Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Arte Renascimento - metodologia de análise de obras

21 vues

Publié le

Pertence a Areal - Editores

Publié dans : Formation
  • Soyez le premier à commenter

Arte Renascimento - metodologia de análise de obras

  1. 1. A observação e identificação geral da obra ‐ identificar as cores, a composição, a organização da cena ou da personagem, os objetos ou outros elementos representados. A análise e interpretação da obra (análise apoiada em pesquisa bibliográfica) ‐ pesquisar informações sobre o autor; ‐ pesquisar informações sobre o tema, as personagens e os elementos presentes na representação; ‐ pesquisar sobre o contexto histórico, cultural e artístico em que a obra foi produzida, influências da época; ‐ conhecer os elementos formais presentes na obra: a técnica, o uso da cor, os recursos técnicos usados (perspetiva, profundidade, elementos clássicos, arquitetónicos, naturalistas…).
  2. 2. Identificação da obra ‐ Título ‐ Autor ‐ Data ‐ Técnica usada ‐ Dimensões ‐ Local Análise e interpretação da obra ‐ Enquadramento da obra: quando foi realizada, quem encomendou, a que se destinou/a sua função; ‐ Contexto histórico, cultural e artístico da produção da obra; ‐ Caraterísticas formais: técnica, composição, representação, recursos técnicos usados, influências.
  3. 3. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano
  4. 4. Título: Escola de Atenas Autor/data: Rafael (1508-1511) Técnica/dimensões: Fresco, 4,40 x 7,70 m Local: Câmara da Signatura, Vaticano Autor: Rafael (1483–1520). Em 1509, Rafael Buonnaroti, ao serviço da corte do Papa Júlio II em Roma, que era então um dos principais focos do Renascimento, recebe a encomenda e assina o contrato de realização da obra. O fresco integra-se num conjunto pictural sobre as quatro paredes da Sala da Signatura (sala de trabalho e biblioteca do papa).
  5. 5. Título: Escola de Atenas Autor/data: Rafael (1508-1511) Técnica/dimensões: Fresco, 4,40 x 7,70 m Local: Câmara da Signatura, Vaticano Enquadramento da obra: A Sala ou Câmara da Signatura, no Palácio do Vaticano, apresenta os mais famosos frescos de Rafael. Foi o primeiro grande trabalho executado pelo artista no Vaticano. Originalmente, a sala era usada pelo papa Júlio II (papa entre 1503 e 1513) como biblioteca e escritório privado. Os frescos foram pintados entre 1508 e 1511 e enquadram-se num programa iconográfico, representando as três grandes categorias do espírito humano: a Verdade, o Bem e a Beleza. A “Verdade sobrenatural” é ilustrada pelos frescos que representam a Disputa do Sacramento mais sagrado (teologia), enquanto a “Verdade racional” é ilustrada pela Escola de Atenas (filosofia).
  6. 6. A Sala ou Câmara da Signatura, no Palácio do Vaticano, apresenta um outro famoso fresco de Rafael - fresco Parnassos. Este fresco representa a poesia, Antiga e do Renascimento, cujos poetas estão em redor de Apolo.
  7. 7. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano
  8. 8. Título e tema da obra: Escola de Atenas foi o título atribuído, posteriormente, no século XVIII e representa a visão idealizada do que seria, em síntese, o ambiente do conhecimento e da sabedoria em Atenas, transmitindo a importância da herança cultural da Antiguidade Clássica grega. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano
  9. 9. A Escola de Atenas pode ser entendida como obra de arte e como documento histórico. Nela estão contidas não só a conceção estética e o tratamento pictórico que marca a arte do Renascimento, mas é também um testemunho histórico que transmite uma mensagem sobre o humanismo e a herança da cultura clássica em ligação com a modernidade. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano
  10. 10. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano Composição da obra e personagens 1. Leonardo da Vinci sob os traços do filósofo grego Platão; 2. Aristóteles; 3. Heraclito, filósofo grego, representado sob os traços de Miguel Ângelo; 4. Estátua de Minerva, deusa das artes e das ciências na mitologia romana; 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11
