Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

A IMPORTÂNCIA DAS OFICINAS LÚDICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS.

4 481 vues

Publié le

Brincar com criança não é perder tempo, é ganhá-lo, se é triste ver meninos sem escolas, mais triste é vê-los sentados enfileirados, em sala de aula, sem ar, com exercícios estéreis, sem valor para a formação do homem. (Carlos Drummond de Andrade).

Publié dans : Formation
  • Login to see the comments

  • Soyez le premier à aimer ceci

A IMPORTÂNCIA DAS OFICINAS LÚDICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS.

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS NATURAIS (LICENCIATURAA DISTÂNCIA) MARILIA FREIRES DE LIMA A IMPORTÂNCIA DAS OFICINAS LÚDICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS. JOÃO PESSOA – PB 2014 MARILIA FREIRES DE LIMA
  2. 2. A IMPORTÂNCIA DAS OFICINAS LÚDICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS. Monografia apresentada à Coordenação do Curso de Graduação em Ciências Naturais Modalidade a Distância da Universidade Federal da Paraíba como requisito para obtenção do título de licenciado em Ciências Natural. Orientadora: Ms. Christina Gladys de Mingareli. JOÃO PESSOA – PB 2014 MARILIA FREIRES DE LIMA
  3. 3. A IMPORTÂNCIA DAS OFICINAS LÚDICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS. FICHA CATALOGRÁFICA Monografia aprovada em ____ de _____ de _____. BANCA EXAMINADORA ________________________________________________ Ms. Christina Gladys de Mingareli Nogueira Orientadora __________________________________________________ 1º Examinador 2º Examinador
  4. 4. DEDICATÓRIA Dedico este trabalho especialmente a Deus, pois ele sempre me deu forças e me ajudou a vencer e a superar todas as dificuldades. Aos meus pais Francisco e Francisca por ter me ajudado e sempre ter trabalhado para me oferecer um futuro digno e um estudo de qualidade, e acima de tudo me incentivou a não desistir.
  5. 5. AGRADECIMENTOS Hoje realizo um grande sonho fruto de muito esforço e dedicação, no decorrer dessa jornada muitos se fizeram presentes me motivando e incentivando a não desistir, por isso nesse espaço venho prestar meus sinceros agradecimentos. A minha mãe Francisca, e a meu pai Francisco e a meus irmãos Juliana, Fabiana e Fábio pelo carinho e companhia por me compreender nos momentos de difíceis vivenciadas no dia a dia. Ao meu tutor presencial José Vieira Filho que sempre esteve à disposição para me ajudar. Ao meu primo Marinho que sempre me incentivou a não desistir e sim lutar. Aos meus colegas Leilany, Carlos Vicente, Mabel, Joelma, Gilmário, Aldefranio, Azeuiza, que se empenharam e sempre estiveram prontos para me ajudar no que fosse preciso. A minha orientadora Christina Gladys, que me ajudou com paciência e dedicação em todas as etapas dessa pesquisa. A tutora Thaís pela presença constante na sala de aula e por todos os momentos até aqui vivenciados. A coordenadora do curso Dr. Maria de Lurdes Pereira, um amor de pessoa sempre forte na batalha. Á todos meu muito obrigado.
  6. 6. EPÍGRAFE Brincar com criança não é perder tempo, é ganhá-lo, se é triste ver meninos sem escolas, mais triste é vê-los sentados enfileirados, em sala de aula, sem ar, com exercícios estéreis, sem valor para a formação do homem. (Carlos Drummond de Andrade). RESUMO A presente pesquisa de caráter bibliográfico de conclusão do curso de Ciências Naturais expõe os conceitos e teorias do lúdico no processo de socialização dos alunos como também sua importância no processo ensino/aprendizagem, através dos jogos, dos brinquedos, das brincadeiras para a formação do discente. Com isso, o valor do lúdico na aprendizagem dos alunos do 6º ano foi de fundamental importância para o desenvolvimento físico e mental da criança, e que a formação lúdica possibilite ao futuro educador quebrar essa resistência e ter uma visão de que o lúdico auxilia na construção do conhecimento. A metodologia é primordial para o desenvolvimento de uma pesquisa. Nesse sentido, realizei uma pesquisa bibliográfica com o objetivo de descrever a importância do valor pedagógico do lúdico na aprendizagem das crianças do 6º ano do ensino fundamental. Usei como referências autores de grande relevância sobre o lúdico e a aprendizagem, este discutindo sobre o brincar, significações e o valor do lúdico na formação do educador. Em destaque, Kishimoto (2002), ressaltando sobre o espaço lúdico, Molys (2002), destacando sobre a aprendizagem através da ludicidade, Santos ( 1997), afirmando sobre a formação do educador, entre outros. Para alcançar os objetivos desta pesquisa, desenvolvi o trabalho em três etapas: Fiz o levantamento bibliográfico e a leitura de textos sobre a temática, sendo a fundamentação teórica essencial para desenvolvimento da pesquisa que realizei. Fiz a sistematização dos textos lidos sobre a temática com a entrega e apresentação ao orientador para análise e aprovação e por último a realização do TCC à banca examinadora. Diante disso, o educador enquanto mediador deverá quebrar as barreiras e ter uma visão clara sobre a ludicidade, e assim através do brincar ele oportunizará a criança a experimentar, descobrir, inventar, aprender e desenvolver habilidades além de estimular a curiosidade, autoconfiança e autonomia, proporcionando o desenvolvimento da linguagem, do
  7. 7. pensamento, da concentração e da atenção. Creio que esta pesquisa trará contribuições para os educadores e diversos benefícios às crianças proporcionando o desenvolvimento da linguagem, do pensamento e da concentração. PALAVRA – CHAVE: Lúdico. Educador. Mediador. Aprendizagem. ABSTRACT
  8. 8. QUESTIONARIO FEITO COM AS PROFESSORAS                            RESUMO A presente pesquisa tem por objetivo discutir a temática do lúdico no processo de socialização dos alunos, como também sua importância no processo didático do ensino/aprendizagem na formação do discente. Deste modo, buscamos reconhecer as influências, e os usos de oficinas lúdicas na escola da rede pública com alunos do 6º ano do ensino fundamental. Teoricamente diversos foram os autores que nos subsidiaram ao discutir sobre o tema valor do lúdico na formação do educador. Para alcançar os objetivos desta pesquisa, além do levantamento bibliográfico, foi realizado entrevistas em campo com docentes e discentes. Diante disso, cabe destacar que o educador enquanto mediador deverá quebrar as barreiras e ter uma visão clara sobre a ludicidade, e assim através do brincar ele oportunizará a criança a experimentar, descobrir, inventar, aprender e desenvolver habilidades além de estimular a curiosidade, autoconfiança e autonomia, proporcionando o desenvolvimento da linguagem, do pensamento, da concentração e da atenção. Creio que esta pesquisa traz como contribuições para os educadores e diversos benefícios às crianças proporcionando o desenvolvimento da linguagem, do pensamento e da concentração.
