Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.
2. Argumentação e retórica
2.1. O domínio do discurso argumentativo – a procura de adesão do
auditório
2.1.3. Persuadir e ...
Relembrando…
Orador e Auditório
Orador:
Argumenta em favor de uma tese ou opinião, visa a adesão de um auditório
através d...
Persuadir e convencer (texto4doManualadotado)
Em primeiro o orador tem de ter um objeto de acordo que
melhor se ajuste às ...
Os três tipos de provas argumentativas
segundo Aristóteles: ethos, pathos e
logos (textos5e6doManualadotado)
Na sua obra A...
Ethos
• O orador persuade por intermédio do caráter moral, do seu
ethos, quando é visto pelo auditório como alguém que ins...
Pathos
Para ser persuasivo, o orador deve procurar suscitar sentimentos e
emoções no auditório que o predisponham de forma...
Exemploilustrativoda importânciado Pathos
no discursoargumentativo
O apelo à popularidade ou à maioria é uma forma de argu...
Logos
• Conjunto de argumentos organizados de modo a persuadir;
• Centrado na tese; esta deve ser bem estruturada, sob o p...
Relação estreita entre o ethos,o pathose o
logos:
As EMOÇÕES (pathos) que o DISCURSO (logos) do orador
suscita no auditóri...
A centraçãono ethos, no pathos e no logos ao
longo dos tempos:
• Platão terá realçado o pathos e, por isso, viu a retórica...
A saber…
PATHOS ETHOSLOGOS
EXEMPLOS FORTES DE DISCURSOS
QUE PRETENDEM CATIVAR A
ATENÇÃO DO AUDITÓRIO:
(textos 7, 8 e 9 do Manual adotado)
DISCURSO PUBLICITÁRIO
• Dirigido a um auditório específico;
• Tenta responder a necessidades mas também as cria;
• Propõe...
DISCURSO PUBLICITÁRIO
Ethos?
Pathos?
Logos?
 DISCURSO POLÍTICO PROPAGANDA POLÍTICA
• Dirige-se a vários auditórios particulares;
• Sedutor e, muitas vezes, manipulad...
DISCURSO POLÍTICO
Em síntese:
Racionalidade
Argumentativa
Lógica Informal
Contexto das relações
humanas: comunicação
- visa a ADESÃO
Quem di...
Persuadir e convencer  ethos, pathos e logos corrigido
Persuadir e convencer  ethos, pathos e logos corrigido
Prochain SlideShare
Chargement dans…5
×

