Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Unicamp 1 vestibular 2012 gênero artigo de opinião

Procedimentos para elaborar um Artigo de Opinião para a Redação do Vestibular da UNICAMP.

  • Identifiez-vous pour voir les commentaires

Unicamp 1 vestibular 2012 gênero artigo de opinião

  1. 1. ELEMENTOS NECESSÁRIOS NA ESTRUTURA DEUM ARTIGO DE OPINIÃO1) CONTEXTUALIZAÇÃO E/OU APRESENTAÇÃO DO ASSUNTO EMDISCUSSÃO.2) EXPLICITAÇÃO DA POSIÇÃO ASSUMIDA.3) UTILIZAÇÃO DE ARGUMENTOS QUE SUSTENTAM A POSIÇÃOASSUMIDA.4) CONSIDERAÇÃO DE POSIÇÃO CONTRÁRIA E ANTECIPAÇÃO DEPOSSÍVEIS ARTUMENTOS CONTRÁRIOS À POSIÇÃO ASSUMIDA.5) UTILIZAÇÃO DE ARGUMENTOS QUE REFUTAM A POSIÇÃOCONTRÁRIA.6) RETOMADA DA POSIÇÃO ASSUMIDA E/OU RETOMADA DOARGUMENTO MAIS ENFÁTICO.7) CONCLUSÃO ENFÁTICA E DE COBRANÇA RETOMANDO A POSIÇÃODEFENDIDAATENÇÃO: O ARTIGO DE OPINIÃO DEVE APRESENTAR UM TÍTULO E AS INICIAIS DO NOME DO AUTOR DO TEXTO DE ACORDO COM O PROPÓSITO DA REDAÇÃO.
  2. 2. 02 allencar Rodriguez Capítulo I CONTEXTUALIZAÇÃO: GÊNEROS TEXTUAIS Vamos analisar agora a estrutura de alguns gêneros textuais que podem ser cobrados na construção escrita da prova de redação Unicamp. Porém é preciso ressaltar que toda redação tem um objetivo propósito que conduz a elaboração do texto. Por exemplo: GÊNERO DISCURSIVO CARTA a) Carta para um jornal comentando uma notícia b) Carta à prefeitura solicitando prestação de serviço em sua rua c) Carta contando uma história para uma pessoa (relato) – o mesmo do simulado: “olho de menino triste”. Para elaborar os textos acima, ou qualquer outro, você de seguir os parâmetros abaixo para cumprir a FINALIDADE DO TEXTO. 1)Quem fala (Interlocutor Interno) 2)Sobre o que fala 3)Com quem fala (Interlocutor Externo) 4)Com qual finalidade 5)Gênero
  3. 3. estudo aplicado redação 03 Esses parâmetros: Estruturam os textos dos candidatos e estruturam as escolhas lingüísticas. A partir do gênero e do propósito é escolhido o vocabulário mais adequado e que tipo de estrutura será usado no propósito comunicativo que é tanto para a escrita como para a leitura e na interlocução: ou seja, a posição enunciativa e o interlocutor e o gênero. 1 - ESTUDO DE GÊNEROS ARGUMENTATIVOS 1.1 – ARTIGO DE OPINIÃOO endurecimento das penas seguramente é um instrumento de inibição àcriminalidade Ari Friedenbac A responsabilização do menor por seus atos infracionais tem de ser debatida com aserenidade que o tema exige. A sociedade vem expressando com clareza suapreocupação com a crescente violência, notadamente nos grandes centros. Nãopodemos conceber que se pretenda educar as novas gerações sem que se transmitaàs crianças e aos jovens o claro conhecimento de limites. É inegável que reprimir é parte integrante do processo educativo, E isso deveocorrer no âmbito da sociedade. Evidentemente, não se pode falar em punição semque se atue com o efetivo intuito de evitar que o cidadão, seja ele menor ou maiorde 18 anos, cometa qualquer ato infracional, ou seja, há que se atuar comdeterminação no sentido de permitir a inclusão social de todos os brasileiros, dando-lhes, antes de tudo, o direito e as condições de fazer um efetivo planejamentofamiliar e propiciando-lhes acesso a saúde, educação trabalho. Concomitantemente,há que se aparelhar o Estado para atuar quando estamos sendo impedidos deexercer nossos direitos mais essenciais: o direito à vida e o de ir e vir. Quando falo em repressão, evidentemente não estou querendo apoiar qualquerpolítica favorável a negar direitos civis. Não apóio qualquer prática de tortura ouviolência. No entanto, a colocação de limites à criança, ao jovem e ao adolescente éuma forma inequívoca de educá-los. O polêmico debate a respeito da maioridadepenal não pode ser encaminhado como uma questão meramente matemática. Não setrata de 18, 16 ou 14 anos.(...)
