Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Barão de montesquieu

1 317 vues

Publié le

Poder Legislativo, Poder Executivo e Judiciário

Publié dans : Formation
  • Identifiez-vous pour voir les commentaires

Barão de montesquieu

  1. 1. Charles-Louis de Secondat Barão de Montesquieu Prof. Edson Godoy
  2. 2. Filosofia do Século XVII e XVIII  Racionalismo de Descartes (1596-1650)  Empirismo de Francis Bacon (1561-1626)
  3. 3. CHARLES-LOUIS DE SECONDAT MONTESQUIEU
  4. 4. MONTESQUIEU - Biografia  Charles-Louis de Secondat, barão de Montesquieu, foi um dos grandes filósofos políticos do Iluminismo.  Escreveu uma obra sobre as várias formas de governo, em que explicou como os governos podem ser preservados da corrupção.
  5. 5. MONTESQUIEU - Biografia  Nobre, de família rica, Charles-Louis formou-se em direito na Universidade de Bordeaux, em 1708, e foi para Paris prosseguir em seus estudos.  Com a morte do pai, cinco anos depois, voltou à cidade natal, La Brède, para tomar conta das propriedades que herdou.
  6. 6. MONTESQUIEU - Biografia  Casou-se com Jeanne Lartigue, uma protestante. O casal teve duas filhas e um filho.  Em 1716 ele herdou de um tio o título de Barão de La Brède e de Montesquieu, além do cargo de presidente da Câmara de Bordeaux, no qual atuou em questões judiciais e administrativas da região.
  7. 7. MONTESQUIEU - Biografia  Em 1721 Montesquieu publicou as "Cartas Persas", um sucesso instantâneo que lhe trouxe a fama como escritor.  Eleito para a Academia Francesa em 1728. Viajou pela Europa e decidiu morar na Inglaterra, onde ficou por dois anos. Impressionado com o sistema político inglês decide estudá-lo.
  8. 8. MONTESQUIEU - Biografia  Na volta a La Brède, escreve sua obra-prima, “O Espírito das Leis”.  Morre em Paris, em 10 de fevereiro de 1755.
  9. 9. Principais obras
  10. 10. PRINCIPAIS OBRAS  Tratado Geral dos Deveres – 1725  O Templo de Gnido – 1725  A Monarquia Universal - 1734
  11. 11. PRINCIPAIS OBRAS  O Espírito das leis – 1748  As Causas da Grandeza dos romanos e de sua decadência – 1734  Defesa do Espírito das leis – 1750
  12. 12. Cartas Persas  Em 1721 Montesquieu publica as “Cartas Persas”, um sucesso instantâneo que lhe trouxe a fama como escritor.
  13. 13. Visão Geral de sua obra: O Espírito das Leis PRINCIPAIS IDEIAS
  14. 14. Composição  Recolhimento de elementos durante sua carreira de estudante;  Documentação;  Fontes orais e escritas;  1747: revisão dos capítulos;  Relação entre fatos e idéias.
  15. 15. Conteúdo  O Espírito das leis – 31 livros.  Os 10 primeiros livros distingue 3 formas distintas de governo.  Entre os principais livros destacam-se:  Livro oitavo – considera a corrupção dos princípios dos 3 governos.  Livro nono a décimo terceiro – consideram as leis e suas relações com a defesa do Estado.  Livro décimo primeiro – expõem a apologia da constituição inglesa.
  16. 16. Conteúdo  Nos livros décimo quarto a décimo oitavo – constitui a teoria do clima.  Livro décimo nono – expõem a noção do espírito geral.  Livros vigésimo a vigésimo terceiro – relacionam circunstâncias e efeitos da indústria, do comercio e da demografia.  Livros vigésimo sexto e vigésimo nono – constitui a conclusão geral.  Livros trigésimo e trigésimo primeiro – encerram a obra, compondo as teorias das leis feudais.
  17. 17. Publicação  O Espírito das Leis – 1748: “Do Espírito das leis ou das relações que as leis devem ter com a constituição de cada governo, com os costumes, o clima, a religião, o comercio etc. A que o autor acrescentou pesquisas recentes sobre as leis romanas no que toca às sucessões, sobre as leis francesas e sobre as leis feudais”.  “Se me é permitido predizer a fortuna de meu trabalho, ele será mais aprovado do que lido: semelhantes leituras podem ser um prazer mas nunca serão um divertimento”. (O espírito das Leis – 12)
  18. 18. Publicação  Houve vinte e duas edições em menos de dois anos e traduções em quase todos os países.  Defesa do Espírito das Leis – 1750.  1751 – O Espírito das Leis entra para a lista do index.
  19. 19. Alcance da Obra  “Logo que apareceu,[...], o espírito das leis entrou para o nosso patrimônio de obras primas”. (Montesquieu, pág.14).  “Seus contraditores eclesiásticos criticavam-lhe não se ter dado em conta de certos dados da religião e ele defendia-se respondendo que não fora sua intenção escrever tratados de teologia”. (Montesquieu, pág.15).
  20. 20. Alcance da Obra  "Já se disse que a letra matava e que o Espírito vivificava, mas no livro de Montesquieu o espírito confunde e a letra nada ensina" Voltaire  "Tomemos o Espírito das Leis pelo que é, por uma obra de pensamento e civilização. [...] sentimos o homem que deseja a verdadeira liberdade, a verdadeira virtude do cidadão." Sainte-Beuve  "Montesquieu não se limitou a retomar com alguma infidelidade a classificação de Aristóteles, mas que edificou uma obra nova" Emile Durkheim
  21. 21. O Espírito das Leis LIVRO PRIMEIRO: DAS LEIS EM GERAL
  22. 22. Das Leis em Geral  Capítulo I: Das leis em relações com os diversos seres;  Capítulo II: Das leis da Natureza;  Capítulo III: Das leis positivas.
  23. 23. Influências para o Movimento Iluminista
  24. 24. Bibliografia  CHEVALLIER, Jean-Jacques. As grandes obras políticas de Maquiavel a nossos dias. 8ªed., Rio de Janeiro: Agir, 2002.  VOVELLE, Michel. França Revolucionária. São Paulo: Editora Brasiliense, 1989.  MONTESQUIEU, Charles de Secondat, Baron de. O Espírito das leis. São Paulo: Martins Fontes, 1993.
  25. 25. Bibliografia  MONTESQUIEU, Charles de Secondat, Baron de. O ESPÍRITO das leis: as formas de governo: a divisão dos poderes. São Paulo: Saraiva, 1987.  MONTESQUIEU, Charles de Secondat, Baron de. O ESPÍRITO das leis. 2ª ed. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

×