Ce diaporama a bien été signalé.
Le téléchargement de votre SlideShare est en cours. ×

Materiais dentários em odontopediatria

Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Prochain SlideShare
Prótese em odontopediatria
Prótese em odontopediatria
Chargement dans…3
×

Consultez-les par la suite

1 sur 48 Publicité
Publicité

Plus De Contenu Connexe

Diaporamas pour vous (20)

Similaire à Materiais dentários em odontopediatria (20)

Publicité

Plus par Flavio Salomao-Miranda (20)

Plus récents (20)

Publicité

Materiais dentários em odontopediatria

  1. 1. Materiais
Dentários
em
 Odontopediatria Flávio
Salomão
Miranda
  2. 2. Materiais
Dentários
em
 • Selantes
de
Fossas
e
Fissuras • CIV
  3. 3. Selantes
de
Fossas
e
Fissuras
 • Materiais
empregados
como
coadjuvantes
no
 tratamento
da
doença
cárie
em
dentes
 posteriores. • Promovem
o
vedamento
das
fossas
e
fissuras.
  4. 4. Selantes
de
Fossas
e
Fissuras
 Indicações: 
 Quando
o
dente
não
estabeleceu
oclusão
 funcional 
 Paciente
cárie‐aEvo,
apresentando
fissuras
 profundas
e
lesão
em
aEvidade 
 Fossas
e
fissuras
profundas
com
acumulo
de
 placa
bacteriana
  5. 5. Selantes
de
Fossas
e
Fissuras
 Contra‐indicações: 
 Dentes
em
oclusão
funcional 
 Fossas
e
fissuras
rasas 
 Pacientes
sem
aEvidade
da
doença
cárie
  6. 6. Selantes
de
Fossas
e
Fissuras
 Selantes
Resinosos 
 BIS‐GMA Selantes
Ionoméricos 
 CIV
QUIMICO 
 CIV
FOTO
  7. 7. Selantes
de
Fossas
e
Fissuras
 • BIS‐GMA – Sem
carga:
não
apresentam
carga
inorgânica
na
 composição. • ALPHA
SEAL
(DFL) • DELTON
(DENTSPLY) • CONCISE
S
(3M)
  8. 8. Selantes
de
Fossas
e
Fissuras
 • BIS‐GMA – Com
carga:
possui
carga
inorgânica
que
confere
 maior
resistência,
porem
menor
escoamento. • FLUROSHIELD
(DENTSPLY) • VITRO
SEAL
ALPHA
(DFL)
  9. 9. Selantes
de
Fossas
e
Fissuras
 
 Considerações: 
 
 Selantes

base
BIS‐GMA
têm
apresentado
 excelentes
resultados. 
 
 Selante
é
um
tratamento
coadjuvante
na
 prevenção
da
cárie. 

