Ce diaporama a bien été signalé.
Le téléchargement de votre SlideShare est en cours. ×

Tubarões zood com mapas

Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Prochain SlideShare
Tubarão branco /
Tubarão branco /
Chargement dans…3
×

Consultez-les par la suite

1 sur 72 Publicité
Publicité

Plus De Contenu Connexe

Publicité

Similaire à Tubarões zood com mapas (20)

Plus récents (20)

Publicité

Tubarões zood com mapas

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DISCIPLINA: ZOOLOGIA D TUBARÕES Recife, 2010
  2. 2. Tubarões Os elasmobrânquios (tubarões e raias) são peixes de esqueleto cartilaginosos, cujo registro fóssil data do baixo Devoniano, há cerca de 400 milhões de anos. A importância dos tubarões cresceu enormemente na última década, tanto com relação ao seu valor pesqueiro e dos subprodutos dele obtidos (cartilagens, barbatanas, etc.) como aos problemas sócio econômicos provocados pelo aumento na incidência de ataques na região, principalmente na costa de Pernambuco.
  3. 3. Órgãos dos sentidos do tubarão • São míopes, • A visão está adaptada apenas para distâncias entre 2 e 3 metros, embora possa ser utilizada para distâncias até 15 m com um menor grau de definição. • O seu olho possui uma camada reflexiva, a qual permite um aproveitamento superior da luminosidade em locais com pouca luz; • Possuem uma membrana nos olhos chamada de Membrana Nictitante, que fecha e protege os olhos do tubarão quando ele esta destroçando o animal capturado Fonte:http://pescamarbig1.netfirms.com/tubara o_zoom.jpg Fonte:http://tubaraoferoz.com.sapo.pt/sha rkeye.jpg
  4. 4. • O olfato é direcional; • As duas cavidades nasais atuam como seus dois ouvidos: odores que vêm da esquerda do tubarão chegam à cavidade esquerda antes de chegar à direita. Desta forma, o tubarão pode identificar de onde vem o odor e ir direto a ele. Fonte:http://tubaraoferoz.com.sapo.pt/bocabran.gif
  5. 5. • Os tubarões têm a audição muito apurada. A sua grande sensibilidade às vibrações, provoca comportamentos semelhantes; • O seu ouvido interno, responsável pelo equilíbrio e detecção das vibrações de baixa freqüência, situa-se postero-superiormente ao olho; • Possui três canais semicirculares e detecta vibrações a longas distâncias, podendo o tubarão se aperceber do som de um peixe a debater- se a uma distância de 250 a 650 m; • Em conjunto com o olfato, esta sensibilidade às vibrações, são os primeiros mecanismos utilizados na detecção de potencial alimentação. Uma vibração desconhecida, tanto pode provocar curiosidade como medo ao tubarão.
  6. 6. • As suas linhas laterais são também capazes de captar vibrações de média e baixas freqüências, correntes, mudanças na temperatura e pressão da água, assim como localizar obstáculos e alimentos em águas turvas. Fonte:http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/tubaroes/imagens/tu barao49.jpg
  7. 7. A cabeça, especialmente ao redor do focinho, apresenta pequenos poros, denominados ampolas de Lorenzini. Estes receptores são sensíveis: • À temperatura, • Salinidade • Pressão da água, • Com uma especial capacidade para detectar campos elétricos muito subtis, gerados por outros animais. Consistem em pequenas dobras de células receptoras sensíveis à eletricidade, posicionadas sob a pele da cabeça do tubarão. Estas células são conectadas a poros na superfície da pele através de pequenos tubos preenchidos com uma espécie de geléia.
  8. 8. Curiosidades • O Brasil abriga 3 das espécies de tubarões consideradas perigosas ao homem, são os maiores responsáveis pelos ataques na costa do nordeste e sudeste: - Tubarão Branco - Tubarão Tigre - Tubarão Cabeça Chata A ameaça de extinção está relacionada com a maturidade tardia alcançada pelas espécies. A captura geralmente acontece quando eles ainda não se reproduziram. A estimativa da ONU é de que morrem 100 milhões de tubarões a cada ano. O homem consome sua carne a muito tempo, mas o grande terror a essas espécies não são o sabor de sua carne e sim o valor de suas nadadeiras.
