Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Semiologia cardíaca

18 918 vues

Publié le

Aparelho Cardiovascular
Dr.Renan
ciclo cardíaco

Publié dans : Santé & Médecine
  • Identifiez-vous pour voir les commentaires

Semiologia cardíaca

  1. 1. Aparelho Cardiovascular Ciclo Cardíaco, ictus cordis, focos e bulhas cardíacas DISCIPLINA DE PROPEDÊUTICA
  2. 2. Noções de anatomia cardíaca • Coração separado em 2 partes (direita e esquerda) e cada metade consiste em 2 câmaras: • Átrios -> Recebem sangue das veias • Ventrículos -> Impulsionam o sangue para as artérias • O átrio direito (recebe sangue venoso pelas veias cavas) -> Valva tricúspide-> Ventrículo direito -> Valva pulmonar -> Artéria pulmonar -> Pulmão -> Veias pulmonares -> Átrio esquerdo -> Valva Mitral -> Ventrículo Esquerdo -> Valva aórtica -> Aorta
  3. 3. Ciclo cardíaco • Sequência de eventos cardíacos que ocorre do início de cada batimento cardíaco até o início do próximo batimento • Cada ciclo consiste em um período de relaxamento (diástole) e contração (sístole) • Tem início pela geração espontânea de um potencial de ação no nó sinusal, que se propaga pelos átrios -> nó atrioventricular -> feixe de His (ramos direito e esquerdo) e fibras de Purkinje
  4. 4. Ciclo Cardíaco - Sístole 1) Contração isovolumétrica - Inicia-se na contração ventricular - Aumento abrupto da pressão dentro do ventrículo e fechamento das valvas Atrioventriculares - Após 0,02-0,03s os ventrículos geram pressão suficiente para abrir as valvas semilunares 2) Período de Ejeção - Pressão ventricular força a abertura da semilunares - 70% do sangue sai nos primeiros 2/3 da ejeção (ejeção rápida) e 30% no 1/3 final (ejeção lenta)
  5. 5. Ciclo Cardíaco - Diástole 1) Relaxamento isovolumétrico - Queda rápida da pressão intraventricular - Fechamento abrupto das valvas semilunares - Por 0,03-0,06s o músculo relaxa, porém o volume não se altera - Quando a pressão intraventricular fica menor que a dos átrios -> abertura das valvas atrioventriculares
  6. 6. Ciclo Cardíaco - Diástole 2) Enchimento rápido - Após abertura das valvas atrioventriculares - Cerca do primeiro 1/3 da diástole 3) Enchimento lento (diástese) - Ocorre no 1/3 médio da diástole - Pequena quantidade de sangue que flui diretamente das ceias para o ventrículo 4) Contração atrial - Último 1/3 da diástole - Impulso adicional de sangue para os ventrículos (25%)
  7. 7. Ciclo Cardíaco • Fechamento dos folhetos da valva mitral e tricúspide -> principal componente da 1ª bulha cardíaca • Fechamento da valva aórtica e pulmonar-> principal componente da 2ª bulha cardíaca
  8. 8. Projeção do Coração no Tórax
  9. 9. Exame Físico do Coração • Inspeção • Palpação • Ausculta
  10. 10. Inspeção • Abaulamentos • Intrínsecos • Hipertrofia e/ou dilatação cardíaca • Mais evidente nos jovens • Extrínsecos • Derrame pericárdico, enfisema, empiema, aneurisma de aorta
  11. 11. Inspeção • Deformidades • Batimentos e movimentos • Pulsação epigástrica (transmissão da aorta abdominal ou hipertrofia de VD) • Pulsação na fúrcula (pode significar HAS, aneurisma de aorta) • Análise do Ictus cordis (se visível)
  12. 12. Inspeção/Palpação • Ictus cordis (choque da ponta) • Corresponde ao choque da ponta do ventrículo esquerdo contra o arcabouço torácico • Observar -> Localização, extensão, mobilidade, intensidade, ritmo e frequência
  13. 13. Ictus Cordis • Inspeção • Ao lado direito do paciente e junto aos pés • Pode não ser visível em pessoas normais • Localização pode variar com biotipo • Localização • Normalmente -> 5º EIC na linha hemiclavicular
  14. 14. Ictus Cordis • Extensão • Normal – 2 polpas digitais • Intensidade • Palpação com a palma da mão • Mobilidade • Ictus varia com a posição do indivíduo • Ritmo e frequência
  15. 15. Ictus Cordis • Hipertrofia e/ou dilatação do VE -> Deslocamento do ictus para baixo e para esquerda • Hipertrofia do VD -> Deslocamento horizontal para esquerda • Ictus difuso (ou globoso) -> ≥ 3 polpas digitais (dilatação) • Ictus propulsivo -> Hipertrofia
