Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Livreto Novena de Natal das CEBs 2018

473 vues

Publié le

Livreto Novena de Natal das CEBs 2018 da diocese de São José dos Campos - SP

Publié dans : Formation
  • Soyez le premier à commenter

  • Soyez le premier à aimer ceci

Livreto Novena de Natal das CEBs 2018

  1. 1. 1
  2. 2. 2 Apresentação ..............................................................03 Mensagem do Bispo Diocesano .................................04 Orientações práticas ............................................. 05/06 Preparando para Novena de Natal .............................07 Encontro nas Casas • 1º Dia ......................................................................09 • 2º Dia ......................................................................12 • 3º Dia ......................................................................15 • 4º Dia ......................................................................18 • 5º Dia ......................................................................21 • 6º Dia ......................................................................24 • 7º Dia ......................................................................27 • 8º Dia ......................................................................30 • 9º Dia ......................................................................34 Oração .........................................................................37 Músicas .......................................................................39 Bençãos .......................................................................45 ÍNDICE
  3. 3. 3 APRESENTAÇÃO Queridos irmãos e irmãs, é com alegria que apresentamos às comunidades e grupos de reflexões de nossa diocese, este subsídio da Novena de Natal de 2018, o qual foi elaborado com muita dedica- ção e amor, fruto das experiências comunitárias. Relembrando um pouco: O Advento é o primeiro Tempo do Ano Litúrgico, período em que acontece o Natal e que somos convi- dados a fazer uma boa preparação espiritual e a alegrar nosso ser, na expectativa do nascimento do nosso Senhor Jesus Cristo, renovando nossas vidas para a paz e para a fraternidade. Para que esse momen- to seja bem aproveitado, introduz-se a Novena de Natal, que é uma tradição efetivana vida da Igreja. Ela nos proporciona a abertura de alma e de espírito, levando-nos a reconhecer nossa essência, de que somos “imagem e semelhança de Deus”. Este subsídio oferece aos grupos de reflexão e comunidades, roteiros convidativos e dinâmicosque promovem a interação dos participantes, no intuito de levá-los a um confronto da Palavra de Deus com a realidade que os cerca, propondo ações concretase despertando-os para o acolhimento do Cristo histórico. Nos temas abordados em cada dia, gradualmente se faz compreender apresen- ça de Deus no mundo e a necessidade de quetodos devam assumir compromissos na transformação de uma sociedade justa e fraterna. Assessores Diácono Vanderci José Sales Padre Ademilson Aparecido Silva, scj
  4. 4. 4 MENSAGEM DE DOM CESAR Com alegria celebramos a recordação do Natal de Jesus Cristo, Nosso Senhor. A cada ano temos esta graça de refletir, rezar e celebrar o nasci- mento do nosso Salvador e Redendor. Salvador e Redentor de toda a huma- nidade, renovador de toda a criação. “Quando, porém, chegou a plenitude do tempo, enviou Deus seu Filho, nascido de uma mulher, nascido sob a Lei, para remir os que estavam sob a Lei, a fim de que recebêssemos a adoção filial “(Gl 4, 4-5). Anunciar a PESSOA DE JESUS, o Cristo de Deus, sua Palavra e seu projeto de vida, é o grande desafio dos tempos modernos. O Natal é uma festa que nos enternece, pois lembramos o amor, a criança, a família, o aconchego do lar, as cantigas de ninar, os presentes e tudo o mais. Mas o grande chamado que a Igreja nos faz, é que além de celebrar tudo isso e valorizar todas estas realidades, não deixemos de proclamar solenemente, com a vida, com nossas palavras e atitudes que o “VERBO DE DEUS FEITO CARNE” continua a contar conosco na tarefa de salvação do mundo e da história. Assim como Deus, contou com Maria de Nazaré, para que nasces- se o “Emanuel”, assim conta conosco para que Jesus Cristo continue a ser Anunciado, Seguido, Proclamado, Amado, Festejado em nossas vidas e na vida de nossos irmãos e irmãs. O compromisso com Jesus Cristo e seu Evan- gelho é inadiável. O Verbo se fez carne para salvar-nos, reconciliando-nos com Deus. O verbo se fez carne para que conhecêssemos o amor de Deus. O verbo se fez carne para ser nosso modelo de santidade. O verbo se fez carne para tornar-nos participantes da natureza divina. Santo Atanásio nos diz que “...o Filho de Deus se fez homem para nos fazer de Deus”. Esta é a nossa alegria. Esta é a grande notícia que devemos cultivar e anunciar. Nós, com Maria de Nazaré e São José, podemos colaborar com a obra salvífica de Deus, anunciando o seu Filho Unigênito, o Cristo e Senhor de nossas almas e de nossas vidas. E na celebração do Natal não podemos deixar de lembrar a importância e o valor da Família. Que o Santo Natal, que vamos vivenciar, nos encha de santa alegria, por podermos celebrar a vida de nos- sa família, inserindo-a no mistério da graça do Natal de Jesus. Boa novena de Natal 2018 a todos os que vão utilizar dos subsídios das CEBs da Diocese de São José dos Campos. D. JOSÉ VALMOR CESAR TEIXEIRA, SDB Bispo Diocesano Natal 2018
  5. 5. 5 ● Realizar um encontro com os animadores e animadoras para preparar a novena de Natal. Apresentamos Oração do Terço em preparação a Novena de Natal. ● Ao preparar a novena, inserir as Bênção conforme a realidade de cada grupo. ● Recomenda-se que os encontros da Novena de Natal sejam realizados em família, nas casas da rua ou do quarteirão ou do setor. Para uma boa preparação, ler antes os encontros para sanar as dúvidas; verificar com antecedência os leitores e leitoras. ● Marcar com antecedência as casa das famílias para realização dos encontros da novena. ● É necessário que nas comunidades, sobretudo nas maiores, sejam formados vários grupos para a realização da novena; ver um local maior para o encerramento. Contamos com o apoio dos coordenadores de cada comunidade. ●ABíbliaéindispensável;deveestarpresenteemtodososencontros, em lugar de destaque, e os participantes devem ser motivados a levá-la. ● Preparar, com criatividade, um símbolo da novena para estar presente nos encontros. Seguem algumas sugestões: 1 - cortar papéis em formato de folha de árvore, para que os participantes escrevam suas intenções e as depositem numa caixinha. No último encontro, após a oração por essas intenções, queimar os papéis; 2 - Coroa da Novena de Natal; 3 - Vela (grossa), decorada com enfeites de Natal; 4 - Presépio, sem a imagem do Menino Jesus até o 8º encontro; ORIENTAÇÕES PRÁTICAS (Para os dirigentes, animadores e coordenadores)
  6. 6. 6 5 - uma bandeira branca, a Bandeira da Paz, a ser levada em todos encontros; 6-escolherumaúnica música,paracantofinalemtodososencontros; 7 - ou outro símbolo, de acordo com a criatividade do grupo. ● Importante a ser observado é a pontualidade no horário de início dos encontros; e não se alongar muito no tempo. Os avisos devem ser claros e objetivos. ● É importante ir ao encontro daquelas famílias que estão afastadas da comunidade ou que estão precisando de uma visita da comunidade. ● Fazer a apresentação das pessoas que estão participando pela primeira vez, de modo carinhoso. ● Muitos grupos gostam de combinar uma confraternização para o último dia da novena. ● Verificar ainda se haverá uma celebração de encerramento para toda comunidade paroquial. ● Fica a sugestão de uma encenação do nascimento de Jesus, no último dia da novena, após a leitura da Palavra. ● A novena que apresentamos é apenas um roteiro, que pode e deve ser enriquecido com a criatividade e a realidade da comunidade.
  7. 7. 7 PREPARANDO PARA NOVENA DE NATAL Dirigente: Estamos reunidos para prepararmos nossa Novena de Natal. A Novena de Natal esquentará nosso coração para celebrarmos bem o nascimento de Jesus. Vai colocar-nos diante da Palavra e da Vida. Fortalecerá nossa Comunidade. Para fazer com que todos esses frutos sejam percebidos, "quem é que vou enviar, quem irá de nossa parte?" Todos: Aqui estou, envia-me! Tua alegria será a nossa força! Dirigente: E todos vós, irmãos e irmãs, deixai que vossos corações se aqueçam, para que o medo, a tristeza, as injustiças, o ódio e o desespero sejam dissipados com o nascimento de Jesus! Todos: Senhor, aquece o nosso coração! Dirigente: Rezemos com Nossa Mãe, por todos nós, por nossa novena. O Magistério da Igreja nos ensina e nós acreditamos: em Maria, tudo se refere a Cristo e tudo depende dele. Nosso terço é, portanto, ocasião maravilhosa para nos aproximarmos de Cristo, na companhia de Nossa Senhora. Por meio dos mistérios da alegria, ela nos traz no colo ou nos conduz pela mão para chegarmos ao coração da Santíssima Trindade. Todos: Creio em Deus Pai... CANTO 1 º MISTÉRIO: Anunciação do Anjo Dirigente: Maria se encontrava em casa e em oração quando o anjo Gabriel lhe dirigiu uma saudação especial: "Ave, Maria! Cheia de graça". É assim que o Pai nos quer encontrar também nos dias de hoje. Empenhados em carregar a cruz da nossa história e abertos à sua Palavra. Todos: "Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua Palavra", Leitor (a) 1 - Rezemos o primeiro mistério por todas as pessoas que se recomendaram à nossa oração. Se essas pessoas nos pediram é porque estão precisando. (Lembrar os nomes das pessoas amigas e conhecidas pelas quais vamos rezar.) (1 Pai-nosso, 10 Ave-marias, Glória ao Pai) 2º MISTÉRIO: Visita a Isabel Dirigente: O primeiro efeito prático da resposta dada por Maria ao Pai foi o serviço da ajuda e da caridade que ela foi prestar à prima grávida e já idosa: Esse é o caminho de todo aquele que recebe Jesus em sua vida: ajudar os necessitados. Todos: "Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! " Orando com Nossa Senhora - Oração do Santo Terço
