Ce diaporama a bien été signalé.

A função educativa dos museus na prática de seguranças e vigilantes

0

Partager

Chargement dans…3
×
1 sur 12
1 sur 12

A função educativa dos museus na prática de seguranças e vigilantes

0

Partager

Télécharger pour lire hors ligne

Apresentação sobre uma experiência de capacitação e sensibilização de seguranças de museus numa abordagem educativa.
A CAIXA CULTURAL BRASÍLIA EXIBIU AO PÚBLICO, NO PERÍODO DE 12 DE ABRIL A 5 DE JUNHO DE 2016, A EXPOSIÇÃO FRIDA KAHLO – CONEXÕES ENTRE MULHERES SURREALISTAS NO MÉXICO.
A Gerência de Filial de Marketing Cultural Brasília da CAIXA solicitou a colaboração do Instituto Brasileiro de Museus - Ibram, para realizar capacitação oferecida a aproximadamente cinquenta profissionais responsáveis pela segurança da exposição.
Foi desenvolvido então um plano de curso para o treinamento "Segurança em Museus". Ao longo de todo o dia 18/04/2016, com 8 horas de capacitação e com a participação de oito profissionais do Ibram.

Apresentação sobre uma experiência de capacitação e sensibilização de seguranças de museus numa abordagem educativa.
A CAIXA CULTURAL BRASÍLIA EXIBIU AO PÚBLICO, NO PERÍODO DE 12 DE ABRIL A 5 DE JUNHO DE 2016, A EXPOSIÇÃO FRIDA KAHLO – CONEXÕES ENTRE MULHERES SURREALISTAS NO MÉXICO.
A Gerência de Filial de Marketing Cultural Brasília da CAIXA solicitou a colaboração do Instituto Brasileiro de Museus - Ibram, para realizar capacitação oferecida a aproximadamente cinquenta profissionais responsáveis pela segurança da exposição.
Foi desenvolvido então um plano de curso para o treinamento "Segurança em Museus". Ao longo de todo o dia 18/04/2016, com 8 horas de capacitação e com a participação de oito profissionais do Ibram.

