Ce diaporama a bien été signalé.
Le téléchargement de votre SlideShare est en cours. ×

Arquitetura Eclética

Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Publicité
Chargement dans…3
×

Consultez-les par la suite

1 sur 33 Publicité

Plus De Contenu Connexe

Diaporamas pour vous (20)

Similaire à Arquitetura Eclética (20)

Publicité

Arquitetura Eclética

  1. 1. ArquiteturaEclética O Ecletismoem São Paulo e no Rio de Janeiro
  2. 2. “Ecletismo é o uso livre do passado” César Denis Daly (1811 – 1893) Ópera de Paris, porCharles Garnier (1861)
  3. 3. “O ecletismo resumiria o desejo de formar uma nova cultura que em nada lembrasse a pole ou os tempos ominosos da colônia, s a mirar-se nos centros opulentos e deslumbrantes de o” Silmara Dias FeibercitandoRicardo Severo
  4. 4. Reurbanização do Rio de Janeiro “A urbanizaçãodesigualeincompleta,ocrescimentopopulacional, oagravamentodapobreza, tr ansformarama cidade num focoassustador de doençaseepidemias (…) quematavampessoas de todas as classes sociais (…) Na aurora do século XX, portanto, a imagemda capital federal estavadistante das aspirações de modernização, progressoecivilizaçãoque (…), nutriam as elites nacionais. Emconsonânciacom osideaisdaRepública, umaoutracidade, com feitiomoderno, precisava ser “erigidasobreosescombrosda ‘cidadepocilga`”.
  5. 5. “Pereira Passos, baseando-se emestudosanteriores, propôsumagrandein tervençãonacidade do Rio de Janeiro, cujonúcleoera a construção de um modernocentrourbano. Para isso, a cidadedeveriasesubmeter a um planorigoroso de saneamento com eliminação das habitaçõescoletivas, abertura de ruasretilíneas, aumentodacirculaçãoviáriae demolição de centenas de construçõesantigas.”
  6. 6. cie” (Bilac em 1905) “Construídos com estruturas de alvenaria e ferro, em estilo eclético, os edifícios da avenida Central praticamente demarcavam o centro da cidade como espaço privilegiado do governo, das grandes empresas e das elites sociais
  7. 7. Teatro Municipal do Rio de Janeiro, porFrancisco de Oliveira Passos (1909)
  8. 8. " tica da raça" OLSEN, D.]
  9. 9. Biblioteca Nacional no Rio de Janeiro, por Francisco Marcelino Souza Aguiar (1910)
  10. 10. Pisos de vidro nos armazéns, armações e estantes de aço com capacidade para 400.000 volumes importam-se: - o regional; - ria brasileira
  11. 11. o em voga na Europa” - Yves Bruand
  12. 12. Supremo Tribunal Federal, hoje Centro Cultural daJustiça,porAdolfo Morales de Los Rios (1909)
  13. 13. Palacio Monroe, Mal. Francisco Marcelino de Souza Aguiar, 1904
  14. 14. “Pordecisão do PresidentedaRepublica, oPatrimôniodaUniãojáestáautorizado a providenciar a demolição do Palácio Monroe. Foi, portanto, vitoriosa a campanhadessejornalquehámuito se empenhava no desaparecimento do monstrengoarquitetônicodaCinelândia. (…) O Monroe nãotinhaqualquerfunçãoesuasobrevivência era condenadaportodas as regras de urbanismoe de estética. Emseulugaro Rio ganharámaisumapraça. Queessa boa noticia, que coincide com ofim das obras de superfície do metrôdaCinelândiasejamais um estimuloàremodelação de todaessaárea de presençatãomarcantenahistoria do Rio de Janeiro”. – Trecho de editorial do jornal O Globo
  15. 15. Arquitetura Eclética na cidade de São Paulo • Patrocinada pelo capital do Café • Elites usavam as habitações para demonstrar o seu poder econômico • Francisco de Paula Ramos de Azevedo • Ecletismo também no paisagismo: Vale do Anhangabaú, Parque Trianon, Avenida paulista, Praça da República e Parque Dom Pedro