  8. 8. 8 Leitor(a) 2 - Rezemos o segundo mistério gozoso pelo Brasil, para que este país cresça de modo sustentável e ajude todos os seus filhos, especialmente os mais pobres e abandonados. (Lembrar o nome de pessoas e projetos que combatam a miséria. Citar exemplos da comunidade, paróquia e diocese). (1 Pai-nosso, 10 Ave-marias, Glória ao Pai) 3º Mistério: Nascimento de Jesus - Dirigente: A cena da gruta de Belém continua a interpelar a humanidade inteira. O próprio Deus se faz um de nós, nasce nos arredores de uma cidade pequena e é acolhido por uma família pobre. Para celebrar esse fato, não podemos desviar o olhar dos pobres e abandonados deste mundo. Todos: "Hoje nasceu o Salvador!" Leitor(a) 3 - Apresentemos como principal intenção desse terceiro mistério todas as crianças do mundo. Para que sejam protegidas, conheçam Jesus e alcancem a felicidade. (1 Pai-nosso, 10 Ave-marias, Glória ao Pai) 4º Mistério: Apresentação no Templo Dirigente: Maria e José levam Jesus para ser apresentado ao Senhor. Cumprem um costume de piedade e nos ensinam a cultivar a nossa fé respeitando a tradição da comunidade religiosa. No Templo, a Sagrada Família encontra Simeão e Ana que revelam a ela o duro caminho que seria percorrido pela criança que trazia nos braços. O caminho de Jesus é o nosso caminho. Todos: "Meus olhos viram a tua salvação". Leitor(a) 1 - Rezemos por todas pessoas do mundo. Para que, a exemplo do Salvador, sejam todos promotores da paz e testemunhas do amor. (Lembrar do Papa, dos bispos, dos padres e de outros líderes religiosos.) (1 Pai-nosso, 10 Ave-marias, Glória ao Pai) 5º Mistério: Reencontro com Jesus Dirigente: O menino Jesus se perde dos pais e fica no Templo conversando com as pessoas que conheciam a Escritura. Maria e José o reencontram e mesmo não compreendendo inteiramente o que ele diz, a Mãe guarda tudo em seu coração. Nós somos chamados a ter essa atitude em nossos dias: mesmo quando não entendemos perfeitamente somos chamados a meditar. Todos: "Todos ficam extasiados com sua inteligência." Leitor(a) 1 - Rezemos o último mistério da alegria e peçamos por cada uma das famílias aqui presentes na oração do nosso terço e por todas as outras que já participarão de nossa Novena. (Lembrar o nome das comunidades, setores, etc) (1 Pai-nosso, 10 Ave-marias, Glória ao Pai)
  9. 9. 9 PREPARANDO O AMBIENTE: Bíblia, vela e símbolos de Natal. ACOLHIDA Dirigente: Amados irmãos e irmãs, o senhor Deus nosescolheu “para sermos santos e íntegros diante Dele no amor” (Ef 1,4). Quer-nos santos e espera que nos entreguemos de corpo e alma nesta conquista. (Exortação Apostólica, Gaudete Exultate, Papa Francisco). A Novena de Natal, tempo forte de evangelização, nos abre caminhos para a busca da santidade. Mo- tivemos nossas famílias, nossa rua, nossa comunidade à participação da novena. Com alegria vamos glorificar a Deus e evocar a Paz para toda a humanidade. 1. ORAÇÃO INICIAL: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém! Dirigente: Bendito sejas, Deus da eterna luz, por esta grande notícia: hoje nasceu o Salvador. Canto: Ó Luz do Senhor, que vem sobre a terra, inunda meu ser, perma- nece em nós (2x) Acender a vela. Dirigente: Cantemos o refrão meditativo: Nossos olhos ganharão nova luz com tua presença, Jesus (3x) Dirigente: Rezemos: Vinde Espírito Santo, enchei... 2. MOTIVAÇÃO: A comunidade prepara o caminho. Dirigente: Com alegria e esperança, preparemos os caminhos em nos- sas comunidades para acolher Jesus e colocar em prática seu Projeto de Vida e Libertação. Leitor(a) 1: A vivência da “comunhão Fraterna” torna a comunidade capaz de se abrir e partilhar suas preocupações, sofrimentos, interesses, esperanças, alegrias e até bens materiais e espirituais. Leitor(a) 2: O exercício da escuta da palavra de Deus e sua prática dá à “Natal, Luz que brilha nas trevas” 1o DIA
  10. 10. 10 comunidade a capacidade de atitudes misericordiosas em favor dos doen- tes, idosos, indefesos, oprimidos... Leitor(a) 3: O que falta para nós enquanto comunidade, para colocar em prática o Projeto de Jesus? (Silencio). Todos: “O povo que andava nas trevas viu uma grande luz; sobre aque- les que habitavam uma região tenebrosa resplandeceu uma luz”. (Is 9,1) 3. HINO: Deixa a luz do céu entrar - cantado ou rezado 1 - Tu anseias, eu bem sei, por salvação, tens desejo de banir a escuridão abre, pois de par em par teu coração e deixa a luz do céu entrar. Deixa a luz do céu entrar (deixa a luz do céu entrar) Deixa a luz do céu entrar (deixa a luz do céu entrar) abre bem as portas do teu coração e deixa a luz do céu entrar 2 - Cristo a luz do céu, em ti quer habitar para as trevas do pecado dissi- par, teu caminho e coração iluminar e deixa a luz do céu entrar. 3 - Que alegria andar ao brilho dessa luz. Vida eterna e paz no coração produz. Oh! Aceita agora o Salvador Jesus e deixa a luz do céu entrar. 4. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: Em Belém, o Menino Jesus é luz esplendorosa do amor do Pai. Canto de acolhida à Palavra Leitura: Isaías 9,1-6 (Breve silêncio para que a palavra nos toque o coração e a mente.) 5. MOMENTO DA PARTILHA Dirigente: Porque nasceu para nós um menino, um filho nos foi dado e ele se chama “Conselheiro Maravilhoso”, “Deus Forte”, “Pai para sempre”, “Príncipe da Paz”. a – Reler o Versículo 5 e 6 e partilhar. b – Que importância tem a paz na vida da comunidade? c – Como podemos ajudar na preparação dos caminhos do Senhor? 6. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO Dirigente: Apresentamos a Deus nossa oração, para que sua presença se manifeste de alguma maneira em nossa vida diária e de modo especial durante esta novena. Todos: Conselheiro Maravilhoso, Deus forte, Pai para sempre, Príncipe da Paz, acolhe nossos pedidos.
  11. 11. 11 ● Por todas as crianças que foram arrancadas do seio de suas mães; as que foram abortadas, os filhos de refugiados, as que foram traficadas, rezemos ao Senhor. ● Por todos que vivem na escuridão do pecado, para que possam en- contrar a verdadeira Luz, rezemos ao Senhor. ● Para que as comunidades sejam promotoras da Paz, rezemos ao se- nhor. Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 7. GESTO CONCRETO / AVISOS - Conversar sobre o gesto concreto assumido, compromisso para os par- ticipantes. - Convidar uma família afastada do convívio da comunidade para o 2º encontro da novena. - Preparar-se para o 2º encontro, lendo Mateus 3, 1-12. - Local do encontro de amanhã... 8. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO Todos: Unidos a Jesus, nossa luz, rezemos ao Pai para que nos guarde do mal e nos livre da tentação de andar na escuridão do egoísmo. Que Nossa Senhora da Luz nos ajude a viver como filhos da luz. Amém! Dirigente: O Deus da esperança, da alegria e da paz permaneça com todos nós, agora e para sempre. Todos: Amém! 9. CANTO FINAL: Agora é tempo. Paróquia São Vicente de Paulo
  12. 12. 12 PREPARANDO O AMBIENTE: Bíblia com uma fita branca como separador de páginas, uma pomba branca, gravura ou foto, vela, símbolos do Natal. ACOLHIDA: Com alegria iniciemos o segundo dia da Novena de Natal. Acolhendo de modo especial a família que nos recebe e os que vieram pela primeira vez. Iniciemos com um caloroso abraço da paz! 5. ORAÇÃO INICIAL: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo Amém! Dirigente: “Alegra-te cheia de graça! O Senhor está contigo... não te- nhais medo, Maria! Encontraste graça junto de Deus.” Dirigente: O anjo do Senhor anunciou a Maria. Todos: E ela concebeu do Espírito Santo. Ave, Maria... Dirigente: Eis aqui a serva do Senhor, Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra. Ave, Maria... Dirigente: E o verbo se fez carne, Todos: E habitou entre nós. Ave, Maria... Dirigente: Rogai por nós, Santa mãe de Deus Todos: Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Dirigente: Infundi, Senhor, em nossos corações a vossa graça, a fim de que, conhecendo pelo anúncio do anjo, a encarnação de Jesus Cristo, vosso Filho, cheguemos, pelos merecimentos de sua Paixão e Morte, a glória da Ressurreição. Pelo mesmo Cristo Senhor Nosso. Amém! 6. MOTIVAÇÃO: Profetismo, aquele que anuncia e denuncia. Dirigente: O profetismo faz a distinção entre o que é certo e o que é errado, entre o que convêm e o que não convém, entre o que é vontade de Deus e o que é deste mundo.. Leitor(a) 1: A Bíblia Sagrada nos apresenta a presença de muitos profe- tas: Amós que denuncia o pecado de seu povo e toda e qualquer situação de injustiça. Isaias que anuncia a libertação e a salvação consolando os aba- tidos. Ageu que exorta os fiéis abatidos pelo desânimo a prosseguirem no caminho da fé... Construtores e Construtoras da Paz 2o DIA
  13. 13. 13 Leitor(a) 2: Voltemos um olhar para nós, para nossos tempos, para nos- sa nação brasileira. Nos dias de hoje, nesta Terra de Santa Cruz, o profetis- mo parece estar mergulhado em uma profunda crise. Leitor(a) 3: Com esperança, olhemos para nossas famílias, nossas co- munidades, animadores e animadoras de rua. Que sejamos impelidos(as) a assumir nossa missão profética, a sermos mensageiros(as) em nossa casa, comunidade e em nossas famílias, do anúncio da Boa Nova de Jesus Cristo. Todos: E a você, menino, chamarão profeta do Altíssimo, porque irá à frente do Senhor, para preparar-lhe os caminhos. 7. HINO: Se calarem a voz dos profetas – cantado ou rezado 1 - Se calarem a voz dos profetas, as pedras falarão! Se fecharem uns poucos caminhos, mil trilhas nascerão! Muito tempo não dura a verdade nestas margens estreitas demais: Deus criou o infinito pra vida ser sempre mais. É Jesus este Pão de igual- dade: viemos pra comungar com a luta sofrida do povo, que quer ter vez, ter voz, lugar. Comungar é tornar-se um perigo: viemos pra incomodar! Com a fé e a união nossos passos um dia vão chegar. 2 - O Espírito é vento incessante, que nada há de prender. Ele sopra até o absurdo que a gente não quer ver. 3 - No banquete da festa de uns poucos, só rico se sentou. Nosso Deus fica ao lado dos pobres, colhendo o que sobrou. 4 - O poder tem raízes na areia, o tempo o faz cair. União é a rocha que o povo usou pra construir. 5 - Toda luta verá o seu dia nascer da escuridão. Ensaiamos a festa e a alegria, fazendo comunhão. 8. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: Preparemo-nos para ouvir a Palavra de Deus. Canto de acolhida à Palavra Leitura: Mateus 3, 1-12 (Breve silêncio para que a palavra nos toque o coração e a mente.) 5. MOMENTO DA PARTILHA Dirigente: João Batista o último e o maior dos profetas, proclamou o arrependimento e desmascarou os líderes religiosos. a – Reler o Versículo 11 e partilhar. b – Como a Novena de Natal pode nos ajudar a buscar “uma mudança radical de vida”, proposta por João Batista? c – Como podemos ser profetas em nossas comunidades?