  10. 10. Cimento
de
ionômero
de
Vidro
 
 Material
que
apresenta
uma
reação
ácido‐base
 na
 presença
 de
 um
 ácido
 ionizável,
 iniciando
 uma
reação
de
presa. 
 Outra
 caracterísEca
 importante
 é
 a
 liberação
 de
Flúor.
  11. 11. Cimento
de
ionômero
de
Vidro
 – Composição
básica: • Óxido
de
Silicio
(29%) • Óxido
de
alumínio
(16,6%) • Fluoreto
de
cálcio
(34,3%) • Fluoreto
de
alumínio
(7,8%) • Fluoreto
de
Sódio
(3,0%) • Fosfato
de
alumínio
(9,8%)
  12. 12. Cimento
de
ionômero
de
Vidro
 • Classificação – Quanto
a
composição: • Convencional • Anidros • Modifica
por
parkcula
metálica • Modificas
por
resina
  13. 13. Cimento
de
ionômero
de
Vidro
 • Classificação
 – Indicação
clínica: • CIV
Epo
1
–
para
cimentação • CIV
Epo
2
–
para
restauração • CIV
Epo
3
–
para
forramento • CIV
Epo
4
–
para
núcleo
e
restauração
definiEvas
  14. 14. Cimento
de
ionômero
de
Vidro
 • CIV
(Epo
1)
para
cimentação: – Tempo
de
trabalho
e
presa
reduzidos – Boa
propriedade
de
escoamento – Ex.:
No
caso
do
Vidrion
C
(medidor
de
pó
com
3
 marcas)
usar
espátula
de
plásEco – KETAC‐CEM
(ESPE),
VIDRION
C
  15. 15. Cimento
de
ionômero
de
Vidro
 • Indicações: – Cimentação
permanentes
de
coroas
unitárias
ou
 prótese
de
múlEplos
elementos. – Núcleos
fundidos – Cimentação
de
coras
de
aço
  16. 16. 1. Remoção de dentina cariada com curetas 1. Remoção de dentina cariada com curetas 2. Limpeza dos sulcos adjacentes 3. Aspecto da cavidade limpa 4. Falta de acesso a JAD 5. Limpeza da JAD com auxílio de sonda exploradora 6. Condicionamento da cavidade e da superfície do dente 7. Lavagem 8. Secagem 9. Característica da cavidade condicionada
  17. 17. 2. Limpeza dos sulcos adjacentes 1. Remoção de dentina cariada com curetas 2. Limpeza dos sulcos adjacentes 3. Aspecto da cavidade limpa 4. Falta de acesso a JAD 5. Limpeza da JAD com auxílio de sonda exploradora 6. Condicionamento da cavidade e da superfície do dente 7. Lavagem 8. Secagem 9. Característica da cavidade condicionada
  18. 18. 3. Aspecto da cavidade depois de limpa 1. Remoção de dentina cariada com curetas 2. Limpeza dos sulcos adjacentes 3. Aspecto da cavidade limpa 4. Falta de acesso a JAD 5. Limpeza da JAD com auxílio de sonda exploradora 6. Condicionamento da cavidade e da superfície do dente 7. Lavagem 8. Secagem 9. Característica da cavidade condicionada
  19. 19. 4. Falta de acesso à JAD 1. Remoção de dentina cariada com curetas 2. Limpeza dos sulcos adjacentes 3. Aspecto da cavidade limpa 4. Falta de acesso a JAD 5. Limpeza da JAD com auxílio de sonda exploradora 6. Condicionamento da cavidade e da superfície do dente 7. Lavagem 8. Secagem 9. Característica da cavidade condicionada Kid et al 1996; Smales & Fang 199
  20. 20. 5. Limpeza da JAD com sonda exploradora 1. Remoção de dentina cariada com curetas 2. Limpeza dos sulcos adjacentes 3. Aspecto da cavidade limpa 4. Falta de acesso a JAD 5. Limpeza da JAD com auxílio de sonda exploradora 6. Condicionamento da cavidade e da superfície do dente 7. Lavagem 8. Secagem 9. Característica da cavidade condicionada Kid et al 1996; Smales & Fang 199
  21. 21. 6. Condicionamento da cavidade com ácido fraco 1. Remoção de dentina cariada com curetas 2. Limpeza dos sulcos adjacentes 3. Aspecto da cavidade limpa 4. Falta de acesso a JAD 5. Limpeza da JAD com auxílio de sonda exploradora 6. Condicionamento da cavidade e da superfície do dente 7. Lavagem 8. Secagem 9. Característica da cavidade condicionada
  22. 22. 6. Condicionamento da cavidade com ácido fraco 1. Remoção de dentina cariada com curetas 2. Limpeza dos sulcos adjacentes 3. Aspecto da cavidade limpa 4. Falta de acesso a JAD 5. Limpeza da JAD com auxílio de sonda exploradora 6. Condicionamento da cavidade e da superfície do dente 7. Lavagem 8. Secagem 9. Característica da cavidade condicionada
  23. 23. 6. Condicionamento da superfície dentária com ácido fraco 1. Remoção de dentina cariada com curetas 2. Limpeza dos sulcos adjacentes 3. Aspecto da cavidade limpa 4. Falta de acesso a JAD 5. Limpeza da JAD com auxílio de sonda exploradora 6. Condicionamento da cavidade e da superfície do dente 7. Lavagem 8. Secagem 9. Característica da cavidade condicionada
  24. 24. 7. Lavagem com algodão embebido em água 1. Remoção de dentina cariada com curetas 2. Limpeza dos sulcos adjacentes 3. Aspecto da cavidade limpa 4. Falta de acesso a JAD 5. Limpeza da JAD com auxílio de sonda exploradora 6. Condicionamento da cavidade e da superfície do dente 7. Lavagem 8. Secagem 9. Característica da cavidade condicionada
  25. 25. 8. Secagem com bolinha de algodão 1. Remoção de dentina cariada com curetas 2. Limpeza dos sulcos adjacentes 3. Aspecto da cavidade limpa 4. Falta de acesso a JAD 5. Limpeza da JAD com auxílio de sonda exploradora 6. Condicionamento da cavidade e da superfície do dente 7. Lavagem 8. Secagem 9. Característica da cavidade condicionada
  26. 26. 9. Característica da cavidade condicionada 1. Remoção de dentina cariada com curetas 2. Limpeza dos sulcos adjacentes 3. Aspecto da cavidade limpa 4. Falta de acesso a JAD 5. Limpeza da JAD com auxílio de sonda exploradora 6. Condicionamento da cavidade e da superfície do dente 7. Lavagem 8. Secagem 9. Característica da cavidade condicionada

Notes de l'éditeur

  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • Bisfenol clicidil metacrilato: superioridade em relação a penetração e retenção nas microporosidades do esmlate condicionado\nCIV: libera fluor, facil manipulação, reduz possibilidade de caria secundária, \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n
  • \n

×