Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.
Prochain SlideShare
What to Upload to SlideShare
Suivant

5

Partager

Renascimento, reforma, e pre colombiana

Material de apoio dos seguintes conteúdo:
- formação dos estado modernos
- Renascimento
- Reforma e Contra Reforma
- Grandes Navegações
- América Pré-colombiana
- Colonização Espanhola

Livres associés

Gratuit avec un essai de 30 jours de Scribd

Tout voir

Renascimento, reforma, e pre colombiana

  1. 1. Estados Modernos • Queda nos poder do senhor feudal e fortalecimento do rei • A burguesia, cada vez mais rica, via seus negócios sendo prejudicados pelos diversos impostos e pelo uso de diversas moedas de diferentes valores. • A burguesia apoia o fortalecimento de um rei, para que este unifique os impostos e as moedas. • O rei com plenos poderes e com o dinheiro dos impostos formou um exército forte, ou seja, o rei era responsável pela unificação politica e administrativa do país.
  2. 2. Formação dos principais países • Portugal: Dinastia de Borgonha e Revolução de Avis. • Espanha: Guerra de reconquista contra os mouros. Formação dos reinos de Leão, Castela, Navarra e Aragão. • França: Guerra dos 100 anos.  Disputa com a Inglaterra pela região de Flandres  A França também estava sem herdeiro para o Trono. • Inglaterra: Formação com Guilherme da Normandia  1215 João Sem Terra assina a Magna Carta.  Unificação dos feudos com a guerra dos 100 anos
  3. 3. Absolutismo monárquico • O soberano concentra poderes absolutos, considerado sagrado. • Nicolau Maquiavel: é o primeiro a trabalhar a politica como ciência, separando-a de qualquer viés religioso ou ético. • Thomas Hobbes: o homem sem um soberano encontra- se em um estado de guerra de uns contra os outros, portanto “o homem é lobo do homem”. • Jacques Bousset: teoria do direito divino dos reis.
  4. 4. Renascimento comercial, cultural e urbano • A crise do feudalismo vai levar ao surgimento de uma classe social ligada ao comércio, conhecida como burguesia. • Mudança nas mentalidades: profundas mudanças culturais e na vida urbana. • Período do mercantilismo ou da acumulação primitiva de capital. • É o período da prensa de Gutenberg (1468), dos Mecenas(XV-XIX) e da reforma protestante (1540).
  5. 5. Características principais O mundo burguês do heliocentrismo e em combate ao geocentrismo
  6. 6. Características Gerais • Humanismo: entendimento do homem como o indivíduo social capaz de tomar as rédeas de seu próprio destino. • Antropocentrismo: o ser humano acaba sendo o ponto central das principais convicções filosóficas. Em oposição aos antigos valores do teocentrismo. • Racionalismo: Portanto, as explicações sobre o mundo material deveriam estar ligadas à razão e ao experimentalismo empírico. • Individualismo: As ações individuais estão acima das ações coletivas, presentes na organização social dos feudos.
  7. 7. “O pensamento ideológico dominante é sempre o pensamento ideológico da classe dominante”
  8. 8. • Busca pelos valores greco-romanos. • Isso tanto nas diversas tradições filosóficas que embasaram o pensamento renascentistas, quanto nas concepções estéticas. • Marcus Vitruvius Pollio (Séc.I a.C.), deixou um tratado sobre arquitetura e proporção: "utilitas" (utilidade), "venustas" (beleza) e "firmitas" (solidez).  A gravura de Leonardo da Vinci é uma tentativa de recriar a gravura perdida sobre os proporções criada por Vitruvius.
  9. 9. As cidades italianas: o berço do renascimento. • Atividades comerciais durante quase toda a idade média. • Contato direto com os mercadores e com a cultura do oriente (muçulmanos e Bizantinos). • A região herdou toda a rica herança das civilizações greco-romana. • A partir da Itália o espirito renascentista se espalhou por toda a Europa: Inglaterra, França, Portugal, Espanha, Alemanha*, e Países Baixos
  10. 10. A arte renascentista • Escola de Florença: Sandro Botticelli
  11. 11. Escola Veneza O reecontro do corpo de São Marcos-1662 Tintoretto.
  12. 12. Escola de Roma • Leonardo da Vinci e Michelangelo.
  13. 13. Obras literárias do renascimento • Dante Alighieri (1265-1321) • Nicolau Maquiavel (1469-1527) • Thomas Morus (1478-1535) • Luís de Camões (1524-1580) • William Shakespeare (1564-1616)  Avanços científicos. Nicolau Copérnico: Da revolução das esferas terrestres. Giordano Bruno: Universo em movimento e infinito. Negou o princípio teológico da criação. Galileu Galilei: Telescópio de refração. Universo visto por meio de caracteres matemáticos.