Persuadir e convencer ethos, pathos e logos corrigido

10 864 vues

Publié le

Persuadir e convencer ethos, pathos e logos corrigido

Publié dans : Formation
  • Soyez le premier à commenter

Persuadir e convencer ethos, pathos e logos corrigido

  1. 1. 2. Argumentação e retórica 2.1. O domínio do discurso argumentativo – a procura de adesão do auditório 2.1.3. Persuadir e convencer: ethos, pathos e logos
  2. 2. Relembrando… Orador e Auditório Orador: Argumenta em favor de uma tese ou opinião, visa a adesão de um auditório através de argumentos que suportem a sua tese (seja por escrita, de forma oral ou por imagens). Auditório: É a pessoa ou conjunto de pessoas que se pretende convencer; para defender a sua tese o orador deverá ter em conta o contexto de receção (conjunto de opiniões, valores, etc, de um dado auditório). O auditório pode assim ser: Individual - Dirigido a uma só pessoa; Particular - Dirigido a um conjunto de pessoas mais específico; Universal - Dirigido à humanidade em geral.
  3. 3. Persuadir e convencer (texto4doManualadotado) Em primeiro o orador tem de ter um objeto de acordo que melhor se ajuste às motivações do auditório, caso contrário não o conseguirá persuadir ou convencer. Persuadir e convencer serão a mesma coisa? (confrontar com a perspetiva de Ch.Perelman) - Persuade-se um auditório particular, tendo em conta as suas especificidades afetivas e valorativas; - Convence-se um auditório universal, a partir de argumentos racionais que são universalizáveis. OBJETO DE ACORDO do âmbito do real do âmbito do preferível
  4. 4. Os três tipos de provas argumentativas segundo Aristóteles: ethos, pathos e logos (textos5e6doManualadotado) Na sua obra A Retórica, Aristóteles distingue três tipos de provas no discurso argumentativo: • A argumentação centrada no caráter (ethos) do orador; • A argumentação centrada no estado emocional (pathos) do auditório; • A argumentação centrada no argumento racional (logos).
  5. 5. Ethos • O orador persuade por intermédio do caráter moral, do seu ethos, quando é visto pelo auditório como alguém que inspira confiança; • Para isso, é preciso que o discurso crie no auditório uma imagem do orador como pessoa prudente, virtuosa e benevolente.
  6. 6. Pathos Para ser persuasivo, o orador deve procurar suscitar sentimentos e emoções no auditório que o predisponham de forma favorável para a tese/argumentos que defende.
  7. 7. Exemploilustrativoda importânciado Pathos no discursoargumentativo O apelo à popularidade ou à maioria é uma forma de argumento que explora os sentimentos da audiência para fazer adotar o ponto de vista de quem discorre.
  8. 8. Logos • Conjunto de argumentos organizados de modo a persuadir; • Centrado na tese; esta deve ser bem estruturada, sob o ponto de vista lógico-argumentativo, para que seja clara e bem compreendida; • O orador deve antecipar possíveis objeções à sua tese, e assim, pensar em soluções às quais possa recorrer.
  9. 9. Relação estreita entre o ethos,o pathose o logos: As EMOÇÕES (pathos) que o DISCURSO (logos) do orador suscita no auditório têm um papel importante na construção da imagem que aquele constrói acerca do CARÁTER (ethos) do orador e, desse modo, da sua capacidade de persuasão.
  10. 10. A centraçãono ethos, no pathos e no logos ao longo dos tempos: • Platão terá realçado o pathos e, por isso, viu a retórica como uma atividade manipuladora; • Aristóteles embora se aperceba da importância de um certo equilíbrio entre os três conceitos, terá destacado o papel do logos, uma vez que realça a importância do raciocínio argumentativo; • Cícero terá sobrevalorizado o ethos, pois deu sobretudo importância à eloquência do orador; • Perelman terá enaltecido o papel do logos, uma vez que a adesão do auditório universal aos argumentos que comportam a tese que o orador defende, é o aspeto central da sua teoria da argumentação.
  11. 11. A saber… PATHOS ETHOSLOGOS
  12. 12. EXEMPLOS FORTES DE DISCURSOS QUE PRETENDEM CATIVAR A ATENÇÃO DO AUDITÓRIO: (textos 7, 8 e 9 do Manual adotado)
  13. 13. DISCURSO PUBLICITÁRIO • Dirigido a um auditório específico; • Tenta responder a necessidades mas também as cria; • Propõe de forma condensada uma visão do mundo (sistema de valores); • É sedutor, atende à sensibilidade e à emoção; • Faz promessas veladas; • Atua a um nível inconsciente (mensagens subliminares); • Opta por mensagens curtas.
  14. 14. DISCURSO PUBLICITÁRIO Ethos? Pathos? Logos?
  15. 15.  DISCURSO POLÍTICO PROPAGANDA POLÍTICA • Dirige-se a vários auditórios particulares; • Sedutor e, muitas vezes, manipulador; • Utiliza interrogações retóricas, expressões ambíguas e repetições; • Reforça opiniões prévias; • Forma a opinião pública e é formado por ela; Conjunto de pensamentos dos cidadãos sobre questões de interesse coletivo.
  16. 16. DISCURSO POLÍTICO
  17. 17. Em síntese: Racionalidade Argumentativa Lógica Informal Contexto das relações humanas: comunicação - visa a ADESÃO Quem diz Orador Ethos O que diz Tese Logos A quem diz Auditório Pathos

×