Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Esmalte1

3 917 vues

Publié le

Aula da disciplina de Histologia e Embriologia Bucodental do Curso de Odontologia da UNIVALE

Publié dans : Santé & Médecine
  • Soyez le premier à commenter

Esmalte1

  1. 1. Professora Andrea B. do Valle EsmalteEsmalte
  2. 2.  Único tecido de origem epitelial (ectodérmica) mineralizado;  É o tecido mais mineralizado do organismo (Friável);  Recobre a coroa dos dentes;  Coloração variável;  Espessura variável;
  3. 3.  Acelular;Acelular;  Avascular;Avascular;  Permeável;Permeável;  Translúcido.Translúcido. **** Dentes decíduos são menos**** Dentes decíduos são menos translúcidos que os permanentestranslúcidos que os permanentes porque são menos mineralizados.porque são menos mineralizados.
  4. 4.  97% de conteúdo inorgânico  1% de material orgânico;  2% de água. Cristais deCristais de fosfato de cálciofosfato de cálcio (Hidroxiapatita)(Hidroxiapatita) Carbonato, NaCarbonato, Na++ ,, MgMg +2+2 , Cl, Cl-- ,K,K++ , F, F--
  5. 5. Amelogênese Epitélio Interno Ameloblastos  Os ameloblastos somente terminam sua diferenciação após a deposição da 1ª camada de dentina;  O ciclo vital do ameloblasto divide a amelogênese em fases..
  6. 6. MorfogenéticaMorfogenética Determinação da forma do dente devido à paralisação da divisão de algumas células do órgão do esmalte.
  7. 7. DiferenciaçãoDiferenciação  Alongamento das células do epitélio dental interno;  Inversão da polaridade;  Complexo de Golgi, Retículo endoplasmático granular e microtúbulos;
  8. 8. DiferenciaçãoDiferenciação  Pré- ameloblastos Céls da papilaameloblastos Céls da papila OdontoblastosOdontoblastos  Diferenciação dos futuros ameloblastos éDiferenciação dos futuros ameloblastos é gradual;gradual;  Somente termina a diferenciação dosSomente termina a diferenciação dos ameloblastos após a deposição da 1ª camada deameloblastos após a deposição da 1ª camada de dentina.dentina.
  9. 9. SecretoraSecretora  A amelogênese se inicia nas regiões correspondentes aos vértices das futuras cúspides e bordas incisais e segue em direção à alça cervical;  Síntese de moléculas da matriz( REG), condensação e empacotamento (CG), grânulos de secreção, liberação e mineralização.
  10. 10.  Proteínas ( amelogeninas, enamelinas e tufelinas);  Carboidratos e lipídios.
  11. 11. MineralizaçãoMineralização  Inicia- se logo após a secreção da matriz;  Cristais de fosfato de cálcio da dentina do manto funcionam como agentes nucleadores;  Tufelina e enamelina também funcionam como agentes nucleadores;
  12. 12.  A 1ª camada de esmalte é aprismática;A 1ª camada de esmalte é aprismática;  Após a 1ª camada o ameloblasto adquire oApós a 1ª camada o ameloblasto adquire o Processo de Tomes ( prismático);Processo de Tomes ( prismático);  Colapso das outras células do órgão dental;Colapso das outras células do órgão dental;  Folículo dental como fonte de nutrição;Folículo dental como fonte de nutrição;  Ao final da secreção o processo de TomesAo final da secreção o processo de Tomes não está mais presente.não está mais presente.
  13. 13. MaturaçãoMaturação  Degradação das amelogeninas;  Aumento do componente mineral e aumento do tamanho dos cristais acompanhado de fusão dos mesmos.
  14. 14. MaturaçãoMaturação
  15. 15. ProteçãoProteção  Epitélio reduzido do esmalte (ERE).Epitélio reduzido do esmalte (ERE). *** O rompimento do ERE pode provocar*** O rompimento do ERE pode provocar reabsorção do esmalte por odontoclastos oureabsorção do esmalte por odontoclastos ou deposição de tecido semelhante ao cemento adeposição de tecido semelhante ao cemento a partir de células do folículo dental.partir de células do folículo dental.
  16. 16.  Prismas Cristais;Prismas Cristais;  Regiões interprismáticas.Regiões interprismáticas. **** A diferença entre as duas regiões é a**** A diferença entre as duas regiões é a orientação dos cristais.orientação dos cristais.
  17. 17.  Períodos de repouso  linhas incrementais de crescimento  Mudança na direção dos ameloblastos  formação dos prismas Estrutura
  18. 18. Estriações transversais:  Ritmo circadiano na produção do esmalte;  Leves constrições no prisma;  Prismas cortados obliquamente.
  19. 19. Esmalte nodoso:Esmalte nodoso: Os prismas entrecruzam-se nos vérticesOs prismas entrecruzam-se nos vértices das cúspidesdas cúspides
  20. 20. Tufos do esmalte:  Tufos de grama;  Áreas hipomineralizadas;  Finas e curtas fitas onduladas  junção amelo-dentinária  1/3 da espessura do esmalte  Proteína  tufelina
  21. 21. Lamelas:  Áreas hipomineralizadas (fita)  superfície externa do dente
  22. 22. Fusos do esmalte:  Primeiros momentos  amelogênese  Processos dos odontoblasos em diferenciação  2 ameloblastos em diferenciação  Continuação dos túbulos dentinários  Mais comuns: vértices das cúspides

×