  9. 9. Curiosidades • O fígado é o maior órgão de alguns tubarões e é responsável por cerca de 10% de todo o seu peso. Já foi visto tubarões com fígado de 1,5m de comprimento, e quase 1m de largura. • Passam a vida toda nadando, e que para dormir simplesmente reduzem o metabolismo e continuam nadando.
  10. 10. Contribuições dos tubarões para a saúde humana Contribuição farmacêutica A vitamina A foi obtida principalmente pelo óleo de fígado de tubarão até 1947, altura em que passou a ser sintetizada em laboratório. Em 1916, um cientista japonês isolou deste óleo um hidrocarboneto denominado esqualena. O óleo é utilizado: • Como base para cremes de beleza, pomadas e medicamentos; • No tratamento paliativo das hemorróidas; • Para a produção de leucócitos nos seres humanos; • Para inibir tumores cerebrais. Fonte:http://images.quebarato.com.br/ photos/big/4/6/113346_1.jpg
  11. 11. Contribuições dos tubarões para a saúde humana • Alguns ácidos polinsaturados extraídos do fígado têm sido utilizados como anticoagulantes no tratamento de enfartes do miocárdio; • Por outro lado, o extrato da sua cartilagem tem vindo a ser utilizado em doenças osteo-articulares e no tratamento de queimados, servindo à produção de pele artificial; • A córnea é usada para fazer transplantes em seres humanos; Fonte:http://www.ervanariarosil.com Fonte:http://www.shoppingnatural.com.br/imagem/produt /ShoppingCart/Photos/imuno1.jpg o/p0001OM100a.jpg
  12. 12. Contribuições dos tubarões para a saúde humana Contribuição energética • Através dos pratos de culinária que utilizam o tubarão; • Se faz uma sopa – de barbatanas – tida como afrodisíaca que faz parte da culinária oriental.
  13. 13. NOTÍCIA: CITES não inclui tubarão martelo na lista de espécies protegidas POSTADO ÀS 11:47 EM 23 DE MARÇO DE 2010 A conferência da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçada (CITES) rejeitou uma proposta para incluir sob proteção o tubarão martelo, depois de ter recusado a proteção a outras duas espécies marinhas de grande valor comercial, o atum vermelho do Atlântico Leste e o coral vermelho. A proposta dos Estados Unidos de incluir o tubarão martelo (Sphyrna lemini) no anexo II da CITES, que teria permitido regulamentar as exportações, não obteve a maioria necessária de dois terços (75 votos a favor, 45 contrários). O tubarão martelo está na lista vermelha da UICN (União Mundial para a Conservação da Natureza) como espécie "mundialmente em perigo”. Outras três espécies foram propostas para figurar no anexo II da CITES, que se pronunciará nesta terça-feira: o tubarão oceânico (Carcharhinus longimanus), o tubarão marracho ou anequim (Lamna nasus) e a mielga (Squalus acanthias). Da Agência France Presse
  14. 14. NOTÍCIA: Cientistas encontram fóssil de tubarão de dez metros e 89 mi de anos Os restos fossilizados foram encontrados por cientistas americanos no Estado do Kansas. Os pesquisadores desenterraram um pedaço do osso da mandíbula, dentes e escamas do tubarão que teria vivido há cerca de 89 milhões de anos. Paleontologistas já sabiam da existência do predador, mas a descoberta sugere que ele era muito maior do que o previsto anteriormente. Na semana passada os cientistas também divulgaram detalhes de outra descoberta, um peixe gigante que comia apenas plâncton e viveu há cerca de cem milhões de anos. Mas, este novo peixe, o Ptychodus mortoni, era maior e mais feroz, e seu alimento era carne. O predador pode ter sido o maior animal consumidor de moluscos que já habitou a Terra. Resto fossilizados de tubarão de 10 metros e 89 mi de anos foram encontrados nos EUA Da Folhaonline
  15. 15. NOTÍCIA: Cientistas encontram fóssil de tubarão de dez metros e 89 mi de anos “O resto fossilizado indica que o comprimento da mandíbula era de quase um metro, e isso sugere que tubarão poderia chegar pelo menos aos dez metros de comprimento", afirmou o cientista. A nova descoberta foi publicada na revista especializada "Cretaceous Research". No entanto, os dentes e o estilo de vida do tubarão pré-histórico seriam muito diferentes do tubarão moderno. Centenas de dentes fortes estariam alinhados nas partes de baixo e de cima da boca do tubarão pré-histórico, o que permitiria que o predador fosse capaz de esmagar moluscos. "Isto, por sua vez, sugere que o P. mortoni provavelmente era um tubarão que vivia no fundo do mar, vagaroso, ao invés de ser um nadador rápido e ágil", afirmou o pesquisador. No entanto, ainda não se sabe a razão de o predador ser tão grande.
