Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.
Estratégia Multimodal da OMS para Higienizaçãodas Mãos e Degermação CirúrgicaMarta Amorim LeandroEnfermeira da CCIH do HC-...
As IrAS se apresentam como um grave problema de saúde pública no país,aumentando a morbidade e a mortalidade entre os paci...
A higienização das mãos• Medida de maior impacto;• Comprovada eficácia na prevenção das infecções;• Impede a transmissão c...
PRIMEIRA EVIDÊNCIA CIENTÍFICACOMPARANDO A MORTALIDADE ENTRE DUASCLÍNICAS OBSTÉTRICAS1º Clínica Estudantes de medicina2º Cl...
Intervenção: instituiu a técnica de anti-sepsia dasmãos com água clorada;A Mortalidade materna da 1a clínica foi reduzidad...
FLORENCE NIGHTINGALEGuerra da Crimeia (1853 à 1856)• Higiene das mãos e do ambiente;• Melhores condições no cuidado aos so...
Semmelweiss Forgotten Gift:Has Handwashing Lost Its Importance?DOI: 10.7860/JCDR/2013/4779.279250 Estudantes de MedicinaDi...
“Uma assistência limpa é umaassistência mais segura”CENÁRIO ATUALPROPOSTA DA OMS ESTRATÉGIA MULTIMODAL“ALIANÇA MUNDIAL PAR...
ESTRATÉGIA MULTIMODAL DA OMSObjetivos:• Reduzir a disseminação de infecção;• Reduzir a transmissão de MDR;• Diminuir o núm...
ESTRATÉGIA MULTIMODAL DA OMS• Estimular outras práticas:• Segurança do paciente;• Segurança do Sangue;• Segurança das inje...
ESTRATÉGIA MULTIMODAL DA OMSO guia é dividido em 5 passos principais:PASSO 1: Preparação da unidadePASSO 2: Avaliação bási...
CINCO COMPONENTES1.Mudança do sistema:Preparação alcoólica para higienização das mãos no pontode assistência• Acesso a águ...
SEQUENCIA DE TESTE LOCAL
COMO UTILIZAR OSINDICADORES DEPROCESSO NO SEUHOSPITAL?
*AusênciairregularidadeConclusãoPIAAnti-séptico ou sabãolíquidoDispensador emfuncionamento Papel toalhaDispensador de pape...
DATA PROF DESAÚDEPALMA DORSO INTERDIGITAISARTICULAÇÕESPOLEGARESUNHAS PUNHOS CNCC= Conforme= Considerar quando forem cumpri...
PUBLICAÇÕES / CAMPANHAS /ORIENTAÇÕESANVISA, CDC, OMS,OPAS
TÉCNICAS PARA HIGIENIZAÇÃO DASMÃOSAs técnicas de higienização das mãosvariar, dependendo do objetivo ao qual sedestinam.Hi...
FINALIDADE DA HIGIENIZAÇÃO DASMÃOSFinalidadeRemover os microrganismos que colonizamas camadas superficiais da pele, assim ...
OS SETE PASSOS DA TÉCNICA DE HIGIENE DAS MÃOS
DEGERMAÇÃO CIRÚRGICAA degermação cirúrgica dasmãos e dos antebraços é umprocedimento que integraas atividades de paramenta...
FINALIDADE DA DEGERMAÇÃOCIRÚRGICAEliminar a microbiota transitória da pele ereduzir a microbiota residente, além deproporc...
Duração do Procedimento3 a 5 minutos para a primeira cirurgia2 a 3 minutos para as cirurgias subseqüentes(sempre seguir o ...
DEGERMAÇÃO CIRÚRGICA
DEGERMAÇÃO CIRÚRGICA
DEGERMAÇÃO CIRÚRGICA
DEGERMAÇÃO CIRÚRGICAPASSO A PASSO1- Antes de iniciar a degermação, oprofissional deve proceder a colocação degorro e másca...
DEGERMAÇÃO CIRÚRGICAPASSO A PASSO4-Utilizar a escova ,que já deve estarimpregnada com gluconato de clorexidina à2% ou outr...
DEGERMAÇÃO CIRÚRGICAPASSO A PASSO6-A escovação deve ser iniciada pela palmada mão dominante;7- Fazer movimentos de vai- e ...
DEGERMAÇÃO CIRÚRGICAPASSO A PASSO11-Manter os movimentos no sentido mãoscotovelos, unidirecional;12-agora , escovar o coto...
DEGERMAÇÃO CIRÚRGICAPASSO A PASSO15-Após essas etapas, iniciar a higiene dasunhas, usando obrigatoriamente o lado dascerda...
DEGERMAÇÃO CIRÚRGICAPASSO A PASSO19-Término da escovação, dirigir-se a salade cirurgia, com as mãos acima docotovelo;20-En...
Eficácia de três métodos de degermação das mãos utilizandogluconato de clorexidina degermante (GCH 2%)Revista da Escola de...
Revista da Escola de Enfermagem da USPPrint version ISSN 0080-6234Rev. esc. enferm. USP vol.45 no.6 São Paulo Dec. 2011htt...
Joseph Lister- 1865Utilizou pela primeira vez uma solução defenol em compressas e suturas;Introduziu a cirurgia asséptica.
AÇÕES EDUCATIVAS CCIH-HC-UFPE
AÇÕES EDUCATIVAS CCIH-HC-UFPE
TRABALHO EM EQUIPE É SEMPRE MAISPRODUTIVO E GRATIFICANTE CCIH-HC-UFPE
OBRIGADA !marleandro2004@yahoo.com.br
 Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
Prochain SlideShare
Chargement dans…5
×

Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica

27 184 vues

Publié le

Publié dans : Santé & Médecine
  • Login to see the comments

Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica

  1. 1. Estratégia Multimodal da OMS para Higienizaçãodas Mãos e Degermação CirúrgicaMarta Amorim LeandroEnfermeira da CCIH do HC-UFPEEspecialista em Gestão da Informação aplicada àEpidemiologia-Fiocruz 2004e Saúde da Família – UFPE - 2006
  2. 2. As IrAS se apresentam como um grave problema de saúde pública no país,aumentando a morbidade e a mortalidade entre os pacientes, além de elevar oscustos hospitalares.A adesão às práticas de higienização das mãos está associada a uma redução nastaxas das infecções em serviços de saúde.A HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS É ISOLADAMENTE OPROCEDIMENTO DE MAIOR IMPORTÂNCIA PARAPREVENÇÃO E CONTROLE DAS INFECÇÕES RELACIONADASA ASSISTÊNCIA À SAÚDE
  3. 3. A higienização das mãos• Medida de maior impacto;• Comprovada eficácia na prevenção das infecções;• Impede a transmissão cruzada de microrganismos;• Apresenta menor custo;• Procedimento simples;• Adesão muito baixa pelos profissionais;• Grande desafio para os controladores de IrAS;
  4. 4. PRIMEIRA EVIDÊNCIA CIENTÍFICACOMPARANDO A MORTALIDADE ENTRE DUASCLÍNICAS OBSTÉTRICAS1º Clínica Estudantes de medicina2º Clínica ParteirasRelaciona a mortalidade na clínica das parturientestratadas pelos estudantes de medicina, com aspartículas cadavéricas trazidas pelas mãos.Semmelweis
  5. 5. Intervenção: instituiu a técnica de anti-sepsia dasmãos com água clorada;A Mortalidade materna da 1a clínica foi reduzidade 12% para menos de 2%.Fim do surto por febre Puerperal
  6. 6. FLORENCE NIGHTINGALEGuerra da Crimeia (1853 à 1856)• Higiene das mãos e do ambiente;• Melhores condições no cuidado aos soldados da guerra;• Lavanderia Hospitalar;• Diminuição da mortalidade
  7. 7. Semmelweiss Forgotten Gift:Has Handwashing Lost Its Importance?DOI: 10.7860/JCDR/2013/4779.279250 Estudantes de MedicinaDividido em dois grupos : 1- Grupo Teste – Receberam orientaçõs sobrelavagem das mãos/ OMS2-Grupo controle - Sem orientaçõesGrupo 1 – A colonização de bactérios foi significativamente menor ( S.aureus/ MRSA), que o grupo controle( 40% e 86,7%, respectivamente)As mãos das mulheres apresentaram maoir colonização, que as mãos dosHomens;Pessoas que usavam aneis , tiveram também maior colonização de S aureusCONCLUSÃO: Ensinamentos, cartazes , utilizados com frequência temmelhor resultado = Eficaz. As instruções curriculares precisam de reforço.Yashasvi Chungh,Shirikala Baliga, Março-2013CENÁRIO ATUAL
  8. 8. “Uma assistência limpa é umaassistência mais segura”CENÁRIO ATUALPROPOSTA DA OMS ESTRATÉGIA MULTIMODAL“ALIANÇA MUNDIAL PARA SEGURANÇA DO PACIENTE “BRASIL, 2007 - Assinatura do termo decompromisso;
  9. 9. ESTRATÉGIA MULTIMODAL DA OMSObjetivos:• Reduzir a disseminação de infecção;• Reduzir a transmissão de MDR;• Diminuir o número de IrAS previnível;• Melhorar a prática de Higienização das mãos;
  10. 10. ESTRATÉGIA MULTIMODAL DA OMS• Estimular outras práticas:• Segurança do paciente;• Segurança do Sangue;• Segurança das injeções e imunizações;• Gestão segura da água, do saneamento e dosresíduos;
  11. 11. ESTRATÉGIA MULTIMODAL DA OMSO guia é dividido em 5 passos principais:PASSO 1: Preparação da unidadePASSO 2: Avaliação básicaPASSO 3:ImplantaçãoPASSO 4:Avaliação de acompanhamento e retornoPASSO 5:Desenvolvimento de ação contínua erevisão do ciclo