  14. 14. 14 6. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO Dirigente: Irmãos e irmãs, peçamos ao Senhor que transforme nossa forma de pensar e agir no mundo, para que preparemos os seus caminhos. Todos: Transforma, Senhor! ● O nosso coração e as nossas atitudes injustas. ● As nossas famílias, para que sejam mais solidárias. ● Os animadores e animadoras de rua para que anunciem com profetis- mo a Boa Nova e denunciem toda e qualquer situação de injustiça. Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 7. GESTO CONCRETO / AVISOS - Reforçar o gesto concreto da paróquia para este Natal. - Ler Isaias 35, 1-10 - Preparar-se para o 3º encontro que será na rua.... 8. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO Todos: Ó Deus, que por João Batista nos inspiraste a forma concreta de receber o teu Filho que vem, transforma a nossa vida, para que manifes- temos ao mundo a tua justiça. Por nosso Senhor Jesus Cristo, teu filho, na unidade do Espirito Santo. Amém! Dirigente: O Deus da esperança, da alegria e da paz permaneça com todos nós, agora e para sempre. Amém! Dirigente: Continuemos vigilantes na espera. Louvado seja nosso Se- nhor Jesus Cristo! Todos: Para sempre seja louvado! 9. CANTO FINAL: Agora é tempo. CEBs Paróquia São Francisco de Assis
  15. 15. 15 PREPARANDO O AMBIENTE: Vela, Bíblia aberta na passagem indicada (Is 35, 1,-10) e uma planta. ACOLHIDA: Com o ambiente preparado e, as velas ainda apagadas, acolher a todos com abraço caloroso e caso tenha alguém que esteja pela primeira vez, que seja apresentado e acolhido. Iniciar com o sinal da cruz rezado ou cantado. 1. ORAÇÃO INICIAL Dirigente: É com alegria que nos reunimos neste terceiro encontro da nossa Novena de Natal, que a vela que acendemos neste momento, ilumi- ne também os nossos corações e, nos inspire a perceber a amizade e a bon- dade de Deus para conosco, nos escolhendo como seu povo e, mudando a nossa sorte. Rezemos a Oração do Espírito Santo. 2. MOTIVAÇÃO Dirigente: O tempo do Advento nos mantém em alerta, em espera, e nos convida a nos preparar para um grande acontecimento. Em nosso dia a dia também vivemos preparando e esperando constantes “adventos” Leitor(a) 1: A visão de esperança anunciada no livro do profeta Isaias, tem limites. Ela não se dá na cidade de Jerusalém, mas a caminho de Sião, em meio a marcha dos libertados, o que supõe a derradeira confiança no Libertador. Leitor(a) 2: O povo que se voltou para o seu Deus e assumiu a dura cami- nhada de retorno à terra, à casa, ao país destruído. Essa volta exigirá constân- cia e disposição para sair do conforto da opressão (ainda que ela seja terrível, é segura) para a insegurança da marcha pelo caminho de salvação. Leitor(a)3:Masquemsearriscarnessecaminho não errará,nemmesmo os loucos! Natal: Sinal de Esperança 3o DIA
  16. 16. 16 Todos: Que a indignação contra tantos desmandos, injustiças e privilé- gios inconcebíveis em nosso meio, não nos prive jamais da Esperança que liberta. Pois precisamos anunciar aos quatro ventos: Deus Vem! 3. HINO: Utopia - rezado ou cantada. 1 - Quando o dia da paz renascer. Quando o sol da esperança brilhar. Eu vou cantar. Quando o povo nas ruas sorrir e a roseira de novo florir, eu vou cantar! 2 - Quando as cercas caírem no chão. Quando as mesas se encherem de pão. Eu vou cantar. Quando os muros que cercam os jardins destruídos, en- tão os jasmins vão perfumar! Vai ser tão bonito se ouvir a canção, cantada de novo. No olhar da gente a certeza de irmãos: Reinado do Povo. 3 - Quando as armas da destruição, destruídas em cada nação, eu vou sonhar! E o decreto que encerra a opressão. Assinado só no coração, vai triunfar! 4 - Quando a voz da verdade se ouvir e a Mentira não mais existir, será, enfim. Tempo novo de eterna justiça. Sem mais ódio, sem sangue ou cobi- ça: vai ser assim 4. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: Que os nossos ouvidos se abram e, que acolhamos com ge- nerosidade a Sua Palavra. Canto de acolhida à Palavra Leitura: Isaias 35, 1-10 (Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente) 5. MOMENTO DE PARTILHA Dirigente: O texto que acabamos de ler provém de alguma época pos- terior ao Exílio Babilônico. O povo de Deus estava espalhado por muitos lugares, ou seja, estavam longe de sua terra.O povo e a natureza estavam tristes. E é em meio a esta tristeza, que surge a promessa de que isso irá mudar. Os fracos ficarão fortes; cegos verão; surdos escutarão...; haverá um novo caminho, o Caminho Santo (v.8) a - Que parte da leitura se parece com a nossa realidade? b - Onde encontramos sinais de esperança em meio a nossas tristezas? c - Você acha que estas coisas podem acontecer em nossos dias? Como? 6. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO Dirigente: Nossa fé tem uma esperança muito bonita. Esta esperança se alimenta da promessa do Reino de Deus. Sonha com um novo céu e uma nova terra, nos quais habita a justiça. (2Pd 3,13)
  17. 17. 17 Todos: Senhor, que sejamos anunciadores de esperança e paz! ● Não sei fazer surdo ouvir, mas ajuda-me a aprender sua linguagem de sinais, para me comunicar com eles, rezemos ● Não sei fazer pessoas paralíticas andarem mas, ajuda-me Senhor a ser para elas uma companhia amiga, rezemos ● Ajuda-nos Senhor a sermos solidário com as pessoas que sofrem, re- zemos Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 7. GESTO CONCRETO / AVISOS - Conversar sobre o gesto concreto assumido, compromisso para os par- ticipantes 8. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO Dirigente: Ó Deus, amigo da humanidade, pelos profetas anunciaste ao mundo a vinda do teu Filho Jesus Cristo. Ajuda-nos a testemunhar o seu nome e a perceber os sinais de sua vinda em nossa história. Conforme a Tua promessa, esperamos ver a plena manifestação daquele que veio e sempre vem criar em nosso mundo, novo céu e nova terra. Por Cristo, nos- so Senhor. Amém Dirigente: O Deus da paz encha nossos corações de alegria e que o seu Espírito, nos mantenha na esperança e no amor até a vinda de Jesus Cristo. Amém! - Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo Para sempre seja louvado 9. CANTO FINAL: Agora é tempo... CEBs Paróquia São Silvestre
  18. 18. 18 PREPARANDO O AMBIENTE: Vela, Bíblia aberta na passagem que será lida (Mt 1, 18-25), imagem de São José ou cartaz e um vaso de planta. ACOLHIDA: Com o ambiente preparado, acolher a todos com abraço calo- roso e caso tenha alguém que esteja pela primeira vez, que seja apresentado e acolhido. 1. ORAÇÃO INICIAL Dirigente: Iniciemos com o Sinal da Cruz -que pode ser rezado ou canta- do. Invocar a Luz do Espírito Santo. Cantemos: Meu bom José (pe Zezinho https://www.vagalume.com.br/ padre-zezinho/meu-bom-jose.html) 1 - Olhe o que foi meu bom José. Se apaixonar pela donzela Dentre todas a mais bela. De toda a sua Galileia 2 - Casar com Débora ou com Sara. Meu bom José, você podia E nada disso acontecia. Mas você foi amar Maria 3 - Você podia simplesmente. Ser carpinteiro e trabalhar Sem nunca ter que se exilar. De se esconder com Maria 4 - Meu bom José, você podia.Ter muitos filhos com Maria E teu ofício ensinar. Como teu pai sempre fazia 5 - Por que será, meu bom José. Que este teu meigo filho um dia Andou com estranhas idéias. Que fizeram chorar Maria 6 - Me lembro às vezes de você. Meu bom José, meu pobre amigo Que desta vida só queria ser feliz com sua Maria 7 - Me lembro às vezes de você. Meu bom José, meu pobre amigo Que desta vida só queria ser feliz com sua Maria 2. MOTIVAÇÃO Dirigente: Para José, a evidência depunha contra Maria. Quando tudo pa- recia terminar para José, Deus transformou sua frustração em uma grande tarefa a ser cumprida: ser o pai adotivo do Salvador. Leitor (a) 1: O que aos olhos de José parecia o fim do mundo é o começo Com José, não temos medo de sonhar 4o DIA
  19. 19. 19 da história da salvação: a encanação do Redentor, o cumprimento das pro- fecias, a realização da esperança do povo de Deus. Onde José não via outra saída, a não ser o abandono da esposa, acontece a entrada de Deus na his- tória humana. Leitor (a) 2: Aquilo que era um drama se torna o início de uma caminhada que transformaria os rumos do mundo. Leitor(a) 3: José por ser justo, não obedeceu as leis de pureza. Sua justiça era maior e levou-o a defender a vida tanto de Maria como de Jesus. Ma- teus manda um aviso para as comunidades: Se o cumprimento rigoroso da lei acontecesse, daria na morte de Maria e do Messias! Todos: “Se a justiça de vocês não for maior que a dos escribas e fariseus, não poderão entrar no Reino do céu” (Mt 5,20). 3. HINO: Oração pela Família - cantado ou rezado ─ Que nenhuma família comece em qualquer de repente. Que nenhuma família termine por falta de amor. Que o casal seja um para o outro de corpo e de mente. E que nada no mundo separe um casal sonhador! ─ Que nenhuma família se abrigue debaixo da ponte. Que ninguém inter- fira no lar e na vida dos dois. Que ninguém os obrigue a viver sem nenhum horizonte. Que eles vivam do ontem, do hoje em função de um depois. ─ Que a família comece e termine sabendo onde vai. E que o homem car- regue nos ombros a graça de um pai. Que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor. E que os filhos conheçam a força que brota do amor! Abençoa, Senhor, as famílias! Amém! Abençoa, Senhor, a minha tam- bém (bis) ─ Que marido e mulher tenham força de amar sem medida. Que ninguém vá dormir sem pedir ou sem dar seu perdão. Que as crianças aprendam no colo, o sentido da vida. Que a família celebre a partilha do abraço e do pão! ─ Que marido e mulher não se traiam, nem traiam seus filhos. Que o ci- úme não mate a certeza do amor entre os dois. Que no seu firmamento a estrela que tem maior brilho. Seja a firme esperança de um céu aqui mesmo e depois. ─ Que a família comece e termine sabendo onde vai. E que o homem car- regue nos ombros a graça de um pai. Que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor. E que os filhos conheçam a força que brota do amor! 4. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: Vamos ouvir o texto sobre a origem de Jesus, como José rece- beu a notícia da gravidez de Maria e como o anjo indicou o nome a ser dado ao menino. Prestemos atenção no que o texto nos informa sobre Jesus.
