Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Orientador estudo - Cultura da Catedral

64 vues

Publié le

Para HCA

Publié dans : Formation
  • Soyez le premier à commenter

  • Soyez le premier à aimer ceci

Orientador estudo - Cultura da Catedral

  1. 1. Orientador de Estudo HISTÓRIA DA CULTURA E DAS ARTES Profª Cristina Barcoso Lourenço MÓDULO 4 A CULTURA DA CATEDRAL Recursos para o estudo: guiões de trabalho, vídeos e apresentações disponibilizadas. Consultar a plataforma moodle do Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira. - https://moodle.agr-tc.pt/moodle/login/index.php e manual escolar. EU SEI… Eu avalio as minhas aprendizagens 1. Tempo Século XII – 1.ª metade século XV Do renascimento do século XII a meados de quatrocentos. 1. Caracterizar o progresso económico registado na Europa entre os séculos XII e XIII 2. Destacar a importância da burguesia. 3. Caracteriza politicamente a Europa, explicitando a progressiva centralização do poder régio e o mapa político. 4. Caracterizar a escolástica enquanto novo modelo de pensamento. 5. Referir o pensamento de S. Tomás de Aquino. 6. Identificar as consequências do pensamento escolástico assente no pensa- mento de S. Tomás de Aquino. 2. Espaço As grandes cidades da Europa. As cidades-porto. A Europa das cate- drais e universidades. 7. Referir os fatores que contribuíram para o ressurgimento das cidades e da vida urbana a partir do século XII. 8. Identifica fatores que conduziram à qualidade, importância ou especificida- de de determinadas cidades medievais. 9. Identificar as grandes cidades da Europa. 10. Evidenciar aspetos que justificam a influência que o contacto com o Oriente exerceu na transformação do pensamento medieval europeu. 11. Relacionar o aparecimento das Universidades com a implementação da escolástica. 12. Caracterizar o ensino nas Universidades. 13. Identificar Universidades medievais europeias. 4. Local Bispos e catedrais. A representação do divino no espaço. A catequese: imaginária e vitral. 14. Enquadrar a importância das catedrais no âmbito do surto urbano. 15. Explicitar a importância da catedral para os habitantes da cidade. 16. Analisar a catedral como a casa de Deus. 17. Explicar de que modo a catedral materializa a conciliação do racionalismo clássico, de raízes aristotélicas, com o misticismo e a fé enraizados na dou- trina cristã, tal como teorizou S. Tomás de Aquino. 3. Biografia: O letrado Dante Alighie- ri (1265-1321) Dante, um homem da cidade e das letras. A escrita da Divina Comédia. As novas propostas. 18. Conhecer a pessoa e a obra de Dante Alighieri. 19. Evidenciar o tema desenvolvido na obra A Divina Comédia. 20. Apresentar o carater inovador da obra A Divina Comédia. 21. Compreender a importância da escrita de A Divina Comédia no contexto da cultura medieval. 22. Distinguir o papel dos letrados na cidade, a partir da biografia de Dante. 5. Acontecimento A pandemia europeia. Descrição e geografia da Peste Negra. A utiliza- ção da Peste Negra: medos, puni- ções e ameaças. 23. Caracterizar a Peste Negra enquanto acontecimento marcante da Baixa Idade Média na Europa. 24. Evidenciar consequências da epidemia da Peste Negra de 1347-1350, na mentalidade e na criação artística da época. 25. Explicar como o medo da Peste Negra foi utilizado do ponto de vista social, político e religioso. Síntese 1 A cidade. O complexo urbano: espaço, população, subsistência. A fixação dos poderes, dos ofícios e dos artesãos. A cidade com os campos. 26. Justificar a importância das Guildas no contexto económico e político da cidade. 27. Analisar a organização da cidade medieval, no que se à estrutura física, à organização funcional e às atividades económicas, lúdicas e religiosas. 28. Caracterizar o urbanismo medieval. Sintese 2 A cultura cortesã. O torneio e o sarau. Gentilezas cortesãs e civilida- de. As artes cortesãs: do teatro à dança. 29. Descrever a cultura popular, identificando atividades que eram realizadas. 30. Caracterizar a cultura cortesã, identificando atividades que eram realizadas. 31. Explicitar consequências do desenvolvimento da cultura cortesã. A arquitetura gótica 32. Relacionar a aparecimento da catedral gótica, no século XII, com a afirma- ção do mundo urbano. 33. Destacar a importância do abade Suger no aparecimento do estilo Gótico. 34. Compreender a evolução ocorrida na arte de construir na passagem do românico para o gótico.