Plus De Contenu Connexe

Livres associés

Gratuit avec un essai de 30 jours de Scribd

Tout voir

Livres audio associés

Gratuit avec un essai de 30 jours de Scribd

Tout voir

A função educativa dos museus na prática de seguranças e vigilantes

  1. 1. TREINAMENTO DESEGURANÇAS EM MUSEUS: EXPOSIÇÃOFRIDA KAHLO – CONEXÕESENTRE MULHERESSURREALISTASNO MÉXICO CAIXA CULTURAL-BRASÍLIA A função educativa dos museus na prática de seguranças e vigilantes
  2. 2. A CAIXA CULTURAL BRASÍLIA EXIBIU AO PÚBLICO, NO PERÍODO DE 12 DE ABRIL A 5 DE JUNHO DE 2016, A EXPOSIÇÃO FRIDA KAHLO – CONEXÕES ENTRE MULHERES SURREALISTAS NO MÉXICO. A exposição na Caixa Cultural de Brasília • FORAM EXIBIDAS 140PEÇAS,ENTREASQUAIS 20 COM AUTORIA DE FRIDA KAHLO., ALÉM DE OBRASDEARTISTAS SURREALISTASDE SUA ÉPOCANASCIDAS OU RADICADAS NO MÉXICO. • A MOSTRACONTOUCOM 700 MIL VISITANTES EM SÃOPAULO ERIO DE JANEIRO
  3. 3. Curso "Segurança em Museus" CAPACITAÇÃOCAIXA CULTURAL ABRIL/2016 A Gerência de Filial de Marketing Cultural Brasília da CAIXAsolicitou a colaboração do Instituto Brasileiro de Museus - Ibram, para a realizar capacitação oferecida a aproximadamente cinquenta profissionais responsáveis pela segurança da exposição. Foi desenvolvido então um plano de curso para o treinamento "Segurança em Museus". Ao longo de todo o dia 18/04/2016, com 8 horas de capacitação e com a participação de 8 profissionais do Ibram.
  4. 4. Curso "Segurança em Museus" CAPACITAÇÃOCAIXA CULTURAL ABRIL/2016 A capacitação abordou os seguintes temas: → A relação entre visitantes, monitores e seguranças; → Gestão de riscos e procedimentos de emergência; → Sensibilização sobre o tema museu, memória e patrimônio cultural; → Diálogo sobre o tema da exposição e sua importância.
  5. 5. Transformação e sensibilização por parte dos participantes Ao longo da capacitação e em encontros subsequentes, observou-se uma contundente transformação da percepção dos participantes, tanto em relação ao objeto da exposição, como em relação a seu papel como seguranças naquele contexto específico. A mudança ficou patente nos depoimentos dos trabalhadores. Ao fim do dia, eles se implicavam como parte dos processos que observam ao longo dos dias de exposição. Da apatia inicial à sensibilização para o impacto da sua presença, até mesmo em seu potencial aspecto pedagógico. CAPACITAÇÃOCAIXA CULTURAL ABRIL/2016
  6. 6. A EXPERIÊNCIA Ensejou uma reflexão sobre o potencial educativo da ação dos trabalhadores de todos os setores do museu a partir da sua sensibilização acerca da missão do museu, dos objetivos subjacentes a ela e dos programas que possibilitam a sua realização. CAPACITAÇÃOCAIXA CULTURAL ABRIL/2016
  7. 7. Os profissionais que constituem o setor educativo de u m museu planejam e conduzem atividades e propostas qualificadas e orientadas para uma fruição que permita a ampliação do conhecimento e a conexão emocional com o acervo apresentado pelo museu. Por outro lado, a função educativa do museu é u m aspecto mais amplo e transversal. Não se manifesta apenas em situações e lugares específicos, restrita às ações levadas a cabo pela equipe que implementa o programa educativo e cultural do museu. A função educativa é subjacente a todas as áreas do museu; deve ser orientadora de todos os planejamentos que contemplem a relação do museu com a sociedade. SETOR EDUCATIVO Atividade Mediação
  8. 8. • O trabalho dos profissionais de segurança sesitua exatamente no espaço da relação entre o museu e seus visitantes. A atribuição deles é garantir a integridade física das pessoas, do acervo do museu, de seus equipamentos e da edificação. Mas podem, desde que estejam dispostos e aptos a assumir uma postura comprometida com o aspecto educativo do museu. • Por outro lado, é desejável que sepossa fomentar o senso de colaboração e integração dos setores do museu e a adoção de uma atitude educativa por parte de seus profissionais. • Ostrabalhos desempenhados pelos educadores museais e os vigilantes não são atuações concorrentes, podem até mesmo se incrementar mutuamente. • Ao chegar ao museu, o visitante se depara sempre com o segurança ou vigilante, mas não necessariamente com outro profissional do museu. A influência sobre a percepção do museu é muito positiva quando esse contato se dá de forma respeitosa e interessada. VIGILANTES EDUCAM?
  9. 9. FORTALECIMENTO DO SETOR EDUCATIVO CAPACITAÇÃOCAIXA CULTURAL ABRIL/2016 O processo de implementação de setores educativos ocorre na medida em que ascircunstâncias de cada instituição estejam convergindo para isso, mas o desenvolvimento da função educativa de cada museu não está inviabilizado na ausência dessascircunstâncias. O setor educativo que esteja constituído se fortalece quando entre as suas ações inclui o trabalho de sensibilização que colabore para a adoção de uma perspectiva educativa por profissionais de todos os setores do museu.
  10. 10. CURTA-METRAGEM "PRESENTE DOS DEUSES" O curta-metragem "Presente do Deuses", dirigido por Andréia França Martins e Ana Teresa Reynaud, aborda essamesma temática. Tevesuas imagens captadas em 2000, e ilustra a reflexão aqui apresentada por meio do cotidiano de vigilantes que atuam em museus e galerias, sua relação com o público, com o acervo e a transformação de suas perspectivas a partir de seutrabalho. Éuma obra sensível, que revela o quanto essesprofissionais podem desenvolver uma mirada simbólica que colabore para diversificar e humanizar a experiência do público que frequentao museu.
  11. 11. A CAPACITAÇÃO ATIVA O CAMPO A capacitação possibilita o desdobramento do trabalho em dimensões simbólicas que não estariam presentes inicialmente. Nem todos se interessam por isso, mas a ocorrência dos casos bem sucedidos justifica os esforços para empreender as ações sensibilização dos profissionais dos museus para o temas e aspectos de sua missão. Inspira um aprofundamento das relações e transversalidades entre setores e tarefas que lá são realizadas. É um trabalho que encerra em si várias das premissas e objetivos expressos na Política Nacional de Educação Museal - PNEM. Lá estão caracterizados cenários que devem inspirar a construção do campo da educação museal no Brasil. É uma, entre tantas outras possibilidades de atuação que manifestam a diversidade dos museus brasileiros e de seus processos de consolidação. CAPACITAÇÃOCAIXA CULTURAL ABRIL/2016
  12. 12. OBRIGADA!

×