  20. 20. 20 Canto de acolhida à Palavra Leitura: Mateus 1, 18-25 (Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente) 5. MOMENTO DE PARTILHA Dirigente: A gravidez de Maria acontece antes de ela conviver com José. Esta gravidez ocorre não por desvio humano, mas por vontade divina. Deus burlou as leis de pureza para que o Messias pudesse nascer no meio de nós! a - Qual ponto mais chamou a sua atenção no texto? b - Quais os nomes que o menino recebe? Qual o projeto escondido nes- tes nomes? c - Como entender a atitude de José? O que esta atitude ensina para nós? 6. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO Dirigente: Anjo é o mesmo que mensageiro. Ele traz uma mensagem que ajuda a perceber a ação de Deus na vida. Todos: Venha o teu Reino Senhor! ● Senhor, ajuda-nos a perceber os anjos que nos orientam na vida, reze- mos ● Senhor, ajuda-nos a perceber tua presença no meio de nós, rezemos ● Senhor, liberta-nos de todas as leis que possam nos oprimir, rezemos Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 7. GESTO CONCRETO / AVISOS - Conversar sobre o gesto concreto assumido, compromisso para os par- ticipantes 8. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO Dirigente: Ó Deus de bondade! Olha o teu povo reunido nesta Novena de Natal. Dá-nos a graça de acolher, com muita alegria, nosso Senhor Jesus Cristo que vem e anunciar, com nossa vida, o mistério de sua Encarnação em nossa humanidade. Por Cristo, nosso Senhor. Amém Dirigente: A paz de Deus, que supera toda compreensão, guarde nossos corações e nossos pensamentos em Cristo nosso Senhor, agora e para sem- pre. Amém Dirigente: Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo. Para sempre seja louvado 9. CANTO FINAL: Agora é tempo...
  21. 21. 21 PREPARANDO O AMBIENTE: Bíblia; símbolos do Natal; cartaz com o tema do encontro; manjedoura sem o Menino Jesus. ACOLHIDA: Acolher de forma espontânea e calorosa a todos, principal- mente as crianças e os que estão participando pela primeira vez; e agrade- cer a família da casa. 1. ORAÇÃO INICIAL Dirigente: O encontro com Deus e a humanidade acontecem porque a jovem Maria acreditou e se colocou a serviço da vida, recebendo em seu seio o Libertador. Iniciemos o nosso encontro recordando o sinal de nosso batismo cantando: “Em nome do Pai, ...” Leitor(a) 1: O Anjo do Senhor anunciou à jovem Maria. Todos: E ela concebeu do Espírito Santo. Leitor(a) 2: Eis aqui a serva do Senhor. Todos: Faça-se em mim segundo a vossa Palavra. Leitor(a) 3: E o Verbo divino se fez gente. Todos: E veio morar entre nós. 2. MOTIVAÇÃO (sentados). Dirigente: Acompanhem a história de Ana que se assemelha a história de tantas outras mulheres que se colocam a serviço do Reino. Leitor(a) 1: Ana, como quase todas as mulheres, acumula turnos de tra- balho. É professora de uma escola estadual; cuida da casa e de sua família, junto de seu marido. Leitor(a) 2: Eles têm três filhos menores. Ana está sempre presente nas reuniões de pais e faz parte da AAE (Associação de Amigos da Escola), “A fé nos leva a servir” 5o DIA
  22. 22. 22 sendo muito ativa. Acredita que este pode ser um espaço de luta para melhorar a qualidade da educação para todos. Leitor (a) 3: Ana se envolve muito nas decisões tomadas na escola, dedi- cando parte de seu tempo em buscar alternativas que possam ajudar prin- cipalmente aqueles que mais precisam. Leitor (a) 4: Entende que como discípula de Jesus, não deve se preocu- par por melhorias apenas para seus filhos, mas a todos os alunos da escola. Como participante da AAE vive a dimensão social da evangelização. Todos: Somos chamados a testemunhar Jesus não apenas no meio eclesial, mas também e principalmente no meio social. 3. HINO: “Missão de todos nós” - Zé Vicente - cantado ou rezado O Deus que me criou, me quis me consagrou. Para anunciar o seu amor (bis) Eu sou como chuva em terra seca (bis) Pra saciar, fazer brotar eu vivo pra amar e pra servir! (bis) É missão de todos nós, Deus chama, eu quero ouvir a sua voz! (bis) Eu sou como a flor por sobre o muro (bis) Eu tenho mel, sabor do céu; Eu vivo pra amar e pra servir (bis). Eu sou como estrela em noite escura (bis) Eu levo a luz, sigo a Jesus; Eu vivo pra amar e pra servir! (bis) Eu sou como abelha na colmeia (bis) Eu vou voar, vou trabalhar; Eu vivo pra amar e pra servir (bis) Eu sou, sou profeta da verdade (bis) Canto a justiça e a liberdade; Eu vivo para amar e pra servir! (bis) 4. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: Em atenção à exigência da Palavra, a jovem Maria decide se colocar em ação. Somos convidados a seguir o exemplo dela, levando tam- bém o que temos de mais precioso: Jesus, o seu Evangelho e o testemunho concreto de nossa ação. Canto de acolhida à Palavra Leitura: Lucas 1,39-45 (Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente) 5. MOMENTO DE PARTILHA Dirigente: Colocar-se a serviço do Reino, muitas vezes significa deixar de fazer algo para nós mesmos em função de uma necessidade maior do outro a - Quem pode ser este outro? b - Que relação existe entre o Evangelho e a história de Ana?
  23. 23. 23 6. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO Dirigente: Elevemos neste momento nossas preces ao nosso Criador e Pai, dizendo: Todos: Senhor,atendei as nossas preces! ● Que possamos estar inseridos no mundo, vivendo uma espiritualida- de encarnada no seguimento do teu Filho Jesus, rezemos. ● Que tenhamos a coragem de nos colocar a serviço daqueles que mais precisam, rezemos. ● Não deixemos que nos roubem o entusiasmo missionário do anúncio do Reino ao mundo, rezemos. Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 7. GESTO CONCRETO / AVISOS - Conversar sobre o gesto concreto assumido, compromisso para os par- ticipantes. - Local do próximo encontro; Aniversariantes do dia. 8. ORAÇÃO FINAL/BENÇÃO Todos: Maria, Nossa Senhora, Mãe do Menino e de todos nós, pede ao teu Filho que nos ajude a enxergar as necessidades de nossos irmãos e a nos colocar sempre a serviço. Que sejamos anunciadores do Reino e de- nunciadores de tudo o que é contra a proposta de amor do Pai. E que pela tua intercessão sejamos todos abençoados. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém 9. CANTO FINAL: “Agora é tempo...” Encontro Espiritualidade das CEBs
  24. 24. 24 PREPARANDO O AMBIENTE: Bíblia; símbolos do Natal; cartaz com o tema do encontro; manjedoura sem o Menino Jesus. ACOLHIDA: (Acolher de forma espontânea e calorosa a todos, principal- mente as crianças e os que estão participando pela primeira vez; e agrade- cer a família da casa) 1. ORAÇÃO INICIAL: Dirigente: Iniciemos o nosso encontro recordando o Sinal de nosso Ba- tismo, cantando: “Em nome do Pai, ...” Dirigente: Estamos no Tempo do Advento, tempo de preparação para celebrar o Natal do Senhor. A melhor preparação é fazer um exame de consciência, como discípulos e discípulas de Jesus, para ver se estamos re- almente assumindo a nossa missão de cristãos. Todos: Que Maria, nosso modelo de missionária, nos ajude nessa pre- paração. Leitor(a) 1: O Anjo do Senhor anunciou à jovem Maria. Todos: E ela concebeu do Espírito Santo. Leitor(a) 2: Eis aqui a serva do Senhor. Todos: Faça-se em mim segundo a vossa Palavra. Leitor(a) 3: E o Verbo divino se fez gente. Todos: E veio morar entre nós. 2. MOTIVAÇÃO (sentados). Dirigente: Graças a Deus, hoje em nossa Igreja, temos muitos ministérios exercidos por leigos e leigas: ministérios de Agentes de Pastoral; da Palavra; Extraordinários da Comunhão; Coordenadores; Animadores; Catequistas. Leitor(a) 1: Porém, apesar de se notar uma maior participação de mui- “Missão dos Cristãos” 6o DIA
  25. 25. 25 tos nesses ministérios, este compromisso não se reflete na penetração dos valores cristãos no mundo social, políticos e econômico. (E.G. nº 102) Leitor(a) 2: Limita-se muitas vezes às tarefas no seio da Igreja, sem um empenho real pela aplicação do Evangelho na transformação da sociedade. (E.G. nº 102) Leitor(a) 3: É como se eu dissesse, por exemplo: “Hoje já realizei minha missão na Igreja, ou seja, já levei a comunhão aos enfermos; ou, já fiz o encontro com os meus catequisandos”; e por aí vai. Leitor(a) 1: Desconheço que o primeiro campo e âmbito da missão do cristão leigo é o mundo. (Doc. 105, CNBB, nº 63) Dirigente: Que tal retomar e refletir um pouquinho sobre essa realida- de? Somos de fato missionários ou apenas tarefeiros na Igreja? 3. HINO: “Povo Novo” (Zé Vicente) - cantado ou rezado Quando o espírito de Deus soprou o mundo inteiro se iluminou. A espe- rança na terra brotou e o povo novo deu-se as mãos e caminhou. Lutar e crer, vencer a dor, louvar ao criador! Justiça e paz hão de reinar e viva o amor! Quando Jesus a terra visitou, a boa nova da justiça anunciou: O cego viu, o surdo escutou e os oprimidos das correntes libertou. Nosso poder está na união, o mundo novo vem de Deus e dos irmãos; vamos lutando contra adi- visão e preparando a festa da libertação! Cidade e campo se transformarão, jovensunidos na esperança gritarão. A força novaé o poder do amor, nossa fraqueza é força em Deus libertador! 4. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: Jesus identificou a sua missão com a missão do profeta, no início do capítulo 61 do Livro de Isaías. Nós, como discípulos e discípulas de Jesus, temos a mesma missão d’Ele. Canto de acolhida à Palavra Leitura: Lucas 4,16-21 (Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente) 5. MOMENTO DE PARTILHA Dirigente: Estamos no momento central do nosso encontro: a Palavra vem para nos alimentar e nos confirmar na missão de cristãos.
  26. 26. 26 a - Qual o campo da realização da missão de Jesus? Comente. b - Ligando com a “Motivação” do item 2, qual o campo da nossa missão de cristãos? c - A exemplo das libertações realizadas por Jesus, como podemos reali- zar nossa missão que continua sendo a missão de Jesus? d - Como colaborar para restaurar a situação do nosso país, que se en- contra tão dilapidado? 6. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO Dirigente: Pai Santo, que nos enviastes o teu Filho, nosso Deus encarna- do, queremos atualizar o mistério da Encarnação, do Natal, em nossa vida. Como missionários, contando com a força do teu Espírito, gritamos Todos: Clamamos por tua libertação, Senhor. ● Não deixemos que nos roubem o entusiasmo missionário!Não deixe- mos que nos roubem a alegria da evangelização! ● Não deixemos que nos roubem a comunidade!Não deixemos que nos roubem o Evangelho! ● Não deixemos que nos roubem a comunidade!Não deixemos que nos roubem o ideal do amor fraterno! Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 7. GESTO CONCRETO / AVISOS - Conversar sobre o gesto concreto assumido, compromisso para os par- ticipantes. - Local do próximo encontro; Aniversariantes do dia. 8. ORAÇÃO FINAL / BENÇÃO Dirigente: Senhor Jesus, pela intercessão de vossa e nossa Mãe Maria, a missionária por excelência, fortalecei na força do vosso Espírito a nossa missão de cristãos no mundo; e abençoai-nos com todas as bênçãos e gra- ças espirituais: “Em nome do Pai...” 9. CANTO FINAL: “Agora é tempo...”
