported this slideshow.
UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE
CENTRO DE SAÚDE E TECNOLOGIA RURAL
UNIDADE ACADEMICA DE CIENCIASBIOLÓGICAS
PARASITO...
CLASSIFICAÇÃO
Etiologia:Etiologia: Balantidium coli
Reino Protista
Filo Ciliophora
Classe Kinetofragminophorea
Ordem Trich...
BALANTIDIUN COLI
PATOGENIA
 PARASITA: monoxeno (um só hospedeiro)
• único protozoário ciliado parasita do homem
• Conside...
PATOGENIA
• Assintomáticos (~50% dos casos)
• Sintomáticos:
Desintéricos: sintomas semelhantes a amebíase
Crônicos: com su...
BALANTIDIUN COLI
PATOGENIA
• Assintomáticos (~50% dos casos)
• Sintomáticos:
Desintéricos: sintomas semelhantes a amebíase...
BALANTIDIUN COLI - PATOGENIA
• lesão mucosa do colo e ceco –penetram protozoários
– invasão secundária;
• produção hialuro...
BALANTIDIUN COLI
PATOGENIA
• Vivem no intestino grosso, ceco e o íleo terminal,
alimentando-se de bactérias e amido, causa...
MORFOLOGIA - 2 formas básicas:
Trofozoíto Cisto
MORFOLOGIA
• Maior protozoário parasita do homem :
Trofozoíto 60 – 100 μm de comprimento por
50 – 80 μm largura
• 2 núcleo...
MORFOLOGIA
CistoCisto
• Formas imóveis e
metabolicamente inativas
responsáveis pela trasnmissão
da doença – formas de
resi...
MORFOLOGIA
TrofozoítoTrofozoíto
•Formas móveis e metabolicamente ativaFormas móveis e metabolicamente ativa
- Forma infeca...
CICLO BIOLÓGICO
Ingestão de cistos através de
água ou alimentos
desencistamento (intestino
delgado)
Trofozoítas
(intestino...
CICLO BIOLÓGICO
REPDRODUÇÃO
 ASSEXUADA-divisão binária com bipartição
transversal
• importante na manutenção e ampliação ...
CICLO BIOLÓGICO
REPDRODUÇÃO
 SEXUADA - conjugação
• União pelo citóstoma – menos frequente
• O macronúcleo degenera e se ...
CICLO BIOÓGICO
TRANSMISSÃO - pela ingestão de cistos
presentes nas mãos, alimentos ou água
contaminados por cistos ou tro...
DIAGNÓSTICO CLÍNICO
• Dificuldade em virtude da semelhança com a colite
amebiana
• Variam entre diarréia, disenteria (feze...
DIAGNÓSTICO LABORATORIAL
PARASITOLÓGICO DE FEZES
Método direto a fresco
Fezes diarréicasFezes diarréicas  Trofozoítos (e...
EPIDEMIOLOGIA
• A distribuição da balantidiose é mundial,
porém a prevalência é muito baixa. (<1%)
• A maioria dos casos h...
TRATAMENTO
• Para atingir a cura da parasitose, recomenda-
se fazer uma dieta láctea.
• Pode ser feito também com medicame...
PROFILAXIA
• A higiene individual, engenharia sanitária e
cuidados com a água e alimentos constituem as
formas de prevençã...
FIM
Referências Bibliográficas
• Disponível em:
http://www.mundoeducacao.com.br/doencas/balantidiose.h
tm Acessado em 18 de ab...
Balantidiose
Balantidiose
Balantidiose
Prochain SlideShare
Chargement dans…5
×