  9. 9. INTRODUÇÃO O presente trabalho tem por finalidade investigar o lúdico no desenvolvimento da aprendizagem no ensino fundamental. Apontando a importância e as contribuições dos jogos no desenvolvimento dos alunos, buscando também, refletir sobre o processo do ensino e aprendizagem, através das oficinas lúdicas pedagógicas. Nesse sentido, o tema deste trabalho foi elaborado a partir da seguinte problemática: O lúdico possibilita a aprendizagem de crianças do 6º ano na Escola
  10. 10. Nossa Senhora do Rosário? Visando alcançar os objetivos desta pesquisa, desenvolvemos o trabalho a partir de levantamento bibliográfico e pesquisa de campo. Observações iniciais nos espaços escolares levaram-nos a outros questionamentos, que também nortearam a presente pesquisa. Presenciamos que poucos educadores envolvem o lúdico nas séries do 6ª ano, nos levando a refletir: Por que as crianças do 6ª ano não brincam com tanta intensidade, quanto às de Educação infantil? Qual o valor pedagógico do lúdico na aprendizagem? Qual o valor do lúdico na formação do educador? Justifica-se assim a relevância da referida temática, uma vez que, visa trazer contribuições ao processo educacional. Destacando a relevância do tema ludicidade, a necessidade da formação do educador na área lúdica, além de sua base teórica, buscando-se assim o ampliar na formação e prática pedagógica. Em nossa revisão bibliográfica, buscamos dar destaque à autores de grande relevância sobre o lúdico e a aprendizagem, discutindo sobre o brincar, suas significações e importância na formação do educador. Dentre eles destacamos, Kishimoto (2002), ressaltando sobre o espaço lúdico, Moyles ( 2002), destacando sobre a aprendizagem através da ludicidade, Santos (1997), afirmando sobre a formação do educador. Este primeiro momento de levantamento teórico foi de grande relevância para a construção deste trabalho, neste sentido, reforçamos que a pesquisa bibliográfica é a habilidade fundamental nos cursos de graduação, e o mesmo seguiu padrões e normas técnicas, buscando um “olhar” claro, conciso e direto. Para alcançar os objetivos desta pesquisa, desenvolvemos o trabalho em três etapas: levantamento bibliográfico; pesquisa de campo, e sistematização dos conteúdos. No que se refere a pesquisa de campo, essa foi de cunho qualitativo com entrevistas estruturadas. Como forma de organizar os conteúdos, o presente trabalho está composto por três capítulos: O primeiro trata do lúdico e a educação(concepções teóricas, dando enfoque ao brincar e o jogar na escola). O segundo capítulo vem a destacar o lúdico no
  11. 11. processo ensino e aprendizagem (resaltando a necessidade da formação dos educadores para a prática a vivência lúdica no âmbito escolar). Já o terceiro capítulo, traz os resultados a que chegamos em nossa pesquisa, ratificando o valor pedagógico do lúdico na aprendizagem das crianças do 6º ano do ensino fundamental da escola em estudo. Por fim, apresentamos às considerações finais, este enfatizando a importância em trabalhar ludicidade na educação das crianças, contribuindo no processo de desenvolvimento da mesma. Portanto a temática desse trabalho visa os objetivos gerais e específicos a seguir: Objetivo geral ; Reconhecer as influências e os usos de oficinas lúdicas em uma escola da rede pública, com alunos do 6º ano do ensino fundamental. Objetivos específicos ; Apontar a importância e contribuição dos jogos no desenvolvimento dos alunos. ; Refleti sobre o processo do ensino e aprendizagem através das oficinas lúdicas pedagógicas. ; Analisar as oficinas no espaço escolar. ; Levantar qual o papel das oficinas lúdicas pedagógicas na vida escolar dos alunos.
  12. 12. CAPÍTULO II 2.1 O lúdico no processo ensino e aprendizagem A ludicidade é assunto que tem conquistado espaço na educação, e a criança enquanto parte integrante deste espaço ,torna-se criadora e autora do processo de aprendizagem, além da sua necessidade de exprimir seus sentimentos, precisa relacionar-se com o mundo e por meio do lúdico a criança se socializará e construirá o seu conhecimento. Nesse ponto de vista, o prazer lúdico deve ser crítico e criativo, desenvolvendo possibilidades de novos valores e saberes, questionamentos de situações vigentes e do furto do componente lúdico da cultura da criança. Em boa parte a escola deixa de lado o valor lúdico no processo ensino aprendizagem e prende aos velhos recursos didáticos como o quadro negro, giz e livro. Isso vem em muitas vezes desmotivar a criança ao longo de sua carreira estudantil. É comprovado que a evasão escolar e a repetência se
  13. 13. dão ao caráter imposto do trabalho escolar. As crianças encontram-se desmotivadas, isto ocorre muitas vezes por falta de valores do lazer na escola e educadores qualificados para tal tarefa. Contudo, alguns educadores se prendem aos famosos livros didáticos apenas, deixando de lado o valor do lúdico no processo ensino aprendizagem. Apesar das críticas ao livro didático, este se torna, na grande maioria das vezes, o único material didático que o professor e aluno dispõe para discutir os assuntos em sala de aula, pois é comum, queixas de professores afirmando não possuírem outros meios para trabalhar os assuntos referentes aquele nível de ensino. 2.2 A formação dos educadores e ludicidade As melhores práticas sugerem que a boa escola reconheça a importância de trabalhar o lúdico e que os professores precisam trabalhar dentro das capacidades das crianças, afim de que as crianças obtenham os sentimentos de bem estar físico e mental desejados. A necessidade de se ter profissionais capacitados no seu trabalho e preocupados em fazer um ensino com diferença e qualidade incluindo sempre dinamismo em suas aulas tornando-as atrativas é a meta da maioria das instituições de ensino. O lúdico hoje na maioria das escolas está ausente de uma proposta pedagógica que o incorpore como eixo do trabalho, e nesse sentido SANTOS ( 1997), enfatiza que: A grande maioria das instituições educacionais ainda é pautada numa prática que considera a idéia do conhecimento-repetição sob uma ótica comportamentalista, tornando o conhecimento cristalino ou espontâneísta e não como um saber historicamente produzido visto sob a ótica do conhecimento - construção. Aqui vimos que a educação ainda está atrelada ao repasse de informações, tudo na ótica que o educador é o principal dono do conhecimento, e que algumas instituições de ensino se prendem ainda ao tradicionalismo. Nesse sentido, a escola simplesmente
  14. 14. esqueceu a brincadeira, na sala de aula ou ela é utilizada com um papel didático, ou é considera uma perda de tempo. Diante do exposto, percebe-se a inexistência de espaço para o desenvolvimento cultural dos alunos, e de acordo com SANTOS (1997); ´ “Educar” não se limita a repassar informações ou mostrar apenas um caminho que o professor considera o mais correto, mas é ajudar a pessoa a tomar consciência de si mesma, dos outros e da sociedade. É aceitar-se como pessoa, a saber, aceitar os outros. É oferecer várias ferramentas para que a pessoa possa escolher entre muitos caminhos, aquele que for compatível com seus valores, sua visão de mundo e com as circunstancias adversas que cada um irá encontrar. Educar é preparar para a vida. A vista disso é preciso uma sensibilização de ambas as partes: sistema e educador, procurando atender as necessidades da educação, buscando sempre pela excelência no processo ensino aprendizagem e formação do educador, munido os profissionais de conhecimentos para que possam entender e interpretar o brincar, assim como utilizá-lo para que auxilie na construção do aprendizado da criança. Os educadores precisam ser dinâmicos, terem iniciativas e principalmente inovadores, sempre com a intenção de almejar grandes sonhos. As atividades lúdicas utilizadas em sala de aula são consideradas um meio pelo qual a criança desenvolve sua criatividade e aprendizagem, seu espírito de liderança e a capacidade de atuar em grupo, sua capacidade de socialização, pois através dos jogos em grupo a criança aprende a repartir, a ouvir e até mesmo a ter um espírito de liderança. A ludicidade enquanto recurso metodológico é ignorado por parte de alguns educadores, estes insistem em ignorá-lo como ferramenta pedagógica, mas é comprovado que o lúdico deve ser usado como forma de transformação e libertação. A utilização de métodos criativos de ensino nas aulas, faz com que os alunos tenham gosto pelas aulas, os jogos não devem ser feitos de forma aleatória, o professor deve observar o momento de introduzi-lo e qual a sua aplicabilidade naquele momento, o professor deve interagir com seus alunos, assim ele estará ajudando o aluno a elaborar a sua visão de mundo. Maluf (2003) enfatiza que algumas escolas já estão se tornando atrativas dando o devido valor ao brincar e ao jogar. E que o lúdico está se tornando parceiro do professor, assim o mesmo é quem deve criar oportunidades para que o brincar aconteça de uma maneira sempre educativa.
