Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Maria Eduarda-Os Maias

Power-point apresentado

  • Soyez le premier à commenter

Maria Eduarda-Os Maias

  1. 1. MARIA EDUARDA Os Maias Eça de Queirós
  2. 2. CARACTERIZAÇÃO FÍSICA  Bonita;  Bebé gordinho, louro e com os olhos dos Maias. “Fez-se então entre pai e o filho uma grande separação. Quando lhe nasceu uma filha Pedro não lho participou – dizendo dramaticamente ao Vilaça «que já não tinha pai!» Era uma linda bebé, muito gorda, loura e cor-de-rosa, com os belos olhos negros dos Maias. Apesar dos desejos de Pedro, Maria não a quis criar; mas adorava-a com frenesi; passava dias de joelhos ao pé do berço, em êxtase, correndo as suas mãos cheias de pedrarias pelas carninhas tenras, pondo-lhe beijos de devota nos pezinhos, nas rosquinhas das coxas, balbuciando-lhe num enlevo nomes de grande amor, e perfumando-a já, enchendo-a já de laçarotes.”
  3. 3. CARACTERIZAÇÃO FÍSICA  Extremamente bela;  Alta e loura;  Bem feita, elegante;  Uma deusa na atitude. “…ofereceu a mão a uma senhora alta, loira, com um meio véu muito apertado e muito escuro que realçava o esplendor da sua carnação ebúrnea. Craft e Carlos, ela passou diante deles, com um passo soberano de deusa, maravilhosamente bem feita, deixando atrás de si como uma claridade, um reflexo de cabelos de oiro, e um aroma no ar. Trazia um casaco colante de veludo branco de Génova, e um momento sobre as lajes do peristilo brilhou o verniz das suas botinas. O rapaz ao lado, esticado num fato de xadrezinho inglês, abria negligentemente um telegrama; o preto seguia com a cadelinha nos braços. E no silêncio a voz de Craft murmurou: - Très chic.”
  4. 4. CARACTERIZAÇÃO FÍSICA  Ela destaca-se de todas as outras mulheres, tem uma presença sublime, de grande dignidade que se evidencia por onde quer que passe. “(…); uma mulher passava, com um casaco de veludo branco de Génova, mais alta que uma criatura humana, caminhando sobre nuvens com um ar de Juno que remonta ao Olimpo: a ponta dos seus sapatos de verniz enterrava-se na luz do azul, por trás as saias batiam-lhe como bandeiras ao vento.”
  5. 5. CARACTERIZAÇÃO PSICOLÓGICA No inicío da obra o autor descreve Maria Eduarda como alguém:  Puro;  Simples;  Forte. “Vinha toda vestida de escuro, numa toillete de serge muito simples que era como o complemento natural da sua pessoa, colando-se bem sobre ela, dando-lhe na sua correção, um ar casto e forte.”
  6. 6. CARACTERIZAÇÃO PSICOLÓGICA Ao longo da obra, Maria Eduarda mostra-se ser:  Pessoa sensível;  Muito feminina;  Delicada. “Depois deixou-a no quarto um momento, para ir dar ordens ao Baptista, mas quando voltou encontrou-a a um canto do sofá, tão descaída, tão desanimada, que lhe arrebatou as mãos, cheio de inquietação.”,
  7. 7. CARACTERIZAÇÃO PSICOLÓGICA  Pessoa culta;  Inteligente;  Possui todos os conhecimentos necessários, ao nível da cultura geral, que lhe permite participar nas conversas masculinas;  Apreciadora de música, Maria sabe tocar piano e conhece os autores clássicos. “Maria, que procurava os «nocturnos» de Chopin, voltou-se: - É esse grande orador de que falavam na Toca”
  8. 8. CARACTERIZAÇÃO PSICOLÓGICA  Boa filha e uma boa mãe;  Preocupada com o bem-estar de quem dependia dela. “Por esse tempo Rosa teve o garrotilho. Ela, sem lhe largar o leito, mal atendia às notícias da guerra.”
  9. 9. CARACTERIZAÇÃO PSICOLÓGICA  Insegura;  Frágil;  Inquieta. “Os olhos de Maria perdiam-se outra vez na escuridão – como recebendo dela o presságio de um futuro onde tudo seria confuso e escuro também. - Tu tens Santa Olávia, tens teu avô, tens os teus amigos… Eu não tenho ninguém!”
  10. 10. HISTÓRIA DE VIDA DE MARIA EDUARDA  Não tem recordações nítidas da sua infância; “Nascera em Viena: mas pouco se recordava dos tempos de criança, quase nada sabia do papá, a não ser a sua grande nobreza e a sua grande beleza. Tivera uma irmãzinha que morrera de dois anos e que se chamava Heloísa. A mamã, mais tarde, quando ela já era rapariga. Não tolerava que lhe perguntassem pelo passado; e dizia sempre que remexer a memória das coisas antigas prejudicava tanto como sacudir uma garrafa de vinho velho…”  As suas memórias tornam-se mais claras por altura da sua estadia em Paris;  Viveu num colégio perto de Tours até aos 16 anos;  Foi viver com a mãe que continuava a levar em Paris uma vida complicada e miserável;  Casou com Mac Gren com quem viveu quatro anos e de quem teve uma filha chamada Rosa;
  11. 11. HISTÓRIA DE VIDA DE MARIA EDUARDA  Atravessa momentos difíceis;  Conhece Castro Gomes e mantem com ele uma relação;  É como “esposa” de Castro Gomes que Maria Eduarda chega a Lisboa e, é nesta situação que Carlos a conhece. “ … Conheci então Castro Gomes em casa de uma antiga amiga da mamã, que não perdera nada com a guerra, nem com os Prussianos, e que me dava trabalhos de costura…”
  12. 12. A TRAGÉDIA  Revela uma superioridade que a distancia de todas as outras mulheres;  De carácter forte, leal e sensível, ela consegue manter em todas as situações trágicas uma grande dignidade;  Toda a sua atitude está relacionada com o sublime;  Personalidade excecional;  É uma vítima inocente de todo este destino cruel e atroz.
  13. 13. A TRAGÉDIA  Consegue distanciar-se e acaba por conseguir refazer a sua vida. “E era esta a formidável nova anunciada por Carlos, a nova que ele logo contara de madrugada ao Ega, depois dos primeiros abraços em Santa Apolónia. Maria Eduarda ia casar.” Aqui, o autor retoma a ideia do inicío, onde descreve que Maria Eduarda era uma pessoa pura, simples e forte.

×