Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Arquitetura orientada a serviço

378 vues

Publié le

A arquitetura orientada a serviços tem uma visão de arquiteturareferência representada em camadas. Para se identificar os serviços, podemos
combinar as abordagens top-down

Publié dans : Technologie
  • Soyez le premier à commenter

  • Soyez le premier à aimer ceci

Arquitetura orientada a serviço

  1. 1. CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇO EDMILSON ORLANDO DE OLIVEIRA SÃO PAULO 2016
  2. 2. CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇO Produção Individual Arquitetura Orientada a Serviço do curso de Gestão da Tecnologia da Informação – Centro Universitário SENAC, Prof. ANTONIO PALMEIRA DE ARAUJO NETO SÃO PAULO 2016
  3. 3. Enunciado: A arquitetura orientada a serviços tem uma visão de arquitetura- referência representada em camadas. Para se identificar os serviços, podemos combinar as abordagens top-down (de cima para baixo) e a bottom-up (de baixo para cima) para depois modelar e desenhar as soluções. A abordagem top-down a decisão é feita de cima para baixo. É quando um gestor diretor executivo gerente ou pessoa responsável toma uma decisão de maneira solitária, é uma decisão mais rápida buscando em experiências anterior pontos para embasar sua decisão. Um exemplo de uma decisão top- down pode ser a compra de mais um servidor para empresa, onde podemos recorrer a especificações e orçamentos anteriores para chegar a decisão de compra do novo equipamento. Já abordagem bottom-up a tomada da decisão e feita através de um grupo de pessoas que podem estar diretamente envolvidas com projeto ou não e envolve todo o time da diretoria até o chão de fábrica se for o caso. É uma abordagem mais utilizada para tomada de decisão onde necessitamos o envolvimento de diversas pessoas e setores da empresa. Um exemplo de uso da abordagem bottom-up é quando precisamos desenvolver um novo sistema para o departamento de cobrança onde teremos que ter acesso a informações de outros sistemas e assim envolver outros departamentos e pessoas de outros setores neste projeto. Referências Site Blog Fgl Gestão Logistica - http://fglgestaologistica.com.br/top-down-e-bottom-up-como- esses-conceitos-podem-ajudar-na-sua-estrategia-de-gestao/ acessado em 13/05/2016.

×