Balantidiose

2 808 vues

Publié le

PROTOZOOSE CAUSADA PELO BALANTIDIUN COLI EM SUA FORMA TROFOZOÍTICA - FORMA INFECTANTE

Publié dans : Formation
  • Soyez le premier à commenter

Balantidiose

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE SAÚDE E TECNOLOGIA RURAL UNIDADE ACADEMICA DE CIENCIASBIOLÓGICAS PARASITOLOGIA BALANTIDIOSE Balantidiun coli Professor: Ednaldo Queiroga Aluno: Luciano Pereira de Sousa
  2. 2. CLASSIFICAÇÃO Etiologia:Etiologia: Balantidium coli Reino Protista Filo Ciliophora Classe Kinetofragminophorea Ordem Trichostomatida Família Balantidiidae Gênero Balantidium Espécie B. coli
  3. 3. BALANTIDIUN COLI PATOGENIA  PARASITA: monoxeno (um só hospedeiro) • único protozoário ciliado parasita do homem • Considerado um agente comensal no trato intestinal de suínos (se alimenta de amido) • Visto pela primeira vez por Malmsten, em 1857 - dois doentes com disenteria. • Principalmente encontrados em porcos, também já foi identificado em chimpanzés, macacos, cães e ratos
  4. 4. PATOGENIA • Assintomáticos (~50% dos casos) • Sintomáticos: Desintéricos: sintomas semelhantes a amebíase Crônicos: com surtos de diarréia. • Pode ocorrer invasão de órgãos extra-intestinais (pulmões) em indivíduos imunocomprometidos.
  5. 5. BALANTIDIUN COLI PATOGENIA • Assintomáticos (~50% dos casos) • Sintomáticos: Desintéricos: sintomas semelhantes a amebíase Crônicos: com surtos de diarréia. • Pode ocorrer invasão de órgãos extra-intestinais (pulmões) em indivíduos imunocomprometidos.
  6. 6. BALANTIDIUN COLI - PATOGENIA • lesão mucosa do colo e ceco –penetram protozoários – invasão secundária; • produção hialuronidase – aumenta lesão inicial provocando necrose localizada e úlceras; • diarréia, meteorismo, dor abdominal, anorexia, fraqueza às vezes febre.
  7. 7. BALANTIDIUN COLI PATOGENIA • Vivem no intestino grosso, ceco e o íleo terminal, alimentando-se de bactérias e amido, causando disenteria com sangue e muco nas fezes, mas podem penetrar a mucosa intestinal e causar ulceração. (MARKELL et. al. 2003: 68; SPICER 2002: 75). • Pode provocar necroses se a pessoa possuir alguma lesão anterior ao protozoário.
  8. 8. MORFOLOGIA - 2 formas básicas: Trofozoíto Cisto
  9. 9. MORFOLOGIA • Maior protozoário parasita do homem : Trofozoíto 60 – 100 μm de comprimento por 50 – 80 μm largura • 2 núcleos: macro e micronúcleo • Vacúolos digestivos • Protozoário ciliado com alto grau de complexidade.
  10. 10. MORFOLOGIA CistoCisto • Formas imóveis e metabolicamente inativas responsáveis pela trasnmissão da doença – formas de resistência •Esférico - 40 – 60 μm de diâmetro •2 núcleos: macro e micronúcleo
  11. 11. MORFOLOGIA TrofozoítoTrofozoíto •Formas móveis e metabolicamente ativaFormas móveis e metabolicamente ativa - Forma infecante •Apresenta o corpo recoberto de cílios •Mede 60 – 100 μm x 50 – 80μm •Citóstoma, citopígio, organelas, vacúolos digestivos •2 núcleos: macro e micronúcleo •Resiste no ambiente por até 10 dias a 22°C.
  12. 12. CICLO BIOLÓGICO Ingestão de cistos através de água ou alimentos desencistamento (intestino delgado) Trofozoítas (intestino grosso) Reprodução: Divisão binária encistamento Eliminação de cistos nas fezes
  13. 13. CICLO BIOLÓGICO REPDRODUÇÃO  ASSEXUADA-divisão binária com bipartição transversal • importante na manutenção e ampliação da colônia
  14. 14. CICLO BIOLÓGICO REPDRODUÇÃO  SEXUADA - conjugação • União pelo citóstoma – menos frequente • O macronúcleo degenera e se desintegra no citoplasma • O micronúcleo cresce e sofre meiose e mitose e toma posição em cada indivíduo • Importante para troca genética e formação de cistos
  15. 15. CICLO BIOÓGICO TRANSMISSÃO - pela ingestão de cistos presentes nas mãos, alimentos ou água contaminados por cistos ou trofozoítos advindos de fezes suínas. • Infecção humana quase sempre por cistos
  16. 16. DIAGNÓSTICO CLÍNICO • Dificuldade em virtude da semelhança com a colite amebiana • Variam entre diarréia, disenteria (fezes com muco e sangue), dor abdominal, fraqueza, febre dentre outros. • Pode ocorrer invasão de órgãos extra-intestinais (pulmões) em indivíduos imunocomprometidos.
  17. 17. DIAGNÓSTICO LABORATORIAL PARASITOLÓGICO DE FEZES Método direto a fresco Fezes diarréicasFezes diarréicas  Trofozoítos (exame a fresco – 30min.) Métodos de concentração –com lugol – sedimentação, centrifugação, Faust Fezes formadasFezes formadas  Cistos • Cultura das fezes – meios  soro de cavalo ou meio de pavlova
  18. 18. EPIDEMIOLOGIA • A distribuição da balantidiose é mundial, porém a prevalência é muito baixa. (<1%) • A maioria dos casos humanos está ente tratadores, comerciantes e abatedores de suínos.
  19. 19. TRATAMENTO • Para atingir a cura da parasitose, recomenda- se fazer uma dieta láctea. • Pode ser feito também com medicamentos: tetraciclina, e em crianças, metronidazol.
  20. 20. PROFILAXIA • A higiene individual, engenharia sanitária e cuidados com a água e alimentos constituem as formas de prevenção (Ferreira, 2003). • Ingestão de água somente filtrada ou fervida • Saneamento, deve-se ter boas condições sanitárias para os suínos, que são a principal fonte de contaminação. • Tratamento dos infectados.
  21. 21. FIM
  22. 22. Referências Bibliográficas • Disponível em: http://www.mundoeducacao.com.br/doencas/balantidiose.h tm Acessado em 18 de abril de 2016. • NEVES, D.P. -Parasitologia Humana. 11ª Ed.Atheneu SP, 2005.

×