  16. 16. Teatro Municipal (SP) Teatro Municipal de São Paulo, por Ramos de Azevedo (1909)
  17. 17. • Têm como claro modelo a Ópera de Garnier • Inaugurado no dia 12 de setembro de 1911 • Ramos de Azevedo, Cláudio Rossi e Domiziano Rossi
  18. 18. • Estilos Renascentista, Barroco(seiscentismo) e ArtNouveau • Construção iniciada em 1903 • Tombado pelo CONDEPHAAT em 1981
  19. 19. Palácio das Indústrias Palácio das Indústrias, por Ramos de Azevedo (1924)
  20. 20. • Inaugurado no dia 29 de abril de 1924 • Domiziano Rossi e Ramos de Azevedo • Tombado pelo CONDEPHAAT em 1982
  21. 21. Mercado Municipal (SP) Mercado Municipal de São Paulo, por Ramos de Azevedo (1933)
  22. 22. Mercado Municipal de São Paulo • Inaugurado em 25 de Janeiro de 1933 • Ramos de Azevedo, Felisberto Ranzinie Conrado Sorgenicht Filho • Estrutura de concreto armado
  23. 23. Museu do Ipiranga Museu do Ipiranga, TommasoGaudenzioBezzi(1895)
  24. 24. Museu do Ipiranga • Inaugurado no dia 7 de setembro de 1895 • TommasoGaudenzioBezzi • Tombado pelos três níveis, IPHAN, CONDEPHAA T e pelo CONPRESP • Alvenaria de tijolos cerâmicos, uma novidade para a época
  25. 25. Palácio de Versailles Museu do Ipiranga
  26. 26. Escola Normal Caetano de Campos, por Ramos de Azevedo (1894)
  27. 27. • Edifício inaugurado em 1894 onde atualmente está instalada a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo • Antônio Francisco de Paula Sousa e Ramos de Azevedo • O edifício da praça da República foi tombado pelo CONDEPHAAT em 1978
  28. 28. Casa das Rosas • Casa das Rosas, por Ramos de Azevedo (1935)
  29. 29. • Tombada pelo CONDEPHAAT no dia 22 de outubro de 1985
  30. 30. Estação da Luz Estação da Luz, por Charles Henry Driver (1901)
  31. 31. Estação da Luz • Inaugurada no dia 1º de março de 1901, no lugar da antiga estação • Projetada pelo arquiteto inglês Charles Henry Driver em estilo neoclássico • Estruturas trazidas da Inglaterra que copiam o Big Bem e a abadia de Westminster (em estilo gótico na cidade de Westminster, sendo considerada a igreja mais importante de Londres) • Seu projeto é similar à Flinders Street Station, de Melbourne, Austrália
  32. 32. Estação da Luz • Em 1946 foi parcialmente destruída por um incêndio. A reconstrução da estação se estendeu até 1951 • Em 1982 tombada pelo CONDEPHAAT • Possui área de 7520 metros quadrados, 150 metros de comprimento de fachada e uma torre de 50 metros de altura
  33. 33. Bibliografia • SANTOS, Carlos Alberto Ávila.. Ecletismonafronteirameridional do Brasil: 1870-1931. Tese (DoutoradoemArquiteturaeUrbanismo – Área de ConservaçãoeRestauro) Universidade Federal da Bahia, 2007. • FEIBER, Silmara Dias. ArquiteturaBrasileira – Ecletismo. Disponívelemhttp://www.fag.edu.br/professores/solange/HISTORIA%20DA%20ARTE,%20ARQUITETURA%20E%20DECORA%C7%C3O/A rq.Brasileira%20Prof.F%FAlvio/11_Ecletismo.pdf • BONAMETTI, João Henrique . A arquitetura eclética e a modernização da paisagem urbana brasileira. • FABRIS, Anna Tereza (org.). Ecletismo na Arquitetura Brasileira. São Paulo: Nobel & EDUSP, 1987. • RUBIES, Jorge. A História do Palácio Monroe e a suaDemolição. Dispinívelemhttp://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=242854 • KOK, Glória. Rio de Janeiro naépocada Av. Central / GlóriaKok. — São Paulo: BeiComunicação, 2005.

×