Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.
ÉTICA & ESTÉTICA A arte como criadora de
âmbitos
O ENSINO DA ENGENHARIA
Antiga tendência
pedagógica
Atual quebra de
paradigma
DIMENSÕES DA GESTÃO
Custo Escopo Tempo
Qualidade INTEGRAÇÃO Recursos humanos
Risco Empreendedorismo Comunicação
EDUCAR OS SENTIMENTOS
A arte como pedagoga da
ação.
Aprender a esculpir as próprias
atitudes.
DOMÍNIO POLÍTICO
RACIONAL = RELACIONAL
NOBLESSE OBLIGE
A importância da
exterioridade.
Quando ser fake é sinal de
consideração.
ETIQUETA SUBSTITUINDO A ESTÉTICA
MODA E REQUINTE
CONSTRUÇÃO DE PONTES
O diálogo compreende:
emissor, canal, receptor.
Mas…
qual é a mensagem?
PADRÕES SOCIAIS
SOCIALIZAÇÃO
IDENTIDADE E AUTOESTIMA
Não fazer-se de mestre
nem ser controlado por mestres,
mas eleger os mestres.
PERSONALIDADE
PROBLEMA: DILEMA.
ÂMBITO: CONTRASTE.
UTILIDADE E FELICIDADE Um problema filosófico
e suas consequências práticas.
SABER É PODER
TÉCNICA
CIÊNCIA X CULTURA
EXATAS X HUMANAS
OPERAÇÕES DO HOMEM
Conhecer
• Ciência
• Noética
Agir
• Moral
• Atividade
Fazer
• Arte
• Factividade
Nossos atos nos seguem...
NÃO FAÇA ISSO, QUE É FEIO!
A VIDA IMITA A ARTE
AS DUAS FACES DA ARTE Espaço | Domínio
REVELAR OU EXIBIR?
BODY ART
CORPOHUMANO
ARTE LIXO
UM POUCO DE FILOSOFIA Estética é a filosofia do belo.
Ética é a filosofia do bem.
TRANSCENDENTAIS
Aliquid Bonum Verum Pulchrum
Ens Res Unum
AS CONDIÇÕES DA BELEZA, PARA OS CLÁSSICOS
Integridade
• perfeição
Harmonia
• proporção
Brilho
• atração
VIA PULCHRITUDINIS
APRECIAR UMA PINTURA
A arte como publicidade
empobrece o olhar.
Para viajar no tempo é preciso
preparar a expedição.
TEMA
Reconhecer o tópico
Aprender a história
Identificar a mensagem
Caravaggio, Judite decapta Holofernes, 1600
TÉCNICA
Limitações físicas
Materiais da época
Michelangelo, Capela Sistina, 1508-10
SIMBOLISMO
Alegorias
Sonhos
Referências
Salvador Dalí, Premonição da Guerra Civil, 1936
Jan Van Eyck, O Casamento de Arnol...
ESPAÇO E LUZ
Ilusão
Efeito tridimensional
Georges-Pierre Seurat, Tarde de Domingo na Ilha de Grande Jatte, 1884
Velázquez,...
ESTILO HISTÓRICO
Fruto do tempo
Caminhos para o futuro
Caravaggio, Deposição da cruz, 1602-4Giotto di Bondone, A Lamentaçã...
INTERPRETAÇÃO PESSOAL
Fato
Significado
Mensagem
Pedro Américo de Figueiredo Mello, O Grito do Ipiranga, 1888
ESCOLHER UM LIVRO
Ler clássicos literários de pelo
menos três idiomas.
Imitar a forma de escrever
desses clássicos.
NÍVEIS TÍPICOS DE LEITURA
POESIA TEATRO PROSA HISTÓRIA CIÊNCIA FILOSOFIA
Elementar
Averiguativo x x x
Analítico x x x x x ...
LEITURA ELEMENTAR
LEITURA INSPECIONAL OU SISTEMÁTICA
LEITURAANALÍTICA
LEITURA SINTÓPICA OU COMPARATIVA
OUVIR MÚSICA
Gosto
Entretenimento
Erudição
Melodia
Ritmo
HarmoniaDinâmica
Timbres
ELEMENTOS
OBRIGADO!
@narajr
arqueologia@narajr.net
arquitetura@narajr.net
Ética & Estética: a arte como criadora de âmbitos
Ética & Estética: a arte como criadora de âmbitos
Prochain SlideShare
Chargement dans…5
×

Ética & Estética: a arte como criadora de âmbitos

833 vues

Publié le

Conferência proferida ao corpo discente do Instituto Militar de Engenharia em 2014, sobre as relações entre o agir e o fazer humanos.