  2. 2. 35. Localizar o gótico no espaço europeu. 36. Referir inovações formais e estéticas da arquitetura gótica. 37. Descrever as inovações técnicas introduzidas pelo Gótico. 38. Reconhecer na associação de Deus à luz o nascimento do gótico. 39. Reconhecer a catedral como expoente da arquitetura gótica, símbolo da afirmação dos espaços urbanos e espaço catequético, onde o vitral tem um papel relevante. 40. Distinguir as várias fases do Gótico: primitivo, clássico, radiante e flamejan- te. 41. Caracterizar a decoração das catedrais góticas. 42. Referir fatores que mostram a importância do vitral na arquitetura gótica. 43. Analisar a evolução do gótico em Portugal identificando monumentos góticos portugueses. 44. Contextualizar o manuelino, um estilo entre a Idade Média e o tempo novo. 45. Referir as características principais da arquitetura manuelina. A escultura gótica. 46. Justificar a crescente autonomia da escultura em relação à arquitetura. 47. Indicar os géneros em que a escultura gótica se exprimiu. 48. Apresentar aspetos da inovação formal e estética da escultura gótica face à românica. 49. Identificar os temas da escultura gótica. 50. Evidenciar aspetos que justificam o enquadramento da escultura gótica numa tendência de «humanização do céu». 51. Descrever a evolução da escultura tumular. A pintura gótica. A Itália e a Flandres 52. Referir as principais alterações registadas na pintura gótica. 53. Descrever as alterações registadas nas principais técnicas: vitral, iluminura e pintura. 54. Caracterizar a pintura em Itália, destacando a pintura de Giotto. 55. Caracterizar a pintura flamenga. O gótico cortesão 56. Descrever as cortes régias e as habitações/palácios do alto clero, alta nobre- za e burguesia enriquecida, enquanto espaços de consumo e exibição de objetos de arte. 57. Analisar a importância das iluminuras. Ainda sob o signo de Alá. 58. Caracterizar a arte dos reinos de taifas. 59. Caracterizar a arte dos Almorávidas e Almóadas. 60. Caracterizar a arte nasride em Granada. 61. Caracterizar a arte mudéjar. 1.º Caso prático A Catedral de Notre-Dame de Ami- ens (1220-1280) As catedrais francesas. A catedral de Amiens. Os modelos e a Europa. 62. Descrever a Catedral de Notre-Dame de Amiens. 63. Reconhecer na catedral de Notre-Dame de Amiens um modelo para as catedrais francesas. 2.º Caso prático Casamento de Frederico III com D. Leonor de Portugal (festas de 13 a 24 de Outubro de 1451), Nicolau Lanckman de Valckenstein. Descre- ver uma festa na cidade. O casamen- to: representações e públicos. As artes: da liturgia às ruas. 64. Compreender a importância do acontecimento do casamento do imperador Frederico III com D. Leonor de Portugal. 65. Descrever a festa de casamento. 66. Identificar atividades que decorreram durante as celebrações desse acontecimento. 3.º Caso prático Alegoria do Bom Governo: Efeitos do Bom Governo na Cidade, Ambroggio Lorenzetti, 1337-1340, Siena, Pala- zzo Pubblico. Arte e política: a im- portância da pedagogia cívica. A lenta apropriação da perspetiva espacial. Arte e representação. 67. Caracterizar técnica e esteticamente a linguagem artística da composição. 68. Identifica a cidade que é representada na composição. 69. Explicita os objetivos ou intenções que terão presidido à encomenda da obra. 4.º Caso prático O Triunfo da Morte, de Pieter Brue- gel, o Velho – Museu do Prado, Ma- drid (1562). 70. Analisar as diversas cenas da pintura. 71. Justificar o tema da pintura com a sociedade medieval.