  16. 16. Tubarão-baleia Rhincodon typus Uma fotografia do Tubarão Baleia de 4m tirada nas Ilhas Maldivas. Fonte:http://www.petfriends.com.br/images/news/tubarao%20baleia%201.jpg
  17. 17. Tubarão-baleia Rhincodon typus • O tubarão-baleia (Rhincodon typus), é a única espécie da família Rhincodontidae; • Vive em oceanos quentes e de clima tropical; • É a maior das espécies de tubarão e o maior peixe conhecido; • O tubarão-baleia é uma espécie solitária e raramente é vista em grupos, exceto em locais com alimentação abundante; • O nome "tubarão baleia" surgiu graças ao tamanho desse peixe;
  18. 18. Tubarão-baleia Rhincodon typus • Machos convivem em distâncias maiores que as fêmeas, que normalmente tendem a permanecer em locais fixos; • A pele destes peixes é marcada como um “tabuleiro de damas” de pontos claros e listras amarelas. • Esta espécie é completamente inofensiva e alimenta-se de plâncton por filtração; • O a água é constantemente empurrada para a boca atravessando e saem através dos arcos das brânquias. Qualquer material capturado é engolido; Fonte:http://www.oceanlight.com/lr/tran/01503.jpg
  19. 19. Tubarão-branco Carcharodon carcharias
  20. 20. Tubarão-branco Carcharodon carcharias Nomes Vulgares: Anequim e Tubarão-branco • É o peixe predador de maiores dimensões existente na atualidade, mas não o maior; • Esta espécie vive em águas costeiras de todos os oceanos. Ocorrem por toda a costa brasileira, porém são mais frequentes no Sudeste e Sul. • Ele pode projetar sua mandíbula durante um ataque, o que aumenta o ângulo da mordida. Um grande Tubarão Branco (Carcharodon carcharias) Fonte: www.photolib.noaa.gov
  21. 21. Tubarão-branco Carcharodon carcharias Habitat: Pelágicos oceânicos e costeiros; penetram nas águas rasas litorâneas; desde a zona de arrebentação das praias até as baías e estuários. Hábito: • Solitários por quase toda a vida, podem ser vistos aos pares; não formam cardumes; • Podem juntar-se em breves agregações para alimentação com 10 ou mais indivíduos; com habitual nado lento; • Altamente selvagens, agressivos e vorazes. Alimentação: É o predador com maior variedade de presas, dentre elas diversos peixes de pequeno a grande porte, cações, raias, lulas, polvos, crustáceos, tartarugas (as vezes engolidas inteiras), aves marinhas, focas, leões marinhos, golfinhos e baleias.