  4. 4. 04 allencar Rodriguez Alguns problemas da Febem têm soluções mais simples do que pode parecer – eisque diversas questões foram previstas pelo legislador ao redigir o ECA (Estatuto daCriança e do Adolescente). Muitas vezes o que falta é a correta aplicação da lei. Está previsto no estatuto que o menor interno deverá ficar separado de acordocom idade, compleição física e infração/periculosidade. A reinserção desse menorinfrator dependerá também de programas de colocação profissional desses jovensquando retornam ao convívio social. O sistema para os jovens infratores deveria ser constituído de unidades depequeno porte, nas quais o menor seria obrigado a estudar, a fazer cursosprofissionalizantes, com acompanhamento efetivo de psicólogos. O menor ou maiorque, ao sair de um período de reclusão, não tiver qualquer perspectiva de trabalho evida decente seguramente voltará a delinqüir. Com todo tipo de acesso à informação que hoje um jovem tem, seja através datelevisão, de revistas, jornais, internet (hoje disponível na maioria das escolaspúblicas), além do fato de a maioria dos jovens nessa faixa etária já estartrabalhando ou de alguma forma ajudando na manutenção de sua casa, não épossível concebermos um adolescente não estar em condições de arcar com asresponsabilidades de seus atos, seja ao votar, ao dirigir, ao agredir, ao matar etc. A aplicação de penas mais severas, seja aos menores infratores, seja aos maioresde 18 anos, diferentemente do que pregam os defensores do continuísmo, inibe oagente agressor e deve passar a clara mensagem de que “o crime não compensa”. Oendurecimento das penas seguramente é um instrumento de inibição àcriminalidade. As autoridades constituídas, bem como os teóricos de plantão, necessitam devivência do mundo real. Há que assumir uma posição responsável, pois lidar com aquestão da violência apenas com olhos voltados aos fatores sociais (da maiorimportância), sem dúvida, constitui uma visão bastante míope.Ari Friedenbach é advogado e um dos fundadores do Instituto Liana Friedenbach,criado no final de 2003, com o objetivo de prestar apoio às vítimas de violência. Eleé pai de Liana Friedenbach, que foi seqüestrada e assassinada, junto com onamorado, em novembro de 2003. Esses crimes foram cometidos por cinco pessoas,entre as quais um menor de idade.
  5. 5. estudo aplicado redação 05ANÁLISE DO TEXTO Veja que o texto foi escrito por um advogado, portanto conhecedor de leis e de assuntos como a discussão da maioridade penal. Essa discussão, porém, é polêmica. Existem vários e diferentes argumentos para a mesma questão. O texto exprime a opinião exclusiva de um autor, cuja coletânea de argumentações tenta persuadir, induzir o leitor da necessidade de aplicação de leis severas ao menor por seus atos infracionais. Note que as passagens grafadas em vermelho são situações incisivas, enfáticas de contexto de linguagem imperativas de suas opiniões. Na conclusão, último parágrafo em azul, há uma veemente cobrança daqueles que são responsáveis institucionalmente pela aprovação e aplicação de leis, igualmente para aqueles que se envolvem nessas discussões sem a devida prática e conhecimento que o assunto requer. O texto também possui um título e é nominado (no caso da redação para o vestibular – escrever apenas as iniciais do nome de acordo com o propósito da redação). ARTIGO DE OPINIÃOTexto argumentativo:◊argumentação, expressão de opiniõesIntencionalidade comunicativa:◊influenciar o pensamento dos destinatários (os leitores), isto é,construir ou transformar (fortalecer, confirmar, inverter,enfraquecer) a posição o ponto de vista desses destinatáriossobre uma questão controversa de interesse social e,eventualmente, mudar o comportamento deles. Provar o pontode vista, a opinião do autor do artigo.Componentes lingüísticos:◊pontuação – período composto por coordenação – períodocomposto por subordinação – conjunção
