Bdm aula 5 - construindo modelos er e mapeamento er-relacional

13 988 vues

Publié le

Bdm aula 5 - construindo modelos er e mapeamento er-relacional

  1. 1. Bancos de DadosMultimídiaTicianne G.R. Darin
  2. 2. Construindo Modelos ER
  3. 3. Propriedades de Modelos ER• Modelo ER é um modelo formal• Tem poder de expressão limitado• Diferentes modelos podem ser equivalentes
  4. 4. Exemplo: poder de expressão limitado
  5. 5. Exemplo: diagramas equivalentes
  6. 6. Identificando Construções• Não há regras definitivas...• Atributo ou entidade?
  7. 7. Identificando Construções• Atributo ou especialização/generalização?
  8. 8. Identificando Construções• Atributos opcionais?
  9. 9. Identificando Construções• Atributo multivalorados?
  10. 10. Verificação do Modelo ER• Modelo deve ser correto – Erros sintáticos – Erros semânticos • Estabelecer associações incorretas. • Usar uma entidade do modelo como atributo de outra entidade • Usar o número incorreto de entidades em um relacionamento
  11. 11. Verificação do Modelo ER• Modelo deve ser completo – Todas propriedades expressáveis com modelos ER apareçam no modelo.
  12. 12. Verificação do Modelo ER• Modelo deve ser livre de redundâncias
  13. 13. Verificação do Modelo ER• Modelo deve refletir aspecto atemporal – Atributos cujos valores modificam ao longo do tempo
  14. 14. Verificação do Modelo ER• Modelo deve refletir aspecto atemporal – Relacionamentos que modificam ao longo do tempo
  15. 15. Mapeamento ER - Relacional
  16. 16. Mapeamento ER-Relacional• Um modelo relacional pode ser facilmente derivado de um modelo conceitual desenvolvido usando o modelo ER• Seja o exemplo de modelagem ER a seguir
  17. 17. Regra 1 - Entidade forte• Para cada Entidade Forte E no diagrama ER, criar uma tabela T que inclui todos os atributos de T• O atributo chave de E será a chave primária da tabela T, recém criada. Empregado
  18. 18. Regra 2 - Entidade fraca• Para cada Entidade Fraca W no diagrama ER que tenha como entidade proprietária E: – criar uma tabela T – incluir todos os atributos simples de W como atributos de T – incluir o atributo chave da entidade proprietária E• A chave primária de T é a combinação do atributo chave de E, e da chave parcial de WDependente
  19. 19. Regra 3 - Relacionamento 1:1• Para cada Relacionamento R de cardinalidade 1:1 no diagrama ER, – identificar as relações das entidades participando do relacionamento R, – escolher uma das relações e incluir como chave estrangeira, a chave primária da outra relação, – incluir todos os atributos do relacionamento na relação escolhida, se por ventura, houver (atributos). Departamento
  20. 20. Regra 4 - Relacionamento 1:N • Para cada Relacionamento R de cardinalidade 1:N no diagrama ER, – identificar a tabela S que representa a entidade do lado N, – incluir como chave estrangeira a chave primária da tabela que representa a entidade do lado 1, – incluir os atributos do relacionamento em S, se houve atributo(s) no relacionamento.Empregado
  21. 21. Regra 5 - Relacionamento N:M• Para cada Relacionamento R de N:M no diagrama ER: – criar uma nova tabela para representar R, – incluir como chave estrangeira as chaves primárias das tabelas que participam em R, estas chaves combinadas formarão a chave primária da relação, – incluir eventuais atributos de R, se houver. Trabalha_em
  22. 22. Regra 6 – Atributos Multivalorados• Para cada Atributo Multivalorado A: – criar uma nova tabela T, incluindo um atributo correspondendo a A, mais a chave primária K da tabela que tem A como atributo.• A chave primária de T é a combinação de A e K. Locais
  23. 23. Modelo Relacional CorrespondenteEmpregadoDepartamentoLocaisProjetoTrabalha_emDependente
  24. 24. Regra 7 – Relacionamento n-ário• Para cada Relacionamento n-ário R (n > 2), – criar uma nova tabela S para representar R, – incluir como chaves estrangeiras as chaves primárias das tabelas que representam as entidades participantes, – incluir os eventuais atributos de R, se houver.• A chave primária de S é normalmente a combinação das chaves estrangeiras.
  25. 25. Regra 7 – Relacionamento n-ário N 1 Cliente CAC Agencia N Conta CAC
  26. 26. Regra 8: Autorelacionamento• Para cada Auto-Relacionamento no diagrama E-R, deve-se usar as mesmas regras de mapeamento dos relacionamentos binários (1:1, 1:N, N:N).
  27. 27. Regra 8: Autorelacionamento EMPREGADO 1 N Gerencia É gerenciado gerencia Empregado
  28. 28. Regra 9: Generalização e Especialização• Para cada Entidade Regular G de nível superior que inclui Generalização no diagrama ER – criar uma tabela T que inclui todos os atributos de T.• Para cada Entidade Regular E de nível inferior que inclui Especialização no diagrama ER – criar uma nova tabela S para representar E, – incluir os atributos de S• A chave primária da entidade de nível superior se torna atributo de chave primária de cada entidade de nível inferior.• A chave primária da entidade de nível superior se torna atributo de chave estrangeira de cada entidade de nível inferior.
  29. 29. Regra 9: Generalização e Especialização CLIENTE PESSOA FISICA PESSOA JURIDICA Cliente Pessoa_Fisica Pessoa_Juridica
  30. 30. Regra 10: Atributo composto• Para cada Atributo Composto C no diagrama E-R que tenha como entidade proprietária E, – Incluir todos atributos pertencentes a C como atributos da tabela T, criada para representar E
  31. 31. Regra 10: Atributo composto do meio primeiro último nome sexo cod Pessoa telefonePessoa cod nome sexo fone primeiro do meio último
  32. 32. Atividade 2• Refaça o diagrama ER do Trabalho 1 na ferramenta ERWIN• Faça o mapeamento do modelo ER para o modelo relacional, fazendo a representação visual no MySQL Workbench
  33. 33. Não erreis: Deus não se deixaescarnecer; porque tudo o que ohomem semear, isso também ceifará. Gálatas 6:7 Até a próxima aula!

×