  15. 15. Maluf (2003) afirma que o brincar, enquanto promotor da capacidade e potencialidade da criança, deve ocupar um lugar especial na prática pedagógica tendo como espaço privilegiado a sala de aula. A brincadeira e o jogo precisam vir à escola. É sabido que o lúdico faz parte da dinâmica humana, portanto é importante que o professor descubra e trabalhe sua dimensão lúdica para dar vida a sua prática pedagógica, ou seja, ter uma prática que torne o ato de aprender um prazer. Ao brincar e ao jogar a criança constrói o conhecimento, não só o conhecimento acadêmico, mas sim o conhecimento do mundo que a cerca, através dos jogos e brincadeiras, as crianças aprendem a se comunicar melhor com o mundo adulto, facilitando seu processo de socialização. A aprendizagem deve ser então um processo de desenvolvimento do indivíduo, possibilitando o desenvolvimento do indivíduo, possibilitando o desenvolvimento integral da criança e a melhoria de suas relações com o conhecimento, tornando-a crítica, criativa e autônoma. Mas para que o processo de desenvolvimento do indivíduo seja fortalecido e eficaz, é necessário que o educador busque melhorar as suas práticas pedagógicas e repensem os valores e posturas de um profissional da educação, visando à importância de trabalhar o lúdico dentro e fora da sala de aula. Nesse sentido, o próximo tópico trará uma abordagem sobre a formação lúdica do educador como pressuposto de valorização e criatividade da ação docente, proporcionando aos educadores o resgate da ludicidade no ambiente escolar. Mas para que isso ocorra, deve-se incluir na proposta curricular dos cursos o lúdico como formação possibilitando assim, evidenciar a formação profissional do professor que não contempla informação ao longo da sua trajetória no magistério e nem vivências a respeito do brincar e do desenvolvimento infantil em uma perspectiva social, afetiva, cultural, histórica e criativa. 2.3 A importância do lúdico na aprendizagem A ludicidade e a criança caminham juntas desde o momento em que se fixa a imagem da mesma como um ser que brinca. As atividades lúdicas são a essência da
  16. 16. infância. À medida que a criança caminham juntas desde o momento em que se fixa a imagem da mesma como um ser que brinca. As atividades lúdicas são a essência da infância. À medida que a criança interage com os objetos e com outras pessoas, construirá relações e conhecimentos a respeito do mundo em que vive. Os jogos e brinquedos, embora sendo um elemento sempre presente na humanidade desde seu início, também não tinham a conotação que tem hoje, eram vistos como fúteis e tinham como objetivo a distração e o recreio. (SANTOS, 1997). Aos poucos, a escola e a família favorecem uma ação de liberdade para a criança, algo que se deu gradativamente, através das relações que ela estabelecia com seus colegas, professores e outras pessoas. Aí a brincadeira, o jogo e o brinquedo ao longo do tempo se tornaram fatores importantes no desenvolvimento da criança, estes possibilitando o desenvolvimento integral da criança, estes possibilitando o desenvolvimento integral da criança, já que através destes as atividades lúdicas possibilitam a criança se desenvolver afetivamente, conviver socialmente operar mentalmente. O brincar proporciona uma ética da aprendizagem em que as necessidades básicas de aprendizagem da criança podem se satisfeitas. Essas necessidades incluem as oportunidades: O brincar aberto aquele que poderíamos chamar de a verdadeira situação de brincar apresenta uma esfera de possibilidades para a criança, satisfazendo suas necessidades de aprendizagem e tornando mais clara a sua aprendizagem explicita. Parte da tarefa do professor é proporcionar situações de brinca livre que tente atender as necessidades de aprendizagem das crianças e neste papel, o professor poderia ser chamado de um iniciador e mediador para nossos educandos espelham no seu trabalho alguém de suma importância para eles, por isso a necessidade de mostrar aulas um tanto atrativas. Aqui advém a necessidade de formação lúdica para o educador, esta se assenta em pressupostos que valorizam a criatividade, o cultivo da sensibilidade, a busca da efetividade, a nutrição da alma, proporcionando aos futuros educadores vivências lúdicas, experiências corporais, que se utilizam da ação, do pensamento e da linguagem, tendo no jogo sua fonte dinamizadora. ( SANTOS, 1997). Quem trabalha na educação de crianças deve saber que podemos sempre desenvolver a motricidade, à atenção e a imaginação de uma criança. E quanto mais os educadores possam vivenciar o prazer lúdico em sua formação, maior será a oportunidade de realizar um bom trabalho dentro das instituições de ensino.