  6. 6. 06 allencar Rodriguez Este é um tipo de gênero textual que expõe oposicionamento do autor (especialista num determinadoassunto) diante de um assunto em diferentes situações decomunicação envolvendo uma questão controversa oupolêmica que podem incidir sobre temas políticos, sociais,científicos e culturais, de interesse geral e atual, que afetemdireta ou indiretamente um grande número de pessoas, eprocura respondê-las. Normalmente essas questões surgema partir de algum fato acontecido e noticiado. Uma questãocontroversa é aquela para a qual não há uma resposta única,Isto é, perante ela é possível assumir diferentes pontos devista. Esse posicionamento é fundamentado em argumentosdiante de seu PONTO de VISTA tendo como característica aPERSUASÃO. Isso, numa linguagem objetiva onde aparecem oscontextos imperativos do tipo (exija – ajude – favoreça –faça). O Artigo de Opinião geralmente é escrito em primeirapessoa, pois o texto detém marcas pessoais do autor.Portanto, o artigo de opinião tem a intenção de convencerseus interlocutores e para isso precisa apresentarargumentos convincentes fundamentados em dadosverdadeiros e opiniões verdadeiras. O artigo de opiniãosempre traz um contexto de questões polêmicas – onde aargumentação traz uma questão controversa (que éaquela para a qual não há uma resposta única, isto é peranteela é possível assumir diferentes posicionamentos).
  7. 7. estudo aplicado redação 07Veja exemplos de questões controversas:Questão 1) a pena de morte implica na diminuição de crimes hediondos?Questão 2) o aborto: é um direito à vida ou uma cultura de morte?Questão 3) bolsa família: é esmola ou é benefício.Questão 4) a clonagem humana deve ser permitida? Veja que nesses temas polêmicos sempre haverá pelomenos três tipos de argumentos diferentes: alguémargumentará em favor, outro contra e outro parcialmentecontra ou em favor. Desta forma, as questões do artigo deopinião incidem sobre temas de interesse geral e atual numcontexto político, social, científico e cultural. Essas questões,pelo seu caráter factual, surgem a partir de algum fatoexpressivo focalizado veemente pela mídia. O artigo de opinião tem o objetivo de influenciar opensamento dos leitores. Essas influências têm acaracterísticas de reforçar uma idéia do autor do artigo noleitor convencendo-o a ser cúmplice de seus argumentos. Damesma forma, o artigo de opinião tem o poder de inverter aopinião do leitor, enfraquecer essa opinião, desistir daopinião ou até mesmo criar uma opinião sobre determinadotema. Em suma, o artigo de opinião caracteriza-se por mudaro comportamento do leitor sobre um tema expressivo,transformar suas opiniões e/ou atitudes.
  8. 8. 08 allencar Rodriguez Para produzir um artigo de opinião siga as orientaçõesabaixo:a) Após a leitura do texto fonte (que pode ser uma notícia dejornal, revista, etc.) faça um projeto de texto contextualizandosuas opiniões e seus argumentos (OPAR). Fundamente seu pontode vista de acordo com o propósito pedido nas instruções daprova.b) Na construção textual, leve em consideração o interlocutor,isto é, use uma linguagem adequada a quem irá ler à suaopinião. Contudo, a linguagem deve ser direta, incisiva, enérgicae convincente.c) Escolha os argumentos que são inerentes ao propósito daproposta do texto a ser produzido.d) Ao iniciar o texto construa um enunciado expressando a idéiacentral do texto, isto é, apresente a questão que será discutida,o qual você vai defender com a expressão de suas opiniões e asargumentações.e) No parágrafo seguinte, explicite a sua posição assumida e motivo,a razão pela posição assumida. Utilize argumentos que dêemsuporte a sua posição. Use referências que sustem seu ponto devista como notícias na mídia, estudos acadêmicos ou autoresconhecidos que escreveram sobre o assunto.f) Construa um parágrafo, fortalecendo seu ponto de vista eantecipando possíveis argumentos contrários à sua posiçãoassumida. Utilize argumentos que refutam a posição contrária.Retome enfaticamente a posição assumida.e) Na conclusão de seu texto trabalhe o mesmo contexto daredação argumentativa o qual você está habituado. Isto é,articule a sua linha de pensamento argumentativa em função dopropósito do texto pedido retomando a defesa do seu ponto devista.f) Crie um título que desperte a curiosidade do leitor fazendo usoda linguagem imperativa.