  3. 3. Orientador de Estudo HISTÓRIA DA CULTURA E DAS ARTES Profª Cristina Barcoso Lourenço MÓDULO 4 A CULTURA DA CATEDRAL Recursos para o estudo: guiões de trabalho, vídeos e apresentações disponibilizadas. Consultar a plataforma moodle do Agrupamento de Escolas Tomás Cabreira. - https://moodle.agr-tc.pt/moodle/login/index.php e manual escolar. EU SEI… Eu avalio as minhas aprendizagens 1. Tempo Século XII – 1.ª metade século XV Do renascimento do século XII a meados de quatrocentos. 72. Caracterizar o progresso económico registado na Europa entre os séculos XII e XIII 73. Destacar a importância da burguesia. 74. Caracteriza politicamente a Europa, explicitando a progressiva centralização do poder régio e o mapa político. 75. Caracterizar a escolástica enquanto novo modelo de pensamento. 76. Referir o pensamento de S. Tomás de Aquino. 77. Identificar as consequências do pensamento escolástico assente no pensa- mento de S. Tomás de Aquino. 2. Espaço As grandes cidades da Europa. As cidades-porto. A Europa das cate- drais e universidades. 78. Referir os fatores que contribuíram para o ressurgimento das cidades e da vida urbana a partir do século XII. 79. Identifica fatores que conduziram à qualidade, importância ou especificida- de de determinadas cidades medievais. 80. Identificar as grandes cidades da Europa. 81. Evidenciar aspetos que justificam a influência que o contacto com o Oriente exerceu na transformação do pensamento medieval europeu. 82. Relacionar o aparecimento das Universidades com a implementação da escolástica. 83. Caracterizar o ensino nas Universidades. 84. Identificar Universidades medievais europeias. 4. Local Bispos e catedrais. A representação do divino no espaço. A catequese: imaginária e vitral. 85. Enquadrar a importância das catedrais no âmbito do surto urbano. 86. Explicitar a importância da catedral para os habitantes da cidade. 87. Analisar a catedral como a casa de Deus. 88. Explicar de que modo a catedral materializa a conciliação do racionalismo clássico, de raízes aristotélicas, com o misticismo e a fé enraizados na dou- trina cristã, tal como teorizou S. Tomás de Aquino. 3. Biografia: O letrado Dante Alighie- ri (1265-1321) Dante, um homem da cidade e das letras. A escrita da Divina Comédia. As novas propostas. 89. Conhecer a pessoa e a obra de Dante Alighieri. 90. Evidenciar o tema desenvolvido na obra A Divina Comédia. 91. Apresentar o carater inovador da obra A Divina Comédia. 92. Compreender a importância da escrita de A Divina Comédia no contexto da cultura medieval. 93. Distinguir o papel dos letrados na cidade, a partir da biografia de Dante. 5. Acontecimento A pandemia europeia. Descrição e geografia da Peste Negra. A utiliza- ção da Peste Negra: medos, puni- ções e ameaças. 94. Caracterizar a Peste Negra enquanto acontecimento marcante da Baixa Idade Média na Europa. 95. Evidenciar consequências da epidemia da Peste Negra de 1347-1350, na mentalidade e na criação artística da época. 96. Explicar como o medo da Peste Negra foi utilizado do ponto de vista social, político e religioso. Síntese 1 A cidade. O complexo urbano: espaço, população, subsistência. A fixação dos poderes, dos ofícios e dos artesãos. A cidade com os campos. 97. Justificar a importância das Guildas no contexto económico e político da cidade. 98. Analisar a organização da cidade medieval, no que se à estrutura física, à organização funcional e às atividades económicas, lúdicas e religiosas. 99. Caracterizar o urbanismo medieval. Sintese 2 A cultura cortesã. O torneio e o sarau. Gentilezas cortesãs e civilida- de. As artes cortesãs: do teatro à dança. 100.Descrever a cultura popular, identificando atividades que eram realizadas. 101.Caracterizar a cultura cortesã, identificando atividades que eram realizadas. 102.Explicitar consequências do desenvolvimento da cultura cortesã. A arquitetura gótica 103.Relacionar a aparecimento da catedral gótica, no século XII, com a afirma- ção do mundo urbano. 104.Destacar a importância do abade Suger no aparecimento do estilo Gótico. 105.Compreender a evolução ocorrida na arte de construir na passagem do românico para o gótico.