  16. 16. Palpação Precordial • Frêmito cardiovascular • Sensação tátil determinada por vibrações produzidas no coração ou nos vasos • Corresponde aos sopros • Determinar a localização, a situação no ciclo cardíaco e a intensidade (+ a ++++) • Raro
  17. 17. Ausculta cardíaca • Auscultar todos os focos • Paciente sentado, decúbito dorsal e decúbito lateral esquerdo (Pachon) • Observar bulhas cardíacas, ritmo e frequência, cliques ou estalidos, sopros, ruídos de pericardite e atrito pericárdico
  18. 18. Ausculta Cardíaca • Manobras • Ligeira flexão do tronco (focos da base) • Müller – inspiração forçada com a glote fechada • Valsalva – Expiração forçada com a glote fechada • Rivero-Carvalho – Apnéia inspiratória com inspiração forçada
  19. 19. Ausculta Cardíaca • Focos apicais • Foco mitral -> 5º EIC esquerdo, linha hemiclavicular • Foco tricúspide -> Base do apêndice xifoide, ligeiramente à esquerda • Focos da base • Foco aórtico -> 2º EIC direito, junto ao esterno • Foco aórtico acessório -> 3º EIC esquerdo, próximo ao esterno • Foco pulmonar -> 2º EIC esquerdo, junto ao esterno *Observar outras localizações, como dorso, axila e pescoço (irradiações)
  20. 20. Bulhas Cardíacas • São vibrações geradas pela aceleração e desaceleração da coluna de sangue e pelas estruturas cardiovasculares (ventrículos, aparelhos valvares) • Podem ser ouvidas em todos os focos • B1, B2, B3 e B4
  21. 21. Bulhas Cardíacas • Primeira Bulha (B1) • Principal elemento -> fechamento das valvas mitral e tricúspide (vibração destes após o fechamento pela movimentação de sangue), além da tensão na parede dos ventrículos e aceleração da coluna líquida • Coincide com o ictus cordis e o pulso carotídeo • Timbre mais grave e duração pouco maior que a 2ª bulha • “TUM”
  22. 22. Bulhas Cardíacas • Segunda Bulha (B2) • Principal elemento -> Fechamento das valvas aórtica (A2) e pulmonar (P2) (vibração por desaceleração da coluna líquida) • Desdobramento fisiológico é comum nas crianças • Timbre mais agudo e seco • “TA”
  23. 23. Alterações das Bulhas Cardíacas - Intensidade • Hiperfonese de ambas as bulhas em todos os focos • Exercício, emoção, febre, hipertireoidismo • Hipofonese de ambas as bulhas em todos os focos • Obesidade, enfisema, derrame pericárdico
  24. 24. Alterações das Bulhas Cardíacas - Intensidade • B1 • Mais audível nos focos mitral e tricúspide • Hiperfonese • Hipertrofia do VE (HAS, insuficiência aórtica) • Alterações valvares -> estenose mitral (acompanhado de modificações de timbre) • Hipofonese • Principalmente por insuficiência contrátil (IC)
  25. 25. Alterações das Bulhas Cardíacas - Intensidade • B2 • Mais audível nas áreas da base • Hiperfonese • Ocorre em situações em que há aumento do débito (tanto arterial aórtico quanto pulmonar) • Hipofonese • Situações com redução do DC -> ruído menos intenso
  26. 26. Alterações das Bulhas Cardíacas - Desdobramentos • B1 • É percebido descontinuidade na bulha • Fisiológico -> mais comum em adultos (maior diferença pressórica entra aórtica e pulmonar) e é transitório • Patológico ->Pode representar um atraso no fechamento da valva tricúspide e sobrecargas ventriculares • Presente tanto na inspiração quanto na expiração • Diferenciar de aparentes desdobramentos de B1 (estalidos sistólicos, B4) • “Trum – Ta”
  27. 27. Alterações das Bulhas Cardíacas - Desdobramentos • B2 • Analisar áreas da base • Fisiológico • Comum em crianças e jovens • Evidente na inspiração • Queda da pressão intratorácica -> aumento do retorno venoso -> aumento do tempo de ejeção do VD -> atraso de P2 • “Tum – trá”
  28. 28. Alterações das Bulhas Cardíacas - Desdobramentos • B2 (Patológico) • Presentes na inspiração e expiração • Bloqueio de ramo direito • Acentua-se na inspiração • Comunicação interatrial (desdobramento fixo de B2) • Não se modifica com inspiração • Bloqueio de ramo esquerdo (desdobramento paradoxal) • Evidente na expiração

×