  9. 9. estudo aplicado redação 09Após terminar o texto siga os seguintes procedimentos; a) Há erros de ortografia, de gramática, ou outras dificuldades; b) Seu texto trata-se efetivamente de uma questão polêmica; c) Contextualizam adequadamente o leitor em relação à questão discutida; d) Deixam clara a sua posição assumida; e) Seu texto traz argumentos coerentes e convincentes no sentido influenciar opensamento dos destinatários; f) Apresentam e discutem ou rebatem o pensamento de opositores sobre oassunto.Leia outro exemplo abaixo seguindo o procedimento acima: Bolsa família: fim do engodo, pelo bem dos pobres L.J.H. A violência urbana é um cenário que mancha de sangue o cotidianodaqueles que vivem em centros urbanos. Presente nesse contexto está opróprio sangue do cidadão trabalhador e de assassinos que mal saíramda fase da adolescência. Pesquisas indicam que o infrator está entre aidade de 18 e 25 anos. Entre as várias causas dessa violência a maisimportante delas é a má distribuição de renda, a falta de educação dequalidade, o analfabetismo, a falta de acesso à escola, falta de empregospara jovens na fase de transição para a vida adulta e para o trabalhadorde baixa renda, pois isso resulta no indivíduo a privação de uma boaformação, conseqüentemente melhores oportunidades de melhoria devida. Daí partimos do principio que existe uma grande necessidade deuma corrente social em defesa do “bolsa estudante” por mérito aosalunos da escola pública em detrimento do “bolsa família” destituído desua principal função por um governo populista.
  10. 10. Temos visto que o filme da desigualdade social brasileira, segundo oIPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), que começou cair em2001, parece um filme digno de um Oscar pela sua trajetória. Já nafoto da mesma desigualdade vejo um retrato que mostra umarealidade vergonhosa num país que se posiciona entre os mais ricos domundo: somos ainda muito desiguais. Esse fato demonstra que o“bolsa família”, num primeiro momento, teve bom fundamento naquestão, porém, se tornou, pior do que esmola, um meio de comprasde votos a longo prazo, uma vez que a falta de um controle para o seuuso, levou milhares de beneficiados a gastar os recursos do “bolsafamília”,famigerado em seu pior contexto, em mesas de sinuca, jogosde cartas, cachaça e alimentos (seu principal foco) que não trazembenefícios à saúde, de acordo com pesquisas recentes de jornais degrande circulação e renomados institutos de pesquisas. Então, nóscomo cidadãos éticos e de bem, devemos exigir do governo o fim do“bolsa família” pelo bem do próprio cidadão que o recebe, porque issoo manterá em eterna condição de pobreza assim como os seusdescendentes. Já o “bolsa estudante” seguindo um critério sério e não político,como provas de avaliação do governo, proverá ao estudante avalorização do estudo, o estímulo para seu futuro acadêmico outrabalho. Como recompensa receberá do estado uma ajuda de custoque seja um pouco mais ordem do recebido hoje. Você deve imaginarque parece ser a mesma coisa. Porém, não é. Sem dúvida, esseprocesso bolsa por merecimento trará ao individuo a valorização damoralidade através de seu esforço na educação e novasoportunidades. Penso que o governo irá argumentar que essa idéia édas “zelites”, pois ele quer manter seu curral eleitoral principalmentenas regiões mais pobres do país. Enfim, o atual estado de violência urbana no país comprova que oreforço policial, equipamentos de segurança, vigilância armada,invasões de regiões onde o tráfico domina e alicia os jovens emsituação de risco não é solução para o fim da violência urbana. Já o“bolsa estudante” por mérito dará sustentabilidade de crescimentocidadão ao indivíduo. E como cabe a cada um de nós provocarsituações que eliminem situações de pequena violência, entãoManifestem suas opiniões nos órgãos de comunicação, na internet enos sites de relacionamentos como forma de protesto. Façam que essaidéia prospere no sentido de que as violências que mancham desangue toda a sociedade sejam suprimidas pela raiz.

×