Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Organelas citoplasmaticas

27 908 vues

Publié le

  • Soyez le premier à commenter

Organelas citoplasmaticas

  1. 1. Citologia
  2. 2. Membrana Plasmática
  3. 3. Membrana Plasmática <ul><li>Desmossomos </li></ul>
  4. 4. Membrana Plasmática <ul><li>Hemidesmossomos </li></ul>
  5. 5. Membrana Plasmática <ul><li>Microvilosidades </li></ul>
  6. 6. Membrana Plasmática <ul><li>Interdigitações </li></ul>
  7. 7. ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS <ul><li>Célula eucariótica animal </li></ul>
  8. 8. ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS <ul><li>Célula eucariótica animal </li></ul><ul><li>Ribossomos: síntese protéica. </li></ul>
  9. 9. ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS <ul><li>Célula eucariótica animal </li></ul><ul><li>Ergastoplasma ou retículo endoplasmático rugoso (granular): síntese de proteínas; transporte de material dentro da célula. </li></ul><ul><li>Retículo endoplasmático liso (agranular): transporte de substâncias; síntese de lipídeos esteróides; inativação de certos hormônios; inativação de substâncias nocivas ao organismo; condução intracelular do impulso nervoso nas células do músculo estriado. </li></ul>
  10. 11. ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS <ul><li>Célula eucariótica animal </li></ul><ul><li>Complexo de golgi: medianas . </li></ul><ul><li>Funções: acúmulo e eliminação de secreções; síntese de glicídios. </li></ul><ul><li>Processa, armazena e secreta. </li></ul>Grãos de zimogênio
  11. 12. Complexo de Golgi
  12. 13. <ul><li>Formação do acrossomo </li></ul>
  13. 14. Lisossomos <ul><li>São corpúsculos normalmente esféricos cujo interior apresenta uma grande quantidade de enzimas que degradam (quebram em pedaços pequenos, ou seja, digerem ou destroem) moléculas grandes ou organelas envelhecidas. Exemplo de enzimas encontradas dentro dos lisossomos: proteases (degradam proteínas ), nucleases (degradam ácidos nucléicos: DNA e RNA), glicosidases (degradam açúcares) e lipases (degradam lipídeos). Ocorrência – Em células animais. Funções: Digestão intracelular; Função heterofágica – Digerir produtos </li></ul><ul><li>oriundos da fagocitose e da pinocitose. Função autofágica – Pode ser de dois tipos: autofagia (digestão de organelas e estruturas da própria célula) e autólise (pelo rompimento da membrana lisossômica, as enzimas vazam para o citoplasma destruindo completamente a célula). </li></ul>
  14. 15. Lisossomos
  15. 16. Lisossomos
  16. 18. Peroxissomos <ul><li>São pequenas vesículas semelhantes aos lisossomos, porém sua enzima principal é a peroxidase (catalase). Esta enzima degrada as moléculas de peróxido de hidrogênio (água oxigenada) que se formam como resultado do metabolismo (funcionamento) celular. O peróxido de hidrogênio pode ser muito tóxico para a célula porque pode levar a produção de radicais livres. Estes radicais são capazes de danificar as células, atuando por exemplo sobre o DNA e outras moléculas. </li></ul>
  17. 19. Peroxissomos
  18. 20. MITOCÔNDRIAS
  19. 21. <ul><li>São organelas esféricas, ou na forma de bastonetes, imersos no citoplasma. A mitocôndria é uma das principais organelas celulares pois está relacionada com a produção de energia que é armazenada nas moléculas de ATP (adenosina trifosfato). Essas moléculas podem ser comparadas a pequenas &quot;baterias&quot; intracelulares que fornecem energia para todo o metabolismo celular. Ocorrência – Em todos os eucariontes aeróbios. Biogênese – Origina-se a partir de outra mitocôndria preexistente por divisão. Função – Nas mitocôndrias, ocorrem duas etapas na respiração aeróbia: o ciclo de krebs e a cadeia respiratória através dos quais produz-se o ATP. </li></ul>
  20. 22. Mitocôndria
  21. 23. Mitocôndria
  22. 24. Mitocôndria
  23. 25. Origem Endossimbiótica
  24. 26. Respiração Celular <ul><li>A respiração celular é um fenômeno que consiste basicamente no processo de extração de energia química acumulada nas moléculas de substâncias orgânicas diversas, tais como carboidratos e lipídios. Nesse processo, verifica-se a produção de gás carbônico e água, além da liberação de energia, que é utilizada para que possam ocorrer as diversas formas de trabalho celular.  Nos seres vivos a energia química dos alimentos pode ou não ser extraída com a utilização do gás oxigênio. No primeiro caso, a respiração é chamada aeróbica . No segundo, anaeróbica .  </li></ul><ul><li>Nos organismos aeróbicos, a equação é simplificada da respiração celular pode ser assim representada: </li></ul><ul><li>C 6 H 12 O 6 + O 2 -> 6 CO 2 + 6 H 2 O + 38ATP </li></ul>
  25. 27. RESPIRAÇÃO AERÓBICA <ul><li>Compreende, basicamente, três fases: glicólise, ciclo de Krebs e cadeia respiratória.  </li></ul>
  26. 28. <ul><li>Glicólise </li></ul>