  27. 27. 27 PREPARANDO O AMBIENTE: Bíblia, vela, colcha de retalhos, símbolo da Novena de Natal. – de acordo com a realidade local. ACOLHIDA 1. ORAÇÃO INICIAL Em nome do Pai... (Quem coordena faz uma breve introdução e convida a acolher a Luz do Senhor. Enquanto alguém da casa acende a vela, e todos cantam) Todos: Deixa a luz do céu entrar abre bem as portas do teu coração e deixa a luz do céu entrar. (bis) Dirigente: Rezemos o Ângelus com o coração agradecido à nossa Mãe Santíssima, que ao dizer sim a Deus, ofereceu a toda humanidade a certeza do amor. Dirigente: O Anjo anunciou a Maria. Todos: E ela concebeu do Espírito Santo. Ave Maria... Dirigente: Eis aqui a escrava do Senhor. Todos: Faça-se em mim segundo a vossa palavra. Ave Maria... Dirigente: E o Verbo se fez carne. Todos: E habitou entre nós. Ave Maria... CANTEMOS: Nossa Novena será abençoada, pois o Senhor vai derramar o Seu amor (bis) Derrama ó Senhor! Derrama ó Senhor! Derrama sobre os o Teu amor! (bis) 2. MOTIVAÇÃO Dirigente: Este sétimo encontro nos anuncia a Boa Notícia, para viver- mos na Luz que é Cristo, mas nossas comunidades estão vivendo na escuri- dão e no medo, pois sua liberdade esta ameaçada pela exploração, injustiça e violência Leitor(a) 1: Jesus veio ao mundo para resgatá-lo do egoísmo e de todas Solidariedade com os sofredores 7o DIA
  28. 28. 28 formas de pecado. Vivemos uma grande vergonha. O maior país católico do mundo tem um grande desafio: superar as desigualdades sociais. Leitor(a) 2: O escândalo da exclusão e da violência na sociedade con- sumista exigem de nós a solidariedade. A primeira comunidade cristã era exemplo era de solidariedadecristã: “Não havia necessitados entre eles!” (At 4,34). Leitor(a) 3: As condições de vida de milhões de abandonados contradi- zem o projeto de Deus e desafiam os cristãos a um compromisso em prol da vida. Nos pobres e excluídos, a dignidade humana esta profanada. Todos: Pratiquemos atos de amor, caridade e partilha. Pequenas ações podem tornar nossas comunidades mais justas e solidárias. Lutemos por políticas públicas eficazes que garantam um futuro melhor para nossas crianças, adolescentes e jovens e, que esse Natal seja um tempo privile- giado de conversão e de solidariedade. Somos chamados a ser uma Igreja Samaritana – sacramento de amor, de solidariedade e de justiça. 3. HINO: De mãos dadas a caminho - cantado ou rezado. 1 - Somos gente da esperança. Que caminha rumo ao Pai. Somos povo da Aliança. Que já sabe aonde vai. 2 - De mãos dadas a caminho. Porque juntos somos mais, Pra cantar o novo hino. De unidade, amor e paz. 3 - Para que o mundo creia. Na justiça e no amor, Formaremos um só povo, Num só Deus, um só Pastor. 4 - Todo irmão é convidado. Para a festa em comum: Celebrar a nova vida. Onde todos sejam um. 4. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: Um Deus que esconde sua grandeza na pequenez de uma criança, na pobreza de um nascimento fora da cidade e longe dos grandes e poderosos. Canto de acolhida à Palavra Leitura: Lucas 2, 8-11 (Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente) 5. MOMENTO DE PARTILHA a - Quem são os primeiros a receber a boa noticia? b - O que o anjo disse aos pastores? c - Quais são os anjos, que hoje anunciam a boa notícia em nossas co- munidades?
  29. 29. 29 6. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO Dirigente: A revelação de Deus convidou os humildes pastores à mis- são. E imediatamente começaram a espalhar as boas novas. O mesmo é verdade hoje em dia. Todos são responsáveis pelo bem de todos. O amor e a solidariedade desfazem a indiferença e nos coloca a serviço de irmãos e irmãs que perderam sua liberdade e dignidade humana. Os discípulos missionários devem anunciar ações novas, que promovam a vida plena. Todos: Senhor, escutai nossa prece. ● Senhor, que na pratica da solidariedade cristã possamos ajudar, com nosso apoio legal e espiritual, os migrantes, retirantes e refugiados. Reze- mos: ● Senhor, que na pratica da solidariedade cristã estejamos abertos ao sofrimento dos irmãos que não são respeitados em seus direitos trabalhis- ta e aos desempregados.Rezemos: ● Senhor, que todas pessoas se conscientizem e busquem à Luz do Evan- gelho de Jesus, ser solidárias aos irmãos que sofrem algum tipo de injustiça. Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 7. GESTO CONCRETO / AVISOS Dirigente: O tempo para o final da novena esta ficando curto. Já esco- lhemos o nosso gesto concreto e dividimos as tarefas para bem realizá-lo. Hoje é dia de uma revisão geral sobre como as tarefas tem sido realizadas. Qualquer que tenha sido o gesto concreto escolhido é importante que to- dos participem de algum modo.(Conversar) 8. ORAÇÃO FINAL/BENÇÃO Dirigente: O Evangelho que partilhamos nos apresenta os pastores como os primeiros missionários anunciadores do Menino Deus (Jesus). Hoje a missão é de todos nós anunciarmos essa grande novidade com ale- gria, pois nasceu para nós o libertador, o Cristo Jesus que nos fortalece contra o medo, o individualismo e a vontade de explorar as pessoas com as quais nos relacionamos no dia a dia. Dirigente: O Deus fonte de toda a vida, nos dê a sua bênção e paz, agora e sempre. Amém! ─ Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo. Todos: Para sempre seja louvado! 9. CANTO FINAL Sugestão: Agora é tempo...
  30. 30. 30 PREPARANDO O AMBIENTE: Bíblia, vela, colcha de retalhos, símbolo da Novena de Natal, de acordo com a realidade local ACOLHIDA 1. ORAÇÃO INICIAL Todos: Em nome do Pai... Dirigente: A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comu- nhão do Espírito Santo estejam sempre conosco! Todos: Bendito seja Deus, que ilumina as nossas vidas com a Luz de Jesus Cristo, seu Filho, a quem esperamos com toda a ternura do coração. Amém! CANTO DE ABERTURA ─ Vem, ó Deus da vida, vem nos ajudar! (bis) Vem, não demores mais, vem nos libertar. (bis) ─ O Senhor nos chama para a conversão, (bis) A ele preparemos nosso coração! (bis) ─ Em pé vigilantes, juntos na oração, (bis) Vamos ao seu encontro, lâm- padas nas mãos! (bis) ─ Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito. (bis) Gloria à Trindade San- ta, glória ao Deus Bendito. (bis) ─ Aleluia, irmãs, aleluia, irmãos! (bis) Nosso Senhor vem vindo, a Deus louvação! (bis) CANTEMOS: Nossa Novena será abençoada, pois o Senhor vai derramar o Seu amor (bis) Derrama ó Senhor! Derrama ó Senhor! Derrama sobre os o Teu amor! (bis) 2. MOTIVAÇÃO Dirigente: Em nossa sociedade, com presença da mídia que destrói nos- sos valores, do desemprego, dos direitos básicos ameaçados e/ou retira- dos, da destruição do meio ambiente, com desmatamento e poluição das águas, etc., nos, sentimos muito desanimados. A força escondida do Reino 8o DIA
  31. 31. 31 Leitor(a) 1: Então,olhamos para a realidadede nosso povo e, como Jesus, sentimos também uma grande compaixão. Diante da carência de tantos, da desigualdade e da injustiça, não vamos ficar indiferentes. Queremos fazer da Igreja uma verdadeira Comunidade, casa de todos, onde ninguém se sinta sozinho ou abandonado Leitor(a) 2: Encontrar-se com pessoas que ainda sonham com um mun- do melhor, que querem um novo céu e uma nova terra, nos quais habita a justiça, fortalece a fé, faz voltar a esperança. Quando a gente se encontra com irmãos e irmãs, em comunidade, o Senhor Jesus aparece, está no meio de nós, e sua presença nos revigora, nos fortalece novamente, nos anima a ser um Cristo para os outros. E aí, animados pela fé, e bem certos da vitória, voltamos a ter esperança. Levamos essa esperança a todas as pessoas que sofrem, sendo solidários com elas. Procuramos maneiras de fazê-las mais felizes. São ospequenos sinais do Reino de Deus Leitor(a) 3: Não sabemos fazer surdos ouvirem, mas podemos aprender sua linguagem de sinais, e comunicar com eles. Não sabemos fazer pessoas que andam em cadeiras de rodas andar, mas podemos nos tornar amigos delas. Não sabemos fazer cegos voltarem a ver, mas podemos nos oferecer para ajudá-Ios em seu caminho. Podemos repartir nosso pão com os que têm fome. Podemos abraçar as pessoas que choram. Podemosser solidá- rios com as pessoas que sofrem. Podemos levar alegria aos lugares em que há tristeza. Mais do que tudo, podemos lutar, podemos engajar na busca por um mundo melhor para todas as pessoas. Todos: Neste tempo favorável do Natal, fortalecidos pela oração, que- remos nos dedicar ao serviço, ao diálogo e ao anúncio, fermentando nos- sos ambientes com a Palavra e o testemunho, promovendo a vida edigni- dade, com a certeza de que estarás conosco, todos os dias e em todas as circunstâncias, com a força do Espírito Santo, e de que nunca nos faltará a proteção terna de Maria. Assim seja. 3. HINO: Estou pensando em Deus – cantado ou rezado Estou pensando em Deus. Estou pensando no amor (bis) 1 - Os homens fogem do amor. E depois que se esvaziam. No vazio se angustiam. E duvidam de você. Você chega perto deles. Mesmo assim nin- guém tem fé. 2 - Eu me angustio quando vejo. Que depois de dois mil anos. Entre tantos desenganos. Poucos vivem sua fé. Muitos falam de esperança. Mas esquecem de você.