  17. 17. Nesse sentido, a inovação sempre será bem vinda. Os educadores precisam provocar mudanças na educação, o que significa ir às raízes das questões: investir em sua formação continuada, buscar melhorias as suas condições de trabalho, lutar pela criação de planos de carreira com pisos salariais mais dignos, possibilitando acesso amplo e gratuito à cultura, à pós- graduação, a oficinas culturais etc. A formação continuada do professor possibilitará que ele tenha condições concretas de ser mais criativo em suas atividades, inovar nas aulas, participar mais ativamente da gestão democrática da escola e do seu projeto político pedagógico. Contudo o papel do educador é buscar melhorias e, o primeiro passo é a sua formação continuada, com qualidade sociocultural e socioambiental, buscando a vivência lúdica na sua formação, diante do exposto, (SANTOS, 1997), afirma que: A formação do educador, a nosso ver ganharia uma qualidade se em sua sustentação estivessem presente os três pilares: a formação teórica, a formação pedagógica e como inovação a formação lúdica. Quanto mais o adulto vivenciar suas ludicidades mais será a chance de este profissional trabalhar com a criança de forma prazerosa. Diante disso, o educador enquanto mediador deverá quebrar as barreiras e ter uma visão clara sobre a ludicidade, e assim através do brincar ele oportunizará a criança a experimentar, descobrir, inventar, aprender e desenvolver habilidades além de estimular a curiosidade, autoconfiança e autonomia, proporcionando o desenvolvimento da linguagem, do pensamento, da concentração e da atenção. Portanto. Dentro da noção do professor como mediador e iniciador da aprendizagem, o brincar será um aspecto essencial da interação professor/ criança. A formação lúdica do professor possibilitará o resgate da ludicidade no ambiente escolar e trará uma expectativa de um trabalho inovador, e fará da escola um local que educa para a vida presente e futura, que o moral se combinam com o intelectual para incorporar um conceito abrangente de aprendizagem. A ludicidade é importante para uma melhoria na educação e no andamento das aulas, mas para que ela ocorra de fato ás crianças precisam ser oportunizadas de experimentar, explorar e investigar os materiais por si mesmos. Nesse sentido a ludicidade estará provocando uma aprendizagem significativa, está ocorrendo de maneira gradativa e inconsciente, ocorrendo de forma natural, tornando-se um grande aliado aos professores na caminhada para bons resultados. Nesse sentido, no próximo capítulo iremos fazer uma breve descrição da
  18. 18. importância da ludicidade no ambiente escolar, possibilitando aos educadores mudarem suas práxis e retomarem a necessidade de ensinar a criança a brincar com prazer no espaço escolar, voltando o olhar para a criatividade e favorecendo o desenvolvimento dos educandos.
  19. 19. CAPÍTULO 3 3.1 Ludicidade no ambiente escolar A educação tem um papel essencial no processo de transformar. Mudar o paradigma de funcionamento das escolas passou a ser a nova agenda dos sistemas educacionais. No final do século XX a ciência e a educação passam por mudanças que aos poucos rompem com o passado, vão delineando uma nova sociedade, com novos caminhos, num período caracterizado pela busca do conhecimento, pela autoconfiança, num mundo concebido em termo de inter-relações, movimentos em constante processo de mudança e de transformação. Carvalho (2009) ,vem contemplar a importância do lúdico na aprendizagem da criança, enfatizando o que Kishimoto destaca ao ensinar brincando. O papel mais importante do professor é de longe aquele assumido na terceira parte do ciclo do brincar, quando ele deve tentar diagnosticar o que a criança aprendeu- o papel de observador e avaliador (MOYES, 2002). Diante disso, a ludicidade é um método que sendo trabalhado na prática pedagógica, contribuirá para o aprendizado do aluno. O educador ao preparar suas aulas, deverá fazê-las de maneira dinâmica, fazendo com que o aluno seja mais participativo na sala de aula ou fora dela. Uma das características mais importantes da aprendizagem através da ludicidade deve ser a oportunidade de aprender sem ameaça. Para que isso aconteça, a criança não deve sentir-se bloqueada, nem tão pouco oprimida em seus sentimentos e desejos. SANTOS (2997) diz que: O brincar é forma mais perfeita para perceber a criança e estimular o que ela precisa aprender e se desenvolver. Porém o que sempre deve ser lembrado, todavia, é que as crianças podem e aprendem de outras maneiras além da lúdica, e frequentemente tem prazer com isso. A criança como todo ser humano é um sujeito social e histórico e principalmente construtor de sua própria história, que se deve considerar é que as crianças já trazem de casa um acervo de informações que poderá contribuir para a sua formação, principalmente o seu caráter e personalidade. Portanto para que haja de fato a aprendizagem no processo lúdico o professor precisa nutrir o interesse do aluno, informamos sobre a realidade de cada educando, contextualizando a história de vida de cada um e tornando suas aulas mais significativas e interessantes, sendo capaz de respeitar o grau de inteligências do mesmo, do contrário a atividade lúdica perderá completamente sua riqueza e sua importância, além do mais,
  20. 20. o professor deve amar esse novo método, sendo motivador a fazer com que os alunos gostem de aprender, pois se o educador não se entusiasmar pelo que instrui o aluno não terá o interesse em instruir-se. Os professores precisam trabalhar as potencialidades das crianças, afim de que as crianças impetrem os sentimentos de bem-estar físico e mental desejados. A aprendizagem ocorre o tempo todo no desenvolvimento normal durante toda vida, deste que alguma coisa desperte o nosso interesse. O papel do professor e de garantir que, no contexto escolar, a aprendizagem seja contínua e, inclua fatores além dos puramente intelectuais. O emocional, o social, o físico, o estético, o ético e conflitos e falta de referencial para implementar as mudanças de fato. Na maioria das vezes, o único espaço dedicado ao lúdico nas escolas é aquele das aulas de educação física ou recreação. 3.2 – O valor pedagógico do lúdico na aprendizagem Dos alunos do 6º ano. Se observarmos as atividades que a criança realiza, veremos que os jogos e as brincadeiras podem estar presentes tanto no dia-a-dia das creches e pré-escolas quanto na vida doméstica das crianças. Daí veio a inquietação de trabalhar também o lúdico e dar o valor deste no processo de aprendizagem dos alunos do 2º ao 5° ano das séries iniciais do ensino fundamental; uma vez que ao chegarem a esse nível de ensino a ludicidade é esquecida pela maioria dos educadores, tendo em vista que ao pensar dos educadores o ato de brincar se designa somente a educação infantil e algo pertinente da criança. E alguns questionamentos foram levantados, e eles foram: Por que as crianças do 2° ao 5° ano não brincam com tanta intensidade, quanto às de Educação “gente começa a ensinar brincando, que eu digo que a partir da brincadeira é que eles vão aprender. Aprender a respeitar, aprender a contar, a conversar, e por ai vai. Porque eu acho que as crianças prendem brincando.”. Nesse sentido, emerge a necessidade de ensinar a criança a brincar com prazer no espaço escolar, tornando-a agradável e satisfatória, possibilitando a aprendizagem. Enquanto brincam, jogam e interagem em atividades com música, leitura ou bate-papos, crianças e adolescentes aprendem a ser cooperativos - aliás, a origem da palavra brincar vem de "estabelecer vínculos com o outro". Para viabilizar momentos diversificados, é preciso a organizar os espaços nas unidades escolares. Percebemos hoje nas escolas, a ausência de uma proposta pedagógica que