Publié dans : Formation
  • Soyez le premier à aimer ceci

Ética & Estética: a arte como criadora de âmbitos

  1. 1. ÉTICA & ESTÉTICA A arte como criadora de âmbitos
  2. 2. O ENSINO DA ENGENHARIA Antiga tendência pedagógica Atual quebra de paradigma
  3. 3. DIMENSÕES DA GESTÃO Custo Escopo Tempo Qualidade INTEGRAÇÃO Recursos humanos Risco Empreendedorismo Comunicação
  4. 4. EDUCAR OS SENTIMENTOS A arte como pedagoga da ação. Aprender a esculpir as próprias atitudes.
  5. 5. DOMÍNIO POLÍTICO
  6. 6. RACIONAL = RELACIONAL
  7. 7. NOBLESSE OBLIGE A importância da exterioridade. Quando ser fake é sinal de consideração.
  8. 8. ETIQUETA SUBSTITUINDO A ESTÉTICA
  9. 9. MODA E REQUINTE
  10. 10. CONSTRUÇÃO DE PONTES O diálogo compreende: emissor, canal, receptor. Mas… qual é a mensagem?
  11. 11. PADRÕES SOCIAIS
  12. 12. SOCIALIZAÇÃO
  13. 13. IDENTIDADE E AUTOESTIMA Não fazer-se de mestre nem ser controlado por mestres, mas eleger os mestres.
  14. 14. PERSONALIDADE
  15. 15. PROBLEMA: DILEMA. ÂMBITO: CONTRASTE.
  16. 16. UTILIDADE E FELICIDADE Um problema filosófico e suas consequências práticas.
  17. 17. SABER É PODER
  18. 18. TÉCNICA
  19. 19. CIÊNCIA X CULTURA EXATAS X HUMANAS
  20. 20. OPERAÇÕES DO HOMEM Conhecer • Ciência • Noética Agir • Moral • Atividade Fazer • Arte • Factividade Nossos atos nos seguem, mas nossas obras nos sobrevivem.
  21. 21. NÃO FAÇA ISSO, QUE É FEIO!
  22. 22. A VIDA IMITA A ARTE
  23. 23. AS DUAS FACES DA ARTE Espaço | Domínio
  24. 24. REVELAR OU EXIBIR?
  25. 25. BODY ART
  26. 26. CORPOHUMANO
  27. 27. ARTE LIXO
  28. 28. UM POUCO DE FILOSOFIA Estética é a filosofia do belo. Ética é a filosofia do bem.
  29. 29. TRANSCENDENTAIS Aliquid Bonum Verum Pulchrum Ens Res Unum
  30. 30. AS CONDIÇÕES DA BELEZA, PARA OS CLÁSSICOS Integridade • perfeição Harmonia • proporção Brilho • atração
  31. 31. VIA PULCHRITUDINIS
  32. 32. APRECIAR UMA PINTURA A arte como publicidade empobrece o olhar. Para viajar no tempo é preciso preparar a expedição.
  33. 33. TEMA Reconhecer o tópico Aprender a história Identificar a mensagem Caravaggio, Judite decapta Holofernes, 1600
  34. 34. TÉCNICA Limitações físicas Materiais da época Michelangelo, Capela Sistina, 1508-10
  35. 35. SIMBOLISMO Alegorias Sonhos Referências Salvador Dalí, Premonição da Guerra Civil, 1936 Jan Van Eyck, O Casamento de Arnolfini, 1434
  36. 36. ESPAÇO E LUZ Ilusão Efeito tridimensional Georges-Pierre Seurat, Tarde de Domingo na Ilha de Grande Jatte, 1884 Velázquez, As Meninas, 1656
  37. 37. ESTILO HISTÓRICO Fruto do tempo Caminhos para o futuro Caravaggio, Deposição da cruz, 1602-4Giotto di Bondone, A Lamentação, 1304-6
  38. 38. INTERPRETAÇÃO PESSOAL Fato Significado Mensagem Pedro Américo de Figueiredo Mello, O Grito do Ipiranga, 1888
  39. 39. ESCOLHER UM LIVRO Ler clássicos literários de pelo menos três idiomas. Imitar a forma de escrever desses clássicos.
  40. 40. NÍVEIS TÍPICOS DE LEITURA POESIA TEATRO PROSA HISTÓRIA CIÊNCIA FILOSOFIA Elementar Averiguativo x x x Analítico x x x x x x Sintópico x x x
  41. 41. LEITURA ELEMENTAR
  42. 42. LEITURA INSPECIONAL OU SISTEMÁTICA
  43. 43. LEITURAANALÍTICA
  44. 44. LEITURA SINTÓPICA OU COMPARATIVA
  45. 45. OUVIR MÚSICA Gosto Entretenimento Erudição
  46. 46. Melodia Ritmo HarmoniaDinâmica Timbres ELEMENTOS
  47. 47. OBRIGADO! @narajr arqueologia@narajr.net arquitetura@narajr.net

×