Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.
Pós-operatório de Cirurgia Cardíaca
Pediátrica
Enfª R2 Gabrielle Pessôa
Universidade de Pernambuco
Pronto Socorro Cardioló...
Objetivos
• Descrever as rotinas e a monitorização no pós-operatório
imediato (POI) de cirurgia cardíaca pediátrica;
• Apo...
Cirurgia Cardíaca Pediátrica
• Procedimento complexo com diversas repercussões orgânicas e
alteração de mecanismos fisioló...
O cuidado pós operatório de crianças
submetidas à cirurgia com circulação
extracorpórea exige amplos
conhecimentos nos cui...
Admissão na UTI
• Equipe Multidisciplinar:
 Diagnóstico da cardiopatia
 Tipo de procedimento (cirurgia paliativa x cirur...
TALLO et al., 2012;
CROTI et al., 2012;
SANTOS, et al., 2015
Monitorização Neurológica
TALLO et al., 2012;
Monitorização Neurológica
• Pode ser realizada pela escala de Comfort: escore
menor que 17 indica sedação excessiva, 17-26...
Monitorização Respiratória
• Parâmetros do ventilador mecânico (Modo ventilatório,
FR, FiO2, Volume corrente, PIP, PEEP)
•...
Atenção!
Paralisia DiafragmáticaParalisia Diafragmática pode ocorrerpode ocorrer
devido hipotermia, inflamação ou lesão de...
Critérios de extubação no pós-op
de cirurgia pediátrica
TALLO et al., 2012;
Monitorização Hemodinâmica
• Temperatura central (esofágica ou retal)
• ECG contínuo (FC, ritmo, presença de arritmias)
• ...
Monitorização: Pontos de Atenção!
• Controle de peso diário em jejum, diurese e balanço
hídrico
• Alimentação e hidratação...
Cirurgia de Blalock-Taussig
• Não mensurar a pressão arterial e não fazer palpação do pulso
periférico ou punção arterial ...
Cirurgia de Glenn
• Repouso em decúbito elevado a 30-45º
CROTI et al., 2012;
Fonte: google imagens
Cirurgia de Fontan
Fonte: google imagens
Cirurgia de Fontan
• Técnica Cavopulmonar: Ocorre redução do automatismo
sinusal com presença de arritmias supraventricula...
Cirurgia de Senning e Mustard
• Atentar para distúrbios do ritmo cardíaco do tipo ritmo
juncional ou BAV CROTI et al., 201...
Cirurgia de Coarctação de Aorta
• Ocorrência de hipertensão arterial devido a liberação de
catecolaminas e desregulação do...
Complicações
TALLO et al., 2012;
Diagnósticos de Enfermagem
Débito Cardíaco Diminuído relacionado à sobrecarga miocárdica pós
cirurgia
Risco de perfusão ti...
Referências Bibliográficas
 CROTI, U. A.; MATTOS, S.S.; PINTO JÚNIOR, V. C.; AIELLO, V. D.; MOREIRA, V.
M. Cardiologia e ...
Obrigada!
pessoa.gabrielle@hotmail.com
Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica
Prochain SlideShare
Chargement dans…5
×

Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica

Enfermagem

  • Identifiez-vous pour voir les commentaires

Pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica

  1. 1. Pós-operatório de Cirurgia Cardíaca Pediátrica Enfª R2 Gabrielle Pessôa Universidade de Pernambuco Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco Profº Luiz Tavares Programa de Especialização em Cardiologia Modalidade Residência Junho 2016
  2. 2. Objetivos • Descrever as rotinas e a monitorização no pós-operatório imediato (POI) de cirurgia cardíaca pediátrica; • Apontar algumas particularidades do cuidado em cirurgias cardíacas pediátricas específicas; • Citar as principais complicações das cirurgias cardíacas pediátricas; • Elencar diagnósticos de enfermagem no pós-operatório de cirurgia cardíaca pediátrica;
  3. 3. Cirurgia Cardíaca Pediátrica • Procedimento complexo com diversas repercussões orgânicas e alteração de mecanismos fisiológicos; • As cirurgias são dirigidas para as correções de más formações de diferentes graus de gravidade e com maior ou menor repercussão hemodinâmica pulmonar e sistêmica. • Inclui cirurgias de doenças congênitas e doenças adquiridas (doença reumática, endocardite e trauma). TALLO et al., 2012; Incidência é 2-10 nascimentos/1000 nascidos vivos (0,8%). Se não tratada a tempo mais da metade morre no 1º ano de vida.
  4. 4. O cuidado pós operatório de crianças submetidas à cirurgia com circulação extracorpórea exige amplos conhecimentos nos cuidados intensivos, de fisiopatologia da doença cardíaca congênita, equipe de enfermagem altamente especializada e equipamentos de última geração. TALLO et al., 2012;CROTI et al., 2012;
  5. 5. Admissão na UTI • Equipe Multidisciplinar:  Diagnóstico da cardiopatia  Tipo de procedimento (cirurgia paliativa x cirurgia corretiva)  Intercorrências  Duração (tempo de CEC e anóxia)  Posicionamento do TOT  Presença de drenos e sondas  Fios de marcapasso (atrial, ventricular)  Necessidade de dispositivos de assistência circulatória (BIA, ECMO)  Manutenção do esterno aberto  Uso de drogas vasoativas  Uso de hemocomponentes TALLO et al., 2012;CROTI et al., 2012;
  6. 6. TALLO et al., 2012; CROTI et al., 2012; SANTOS, et al., 2015
  7. 7. Monitorização Neurológica TALLO et al., 2012;
  8. 8. Monitorização Neurológica • Pode ser realizada pela escala de Comfort: escore menor que 17 indica sedação excessiva, 17-26 sedação adequada e >26 sedação insuficiente. TALLO et al., 2012;
  9. 9. Monitorização Respiratória • Parâmetros do ventilador mecânico (Modo ventilatório, FR, FiO2, Volume corrente, PIP, PEEP) • Avaliação do ritmo, profundidade e frequência respiratória, esforço respiratório, simetria torácica, coloração de pele e mucosas. • Oximetria de pulso de 1/1h – sensor adequado ao tamanho da criança atentando-se para troca do local a cada 2h. • Capnografia de 1/1h TALLO et al., 2012;CROTI et al., 2012; Fonte: google imagens
  10. 10. Atenção! Paralisia DiafragmáticaParalisia Diafragmática pode ocorrerpode ocorrer devido hipotermia, inflamação ou lesão dedevido hipotermia, inflamação ou lesão de nervo frêniconervo frênico  diminuição da ventilação ediminuição da ventilação e perfusão do parênquima pulmonarperfusão do parênquima pulmonar QuilotóraxQuilotórax pode ocorrer devido lesão dopode ocorrer devido lesão do ducto torácicoducto torácico  líquido leitoso no drenolíquido leitoso no dreno pleural (evidencia aumento de triglicerídios)pleural (evidencia aumento de triglicerídios) CROTI et al., 2012;
  11. 11. Critérios de extubação no pós-op de cirurgia pediátrica TALLO et al., 2012;
  12. 12. Monitorização Hemodinâmica • Temperatura central (esofágica ou retal) • ECG contínuo (FC, ritmo, presença de arritmias) • PAI (via umbilical, radial e femoral) • PVC • Catéter de artéria pulmonar com verificação da PAP, PAOP, DC, saturação venosa mista de O2 • Catéter de átrio esquerdo • Lactato e saturação venosa central para monitorar perfusão sistêmica TALLO et al., 2012;CROTI et al., 2012;
  13. 13. Monitorização: Pontos de Atenção! • Controle de peso diário em jejum, diurese e balanço hídrico • Alimentação e hidratação: Evitar jejum prolongado • Repouso e atividade física: O repouso diminui a sobrecarga cardíaca e facilita a cicatrização. Iniciar a deambulação no 2º DPO em crianças maiores • Avaliação da dor e analgesia • Anticoagulação CROTI et al., 2012;
  14. 14. Cirurgia de Blalock-Taussig • Não mensurar a pressão arterial e não fazer palpação do pulso periférico ou punção arterial no membro superior do lado relacionado com a incisão cirúrgica  amplitude do pulso estará diminuída devido ao “desvio do fluxo” • Evitar desidratação  hemoconcentração  aumenta o risco de tromboembolismo CROTI et al., 2012; Fonte: google imagens
  15. 15. Cirurgia de Glenn • Repouso em decúbito elevado a 30-45º CROTI et al., 2012; Fonte: google imagens
  16. 16. Cirurgia de Fontan Fonte: google imagens
  17. 17. Cirurgia de Fontan • Técnica Cavopulmonar: Ocorre redução do automatismo sinusal com presença de arritmias supraventriculares (extrassístoles, fibrilação e taquicardia paroxísticas) • Técnica atriopulmonar e cavopulmonar em idade adulta: Congestão sistêmica (PVC aumentada, hepatomegalia, ascite, edema MMII) • Estimular deambulação e exercícios de MMII  prevenção de complicações tromboembólicas CROTI et al., 2012;
  18. 18. Cirurgia de Senning e Mustard • Atentar para distúrbios do ritmo cardíaco do tipo ritmo juncional ou BAV CROTI et al., 2012; Fonte: google imagens
  19. 19. Cirurgia de Coarctação de Aorta • Ocorrência de hipertensão arterial devido a liberação de catecolaminas e desregulação dos barroceptores em consequência da manipulação do arco aórtico CROTI et al., 2012; Fonte: google imagens
  20. 20. Complicações TALLO et al., 2012;
  21. 21. Diagnósticos de Enfermagem Débito Cardíaco Diminuído relacionado à sobrecarga miocárdica pós cirurgia Risco de perfusão tissular cardíaca diminuída relacionado ao débito cardíaco diminuído Troca gasosa prejudicada relacionada ao desequilíbrio ventilação- perfusão Desobstrução ineficaz de vias respiratórias relacionada à depressão neuromuscular pelo ato anestésico Risco de desequilíbrio de volume de líquidos relacionado ao comprometimento de mecanismos reguladores e infusão elevada de líquidos no transoperatório Risco de Sangramento relacionado aos distúrbios da coagulação secundários a CEC CROTI et al., 2012
  22. 22. Referências Bibliográficas  CROTI, U. A.; MATTOS, S.S.; PINTO JÚNIOR, V. C.; AIELLO, V. D.; MOREIRA, V. M. Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular Pediátrica. 2ª edição. São Paulo: Roca; 2012  SANTOS, A. P. A,; LAUS, A. M.; CAMELO, S. H. H. O trabalho da enfermagem no pós-operatório de cirurgia cardíaca: uma revisão integrativa. ABCS Health Science, v. 40, n. 1, p. 45-52, 2015.  TALLO, F. S.; GUIMARÃES, H. P.; CARMONA, M. J. C.; BIANCO A. C. M.; LOPES, R. D.; TELE, J. M. M. Manual de perioperatório de cirurgia cardíaca da AMIB, Atheneu, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, 2012. 245p.
  23. 23. Obrigada! pessoa.gabrielle@hotmail.com

×