  22. 22. Tubarão-branco Carcharodon carcharias Captura: Sua carne é boa, porém existe alguns registros de envenenamento; a pele produz o couro; a carcaça para ração animal; os dentes e maxilas para decoração. Curiosidades: • Os filhotes já nascem com cerca de 1,5 m de comprimento e 25 kg. As fêmeas atingem a maturidade sexual com mais de 3 m de comprimento. É ovovivípara e produz de 1 a 4 filhotes por ninhada. • Podem armazenar alimento, sem digeri-lo por muitos dias e, a qualquer momento, regurgitá-lo para depois atacar novas presas. Estatística dos Ataques (tipo ou alvo, no mundo, entre 1554 e 1997 Não provocado provocado náufragos embarcações Desconhecido TOTAL 231 4 0 52 24 311
  23. 23. Cabeça-chata Carcharhinus leucas
  24. 24. Cabeça-chata Carcharhinus leucas • No Brasil, são mais comuns no Norte, Nordeste e parte do Sudeste. Hábitat: • Predominantemente costeiros; • Quando jovens, costumam viver em águas bem rasas, perto do litoral. Com grande preferência pelas águas salobras, são comuns também em rios e lagos de água doce. Hábito: • Solitários, costumam ser encontrados nadando calmamente junto ao fundo, parecendo muitas vezes preguiçosos. No entanto, podem ser muito rápidos e conseguem capturar presas pequenas e ágeis. • São capazes inclusive de dar velozes explosões de até 19 km/h.
  25. 25. Cabeça-chata Carcharhinus leucas Alimentação: Peixes, pequenos cações, raias, tartarugas marinhas, caranguejos, camarões, lulas, ouriços e carniça de mamíferos. Captura: Sua carne não é apreciada, porém é utilizada na produção de ração para peixes; sua pele e fígado também são aproveitados. Fonte:http://www.aims.gov.au/pages/res earch/project-net/dma/images/shark- gw03-230.jpg
  26. 26. Cabeça-chata Carcharhinus leucas Curiosidades: • De acordo com os pesquisadores do Centro de Pesquisa do Tubarão, na Flórida (EUA), é o animal com o mais alto nível de testosterona do planeta; • Sua incrível capacidade de adaptação e grande tolerância aos vários níveis de salinidade permite-lhes fazer incursões à procura de alimento nas baías hipersalinas e pelas foz dos rios, muitas vezes subindo os mesmos a pontos bem interiores. Estatística dos Ataques (tipo ou alvo, no mundo, entre 1554 e 1997) Não provocado provocado náufragos embarcações Desconhecido TOTAL 57 6 0 0 6 69
  27. 27. Cabeça-chata Carcharhinus leucas Curiosidades: • Espécie vivípara; • Produz de 1 a 13 embriões por gestação, que dura cerca de 10 a 11 meses.; • Os filhotes nascem completamente preparados e normalmente penetram nos estuários e lagoas costeiras de baixa salinidade para utilizarem-se dessas áreas como berçário; • Os filhotes, ainda no útero da fêmea, podem predar uns aos outros, o que chamamos de canibalismo intra-uterino); • Os especialistas consideram o Cabeça-Chata o mais combativo e nervoso de todos os Tubarões;
  28. 28. Tubarão-martelo Sphyrna zygaena
  29. 29. Tubarão-martelo Sphyrna zygaena Nomes Vulgares: Cambeba, Cambeva, Chapéu-armado, Cornuda, Cornudo, Martelo, Peixe-canga e Peixe-martelo • Ocorrem no Brasil por toda costa. Hábito: Grandes nadadores, encontrados na superfície ou meia-água; solitários ou em pequenos grupos. Alimentação: Alimentam-se normalmente no fundo de peixes de vários tamanhos, lulas, crustáceos, moluscos, cações de pequeno porte e raias.