  12. 12. CINCO COMPONENTES1.Mudança do sistema:Preparação alcoólica para higienização das mãos no pontode assistência• Acesso a água corrente, sabonete e papel toalha2. Treinamento / instrução3. Observação e retorno4. Lembretes no local de trabalho5. Clima de segurança institucional• Participação ativa na institução e individualmente• Auto-eficácia individual / institucional
  13. 13. SEQUENCIA DE TESTE LOCAL
  14. 14. COMO UTILIZAR OSINDICADORES DEPROCESSO NO SEUHOSPITAL?
  15. 15. *AusênciairregularidadeConclusãoPIAAnti-séptico ou sabãolíquidoDispensador emfuncionamento Papel toalhaDispensador de papeltoalha em funcionamentoA NA A NA A NA A NA A NA C NCA: Adequado; NA: Não Adequado; C: Conforme; NC: Não Conforme.* Ausência de irregularidades: toalha de pano, faltade água, dispensador comsujidade entreoutras.Registrar as irregularidades: ________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________Cálculo do indicador:Nº. total de pias em que todas as condições para higiene das mãos são atendidas (Conforme) x 100________________________________________________________________________Nº total de pias avaliadas
  16. 16. DATA PROF DESAÚDEPALMA DORSO INTERDIGITAISARTICULAÇÕESPOLEGARESUNHAS PUNHOS CNCC= Conforme= Considerar quando forem cumpridas todos os passos(1-palma, 2-dorso, 3interdigitai, 4articulações,5-polegares,6-unhas, 7-punho)NC= Não conforme= Considerar quando pelo menos um dos 7 passos deixar de ser feitoRESPONSÁVEL PELAS OBSERVAÇÕES_________________________________
  17. 17. PUBLICAÇÕES / CAMPANHAS /ORIENTAÇÕESANVISA, CDC, OMS,OPAS
  18. 18. TÉCNICAS PARA HIGIENIZAÇÃO DASMÃOSAs técnicas de higienização das mãosvariar, dependendo do objetivo ao qual sedestinam.Higienização simples das mãos.Higienização anti-séptica das mãos.Fricção de anti-séptico nas mãos.Anti-sepsia cirúrgica ou preparo pré-operatório das mãos.
  19. 19. FINALIDADE DA HIGIENIZAÇÃO DASMÃOSFinalidadeRemover os microrganismos que colonizamas camadas superficiais da pele, assim comoo suor, a oleosidade e as células mortas,retirando a sujidade propícia à permanência eà proliferação de microrganismos.Duração do procedimento: 40 a 60 segundos.
  20. 20. OS SETE PASSOS DA TÉCNICA DE HIGIENE DAS MÃOS
  21. 21. DEGERMAÇÃO CIRÚRGICAA degermação cirúrgica dasmãos e dos antebraços é umprocedimento que integraas atividades de paramentaçãocirúrgica como uma medida deprevenção de infecção do sítiocirúrgico.Anvisa/ MS/2007
  22. 22. FINALIDADE DA DEGERMAÇÃOCIRÚRGICAEliminar a microbiota transitória da pele ereduzir a microbiota residente, além deproporcionar efeito residual na pele doprofissional.Anvisa/ MS/2007
  23. 23. Duração do Procedimento3 a 5 minutos para a primeira cirurgia2 a 3 minutos para as cirurgias subseqüentes(sempre seguir o tempo de duração recomendadopelo fabricante).Anvisa/ MS/2007
  24. 24. DEGERMAÇÃO CIRÚRGICA
  25. 25. DEGERMAÇÃO CIRÚRGICA
  26. 26. DEGERMAÇÃO CIRÚRGICA
  27. 27. DEGERMAÇÃO CIRÚRGICAPASSO A PASSO1- Antes de iniciar a degermação, oprofissional deve proceder a colocação degorro e máscara, devidamente ajustada.Deve ter procedido Higienização básicadas mãos2- Certificar-se da qualidade da máscaracirúrgica e comprovar a existência das trêscamadas,que garanta a filtragem departículas maiores que 5 micras;3-molhar as mãos e antebraço de formaAbundante, mantendo as mãos para cima;