  11. 11. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 Composição da obra e personagens 5. Estátua de Apolo, deus das ciências e da música na mitologia grega; 6. Pitágoras, filósofo e matemático grego; 7. Diógenes; 8. Euclides; 9. Zoroasto; 10. Ptolomeu; 11. Autorretrato do pintor Rafael.
  12. 12. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano Composição da obra e personagens Ao centro Platão (1) aponta para cima com o dedo e segura o seu livro Timeu na sua mão. Ao seu lado está Aristóteles (2) com a sua obra Ética . Diógenes (7) está deitado nas escadas, enquanto o filósofo Heraclito (3) retratado como Miguel Ângelo está encostado a um bloco de mármore escrevendo numa folha. Pitágoras (6) é apresentado no canto esquerdo do primeiro plano pretendendo explicar o diatesseron. 1 2 3 6 7
  13. 13. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano Composição da obra e personagens À direita podemos ver Euclides (8) que inclinado para o chão está a ensinar geometria. Zoroasto (9) segura a esfera celeste. Ptolomeu (10) segura a esfera terrestre. A personagem na direita com o barrete preto é o autorretrato de Rafael (11) . 8 9 10 11
  14. 14. Análise formal da pintura O conjunto das personagens está inserido num espaço arquitetural: a colocação das personagens distribui-se harmoniosamente na cena, organizada por linhas verticais, horizontais e oblíquas que podemos assinalar e que organizam os planos e a simetria da pintura. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano
  15. 15. Análise formal da pintura A organização das personagens e o seu movimento estão pensados de modo a que os olhos do observador se dirijam para o centro da cena representada. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano
  16. 16. Análise formal da pintura Podemos ainda destacar a profundidade e o efeito de “trompe-l’oeil” (ilusão ótica) como se tratasse de uma cena teatral. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano
  17. 17. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano Análise de conteúdo temático e histórico Características do humanismo e do Renascimento presentes na obra ‐ O lugar central do Homem e do Conhecimento. ‐ O movimentos das mãos dos dois filósofos ao centro colocam-nos perante a discussão filosófica sobre as duas vias para o acesso à sabedoria/conhecimento, também presente na organização simétrica da cena. O antropocentrismo não se limita apenas ao conhecimento das ideias do Homem mas também à representação do corpo através de estudos anatómicos e científicos desenvolvidos na época.
  18. 18. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano Análise de conteúdo temático e histórico Características do humanismo e do Renascimento presentes na obra ‐ A importância da herança greco-romana: nas ideias, nas artes e na arquitetura, não apenas como cópia ou imitação mas reinterpretação e renovação. Presença de elementos arquitetónicos utilizados pelos arquitetos do Renascimento incluindo Rafael, Miguel Ângelo e Bramante. Pilastras Abóboda de berço Tetos com caixotões
  19. 19. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano Análise de conteúdo temático e histórico Características do humanismo e do Renascimento presentes na obra ‐ Utilização de diferentes perspetivas: • ponto de fuga através do uso das cores; • sucessão de círculos dos tetos e do céu.
  20. 20. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano Análise de conteúdo temático e histórico Características do humanismo e do Renascimento presentes na obra ‐ As relações entre os artistas e o poder Rafael está representado no fresco com barrete preto, bem como outros artistas seus contemporâneos o que revela o novo lugar do artista que assina as suas obras e o apoio do mecenato.
  21. 21. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano PLATÃO (1): filósofo ateniense (427-347 a.C.), com uma das suas obras na mão O Timeu. ARISTÓTELES (2): filósofo ateniense (387-327 a.C.), com uma das suas obras na mão A Ética. 1 2
  22. 22. Escola de Atenas, Rafael (1508-1511), Fresco, 4,40 x 7,70 m, Câmara da Signatura, Vaticano

×