  30. 30. Tubarão-martelo Sphyrna zygaena Captura: Sua carne é de qualidade inferior e pode ser encontrada fresca, salgada e defumada; sua pele, carcaça e fígado também são aproveitados. Curiosidades: • Os filhotes nascem com cerca de 50 cm de comprimento. • É vivípara e produz de 29 a 37 filhotes por gestação. • Recorde mundial de pesca é 164,65 kg. • São muito utilizados na “medicina” chinesa. Estatística dos Ataques (tipo ou alvo, no mundo, entre 1554 e 1997 Não provocado provocado náufragos embarcações Desconhecido TOTAL 17 4 1 5 4 31
  31. 31. Tubarão-martelo Sphyrna zygaena • O formato aero-dinâmico lhe proporciona uma maior velocidade na hora de girar a cabeça; • Porta um maior numero de ampolas de Lorenzini,; • O ritual de acasalamento do tubarão martelo é muito violento, onde o macho persegue e morde a fêmea até esta aceder aos avanços. Fonte:http://www.biologo.com.br/tubarao/especies/tubarao- martelo.html
  32. 32. Lambaru Ginglymostoma cirratum
  33. 33. Lambaru Ginglymostoma cirratum Nomes Vulgares: Barroso, Cação-lixa, Lixa, Tubarão-enfermeira,Tubarão-pajem. • São raros no Sul do Brasil. Habitat: Bentônico costeiro de águas rasas, vivem em fundos arenosos e rochosos. Hábito: Noturno; lentos e sedentários; muitas vezes são encontrados imóveis deitados na areia. Alimentação: Peixes, crustáceos, moluscos bivalves e alguns invertebrados encontrados na areia.
  34. 34. Lambaru Ginglymostoma cirratum Captura: Sua carne não é de boa qualidade, mas está disponível no mercado; sua pele é utilizada na confecção de couro e seu fígado na produção de óleo rico em vitamina A. Curiosidades: • Essa espécie possui um curto barbilhão carnoso na margem de cada abertura nasal. • É ovovivípara e produz de 20 a 30 filhotes por ninhada.
  35. 35. Canejo Mustelus canis
  36. 36. Canejo Mustelus canis Nomes vulgares: Bodinho, Cação-angolista, Cação-bico-doce, Cação-fiúso, Cação-torrador, João-dias, Sebastião, Tolo. • Ocorrem no Sul e Sudeste do Brasil. Habitat: Pelágico costeiro de águas rasas, com fundos barrentos e turvos. São encontrados em baías, estuários e subindo rios. Hábitos: Encontrados em grupos, raramente abaixo de 50 metros de profundidade. Alimentação: Caranguejos, lagostas, pequenos peixes e moluscos. Captura: Sua carne, não muito estimada, é comercializada salgada, fresca ou defumada. Curiosidades: Essa espécie é vivípara e produz de 4 a 20 embriões por gestação.
  37. 37. Mangona Carcharias taurus
  38. 38. Mangona Carcharias taurus Nomes Vulgares: Cação-de-areia, Cação-mangona, Caçoa e Mangonga. • No Brasil são mais comuns no Sul e Sudeste. Habitat: Pelágicos costeiros de águas rasas; são encontrados em zonas de arrebentação das praias dentro ou fora das baías com pouca profundidade. Hábito: • Solitários ou em pequenos grupos; • Nadam devagar e firme junto a superfície ou a meia água; • Com frequência são vistos próximos do fundo; • Possuem hábitos noturnos.
  39. 39. Mangona Carcharias taurus Alimentação: Alimentam-se de sardinhas, manjubas, enchovas, pescadas, pequenos cações e ocasionalmente caranguejos e lagostas. Captura: Comum nos mercados do Sudeste do Brasil; sua carne é tida como a de melhor sabor entre os cações; encontrada fresca, salgada ou congelada; são capturadas pelos pescadores submarinos. Fonte:http://www.naturephoto-cz.eu/pic/kotouc/carcharias- taurus-6_3885.jpg
  40. 40. Mangona Carcharias taurus Curiosidades: • Os filhotes já nascem com 95 cm a 1,2 m de comprimento. • É ovovivípara e as fêmeas só procriam após atingir cerca de 2 m de comprimento. Produzem até 2 filhotes por ninhada • A quantidade de fêmeas capturadas é bem maior do que a de machos, podendo assim determinar sua extinção. Estatística dos Ataques (tipo ou alvo, no mundo, entre 1554 e 1997 Não provocado provocado náufragos embarcações Desconhecido TOTAL 31 14 0 6 2 53
  41. 41. Tubarão-tigre Galeocerdo cuvier