  21. 21. incorpore o lúdico como eixo de trabalho. Essa realidade do Brincar nas escolas leva- nos a perceber a inexistência de espaço para um bom desenvolvimento dos alunos. Esse resultado, apesar de apontar na direção das ações do professor, não devemos atribuir-lhe a culpa. Ao contrário, trata-se de evidenciar o tipo de formação profissional do professor que não contempla informações nem vivências a respeito do brincar e do desenvolvimento infantil em uma perspectiva social, afetiva, cultural, histórica e criativa. O lúdico passou a ser visto sobre outras perspectivas especialmente aquelas que envolvem todas as fases do desenvolvimento humano. Dessa forma a noção do lúdico cada vez mais passa a fazer parte do nosso cotidiano. Ao deixar de ser uma especificidade da infância, o lúdico nos últimos anos transformou-se numa ferramenta de trabalho para muitas áreas, seus resultados positivos repercutiram em diferentes setores da sociedade, como é o caso das empresas, das universidades, dos hospitais, das clínicas, das escolas e de muitos outros que investiram nessa área. No entanto em nenhum desses setores a ludicidade foi tão pouco utilizada como nas escolas. Com o olhar voltado a criatividade, à sensibilidade, à afetividade, à arte de relacionamento à cooperação, a dimensão lúdica presente em novos paradigmas educacionais investe em dinâmicas de grupos e atividades recreativas no sentido de favorecer o desenvolvimento dos educandos. Porém, em meio a tantas possibilidades e perspectivas, construir um espaço na escola, onde o lúdico, o jogo e a brincadeira se tornem algo real, é um desafio e um compromisso muito grande. Embora exista um aumento de estudos significativos, pesquisas e propostas, a escola pública ainda passa por momentos de dúvidas, infantil? Qual o valor pedagógico do lúdico na aprendizagem? Qual a importância do lúdico na formação do educador? Muitas vezes os educadores inibem a escolher determinadas atividades lúdicas por não terem autonomia ou formação para trabalhar a ludicidade no espaço escolar, assim desfavorecendo a grande riqueza do valor do lúdico no processo de aprendizagem. A sala de aula pra muitos não é vista como lugar de brincadeira, e quando brincam, os professores interrompem a brincadeira devido ao barulho e incomodo às outras salas. Muitas vezes, a brincadeira não recebe o valor pedagógico, conforme afirma Carvalho.
  22. 22. "a professora não sabe o que fazer com a brincadeira, não percebe a riqueza das relações que emergem. Nesse contexto, a brincadeira apenas preenche espaço, marca uma passagem para outra atividade ou lugar, preparando para o momento seguinte" (2009). Isso faz repensar que, alguns educadores ainda estão centrados na escola tradicional, aquela que está apenas para transmitir conteúdos, sem nenhuma atividade lúdica. Os educadores apoiam e enaltecem a importância do lúdico estar presente na sala de aula; porém, ficam apenas na teoria, discutem conceitos de ludicidade, mas não vivenciam atividades lúdicas. Então, se os professores que souberem trabalhar o lúdico em sala de aula, com certeza a ludicidade será uma das principais ferramentas do profissional da educação não somente na educação infantil, mas também em toda a sua trajetória educativa. Carvalho (2009) destaca que o processo de elaboração do conhecimento da escola é complexo; em que as professoras, muitas vezes, organizam suas ações pedagógicas sem retomar suas experiências e vivências. Nesse sentido, a função do docente acaba recaindo naquilo que é indispensável a realizar no cotidiano de escola; porém, a escola é um ambiente onde é presumível projetar as novas possibilidades. Na sala de aula, o espaço de trabalho pode ser transformado em espaço de jogo, podem ser desenvolvidas atividades aproveitando todos os materiais existentes na sala como recurso pedagógico, Fora da sala, a brincadeira fica ao bel-prazer da criança oferecendo também aprendizagem. As atividades lúdicas a serem utilizada em sala de aula ou fora dela deverão ser consideradas um meio pelo qual a criança desenvolve sua criatividade. Os professores deverão utilizar métodos criativos de ensino nas aulas, fazendo com que os alunos tenham gosto pelas aulas. Diante de tantas possibilidades, é fundamental que o educador seja mediador em todo processo. Criando na sala de aula disponível é apropriada para as crianças brincarem. Podemos ensinar as crianças também, a produzir brinquedos. O que ocorre geralmente nas escolas é que o trabalho de construir brinquedos com sucatas fica restrito às aulas de arte, enquanto professores poderiam desenvolver também este trabalho nas áreas de teatro, música, ciências etc. integrando aos conhecimentos que são ministrados. O professor deverá interagir com seus alunos, assim ele estará ajudando o aluno a elaborar a sua visão de mundo. Nesse sentido, o educador estará valorizando o
  23. 23. lúdico como mediador e facilitador no processo ensino-aprendizagem. A escola tem que se abster de uma aprendizagem apoiada em métodos mecânicos e abstratos, totalmente fora da realidade da criança. Espaço este predominante de mobilidade, silêncio e disciplina rígida. Para que a escola alcance o resultado almejado em seu planejamento, deverá mudar toda a sua rotina, buscando inovações, e que o professor passe a ser o criador de situações favoráveis à aprendizagem dos educandos, não somente na educação infantil. Portanto, o lúdico é de fundamental importância para o desenvolvimento físico e mental da criança, e que a formação lúdica possibilite ao futuro educador quebrar essa resistência e ter uma visão de que o lúdico auxilia na construção do conhecimento e na socialização, englobando aspectos cognitivos e afetivos. Assim, quando falamos em lúdico não estamos falando em algo superficial, mas de uma ação que a criança faz de forma autônoma e espontânea, pois brincando a criança experimenta, descobre, inventa, exercita e confere suas habilidades, acrescentando ainda que brincar é um dom natural da criança que contribuirá no futuro para o equilíbrio do adulto, pois o ato de brincar é indispensável à saúde física, emocional e intelectual da criança. Entende-se que utilizar metodologia lúdica, do tipo de jogos, danças, teatro e brincadeiras, atrai e motiva a criança a participar das atividades com muito mais prazer, fazendo com que a criança prepare-se para o futuro. Diante disso, o referido trabalho de pesquisa vem mostrar aos profissionais da área de educação o valor pedagógico do lúdico na aprendizagem dos alunos do 6º ano do ensino fundamental, que muitos deixam este importante recurso de lado, desconhecendo a importância de brincar, este é um grande processo de desenvolvimento. Precisamos, enquanto educadores nos colocarmos como participantes, acompanhando todo o processo da atividade, mediando os conhecimentos através da brincadeira e do jogo, afim de que estes possam ser reelaborados de forma rica e prazerosa. Contudo, a ludicidade é um assunto que deve ser trabalhada não somente na infância da criança, mas por toda a sua trajetória educacional e seu uso permitirá ao educador um trabalho pedagógico que possibilite a produção do conhecimento, da aprendizagem e do desenvolvimento.