  14. 14. Reforma religiosa • Causas principais: Mudança na cultura europeia do renascimento.  Ostentação e riqueza em um período em que a miséria e a peste negra ainda assolavam a Europa. Venda de Indulgencias: Perdão ou relíquias sagradas  Tentativas fracassadas de reformar estas práticas: John Wycliffe, e Jan Huss. Ambos mortos na fogueira.  Fortalecimento econômico da burguesia.
  15. 15. Luteranismo • Lutero era um monge católico que estava absolutamente insatisfeito com as práticas da igreja católica: venda de indulgências e o monopólio na interpretação da bíblia. • Lutero elaborou uma lista com 95 teses sobre como deveria ser a igreja ideal. • Nesta lista ele condenava a venda de indulgências, defendia a livre interpretação da bíblia, e afirmava que o lucro (usura) não era pecado, e a salvação de todas as almas estaria na fé, e não na igreja. • Para auxiliar seus argumentos Lutero fez a tradução da bíblia sagrada do Grego antigo para o alemão.
  16. 16. Calvinismo • João Calvino, inspirado nas ideias de Lutero criou uma religião absolutamente voltada ao novo espírito burguês. • Segundo ele, Deus predestinara uma parte da humanidade para a salvação e outra para a condenação. • Os sinais da predestinação divina está na prosperidade (riqueza) de cada individuo. • O lucro, fruto do trabalho honesto, era a benção de Deus aos predestinados. • O calvinismo foi analisado na obra do sociólogo Max Webber: A ética protestante e o espírito do capitalismo.
  17. 17. Anglicanismo • O rei da Inglaterra Henrique VIII estava tentando combater o monopólio comercial da Espanha e para isso seria necessário uma politica econômica mais agressiva. • Além disso, Henrique VIII queria casar-se novamente, já que sua esposa Catarina de Aragão não havia lhe dado um herdeiro. • O rei decide por pedir divórcio ao papa. Ao ver seu pedido negado o rei rompe relações com a igreja e confisca todos os bens e terras católicas. • E de quebra ainda livra a burguesia inglesa dos pesados impostos. • Em 1534 o parlamento inglês vota o Ato de supremacia e nele o rei da Inglaterra é considerado o chefe supremo da igreja anglicana.
  18. 18. A contra reforma • Para combater o avanço das igrejas protestantes, o clero católico adota uma série de medidas conhecida como contra reforma ou reforma católica (Concílio de Trento).  Tribunal do Santo ofício  Index de livros proibidos  Missões religiosas. • A contra reforma acirrou ainda mais os conflitos religiosos entre católicos e protestantes, iniciando o período das guerras religiosas. • Na França milhares de huguenotes (luteranos) são massacrados na chamada noite de São Bartolomeu (1572). • Estas perseguições influenciaram na tentativa de invasão do território brasileiro pelos franceses (França Antártica 1594).
  19. 19. Consequências dos movimentos reformistas • Fortalecimento da burguesia. • Estimulou a alfabetização. Guerras religiosas: - Guerra dos trinta anos. - Noite de São Bartolomeu. - Revolução Puritana – Inglaterra. - Divisão da Irlanda. - Ocupação dos Estados Unidos
  20. 20. Grandes Navegações • Enriquecimento da burguesia comercial • Domínio dos Turcos otomanos no antigo Império Bizantino fechando as fronteiras com o ocidente • Busca de especiarias, balança comercial favorável, e valorização de metais preciosos. • Avanço científico e tecnológico:
  21. 21. Expansão tardia • Tratado de Tordesilhas (1494) dividia o mundo entre Portugal e Espanha. • Inglaterra, França, e Holanda, são nações que tiveram sua centralização politica somente no século XVI. Neste período estas nações começam a questionar o tratado de Tordesilhas. • Inglaterra e França ficam com a América do Norte e Holanda financia ações coloniais ao redor do mundo.
  22. 22. Consequências das grandes navegações • Para a América: desarticulação econômica, escravidão, destruição cultural, submissão, empobrecimento e genocídio. • Para a Europa:  acumulação primitiva de capital. Concorrência internacional entre as potências Revolução nos preços  Surgimento de companhias e comércio e bancos Gigantesca ampliação dos adeptos do cristianismo Fortalecimento dos estados modernos.
  23. 23. O mundo ameríndio • Civilizações pré-colombianas • Teoria do povo autóctone está ultrapassada. • Chegada na américa explicada em duas teorias: pequenas embarcações e estreito de Bering.
