Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

QUAIS OS MAIORES DESAFIOS DO BRICS E O PAPEL DO BRASIL NA NOVA CONFIGURAÇÃO MUNDIAL

51 vues

Publié le

QUAIS OS MAIORES DESAFIOS DO BRICS E O PAPEL DO BRASIL NA NOVA CONFIGURAÇÃO MUNDIAL

Publié dans : Formation
  • Soyez le premier à commenter

  • Soyez le premier à aimer ceci

QUAIS OS MAIORES DESAFIOS DO BRICS E O PAPEL DO BRASIL NA NOVA CONFIGURAÇÃO MUNDIAL

  1. 1. QUAIS OS MAIORES DESAFIOS DO BRICS E O PAPEL DO BRASIL NA NOVA CONFIGURAÇÃO MUNDIAL? MOTTA, Adilson, 2017 A dinâmica que integra países que formam o BRICS (Brasil, Rússia, China e África do Sul) concentra interesses e demandas de diferentes nações, aumentando o papel do bloco como um todo e de cada país no âmbito internacional. O principal objetivo do bloco é a busca por uma ordem mundial mais democrática e multipolar. Para que isso ocorra, faz-se necessária uma série de reformas na comunidade internacional, como a participação maior do Brasil, Índia e África do Sul na ONU, com um assento permanente para esses países no seu Conselho de Segurança (BRASIL, 2011). Entre seus desafios está o de redistribuição de poder e uma nova governança global, e o Brasil, nesse cenário, buscar uma maior integração, papel e espaço na comunidade internacional. Apesar de interesses comuns, e ao mesmo tempo particulares dentro do bloco, nota-se, conforme Reis; Assunção e Lemos (2012), que os países integrantes atuam numa perspectiva de cooperação, que que é inovador, e com interesses recíprocos e desafios semelhantes a serem enfrentados. Estudos apontam que os países do BRICS crescem num ritmo acelerado, e que seu crescimento ultrapasse até mesmo o das projeções, em termos comparativos as nações mais ricas. Cada país participante do G5 – tem seus desafios amparados não somente no PIB interno, como também em sua participação no cenário internacional. Entre seus maiores desafios e metas, está o de reduzir a dependência dos países do grupo em relação aos Estados Unidos e a busca pela integração de interesses comuns. Nesses desafios também está o de criar condições para uma ordem mundial mais justa, conforme Kramer (2009, apud REIS; ASSUNÇÃO; LEMOS, 2012). Um ponto positivo do BRICS, entre outros, está o do consenso de que o uso da força da força ser evitado na resolução das turbulências regionais (CHINA, ORG. 2011, apud REIS; ASSUNÇÃO; LEMOS, 2012).
  2. 2. Muitas são as metas que relacionam ações internas e externas das políticas públicas dos países envolvidos, que se tornam verdadeiros desafios a cada país membro no cenário interno e externo, como:  A busca por minimizar os efeitos da crise mundial é outra constante nas preocupações destes países;  A necessidade de cooperação em áreas sociais, como na assistência humanitária internacional para desastres naturais (BRASIL, 2009).  Promover o desenvolvimento da agricultura familiar, visando a uma maior segurança alimentar global (Coisa que o Brasil já faz).  Ademais, os BRICS declaram seu comprometimento em fortalecer a segurança internacional no combate ao terrorismo e ao crime cibernético;  Cooperação no desenvolvimento de energia nuclear segura; comprometem-se em aumentar a cooperação prática na adaptação de suas economias e sociedades às mudanças climáticas; comprometem- se, também, em aumentar a cooperação em proteção social, trabalho decente, igualdade entre gêneros e saúde pública, inclusive na luta contra a AIDS. (REIS; ASSUNÇÃO; LEMOS, 2012). Nesse cenário, o Brasil como um dos aspectos mais positivos da integração dos cinco países, implementando uma agenda social como política externa com enfoque crítica ao sistema financeiro, à injustiça e à pobreza. Nessa nova configuração da política internacional que integra os países em torno de interesses comuns e ao mesmo tempo na busca por solução de problemas comuns nestes existentes que leva países como o Brasil a assumir suas ações de políticas públicas buscando manter sintonias numa dimensão da política interna e externa como pauta de sua agenda política. REFERÊNCIAS BRASIL. Cúpula dos chefes de Estado e Governo do BRICs: Ecaterimburgo 16 de junho de 2009 – Declaração Conjunta. 2009b. Disponível em: <http://www.itamaraty.gov.br. Acesso em: 23 mar. 2018. REIS, Danilo; assunção, Isadora; LEMOS, André. Cooperação internacional: a influência dos brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) na construção da atual política externa brasileira. 2012.

×