  32. 32. 32 3 - Tudo podia ser melhor. Se meu povo procurasse. Nos caminhos onde andasse. Pensar mais no seu Senhor. Mas você fica esquecido. E por isso falta o amor 4 - Tudo seria bem melhor. Se o Natal não fosse um dia. E se as mães fossem Maria. E se os pais fossem José. E se os filhos parecessem. Com Jesus de Nazaré 4. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Canto de acolhida à Palavra Leitura Mateus 5, 13-16 (Breve silêncio para que a Palavra nos toque o coração e a mente) 5. MOMENTO DE PARTILHA Dirigente: A Palavra de Deus deve traduzir-se em compromisso para ser- mos também nós sal da terra e luz do mundo, estarmos presentes e sermos presenças libertadora onde vivem as pessoas, onde a dignidade humana é ameaçada, onde reina a injustiça. a - Sinto-me uma lâmpada com a responsabilidade de iluminar no meio da sociedade? Quê atitudes e comportamentos nossos projetam luz para potenciar a luz presente no outro? b - O que a sociedade pode fazer para restaurar a dignidade, e o amor próprio dos excluídos? c - A quê compromissos concretos o Espírito me impulsiona pessoal- mente e à nossa comunidade para ser luz em nosso entorno? 6. A PALAVRA SE FAZ ORAÇÃO Dirigente. O evangelho diz: “Vocês são a luz do mundo” (Mt 5,14). Ou seja, nós temos a mesma responsabilidade e a mesma dignidade que o Cristo ressuscitado. E o mesmo vale para o sal: “Vocês são o sal da terra” (Mt 5,13). Nós temos, portanto, toda a responsabilidade de dar o sabor de Deus e de Cristo aos outros.Que saibamos cumprir nossa missão! Todos: Senhor, escutai nossas preces. ● Senhor,que sejamos presença diferenciada no aqui e agora, compro- metendo-noscom uma vida mais justa, solidária e plena.Rezemos: ● Senhor, ouve o clamor dos que lutam por sobrevivência e dignidade. Rezemos: ● Senhor, que todas pessoas se conscientizem e busquem à Luz do Evan- gelho de Jesus, ser solidárias aos irmãos que sofrem algum tipo de injusti- ça. Rezemos:
  33. 33. 33 Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... 7. GESTO CONCRETO /AVISOS 1 - Conversar sobre o gesto concreto assumido, compromisso para to- dos participantes 2 - Conversar sobre a confraternização e encerramento da Novena de Natal 8. ORAÇÃO FINAL/BENÇÃO Dirigente: O encontro de hoje chega ao final, somos enviados a dar tes- temunho de nossa fé em nosso dia a dia. Fortalecidos pelo nosso encontro de irmãos, pela Palavra, pelas orações, somos chamados a prosseguir no caminho de Jesus. Peçamos a benção para cada um de nós aqui presente, para nossas famílias e para todas as famílias do mundo. Todos: O Reino de Deus anunciado por Jesus ainda não veio em sua plenitude. Mesmo assim, já está no meio de nós. Já vêem os sinais que os seus discípulos e discípulas fazem acontecer. Isso é Advento. Tempo de espera, sem cruzar os braços. Tempo de espera, no qual, com paciência de Jó, vamos vivendo, em amor e comunhão, a nova vida anunciada. Dirigente: A nossa proteção esta no nome do Senhor! Todos: Que fez o céu e a terra. Dirigente: Por intercessão de Nossa Senhora, a Mãe do Perpétuo So- corro, a bênção de Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo! Amém! Dirigente: Saudemos uns aos outros na paz de Cristo. Todos: Graças a Deus! 9. CANTO FINAL: Agora é tempo.... CEBs Região Pastoral 5
  34. 34. 34 PREPARANDO O AMBIENTE: O local será escolhido de acordo com a realidade local: em uma das casas, no setor, na capela da comunidade, na igreja matriz, em uma quadra etc. sendo possível, após o encontro reali- zar um momento de confraternização. O local deve ser bem preparado de modo que fique bem festivo, com velas, flores, Bíblia em destaque, o sím- bolo escolhido para a novena 1. ACOLHIDA E ORAÇÃO INICIAL Dirigente: Irmãos e irmãs, sejam bem vindos a esta celebração. Natal é a festa da Luz. Com o nascimento de Jesus, uma nova luz brilha para a humanidade.(acende-se a vela enquanto canta) Ó Luz do Senhor. Que vem sobre a terra. Inunda meu ser. Permanece em nós. Leitor(a) 1: O nosso coração se alegra, pois concluímos nossa caminhada em preparação a mais um Natal. Bendito seja Deus, que com a Luz de Cristo ilumina nossa vida, nossas famílias e tudo que nos cerca. Vamos cantar e celebrar com entusiasmo, pois hoje e sempre, Jesus está no meio de nós. Em nome do pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém! Leitor(a) 2: No Natal de Jesus, “O povo que andava na escuridão, viu uma grande Luz, para os que habitavam as sombras da morte uma Luz res- plandeceu”. Jesus é a Luz do mundo, nos desperta para a vida na Luz, nos dá a Luz. No Natal de Jesus, revivemos o nosso nascimento em Cristo, para uma vida nova. Leitor(a) 3: Jesus veio para mostrar que a simplicidade e a humildade são os caminhos escolhidos por Deus para seus filhos e filhas. Dede seu nascimento até a morte e ressurreição, mostrou em palavras e gestos, que o amor, a verdade, a misericórdia e a justiça são os caminhos que condu- zem ao Pai. Leitor(a) 4: Que o Natal seja vivido com simplicidade e solidariedade, “Jesus luz do mundo” 9o DIA
  35. 35. 35 com amor no coração e na vida, de maneira que reconheçamos que Jesus está presente em todos os ambientes. E que a Paz e o amor se entrelacem na esperança de um tempo melhor para a humanidade. 2. MOMENTO DE PERDÃO Dirigente: o mistério do Natal nos convida a uma verdadeira reconcilia- ção com nossa realidade humana, pessoal e social, sermos pessoas profun- damente humanas, abertas a relações fraternas, sensíveis aos dramas da humanidade e solidários com a causa dos pobres, a quem a boa notícia da libertação deve ser anunciada e concretizada. (momento de silêncio) CANTO PENITENCIAL 3. MOMENTO DE LOUVOR Dirigente: Com o coração transbordante de alegria, vamos agradecer a Deus por todas as bênçãos que diariamente recebemos em nossas vidas. A Ele entoemos nosso hino de louvor. CANTO: VINDE CRISTÃOS 4. ACOLHENDO A PALAVRA DE DEUS Dirigente: Numa noite escura, na cidade de Belém na Judéia, um Deus veio até nós, e recebeu o nome de Jesus. Hoje precisa nascer no coração do mundo para que renasça a Paz na humanidade. Canto para aclamar a Palavra de Deus Ler pausadamente; Lucas 2, 1-20 Momento da encenação do Nascimento de Jesus (se foi preparado pelo grupo/comunidade) 5. MOMENTO DE PARTILHA - Breve reflexão feita por um convidado ou alguém da comunidade. - Mensagem de Natal que o grupo preparou 6. MOMENTO DE ORAÇÃO Dirigente: Confiantes em Deus que nos ama. Peçamos a graça de sermos como Jesus nos ensinou. Todos: Senhor, brilhe em nós a vossa luz ● Para que a alegria do Natal nos dê ânimo para anunciar a grandeza do amor de Deus ao mundo. Nós vos pedimos:
  36. 36. 36 ● Para que iluminados pela luz do Natal, sejamos luz para tantas pesso- as que vivem nas trevas. Conduzindo-as ás alegrias da vida com Cristo. Nós vos pedimos: ●Paraquenãopercamosacapacidadedesonharedeacreditarnummun- do melhor. Nós vos pedimos: ●Para que a humanidade viva a justiça, a fraternidade e a partilha e não haja pessoas sofrendo a violência de não ter o necessário para uma vida digna. Nós vos pedimos: Preces espontâneas... Pai Nosso... Ave Maria... Todos: Que todos nós, aqui presentes sejamos anunciadores da Boa Nova. Que assumamos o compromisso de participar no próximo ano dos encontros semanais nas casas e multipliquemos a acolhida à Palavra nas comunidades! 7. ORAÇÃO Todos: Ó Deus que reacendes em nós a cada ano a alegria da espera da salvação, ajuda-nos a acolher, como Maria, este dom da vossa imensa misericórdia para conosco e assim sejamos, no mundo, instrumentos de vida e de paz para todos. Por nosso senhor Jesus Cristo, vosso filho, na unidade do Espírito Santo. Amém! 8. BÊNÇÃO - DAS CRIANÇAS Dirigente: (Convidar as crianças presentes para ficarem perto do presé- pio). Erguendo as mãos sobre as crianças, cantemos: - Nossas crianças serão abençoadas porque o Senhor vai derramar o seu amor. Derrama Senhor, derrama Senhor, sobre elas o seu amor! Todos: Senhor Jesus Cristo, abençoai estas crianças e guardai-as sem- pre sob a vossa proteção, a fim de que cresçam em sabedoria, paz e har- monia, sejam fervorosos na fé e no amor e perseverem, corajosamente, na esperança do Reino em definitivo. Amém! - DA CEIA (Se houver confraternização, todos se reúnem ao redor da mesa) Dirigente: Bendito sejas Tu, Senhor, Deus da vida, que de forma admirá- vel quiseste assumir nossa condição humana, tornando-nos filhos da Luz. Todos: Glória a Deus no mais alto dos céus! Dirigente: Ó Deus de infinita bondade, que tornas cada vez mais firme a união dos teus filhos e filhas ao partir o pão, abençoa a nós e a estes
  37. 37. 37 dons que vamos repartir; concede-nos que ao sentar-nos com alegria a esta mesa comum, saibamos sempre alimentar a nossa vida fraterna e partilhar o pão com os famintos. Amém! 9. BÊNÇÃO E CANTO FINAL Dirigente: O Deus da esperança, da alegria e da paz permaneça com to- dos nós, agora e para sempre. Amém!Dirigente: Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo! Todos: Para sempre seja louvado! Dirigente: Feliz e santo Natal para todos!. 10. CANTO FINAL: Agora é tempo....