  4. 4. 106.Localizar o gótico no espaço europeu. 107.Referir inovações formais e estéticas da arquitetura gótica. 108.Descrever as inovações técnicas introduzidas pelo Gótico. 109.Reconhecer na associação de Deus à luz o nascimento do gótico. 110.Reconhecer a catedral como expoente da arquitetura gótica, símbolo da afirmação dos espaços urbanos e espaço catequético, onde o vitral tem um papel relevante. 111.Distinguir as várias fases do Gótico: primitivo, clássico, radiante e flamejan- te. 112.Caracterizar a decoração das catedrais góticas. 113.Referir fatores que mostram a importância do vitral na arquitetura gótica. 114.Analisar a evolução do gótico em Portugal identificando monumentos góticos portugueses. 115.Contextualizar o manuelino, um estilo entre a Idade Média e o tempo novo. 116.Referir as características principais da arquitetura manuelina. A escultura gótica. 117.Justificar a crescente autonomia da escultura em relação à arquitetura. 118.Indicar os géneros em que a escultura gótica se exprimiu. 119.Apresentar aspetos da inovação formal e estética da escultura gótica face à românica. 120.Identificar os temas da escultura gótica. 121.Evidenciar aspetos que justificam o enquadramento da escultura gótica numa tendência de «humanização do céu». 122.Descrever a evolução da escultura tumular. A pintura gótica. A Itália e a Flandres 123.Referir as principais alterações registadas na pintura gótica. 124.Descrever as alterações registadas nas principais técnicas: vitral, iluminura e pintura. 125.Caracterizar a pintura em Itália, destacando a pintura de Giotto. 126.Caracterizar a pintura flamenga. O gótico cortesão 127.Descrever as cortes régias e as habitações/palácios do alto clero, alta nobre- za e burguesia enriquecida, enquanto espaços de consumo e exibição de objetos de arte. 128.Analisar a importância das iluminuras. Ainda sob o signo de Alá. 129.Caracterizar a arte dos reinos de taifas. 130.Caracterizar a arte dos Almorávidas e Almóadas. 131.Caracterizar a arte nasride em Granada. 132.Caracterizar a arte mudéjar. 1.º Caso prático A Catedral de Notre-Dame de Ami- ens (1220-1280) As catedrais francesas. A catedral de Amiens. Os modelos e a Europa. 133.Descrever a Catedral de Notre-Dame de Amiens. 134.Reconhecer na catedral de Notre-Dame de Amiens um modelo para as catedrais francesas. 2.º Caso prático Casamento de Frederico III com D. Leonor de Portugal (festas de 13 a 24 de Outubro de 1451), Nicolau Lanckman de Valckenstein. Descre- ver uma festa na cidade. O casamen- to: representações e públicos. As artes: da liturgia às ruas. 135.Compreender a importância do acontecimento do casamento do imperador Frederico III com D. Leonor de Portugal. 136.Descrever a festa de casamento. 137.Identificar atividades que decorreram durante as celebrações desse acontecimento. 3.º Caso prático Alegoria do Bom Governo: Efeitos do Bom Governo na Cidade, Ambroggio Lorenzetti, 1337-1340, Siena, Pala- zzo Pubblico. Arte e política: a im- portância da pedagogia cívica. A lenta apropriação da perspetiva espacial. Arte e representação. 138.Caracterizar técnica e esteticamente a linguagem artística da composição. 139.Identifica a cidade que é representada na composição. 140.Explicita os objetivos ou intenções que terão presidido à encomenda da obra. 4.º Caso prático O Triunfo da Morte, de Pieter Brue- gel, o Velho – Museu do Prado, Ma- drid (1562). 141.Analisar as diversas cenas da pintura. 142.Justificar o tema da pintura com a sociedade medieval.

×