  24. 24. • Apesar de terem características peculiares e diferenciarem-se bastante entre si, todos eles consideravam o ser humano como parte integrante da natureza, estabelecendo com ela uma relação de complementaridade e não de dominação e exploração.  Caçadores e coletores. Grupos nômades que viviam da caça e da pesca: América do Sul, Central e do Norte  Sociedades agrícolas sem produção de excedente: Tupis-guaranis  Altas civilizações: Civilizações dotadas de um estado já organizado, produção de excedente para o comércio, uso de diversas formas de calendários e conhecedores da arquitetura e de cálculos matemáticos. Os grupos ameríndios
  25. 25. Os maias • Região Mesoamericana: América Central, Península de yucatan (México). • Agricultura nas terras do estado em uma sociedade estratificada em aristocracia, Sacerdotes, camponeses, e escravos. • Conheciam profundamente: matemática, astronomia, e o calendário. • Comércio de joias, tintas e algodão entre as cidades maias. • Quase toda a vida social girava em torno do sistema religioso politeísta. Quando mais terras conquistadas mais vitórias, mais sacrifícios, e mais impostos.
  26. 26. Chichen Itza
  27. 27. Os astecas • Foram os primeiros a terem contato com os colonizadores espanhóis. • Região: México ou cidade do México, na época do descobrimento era um importante centro comercial asteca denominado Tenochitlán. • Praticavam o comércio de sofisticados tecido, jóias, e agricultura. • A agricultura era feita em ilhas artificiais denominadas Chinampas. • Organização em uma monarquia teocrática que cobrava pesados impostos, mas eram politeístas. • União de 3 importantes cidades: Confederação ou império Asteca. • Foram arrasados pelas tropa de Cortez, isso muito por conta das profecias dos deuses.
  28. 28. Região dos astecas
  29. 29. Tenochitlán
  30. 30. Os Incas • Localização: cordilheira dos andes. • Idioma: Quíchua. Economia baseada na agricultura (ayllus) e na pesca. • Técnica do Terraceamento. • Capital: Cuzco e Machu Picchu no Peru. • Organização em uma monarquia Teocrática. • Hereditariedade para cargos militares e sacerdotes e não hereditária para o cargo de imperador • Foram submetidos pelas tropas do espanhol Francisco Pizarro, tendo como fundamentação o pagamento da Mita e da encomienda. • Utilização do Quipo como forma de comunicação e controle das funções estatais.
  31. 31. Localização
  32. 32. Interesses mercantilistas na América • Espanha tem em suas colônias grandes reservas de ouro (Potosí) e Prata (Rio da Prata). • Colonizar em nome dos ideais mercantilistas e sob o argumento Uti Possidetis. • Os Astecas foram conquistados por Hernán Cortez. • Francisco Pizarro conquistou os Incas.
  33. 33. Politica e sociedade colonial • Território organizado em Vice reinado e capitanias gerais. • 4 Vice reinados: Nova Granada, Nova Espanha, Peru e Rio da Prata. • 4 capitanias gerais: Cuba, Guatemala, Venezuela, Chile. • Politica municipal controlado pelos Cabildos (câmaras municipais).
  34. 34. Sociedade colonial estratificada • Chapetones: espanhóis que ocupavam os melhores cargos administrativos. • Criollos: filhos de espanhóis nascidos na colônia e que tinham direito a terra e ocupavam as câmaras municipais. • Escravos e servos: população nativa. • Atividades comerciais exclusivas com as colônias através do pacto colonial.
  35. 35. Exploração comercial • Para controlar o comércio a Espanha ainda implantou o sistema de porto único: Cadiz e Sevilha na Espanha, Porto Belo (Pananá), Vera Cruz (México), e Cartagena (Colômbia). • Para atender as necessidades de abastecimento interno a produção agrícola era organizada nas Haciendas. • Exploração do trabalho nas minas por meio da Mita ou da Encomienda.
  36. 36. Colonização Inglesa • Colonização de povoamento. • Os estados do Norte chamados de Nova Inglaterra tiveram um desenvolvimento comercial quase livre. Viviam com base no comércio triangular e do desenvolvimento de manufaturas. • Os estados do Sul: Maryland, Virginia, Carolinas do Norte e Sul, e a Geórgia, predominava o grande latifúndio escravocrata denominado de Plantation.
  • amandabarreto32

    Mar. 27, 2020
  • bandaNayra

    Dec. 10, 2019
  • PriscilaCecilio

    Mar. 14, 2019
  • WdsonMoura

    Mar. 21, 2018
  • JuniorJuninho9

    Mar. 15, 2018

Material de apoio dos seguintes conteúdo: - formação dos estado modernos - Renascimento - Reforma e Contra Reforma - Grandes Navegações - América Pré-colombiana - Colonização Espanhola

Vues

Nombre de vues

497

Sur Slideshare

0

À partir des intégrations

0

Nombre d'intégrations

1

Actions

Téléchargements

0

Partages

0

Commentaires

0

Mentions J'aime

5

×