  24. 24. CAPITULO 4 4.1 Procedimentos Metodológicos A investigação da pesquisa tem evidencias no método qualitativo, do tipo exploratório, desenvolvido a partir de dados fontes bibliográficas variadas, e por meio de questionários semiestruturadas. De acordo com Oliveira (2010), a pesquisa exploratória consiste em uma investigação ampla com o interesse de dar uma explicação geral sobre determinado fato, podendo levantar um novo problema que será esclarecido através de uma pesquisa mais consistente. Nesta perspectiva o pesquisador precisa de um contato direto com o ambiente e as circunstâncias que se pretende analisar de acordo com a realidade dos alunos. Dentro desse contexto a presente pesquisa cobra do investigador uma aproximação direta com o ambiente escolar, já que o objetivo é o de reconhecer as influências e o uso de oficinas lúdicas em duas escolas da rede pública. . Além desses fatos, nenhum dado de coleta foi desprezado, já que os mesmos fazem parte do cotidiano e da realidade dos alunos, por isso foram considerados importantes. Na opinião de Flick (2009, p.25) ao contrario do método quantitativo “os métodos qualitativos consideram a comunicação do pesquisador em campo como parte explicita da produção de conhecimento, em vez de simplesmente encara-la como uma variável a interferir no processo”. Assim, foi realizada uma pesquisa de campo através da utilização de questionário, que segundo Gil(ano) é definido como: Um questionário como a técnica de investigação composta por um número mais ou menos elevado de questões apresentadas por escrito às pessoas, tendo por objetivo o conhecimento de opiniões, crenças, sentimentos, interesses, expectativas, situações vivenciadas, etc... Assim, o estudo de Ciências Naturais através dessas analises podem provocar mudanças no ambiente observado ou no comportamento dos envolvidos na investigação.
  25. 25. 4.2 Área do estudo A pesquisa foi realizada em duas escolas municipais denominadas “Decisão” e “Nossa senhora do Rosário”, ambas localizadas na cidade de Pombal PB, situadas à rua Cel. João Leite. Escola Municipal de Ensino Fundamental “Decisão”: Este estabelecimento de ensino conta com um total de 414 alunos matriculados, sendo que 300 estudam no turno matutino e 114 no turno vespertino. Parte desses alunos são da zona urbana e outra parte da zona rural. O corpo docente conta um quadro de 40 professores, todos com nível superior. Escola “Nossa Senhora do Rosário”: Segundo informações coletadas, atualmente nessa escola existem 641 alunos, sendo 214 matriculados no Ensino Fundamental I e 427 no Ensino Fundamental II, dividido entre turnos matutino e vespertino. Quanto aos professores, contam com 48 professores, todos com nível Superior com formação pedagógica, entre eles um com Especialização e outro com Mestrado. Em relação a estrutura física, ambas possuem espaços delimitados para: sala vídeo, para professores, de atendimento ao aluno, laboratório de Ciências, laboratório de informática, auditório, cantina, bebedouro, sala de estudos e planejamentos, sala de supervisão, sala de leitura, cozinha e almoxarifado. Quanto a informatização, tanto os professores, como alunos, e funcionários tem acesso aos computadores. Já na parte de recursos didáticos a escola conta com computadores, internet que possui assinatura com a torpedo link, máquina de xerox, TV, microsystem, jogos educativos e kits didáticos. Percebemos assim, que as escolas possuem vários recursos a serem usados em sala de aula. Em seus aspectos ambientais, as escolas apresenta uma área grande, pois a mesma é murada, pintada e com árvores no pátio. Como podemos observara na Ilustração 1 e 2.
  26. 26. Ilustração 1 Escola Nossa Senhora do Rosário Ilustração 2 Escola Decisão 4.3 Amostragem do Estudo Na impossibilidade de analisar a totalidade(universo) dos elementos, cabe ao investigador defini a dimensão de sua amostra dentro da pesquisa. Neste processo de escolha, a amostragem “deve ser obtida de uma população específica e homogênea por um processo aleatório que é uma condição necessária para que a amostra seja representativa da população”. (SHVOONG, 2009). Nessa interpretação, “a amostra é um subconjunto ou parte dos elementos que compõem o universo” (OLIVEIRA, p. 88, 2010). Dentro desse entendimento, a amostra da investigação foi delimitada em uma turma do 6ª ano do ensino fundamental da escola “Decisão”, e uma do mesmo ano letivo, da escola “Nossa Senhora”. O grupo selecionado contava com 20 e 18 alunos, ambos os sexos, com idade entre 12 a 18 anos. Quanto as docentes, foram entrevistadas 2 professoras, uma de cada escola. 4.4 Coleta dos Dados A coleta dos dados realizou-se nas instituições escolares, durante o mês de março de 2014. Além das entrevistas com as docentes de ciências, observamos também a prática dos discentes na realização de uma oficina pedagógica, cujo tema era “membrana plasmática”.
  27. 27. O questionário utilizado com as docentes continham 10 questões, versando sobre: como e se utilizam oficinas pedagogias nas aulas de ciências; a importância de trabalhar esse método; se elas observam que ao usar o lúdico nas aulas tornam os alunos mais participativos; se o lúdico é importante na formação dos discentes; como sentem as dificuldades em trabalhar a prática das oficinas em sala de aula; como trabalham os conteúdos dos livros didáticos; que metodologia de ensino é mais usada no planejamento da escola; se é mais fácil realizar suas aulas só baseadas em conteúdos dos livros didáticos ou intercalar a prática para obter uma aprendizagem significativa dos alunos; e for fim, o que vocês entendem quando falamos de ludicidade. CAPÍTULO VI
  28. 28. 6.1 Resultados e discussão Com base na pesquisa realizada, passamos a apresentar os resultados a que chegamos. 6.1.1 A realização das oficinas pedagógicas As observações sobre oficinas pedagógicas iniciaram-se na escola Nossa Senhora do Rosário. Nesta as oficinas de produção e utilização materiais lúdicos tiveram a participação de 20 alunos, tanto no planejamento, momento em que os alunos trouxeram de casa materiais para serem reutilizados. Durante a aula a professora discutiu inclusie o tema “importância das oficinas lúdicas no ensino, com base em materiais que podemos reutilizáveis e como eles podem aprender através de sua própria habilidade”. Os estudantes trouxeram materiais recicláveis e utilizáveis tais como: papel colorido, papelão, tampas de garrafa, garrafa pet, pincéis, tintas, caixas de ovos, para confeccionar uma membrana plástica. A realização da oficina foi por meio de materiais descartáveis como matéria prima na fabricação dos objetos. Como as utilizações de materiais pedagógicos e lúdicos nas aulas de ciências podem aprimorar o processo de ensino aprendizagem tivesse como intuito opinar por produzir nas oficinas esses materiais que seriam de suma importância nas aulas da disciplina, e a utilização em aulas de ciências com recursos didáticos construídos por eles mesmos seriam um fator adicional em sala de aula. Todo material pedagógico e lúdico realizou-se por meio de oficina, que aconteceu na sala de aula, a turma produziu e construiu com materiais reutilizáveis conjunto de objetos relacionados ao conteúdo da disciplina, como a confecção de uma membrana plasmática e um jogo de damas mostrando o que tem por dentro de uma membrana. Durante a realização da oficina pedagógica os estudantes mostraram-se
  29. 29. motivados e interessados nas aulas, tiveram um excelente empenho em aprender através da prática as formas de reutilizar materiais que antes eram descartáveis, além disso, os estudantes apresentaram dedicação e criatividade na construção dos materiais pedagógicos e lúdicos. 6.2.1 O lúdico na perspectiva docente A partir das entrevistas com as educadoras em ciências Joselice e Hozaneide, ambas costumam trabalhar com oficinas pedagógicas. A primeira educadora destaca a ser fácil trabalhar com o lúdico e sempre trabalha, sente porém dificuldade quanto a questão do material, resaltando que mesmo com essa escassez, tudo transcorre bem. Reafirma também a importância das oficinas no aprendizado e participação dos educandos. Ainda segundo a professora, hoje o lúdico vem cada vez mais ganhando espaço e o professor tem que estar preparado pra tudo, quanto sua formação se aprende junto com os discentes e é uma forma de ampliar sua prática docente. O tempo livre para brincar ficou reduzido aos fins de semana. “Brincar é uma atividade gratuita, que não tem objetivos didáticos. É um espaço da imaginação que não tem tempo nem lugar para acontecer. Mas que precisa de muito tempo e de um lugar que seja acolhedor.” (ABRAVOMIWICZ e WAJSKOP, 1995. p.58). Em entrevista com a segunda educadora, sendo está mais breve direta, afirmou que ser costume trabalhar com o lúdico, e nem mesmo com oficinas. Também destaca a falta de material para tais atividades, reafirmando ficar centrada somente em livros e conteúdos, acrescenta ainda, que apesar desta não utilização, consegue manter uma aula atrativa e prazerosa. Ela afirma que as oficinas são indispensáveis e muito importantes, pois resgata sua imaginação e o interesse do aluno, ele se sente motivado . A professora Hozaneide, acha que trabalhar com o lúdico requer mais atenção e tempo para preparar o material e a aula, para trabalhar com o lúdico tem dificuldade, quanto à falta de material.