  27. 29. <ul><li>Ciclo de Krebs </li></ul>
  28. 30. <ul><li>Cadeia respiratória   </li></ul>
  29. 33. RESPIRAÇÃO ANAERÓBICA <ul><li>O processo de extração de energia de compostos sem utilização de oxigênio (O 2 ) é denominado respiração anaeróbica. Alguns organismos, como o bacilo de tétano, por exemplo, têm na respiração anaeróbica o único método de obtenção de energia – são os chamados anaeróbicos estritos ou obrigatórios . Outros, como os levedos de cerveja, podem realizar respiração aeróbica ou anaeróbica, de acordo com a presença ou não de oxigênio – são por isso chamados de anaeróbicos facultativos . </li></ul>
  30. 34. Fermentação – rendimento energético inferior <ul><li>Nos processos fermentativos, a glicose não é totalmente &quot; desmontada&quot;. Na verdade, a maior parte da energia química armazenada na glicose permanece nos compostos orgânicos que constituem os produtos finais da fermentação. </li></ul><ul><li>A fermentação alcoólica </li></ul>
  31. 35. <ul><li>Fermentação láctica </li></ul>
  32. 36. ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS <ul><li>Célula eucariótica vegetal </li></ul>
  33. 37. ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS <ul><li>Presentes apenas em célula eucariótica vegetal </li></ul><ul><li>Plastos : armazenamento de amido, pigmentos e outros produtos celulares. </li></ul><ul><li>Cloroplastos: fotossíntese </li></ul>
  34. 38. Cloroplasto
  35. 39. Cloroplasto
  36. 40. Cloroplasto
  37. 41. ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS <ul><li>Presentes apenas em célula eucariótica vegetal </li></ul> Glioxissomos: organela similar aos peroxissomos de células animais. Contém enzimas para conversão de lipídios em açúcares (  -oxidação de ácidos graxos), úteis no metabolismo celular.
  38. 42. VACÚOLOS <ul><li>Tipos de vacúolos: </li></ul><ul><li>Vacúolo contrátil ou pulsátil: osmorregulação; </li></ul><ul><li>Vacúolo de suco celular: armazenamento e controle osmótico. </li></ul><ul><li>Vacúolo digestivo: associados aos lisossomos, fazem a digestão intracelular. </li></ul>
  39. 43. Vacúolos <ul><li>Célula eucariótica vegetal </li></ul> Participação no controle osmótico da célula e armazenamento de substâncias, excesso de água, pigmentos solúveis e diversos produtos a serem eliminados.
  40. 44. Vacúolo pulsátil (contrátil) <ul><li>Protistas </li></ul> Participação no controle osmótico da célula  elimina o excesso de água que entra por osmose.
  41. 45. Questões 1. (Fuvest 2007) Células de glândulas de animais apresentam nucléolo, retículo endoplasmático rugoso e complexo golgiense (complexo de Golgi) bem desenvolvidos. a) Que relação existe entre o retículo endoplasmático rugoso e o nucléolo? b) Qual é o papel do complexo golgiense na função dessas células? 2. (Fuvest 2008) Os protozoários de água doce, em geral, possuem vacúolos pulsáteis, que constantemente se enchem de água e se esvaziam, eliminando água para o meio externo. Já os protozoários de água salgada raramente apresentam essas estruturas. Explique: a) a razão da diferença entre protozoários de água doce e de água salgada, quanto à ocorrência dos vacúolos pulsáteis. b) o que deve ocorrer com um protozoário de água salgada, desprovido de vacúolo pulsátil, ao ser transferido para água destilada.
  42. 46. 3. (Fuvest 2009) Bactérias do grupo das rickétsias são consideradas células procarióticas incompletas, que não possuem capacidade de multiplicação independente da colaboração de células eucarióticas, que elas parasitam. Existem organóides das células cuja origem evolutiva é atribuída a parasitas intracelulares semelhantes às rickétsias. a) Que organóide, presente em células animais e vegetais, provavelmente teve essa origem? b) Cite uma característica desse organóide que fundamenta essa explicação para sua origem.
  43. 47. (Unicamp 2007)
  44. 48. 5. (UFES) Durante os processos infecciosos, ocorre uma maciça destruição de células e, com isso, a formação de pus; no entanto os processos de destruição celular podem ser realizados mesmo quando da ocorrência da metamorfose ou reorganização tecidual&quot;. Considerando o texto anterior, responda: a) Qual é a organela citoplasmática responsável por tais processos? O que lhe confere tal característica? b) Como tais organelas se originam?
  45. 49. 6. (Fuvest) O fungo 'Saccharomyces cerevisiae' (fermento de padaria) é um anaeróbico facultativo. Quando cresce na ausência de oxigênio, consome muito mais glicose do que quando cresce na presença de oxigênio. Por que existe essa diferença no consumo de glicose? 7. (Unicamp) A célula esquematizada a seguir apresenta uma série de peculiaridades que caracterizam a sua função principal. Considerando a distribuição e arranjo de suas organelas, qual seria essa função? Aponte três características constantes do esquema que poderiam justificar sua resposta.

×