  38. 38. 38 A ORAÇÃO NOS UNE E NOS FORTALECE. “Cada um de nós é chamado a ser luz e sal no próprio ambiente de vida cotidiana, perseverando na tarefa de regenerar a realidade humana no espírito do Evangelho e na perspectiva do Reino de Deus”, afirmou o Santo Padre. 05 fev 2017
  39. 39. 39 MÚSICAS
  40. 40. 40 1. Ó LUZ DO SENHOR Ó Luz do Senhor que vem sobre a terra Inunda meu ser, permanece em nós. 2. EM NOME DO PAI 1 - Em nome do Pai. Em nome do Filho. Em nome do Espírito Santo. Estamos aqui. 2 - Em nome do Pai. Em nome do Filho. Em nome do Espírito Santo. Estamos aqui. 3 - Para louvar e agradecer, bendizer e adorar, estamos aqui, Senhor, a teu dis- por. 4 - Para louvar e agradecer, bendizer e adorar, te aclamar, Deus trino de amor. 3. A PALAVRA QUE É LUZ E nós vamos ouvir. A Palavra que é Luz. E que vem nos unir 1 - A palavra de Deus. Vem chegando no meio do povo 2 - A palavra que traz boa nova. E reno- va a esperança 3 - A palavra vai ser partilhada. Partilha- da em comunidade 4. VAMOS OUVIR 1 - Vamos ouvir a Palavra de Deus. Que vem chegando, chegando. É ela a Pala- vra de Jesus. Em toda Igreja vai se es- palhando 2 - Com as palavras do Evangelho. Os oprimidos vão se libertando. Ouvindo o que diz Jesus Cristo. Toda gente vai ca- minhando. 5. ESCUTA Escuta, oh Israel. O Senhor teu Deus vai falar. Escuta, oh Israel. O Senhor teu Deus vai falar. Fala, Senhor meu Deus. Israel quer te escutar. Fala, Senhor Meu Deus. Israel quer te escutar. 6. EU VIM PARA ESCUTAR Tua Palavra, Tua Palavra, Tua Palavra de amor. 1 - Eu vim para escutar 2 - Eu gosto de escutar. 3 - Eu quero entender. 4 - O mundo inda vai viver 7. O MEU ESPÍRITO CONDUZ O meu Espírito conduz Quem ouve a voz do Filho meu, Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! Quem der testemunho de mim Diante dos homens, dos tronos Não tema o que possa dizer Que meu Espírito mesmo dirá. 8. A PALAVRA CHEGANDO A Palavra de Deus vai chegando, vai. 1 - É Jesus que hoje vem nos falar. 2 - É a Palavra de Deus aos pequenos. 3 - É a Palavra de libertação. 4 - Como o sol a brilhar no horizonte. 5 - É semente fecunda na terra. 9. ENVIA TUA PALAVRA Envia tua Palavra, Palavra de Salvação. Que vem trazer esperança, aos pobres libertação. 1 - Tua Palavra de vida é como a chuva que cai, Que torna o solo fecundo e faz nascer a semente; É água viva da fonte, que faz florir o deserto. É uma luz no ho- rizonte, é novo caminho aberto. 2 - Ela nos vem no silêncio, no coração de quem crê, No coração dos humildes, que vivem por teu poder. Aos fracos ela dá força, aos pobres sabedoria, E se tornou nossa carne; nasceu da Virgem Maria. 10. Ó VEM, SENHOR Refrão: Ó vem, Senhor, não tardes mais. Vem saciar nossa sede de paz! 1 - Ó vem, como chega a brisa do vento
  41. 41. 41 trazendo aos pobres justiça e bom tempo! 2 - Ó vem, como chega a chuva no chão trazendo fartura de vida e de pão! 3 - Ó vem, como chega a luz que faltou só tua palavra nos salva, Senhor! 4 - Ó vem, como chega a carta querida bendito carteiro do reino da vida! 5 - Ó vem, como chega o filho esperado caminha conosco, Jesus bem-amado! 6 - Ó vem, como chega o libertador das mãos do inimigo, nos salva, Senhor! 11. ANUNCIAÇÃO Tu vens, tu vens. Eu já escuto teus si- nais. 1 - Na bruma leve das paixões que vêm de dentro. Tu vens chegando pra brincar no meu quintal. No teu cavalo, peito nu, cabelo ao vento. E o sol quarando nos- sas roupas no varal. Tu vens, tu vens. Eu já escuto teus si- nais. 2 - A voz do anjo sussurrou no meu ou- vido. Eu não duvido, já escuto os teus sinais. Que tu virias numa manhã de Domingo. Eu te anuncio nos sinos das catedrais. 12. NATAL É CONVERSÃO Meu caro irmão, olha pra dentro do teu coração, vê se o Natal se tornou con- versão e te ensinou a viver. 1 - Chegou a hora de sonhar de novo, de tornar-se povo e se fazer irmão. Chegou a hora que ligeiro passa de ganhar a gra- ça para a conversão. 2 - Chegou a hora de viver o Cristo e acreditar que isto é se tornar maior/ Chegou a hora de pensar profundo e perceber que o mundo pode ser melhor. 3 - Será difícil tantas mãos unidas não fazer da vida um tempo igual. Será difícil tanto amor e afeto não tornar concreto o gesto do Natal. 13. MOMENTO NOVO 1 - Deus chama a gente pra um mo- mento novo. De caminhar junto com seu povo. É hora de transformar o que não dá mais. Sozinho, isolado, ninguém é capaz. Por isso vem, entra na roda. Com a gen- te, também. Você é muito importante. 2 - Não é possível crer que tudo é fácil Há muita força que produz a morte Gerando dor, tristeza e desolação É necessário unir o cordão. 3 - A força que hoje faz brotar a vidaAtua em nós pela sua graça. E Deus quem nos convida pra trabalhar. O amor repartir e as forças juntar. 14. ABRE TUA PORTA Por que não respondes? Por que tu te es- condes? Impedes Jesus de renascer! (2x) 1 - Abre tua porta que alguém está ba- tendo, abre tua porta que alguém está nascendo, é Jesus que vem a ti. 2 - Tira este manto que veste o velho homem, tira da vida ideais que te con- somem, abre a porta pra Jesus. 3 - Quando acolheres idosos e crianças, pra cobri-los de paz e de esperança, é Jesus que vem a ti. 15. NESTA RUA (melodia: Se esta rua fosse minha) 1 - Nesta rua, nesta rua este ano nós iremos, nós iremos celebrar a chegada, a chegada do Menino que virá, que virá nos libertar. 2 - Se você, se você acreditar no poder do Menino que virá vai chamar todo povo desta rua pra melhor, pra melhor se organizar. 16. NATAL É VIDA QUE NASCE Natal é vida que nasce, natal é Cristo que vem, nós somos o seu presépio e a nossa casa é Belém.
  42. 42. 42 1 - Deus se tornou nossa grande espe- rança, e como criança no mundo nas- ceu. Por isso vamos abrir nossas portas. A Cristo o que importa é conosco viver. 2 - Ele assumiu nossa vida terrena, ao céu nos acena com gesto de amor. Veio a todos salvar igualmente, queria so- mente ser nosso pastor. 17. SENHOR, VEM SALVAR O TEU POVO 1 - Senhor, vem salvar teu povo das tre- vas da escuridão. Só Tu és nossa espe- rança, és nossa libertação. Vem Senhor! Vem nos salvar, com teu povo vem caminhar! 2 - Contigo o deserto é fértil, a terra se abre em flor; Da rocha brota água viva, da terra nasce esplendor. 3 - Tu marchas à nossa frente, és for- ça, caminho e luz. Vem logo salvar teu povo, não tardes, Senhor Jesus. 18. NOITE FELIZ 1 - Noite feliz, noite feliz. Ó Senhor, Deus de amor, pobrezinho nasceu em Belém, eis na lapa Jesus, nosso bem. Dorme em paz, ó Jesus 2 - Noite feliz, noite feliz. Ó Jesus, Deus da luz: Quão afável é teu coração, que quiseste nascer nosso irmão, e a nós to- dos salvar. 3 - Noite feliz, noite feliz. Eis que no ar vêm cantar aos pastores os anjos dos céus, anunciando a chegada de Deus, de Jesus Salvador. 19. SINO DE BELÉM 1 - Hoje a noite é bela vamos a capela sob a luz da vela felizes a cantar. Ao soar o sino sino pequenino vai um Deus Me- nino nos abençoar. 2 - Bate o sino pequenino sino de Belém já nasceu o Deus Menino para o nosso bem.Paznaterrapedeosinoalegreacan- tarabençoaDeusMeninoessenossolar. 3 - Vamos minha gente vamos a Belém vamos ver Maria e Jesus também. Já deu meia noite já chegou o Natal já to- cou o sino lá na Catedral. 20. ESTOU PENSANDO EM DEUS Estou pensando em Deus. Estou pen- sando no amor. 1 - Os homens fogem do amor. E depois que se esvaziam. No vazio se angustiam E duvidam de você. Você chega perto deles, Mesmo assim ninguém tem fé. 2 - Eu me angustio quando vejo. Que depois de dois mil anos. Entre tantos desenganos. Poucos vivem sua fé. Mui- tos falam de esperança. Mas esquecem de você. 3 - Tudo podia ser melhor. Se meu povo procurasse. Nos caminhos onde andas- se. Pensar mais no seu Senhor. Mas você fica esquecido. E por isso falta o amor. 4 - Tudo seria bem melhor. Se o Natal não fosse um dia. E se as mães fossem Maria. E se os pais fossem José. E se os filhos parecessem. Com Jesus de Naza- ré. 21. UTOPIA Vai ser tão bonito se ouvir a canção, cantada de novo. No olhar da gente a certeza de irmãos: Reinado do povo. 1 - Quando o dia da paz renascer. Quan- do o sol da esperança brilhar. Eu vou cantar. Quando o povo nas ruas sorrir e a roseira de novo florir, eu vou cantar! 2 - Quando as cercas caírem no chão. Quando as mesas se encherem de pão. Eu vou cantar. Quando os muros que cercam os jardins destruídos, então os jasmins vão perfumar! 3 - Quando as armas da destruição. Des- truídas em cada nação, eu vou sonhar! E o decreto que encerra a opressão. As- sinado só no coração, vai triunfar! 4 - Quando a voz da verdade se ouvir e a
  43. 43. 43 Mentira não mais existir, será, enfim. Tempo novo de eterna justiça. Sem mais ódio, sem sangue ou cobiça: vai ser assim 22. DA CEPA BROTOU A RAMA - can- tado ou rezado. Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor. Da flor nasceu Maria, de Maria o Salvador. 1 - O espírito de Deus sobre ele pousará, de saber, de entendimento este espírito será. De conselho e fortaleza, de ciência e de temor. Achará sua alegria no temor do seu senhor. Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor. Da flor nasceu Maria, de Maria o Salvador. 2 - Não será pela a ilusão do olhar, do ouvir, falar. Que Ele ira julgar os ho- mens, como é praxe acontecer... Mas os pobres desta com justiça julgará e dos fracos o direito Ele é que defenderá. Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor. Da flor nasceu Maria, de Maria o Salvador. 3 - A palavra de sua boca ferirá o violen- to e o sopro de seus lábios matará o ava- rento... A justiça é o cinto que circunda a sua cintura e o manto da lealdade é a sua vestidura. Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor. Da flor nasceu Maria, de Maria o Salvador. 4 - Neste dia, neste dia, o incrível o ver- dadeiro coisa que nunca se viu morar lobo com cordeiro... A comer do mesmo pasto tigre, boi, burro e leão, por um menino guiado se confraternizarão. Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor. Da flor nasceu Maria, de Maria o Salvador. 5 - Um menino uma criança com as feras a brincar e nenhum mal, nenhum dano mais na terra se fará... Da ciência do Se- nhor cheio o mundo estará como o sol inunda a terra e as águas enchem o mar. Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor. Da flor nasceu Maria, de Maria o Salvador. 6 - Neste dia, neste dia, e Senhor esten- derá sua mão libertadora pro seu povo resgatar... Estandarte para os povos o Senhor levantará, a seu povo sua Igreja toda a terra acorrerá. Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor. Da flor nasceu Maria, de Maria o Salvador. 7 - A inveja a opressão entre irmãos aca- bará e a comunhão de todos o inimigo vencerá... Poderosa mão Deus fez no Egito o mar secar; para o resto do seu povo um caminho abrirá. Da cepa brotou a rama, da rama brotou a flor. Da flor nasceu Maria, de Maria o Salvador. 23. ENTRE NÓS ESTÁ Entre nós está e não o conhecemos. Entre nós está e nós o desprezamos! Desprezamos! (bis) 1 - Seu nome é Jesus Cristo e passa fome. E grita pela boca dos famintos. E agente quando o vê, passa adiante... Às vezes p’ra chegar depressa àIgreja! Seu nome é Jesus Cristo está semcasa. E dorme pelas beiras das calçadas. E a gente quando o vê, apressa o passo. E diz que ele dormiu embriagado!... 2 - Seu nome é Jesus Cristo e é anal- fabeto. E vive mendigando um subem- prego. E a gente quando o vê diz: “é um à toa”! Melhor que trabalhasse e não pedisse... Seu nome é Jesus Cristo e está banido. Das rodas sociais e das igrejas. Porque dele fizeram um rei po- tente. Enquanto Ele vive como um po- bre... 3 - Seu nome é Jesus Cristo e está do-