  30. 30. O lúdico é indispensável na formação do educador ele aprende junto, fica mais atualizado e se desenvolve melhor. FORESTI & BOMTEMPO ressaltam a importância de experiências como estas quando associam o brincar a uma atividade que: Desenvolve a imaginação e a criatividade, impulsiona o pensamento simbólico, como enfatiza Piaget, e promove, segundo Vygotsky, a habilidade de as crianças separarem o pensamento das ações. Favorece o desenvolvimento da memória e o uso das estratégias mnemônicas. (P.33) No ultimo dia assisti uma aula prática da professora Jozelice, ela elaborou uma uma aula com base em oficinas pedagógicas dentro do conteúdo de ciências, confeccionou uma membrana plasmática que faz parte do sistema imunitário com materiais reutilizáveis como caixas de ovos, tampas de garrafas pet, papelão e etc. Os alunos participaram, houve uma interação e acima de tudo se desenvolveram muito mais na prático do que com o livro. Como ressalta MOYLES (2002): 49 Os aspectos comunicativos da linguagem ocorrem em todas as situações da vida de uma criança pequena, e muito antes de entrar na creche ou na pré-escola a criança á está imersa em um sistema de linguagem em casa, construído com base na negociação de significados por meio de canais verbais e não verbais desde o nascimento. (P.51) Foi muito interessante a observação da aula, pois a professora demonstrou que o aluno se aprende muito mais através da prática e da participação dos discentes dentro do conteúdo e do lúdico. Nesse sentido, lúdico na formação da criança pelo fato de tal expressão visará o divertimento sem objetivar resultados imediatos apenas a aprendizagem através da situação em que não estão prestes o conflito, a ansiedade e atenção. O lúdico também é um importante instrumento pedagógico, que tem o poder de possibilitar o desenvolvimento integral da criança, já que através das atividades lúdicas, a criança se desenvolve afetivamente, convive socialmente e opera mentalmente (Santos,1997).
  31. 31. A necessidade de se ter profissionais capacitados no seu trabalho e preocupados em fazer um ensino com diferença e qualidade, surgem novas exigências ao papel docente, principalmente na formação com a necessidade da formação lúdica para o educador. Os educadores precisam provocar mudanças na educação, o que significa ir às raízes das questões: investir em sua forma formação continuado, buscar melhorias as suas condições de trabalho, lutar pela criação de planos de carreira com pisos salariais mais dignos, possibilitando acesso amplo e gratuito à cultura, à pós-graduação, a oficinas culturais etc. Entretanto, a formação continuada possibilitará que ele tenha condições concretas de ser mais criativo em suas atividades, inovar nas aulas, participar mais ativamente da gestão democrática da escola e do seu projeto político-pedagógico. Contudo, os educadores que são mediadores, criadores e recriadores de suas propostas pedagógicas trarão diversos benefícios às crianças proporcionando o desenvolvimento da linguagem, do pensamento e da concentração através da ludicidade e de sua formação. 6.2.1.1 Entrevista com a professora Hozaneide Ao entrevistar a professora Hozaneide ela disse que faz muito tempo que trabalha na escola, costuma dar boas aulas, mas não trabalha com o lúdico, pois falta material para elaborar oficinas pedagógicas e dar aulas motivadoras e menos cansativa. Costuma trabalhar com os livros, mas os alunos não gostam, pois é cansativo e acham a aula chata, ela afirma que se a escola tivesse material disponível, elaborava mais aulas com oficinas, onde o aluno sentem motivados e acima de tudo aprende através da prática e de seu próprio esforço. Ela afirma que as oficinas são indispensáveis e muito importante, pois resgata o interesse do aluno, ele se sente motivado e gosta de aulas práticas. A professora Hozaneide, acha que trabalhar com o livro é mais fácil , pois com o lúdico requer mais atenção e tempo para preparar o material e a aula, para trabalhar com o lúdico tem dificuldade, quanto a falta de material.
  32. 32. A professora diz que o lúdico é indispensável na formação do educador, ele aprende junto com o aluno, fica mais atualizado como docente e se desenvolve melhor sua prática educativa. 6.2.1.2 Entrevista feita com a professora Jozelice Fiz a entrevista com a professora Jozelice, trabalha na escola a vários anos, costuma trabalhar em sua aulas de ciências com oficinas pedagógicas, inclusive confeccionou uma membrana plasmática com um bom material que antes era não utilizável como: garrafas, papelão, caixa de ovos, tampas e outros. Ela respondeu que acha mais fácil trabalhar com o lúdico e sempre trabalha, tem dificuldades as vezes quanto a questão do material e se preocupa com a aprendizagem do aluno, se ele aprendeu ou não, mas diz que sempre acaba dando certo e sempre tem material. Diz que as oficinas com certeza são de grande importância, o aluno aprende mais, se interessa e participa e acima de tudo é menos desgastante. Segundo a professora a oficina é de grande importância para o educador, hoje o lúdico vem ganhando espaço e o professor tem que está preparado pra tudo, quanto a sua formação se aprende junto com os alunos e é uma de ampliar sua prática docente. foi muito interessante a observação da aula, pois a professora demostrou que o aluno se aprende muito mais através da prática e da participação dos discentes dentro do conteúdo e do lúdico.