  28. 28. DEGERMAÇÃO CIRÚRGICAPASSO A PASSO4-Utilizar a escova ,que já deve estarimpregnada com gluconato de clorexidina à2% ou outro antisséptico de uso habitual noseu Hospital, desde que seja recomendadopela ANVISA;5-Se sua escova não possui o antisséptico,este deve estar disponívelem dispensadores que não seja tocadocom as mãos;
  29. 29. DEGERMAÇÃO CIRÚRGICAPASSO A PASSO6-A escovação deve ser iniciada pela palmada mão dominante;7- Fazer movimentos de vai- e -vem nosentido mão cotovelo( 20 escovadelas);8-Em seguida o dorso da mão( sempre nomesmo sentido);9-Escovar entre cada dedo, em todo seucontorno, com movimentos de cima parabaixo;10-Estando a mão toda ensaboada,escovada ou degermada, iniciar aescovação do antebraço;
  30. 30. DEGERMAÇÃO CIRÚRGICAPASSO A PASSO11-Manter os movimentos no sentido mãoscotovelos, unidirecional;12-agora , escovar o cotovelo , emmovimentos circulares, pelo menos 25vezes;13-Antes das unhas , devemos repetir todasas etapas no outro braço, iniciando pelaspalmas, depois o dorso das mãos , dedosem todos os seus contornos;14-Continuando com os braços, lembrandodo sentido único na direção mãos cotovelos;
  31. 31. DEGERMAÇÃO CIRÚRGICAPASSO A PASSO15-Após essas etapas, iniciar a higiene dasunhas, usando obrigatoriamente o lado dascerdas da escova;16-Faça movimentos firmes de vai- e- vem,no sentido transversal ao eixo da mão, emnúmero mínimo de 30 vezes;17-repetir o procedimento na mão oposta;18-Após a higiene das unhas, soltar aescova no lavabo e não tocar em nada;18- acione a torneira e inicie o enxague,sempre com as mãos para cima;
  32. 32. DEGERMAÇÃO CIRÚRGICAPASSO A PASSO19-Término da escovação, dirigir-se a salade cirurgia, com as mãos acima docotovelo;20-Enxagar as mãos , antebraços ecotovelo;21- Iniciar a paramentação cirúrgica,seguindo técnica estabelecida;FONTE: ANVISA / CRIOGÊNESIS BIOTECNOLOGIA LTDAwww.criogenesis.com.br
  33. 33. Eficácia de três métodos de degermação das mãos utilizandogluconato de clorexidina degermante (GCH 2%)Revista da Escola de Enfermagem USP 2011; 45(6):1440-5www.ee.usp.br/reeuÉrika Rossetto da Cunha1, Fabiana Gonçalves de Oliveira Azevedo Matos2, Adriana Maria da Silva3 Eutália Aparecida Cândido de Araújo4, Karine Azevedo São Leão Ferreira5, Kazuko Uchikawa Graziano6Foram avaliados 29 profissionais da saúde, utilizando o método de caldo de luva paracoleta de micro-organismos antes e depois de cada método testado.O número total de amostras analisadas foi de 49, sendo 19 amostrasreferentes à técnica de degermação dasmãos com escova, 10 amostras referentes à degermaçãodas mãos com esponja e 20 amostras referentes à degermação dasmãos sem artefato
  34. 34. Revista da Escola de Enfermagem da USPPrint version ISSN 0080-6234Rev. esc. enferm. USP vol.45 no.6 São Paulo Dec. 2011http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342011000600023As análises estatísticas comprovaram não haver diferenças estatísticas significantes na reduçãomicrobiana entre os três métodos analisados (p=0,148), o que teoricamente descarta a necessidadeda continuidade do uso de escovas e esponjas para a realização da degermação das mãos.
  35. 35. Joseph Lister- 1865Utilizou pela primeira vez uma solução defenol em compressas e suturas;Introduziu a cirurgia asséptica.
  36. 36. AÇÕES EDUCATIVAS CCIH-HC-UFPE
  37. 37. AÇÕES EDUCATIVAS CCIH-HC-UFPE
  38. 38. TRABALHO EM EQUIPE É SEMPRE MAISPRODUTIVO E GRATIFICANTE CCIH-HC-UFPE
  39. 39. OBRIGADA !marleandro2004@yahoo.com.br

×