  42. 42. Tubarão-tigre Galeocerdo cuvier Nomes vulgares: Cação - Jaguará, Cação-Tintureiro, Jaguará, Tigre, Tubarão-Jaguará ou Tubarão-Tintureiro. • No Brasil ocorrem por toda costa, sendo mais comum no Norte e Nordeste. • Já foi encontrado no Recife em Boa Viagem, em mares temperados,perto da costa, e também em mar aberto; • O seu nome provém das riscas pretas que apresenta ao longo das costas, que vão desaparecendo à medida que o tubarão envelhece; Fonte:http://atedebaixodagua.files.wordpress.com /2009/09/tubarao-tigre.jpg
  43. 43. Tubarão-tigre Galeocerdo cuvier Alimentação: Hábitos alimentares noturnos e tendência para comer carniça; comem quase tudo que conseguem abocanhar sendo comestíveis ou não. • Já foram encontradas botas, latas de conserva e pedaços de pneus no seu trato digestivo. Habitat: • Pelágicos costeiros encontrados nas regiões coralinas, praias, portos e estuários; • não é uma verdadeira espécie oceânica. Fonte:http://tubaroes.com.sapo.pt/tubtigre.html
  44. 44. Tubarão-tigre Galeocerdo cuvier Captura: Sua carne e nadadeiras são de boa qualidade, comercializadas frescas, salgadas, defumadas ou congeladas; sua pele e seu fígado são bastante apreciados. Curiosidades: • Ovíparos; geram mais de 82 filhotes; • Os filhotes nascem com 45 a 80 cm de comprimento; • É ovovivípara e produz de 30 a 50 filhotes por ninhada; • No estomago destes tubarões já foram encontradas correntes, roupas, pedaços de vacas e cavalos, cachorros inteiros e até mesmo partes do corpo humano. Estatística dos Ataques (tipo ou alvo, no mundo, entre 1554 e 1997 Não provocado provocado náufragos embarcações Desconhecido TOTAL 67 3 1 8 25 104
  45. 45. Cação-anjo Squatina argentina
  46. 46. Cação-anjo Squatina argentina Nomes vulgares: Anjo, Cação-anjo e Anjo-do-mar. • No Brasil são mais comuns no Sul e no Sudeste; • Ele é uma criatura do fundo das águas e se esconde na areia, à espera da presa, aparecendo no verão nas águas rasas. Alimentação: Alimentam-se de diversos peixes de fundos, crustáceos e moluscos. • Suas maxilas são particularmente bem adaptadas para triturar crustáceos e moluscos de concha.
  47. 47. Cação-anjo Squatina argentina Curiosidades: • Sua carne não é apreciada e não possui valor comercial, mas a pele dele, seca, tem sido usada para ornamentação, para o polimento de objetos de madeira e mesmo como medicamento; • Os filhotes nascem com cerca de 25 cm de comprimento; • É vivípara e produz de 10 a 20 embriões por gestação. Fonte:http://www.achetudoeregiao.com.br/anim ais/gif_animal/cacao_anjo.jpg
  48. 48. Serra-garoupa Carcharhinus limbatus
  49. 49. Serra-garoupa Carcharhinus limbatus Nomes vulgares: Cação-do-fundo, Cação-peru, Corta-garoupa. • Ocorrem por toda costa brasileira. Habitat: Pelágicos oceânicos e costeiros, no verão costumam aproximar- se da costa. Hábitos: • Vivem em pequenos grupos; • São ativos e nadam velozmente junto a superfície; • Algumas vezes saltam para fora da água. Alimentação: Peixes pelágicos e bentônicos, pequenos cações, raias, lulas, polvos e crustáceos.
  50. 50. Serra-garoupa Carcharhinus limbatus Captura: Sua carne não é muito boa, porém é comercializada salgada ou fresca; sua pele e fígado também são aproveitados. Curiosidades: • Essa espécie é vivípara e produz de 1 a 10 embriões por gestação. • Encontram-se vulneráveis a extinção. Estatística dos Ataques (tipo ou alvo, no mundo, entre 1554 e 1997 Não provocado provocado náufragos embarcações Desconhecido TOTAL 20 2 0 0 0 22
  51. 51. Tubarão raposa Alopias vulpinus
  52. 52. Tubarão raposa Alopias vulpinus • É uma espécie comum nas águas tropicais do litoral brasileiro; vive também em mares temperados. Hábito: Espécie pelágica que vive não muito distante da costa, mais especificamente na plataforma continental; • Sua é cauda muito curiosa, pois mede o mesmo tamanho do seu corpo; • Pode medir 5,50 metros de comprimento.