  33. 33. Com base na entrevista feita na referida instituição de ensino com as professoras, pode-se perceber que existe diferentes formas de ensino e ambas costumam ter práticas educativas diferenciadas. Entretanto a educadora tem como prática educativa, o trabalho sem o lúdico, no qual o aluno acaba desmotivado e sem vontade própria como podemos notar em: “Costumo trabalhar sempre com o lúdico, a aula é mais aproveitosa e os alunos tem uma grande participação e motivação.” Nesse sentido, o lúdico vem tendo destaque e aprimorando cada vez mais o ensino e aprendizagem, no qual o educador vem buscando se atualizar de forma clara para poder exercer uma educação de qualidade como pode notar em: “As oficinas são indispensáveis e muito importantes, resgata o interrese do aluno e eles gostam das aulas práticas.” Assim, o desafio de se trabalhar com o lúdico ainda chama atenção dos educadores e os deixa muitas vezes sem saber o que fazer para poder dar uma boa aula e perceber se os discentes estão aprendendo ou não como podemos ver em: “O trabalho com o lúdico é mais difícil, requer tempo para preparar o material e a aula.” Quanto a formação do educador, muitos percebem que precisa ter uma boa formação e conhecimento específico para poder ser um excelente profissional como podemos ver em: “O lúdico é indispensável na formação do educador, aprendemos junto com o aluno e ficamos mais atualizados e conhecedores das novas formas de aprendizagem.”
  34. 34. 6.2.1 O lúdico na perspectiva discente No final da aula fiz algumas perguntas aos alunos, relacionados a oficina, primeiramente lhes perguntei sobre o que acharam da aula e a maioria responderam que foi excelente e os demais falaram que foi boa. Depois se preferiam a aula com o livros ou com o lúdico, todos disseram que é melhor com o lúdico, pois é menos cansativo, Também perguntei o acharam da qualidade do material, então me falaram que estava bom, mas precisa melhorar, por último se a aula com o lúdico se aprende mais. Alguns alunos chamaram a atenção quanto a questão das aulas com o lúdico, percebemos que os discentes se sentem motivados com uma aula diferente, que seja mais alegre e dinâmica. “Gostei, chama mais atenção e aprendo muito mais” ( estudante, 13 anos, 6º ano, sexo masculino). “Foi ótima, aprendemos melhor” ( estudante, 15 anos, 6º ano, feminino). “A aula é boa, tenho mais vontade de aprender e estudar” ( estudante 17 anos, 6º ano, sexo masculino). “ Aprendi bastante, foi ótima é menos cansativa e menos chata” ( estudante 16 anos,6º ano, sexo feminino). Entretanto, o material que as escolas dispõem, ainda deve ter uma ampliação e mais foca de vontade dos educadores em fazer com que os docentes possam trabalhar com uma aula mais motivadora e fazer com que o aluno aprenda melhor. “Precisa melhorar, assim aprendemos mais” ( estudante 16 anos, 6º ano sexo masculino). “Está bom, sempre tenho vontade de aprender e participar da aula” ( estudante 14 anos 6ºano, sexo masculino). Muitos alunos estão acostumados em uma única forma de ensino e acabam muitas vezes nem ligando para as aulas de uma forma diferente, no qual se pode aprender muito mais, o que pode observar em: “Prefiro somente com livros, já estou acostumada” (estudante 16 anos, 6º ano,sexo feminino). “Acho melhor com o lúdico aprendo muito mais” ( estudante 13
  35. 35. anos,6º ano, sexo masculino). “ Gosto tanto do livro como do lúdico” ( estudante 15 anos, 6º ano, sexo feminino). Assim, podemos notar que a ludicidade vem tendo destaque e os discentes apreciam mais a aula prática e com base no lúdico, pois temos uma relevância, como podemos observar. “Com o lúdico, através de mim mesmo aprendo bastante” ( estudante 16 anos, 6º ano, sexo feminino). “ Aprendo melhor o lúdico, sempre gostei” ( estudante 14 anos, 6º ano, sexo masculino). Diante das opiniões trazidas tantos por discentes, como por docentes, reforçamos as possibilidades, perspectivas, e necessidade de construir um espaço na escola, onde o lúdico, o jogo e a brincadeira se tornem algo real. Embora exista um aumento exista de estudos significativos, pesquisas e propostas, a escola pública ainda passa por momentos de dúvidas, conflitos e falta de referencial para implementar as mudanças de fato.Na maioria das vezes, o único espaço dedicado a ludicidade de nas escolas é aquele das aulas de educação física ou recreação.Nessa perspectiva o educador deve ter um olhar diferenciado para a questão do lúdico, mas é fundamental que saiba mobilizar esse conhecimento, transformando-os em ação.
  36. 36. CONSIDERAÇÕES FINAIS Com base no estudo feito e com as demais pesquisas realizadas podemos considerar que o lúdico é de grande importância, tanto para a aprendizagem como também para a formação do educador. Porém ainda é preciso que as escolas busquem soluções e novas formas de trabalhar com a ludicidade. Destacamos a necessária aprendizagem sem o restrito uso de livros, buscando jogos, brincadeiras e outras formas pedagógicas e aprendizagem. Tornando possível a descubra na prática da necessidade do conhecimento. Reafirmamos ainda que o lúdico possibilita a aprendizagem, e torna os discentes mais motivados e interessados em aprender e conhecer, o novo e diferente. Deste modo, o valor do lúdico na aprendizagem é de suma importância, sendo preciso que todos os membros envolvidos na área da educação, busquem melhorias e coloque em prática a aprendizagem com base na ludicidade. Porém, a se ser destacado a necessidade de constantes pesquisas e estudos nesta formação do educador, buscando e vivenciando o mundo atual. Nesse sentido, este estudo poderá contribuir de maneira significativa para o desenvolvimento de ações que possibilitem a discussão e implementação de ideias para as escolas, no intuito de orientar sobre as vantagens de trabalhar com a ludicidade, tanto na perspectiva do educador, como do educando. É importante que toda comunidade escolar tenha o entendimento da importância de uma educação voltada para o lúdico. O trabalho, porém, não se esgota aqui, mas abre caminhos para novas pesquisas e reflexões sobre o referido tema pesquisado. REFEÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
  37. 37. ANEXOS QUESTIONARIO FEITO COM AS PROFESSORAS 1- você trabalha com oficinas pedagógicas nas aulas de ciências ? 2- Qual sua metodologia de ensino ? 3- Qual a importância de trabalhar com oficinas pedagógicas? 4-Quais os assuntos que costuma trabalhar? 5- O lúdico nas aulas de ciências, torna s alunos mais interessados?
  38. 38. 6- Qual o mais fácil trabalhar com o lúdico ou com livros ? 7- Quando você trabalha com oficinas tem alguma dificuldade ? 8- Qual a importância do lúdico na formação do educador ? 9- O que é ludicidade para você como educador?

×