  44. 44. 44 ente. E vive atrás das grades da cadeia. E nós tão raramente vamos vê-Lo... sabemos que ele é um marginal! Seu nome é Jesus Cristo e anda sedento Por um mundo de amor e de justiça. Mas, logo que contesta pela paz. A “or- dem” o obriga a ser da guerra. 4 - Seu nome é Jesus Cristo e é difamado E vive nos imundos meretrícios. Mas muitos o expulsa das cidades. Com medo estendera mão a ele. Seu nome é Jesus Cristo e é todo homem. Que vive neste mundo e quer viver. P’ra Ele não existem mais fronteiras. 24. O CANTO DE MARIA DO POVO 1 - Minh’alma dá glórias ao Senhor. Meu coração bate alegre e feliz. Olhou para mim com tanto amor. Que me es- colheu, me elegeu e me quis. E de hoje em diante eu já posso prever. Todos os povos vão me bendizer. O Poderoso lembrou-se de mim, Santo é seu nome sem fim. O povo dá glórias ao Senhor, seu cora- ção bate alegre e feliz. Maria carrega o Salvador porque Deus faz, sempre cumpre o que diz. E quando os povos aceitam lei passa de pai para filho seu dom. Das gerações. Ele é mais do que rei, ele é Deus pai, ele é bom 2 - Minh’alma dá glórias ao Senhor. Meu coração bate alegre e feliz. Olhou para mim com tanto amor. Que me escolheu, me elegeu e me quis. O orgulhoso Ele sabe dobrar, o poderoso. Ele sabe en- frentar. O pobrezinho. Ele defenderá, não nos abandonará. 3 - Minh’alma dá glórias ao Senhor. Meu coração bate alegre e feliz Meu povo já sente o seu amor. Ele promete. Ele cum- pre o que diz Aos nossos pais Ele um dia jurou. Ele é fiel e jamais enganou, esta- mos perto da era do amor. Bendito seja o Senhor. 25. MARIA DE NAZARÉ 1 - Maria de Nazaré, Maria me cativou. Fez mais forte a minha fé. E por filho me adotou. As vezes eu paro e fico a pensar E sem perceber, me vejo a rezar. E meu coração se põe a cantar 2 - Pra Vigem de Nazaré. Menina que Deus amou e escolheu. Pra mãe de Je- sus, o Filho de Deus. aria que o povo in- teiro elegeu. Senhora e Mãe do Céu Ave Maria, Ave Maria, Ave Maria, Mãe de Jesus! 3 - Maria que eu quero bem, Maria do puro amor. Igual a você, ninguém. Mãe pura do meu Senhor. Em cada mulher que a terra criou. Um traço de Deus Maria deixou. Um sonho de Mãe Maria plantou 4 - Pro mundo encontrar a paz. Maria que fez o Cristo falar. Maria que fez Je- sus caminhar. Maria que só viveu pra seu Deus. Maria do povo meu 26. CRISTO É A FELICIDADE O valor de se ter liberdade. Poder abra- çar um amigo e sentir. O calor de uma grande amizade. Cristo é a felicidade. Cristo é a felicida- de. Sem ter amor nesta vida não há. Quem seja feliz de verdade. Saber que jamais se perde a ilusão. Sa- ber perdoar com bondade. Sorrir com a paz de criança. E olhar para o sol que começa a brilhar. ComJesusLibertador,2019Transformador!
  45. 45. 45
  46. 46. 46 BÊNÇÃO DA ÁGUA (Bênção da água somente ministro ordenado - padre ou diácono) - A nossa proteção está no nome do Se- nhor. - Que fez o céu e a terra. - O Senhor esteja convosco. - Ele está no meio de nós. - Derramarei sobre vós uma água pura, sereis purificados de todas as faltas, e vos darei um coração novo, diz o Senhor (Ez 36,25-26). - Bendito seja o Senhor, fonte de vida e de salvação. Oremos: Deus eterno e todo poderoso, quisestes que pela água, fonte de vida e princípio de purificação, as nossas al- mas fossem purificadas e recebessem o prêmio da vida eterna. Abençoai ... esta água para que nos proteja, e renovai em nós a fonte viva de vossa graça, a fim de que nos livre de todos os males e possamos nos aproximar de vós com o coração puro e receber a vossa salva- ção, e que ela recorde a água de nosso batismo como fonte que jorra para a vida eterna. Por Cristo, nosso Senhor. Amém. BÊNÇÃO DAS CRIANÇAS - A nossa proteção está no nome do Se- nhor. - Que fez o céu e a terra. - O Senhor esteja convosco. - Ele está no meio de nós. - Louvemos o Senhor Jesus e a Ele ren- damos graças, pois abraçava e abençoa- va as crianças que o rodeavam. - Bendito seja Deus para sempre. - "Da boca dos pequeninos e das crianci- nhas preparastes um louvor" - Bendito seja Deus para sempre. Oremos: Senhor, nosso Deus, olhai para as crianças, vossos filhos e filhas pe- queninos, e derramai sobre elas vossa bênção, para que cresçam em vosso amor, em graça e sabedoria, e possam alcançar a maturidade da fé, seguindo a Jesus, vosso Filho, que convosco vive e reina para sempre. Amém. - Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém. BÊNÇÃO DA VIDA (Mamãe grávida) - A nossa proteção está no nome do Se- nhor. - Que fez o céu e a terra. - O Senhor esteja convosco. - Ele está no meio de nós. - Bendigamos ao Senhor Jesus, que se fez Homem no seio da Virgem Maria. - Bendito seja Deus para sempre. - Bendigamos ao Senhor, fonte de toda a vida e salvação. - Bendito seja Deus para sempre. Oremos: Ó Deus, fonte e origem de toda a vida, protegei as mamães grávi- das, confirmai-Ihes a fé e fortalecei-as na esperança. Conservai a vida dessas crianças que estão sendo geradas, daí - Ihes a saúde e a paz, e que as mamães, alcançando o nascimento de seus filhi- nhos, vos rendam graças. Por Cristo, nosso Senhor. - A Virgem Maria, Mãe de Cristo, vos guarde e vos proteja. Amém. - Em nome do Pai e do Filho e do Espíri- to Santo. Amém. BÊNÇÃO DA SAÚDE - A nossa proteção está no nome do Se- nhor. - Que fez o céu e a terra. - O Senhor esteja convosco. - Ele está no meio de nós. - Senhor, que curastes tantos enfermos, se for da vontade do Pai, restituí a saúde aos nossos irmãos que padecem. - Senhor, tende piedade de nossos do- entes.
  47. 47. 47 Oremos: Ó Deus, nosso Pai, por inter- cessão de Nossa Senhora Aparecida e de vossos Santos e Santas, fazei descer sobre vossos filhos e filhas enfermos e todos os que estão sofrendo vossa bên- ção salvadora. - Deus Pai vos dê sua bênção! Amém. - Deus Filho conceda a saúde aos enfer- mos! Amém. - Deus Espírito Santo ilumine a todos! Amém. - Em nome do Pai t e do Filho e do Espí- rito Santo. Amém. BÊNÇÃO DA FAMÍLIA - A nossa proteção está no nome do Se- nhor. - Que fez o céu e a terra. - O Senhor esteja convosco. - Ele está no meio de nós. - Bendigamos ao Senhor pela vida de nossa família. - E todos vivam em seu amor. - Que o Espírito Divino ilumine a todos desta família. - E todos vivam na fraternidade e na união. Oremos: A vós, Deus Pai todo poderoso, com fervor e humildade nos dirigimos, suplicando pela família. Abençoai-a e santificai-a. Dignai-vos enriquece-la com toda a sorte de bens. Concedei- -lhe, Senhor, as coisas certas para que ela possa vlver dignamente. Que vossa presença ilumine a vida e os caminhos desta família. E que, por vossa graça, ela corresponda em cada dia à vossa bon- dade, e vossos Santos Anjos guardem a todos. Por Cristo, nosso Senhor. Amém. - Em nome do Pai e do Filho e do Espíri- to Santo. Amém. BÊNÇÃO DAS CASAS - A nossa proteção está no nome do Se- nhor. - Que fez o céu e a terra. - O Senhor esteja convosco. - Ele está no meio de nós. - Feliz quem respeita o Senhor e cons- trói sua casa sob a rocha firme e inaba- lável que é Cristo. - Bendito seja o Senhor para sempre. - A paz esteja em vossa casa. - Hoje e sempre. Amém. Oremos: Favorecei, Senhor, com vossa graça e vossa misericórdia, esta família quevospedevossabênção.Queelesvos louvem agradecidos por vossos incontá- veis benefícios, e guardai-os dos perigos e abençoai essa habitação, e sede vós o refúgio para todos os que nela moram, e acolhei-nos todos, um dia, em vossa casa, o céu. Por Cristo, nosso Senhor. - Em nome do Pai e do Filho e do Espíri- to Santo. Amém. BÊNÇÃO DO TRABALHO - A nossa proteção está no nome do Se- nhor. - Que fez o céu e a terra. - O Senhor esteja convosco. - Ele está no meio de nós. - Louvemos com devoção a Cristo, Filho de Deus, que se dignou ser considerado filho de operário. - Bendito seja Deus para sempre. - Que o Senhor nos construa a casa e guarde a cidade. Amém. Oremos: Ó Deus, de quem desce a pleni- tude da bênção e para quem sobe a ora- ção dos que vos bendizem, protegei com bondade vossos filhos e filhas, concedei – Ihes que, trabalhando com diligência, colaborem no aperfeiçoamento da cria- ção, assegurem seu sustento e o de seus familiares, e se esforcem para promover o progresso da sociedade e a glória de vosso nome. Por Cristo, nosso Senhor. - Em nome do Paie do Filho e do Espírito Santo. Amém.
  48. 48. 48 Equipe Glória Freitas - Paróquia Paulo Apóstolo Maria Aparecida Matsutacke - Paróquia Nossa Sra. de Guadalupe Maria das Graças Bustamente - Paróquia Santuário São Judas Tadeu Maria José de Oliveira - Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe Pedro Paulo dos Santos - Paróquia Nossa Senhora do Rosário Rosa Maria da Silva - Paróquia São Vicente de Paula Silvia Maria Andrade Macedo - Paróquia Coração Eucarístico de Jesus Vera Lúcia C. T. da Rosa - Paróquia São José Operário - Jacareí Assessores Diocesanos das CEBs Diácono Vanderci José Sales – Paroquia Coração de Jesus Pe. Ademilson Aparecido Silva, scj - Paróquia Nossa Sra. de Lourdes Revisão Redacional Rafael Olímpio Xavier (MTB 80.408) Diagramação e Impressão Katú Editora Gráfica Tiragem 34.000 exemplares. SUBSÍDIO PALAVRA DE DEUS NO MEIO DO POVO NOVENA DE NATAL 2018 - Subsídio Nº 4 - ANO XXVIII Caminhar Juntos

×