  53. 53. Tubarão raposa Alopias vulpinus Alimentação: Alimenta-se principalmente de peixes, mas não dispensa a oportunidade de capturar aves marinhas quando elas mergulham para capturar suas presas. • O tubarão-raposa age com suas vítimas, desferindo violentos golpes de cauda (como se fosse um bastão), atordoando-as. Curiosidades: • Os machos atingem a maturidade quando chegam aos 3,30 m de comprimento; já as fêmeas a maturidade vem quando elas medem entre 2,60 – 4,50 m de comprimento.
  54. 54. Cação-bagre Squalus cubensis
  55. 55. Cação-bagre Squalus cubensis Nomes vulgares: Cação-de-espinho, Cação-espinhoso, Cação olho-de-gato e Cação-prego. • No Brasil ocorrem em toda a costa. Habitat: Bento-pelágicos oceânicos e costeiros; vivem próximo ao fundo; nunca são encontrados na superfície da água. Hábito: De hábitos bentônicos encontrados em densos cardumes. Alimentação: Alimentam-se de pequenos peixes, crustáceos, moluscos e alguns invertebrados.
  56. 56. Cação-bagre Squalus cubensis Curiosidades: • Os filhotes nascem com cerca de 10 cm de comprimento. A maturidade sexual é atingida com cerca de 50 cm de comprimento; • É vivípara e produz de 4 a 10 embriões por gestação; • Os espinhos das nadadeiras dorsais, ao penetrar na pele humana, podem inocular uma potente peçonha produzida por glândulas abrigadas na porção superior de cada um desses espinhos.  O ferimento causado pelos espinhos provoca dor aguda e intensa que pode permanecer por horas e edema local. Dependendo da região atingida e do peso e estado físico da vítima, pode ser fatal.
  57. 57. Recorde mundial de Família Medidas pesca Cação-anjo Squatinidae Medem 1 m de comprimento e pesam 10 kg. -- Medem 2,5 a 5 metros de comprimento e Tubarão-branco Lamnidae 1.208,38 kg pesam de 200 a 1100 kg. Geralmente com 2,5 m de comprimento e Cabeça-Chata Cacharhinidae 222,26 kg. 150 kg. Geralmente com 2 m de comprimento e 150 Tubarão-martelo Sphyrnidae 164,65 kg. kg. Geralmente possuem 2,5 m de comprimento Lambaru Ginglymostomatidae 92,25 kg e 200 kg. Canejo Triakidae Geralmente com 1 m de comprimento e 6 kg. 12,15 kg. Geralmente com 2,5 m de comprimento e Mangona Odontotaspididae 158,81 kg. 100 kg. Geralmente com 1,5 m de comprimento e 50 Serra-garoupa Cacharhinidae 122,75 kg kg. Geralmente com 4 m de comprimento e 450 Tintureira Cacharhinidae 807,40 kg kg. Medem 75 cm de comprimento e pesam 5 Cação-bagre Squalidae -- kg.
  58. 58. Obrigado!!! Equipe: Maria Luiza Rafael Gaston Cecília Sanguinetti Isabel Isabella Tássia Nascimento
  59. 59. Divisão do trabalho: Cecília - slide 1 ao 8  orgãos dos sentidos Mª Luiza - slide 9 ao 13  curiosidades e contribuição p/saúde humana Rafael - slide 14 ao 19  notícias e tubarão baleia Izabel - slide 20 ao 28  tubarão branco e cabeça chata Tássia - slide 29 ao 37  tubarão martelo, lambaru e canejo Isabella - slide 38 ao 48  mangona, tubarão tigre e cação anjo Danielle - slide 49 ao 58  serra garoupa, tubarão raposa e cação bagre

×