Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.
Botânica aplicada ao paisagismo e arborização urbana Prof. Marcelo Antoniol [email_address]
<ul><li>PAISAGISMO E TIPOS DE VEGETAIS UTILIZADOS NO PAISAGISMO </li></ul>
<ul><li>A finalidade do paisagismo é a integração do  homem  com a  natureza , buscando melhores condições de vida pelo eq...
<ul><li>O paisagismo urbano tem por objeto os espaços abertos (não construídos) e as áreas livres, com funções de recreaçã...
<ul><li>Com o aumento do estresse urbano, a necessidade de estar próximo à natureza tem aumentado.  </li></ul><ul><li>As á...
<ul><li>As áreas verdes, os parques, a arborização das ruas, as avenidas, as praças públicas, os clubes, os jardins públic...
CONCEITOS E DEFINIÇÕES   <ul><li>Espaço Livre : trata-se do conceito mais abrangente, integrando os demais e contrapondo-s...
<ul><li>Área Verde :  onde há o predomínio de vegetação arbórea, englobando as praças, os jardins públicos e os parques ur...
Amparo, SP.
Canteiro central. Pedreira, SP
<ul><li>Parque Urbano :  é uma área verde, com função ecológica, estética e de lazer, entretanto com uma extensão maior qu...
 
 
 
 
<ul><li>Arborização Urbana :  diz respeito aos elementos vegetais de porte arbóreo, dentro da cidade. Nesse enfoque, as ár...
 
Praça <ul><li>Em uma definição bastante ampla,  praça  é qualquer  espaço público   urbano   livre  de edificações e que p...
<ul><li>No Brasil, a ideia de praça normalmente está associada à presença de ajardinamento, sendo os espaços conhecidos po...
 
 
 
 
AS DIFERENTES FUNÇÕES DAS ÁREAS VERDES URBANAS <ul><li>As áreas verdes urbanas proporcionam melhorias no ambiente impactad...
<ul><li>A função estética- diversificação da paisagem construída e o embelezamento da cidade. Importância da vegetação. </...
Tipos de vegetais aplicados ao paisagismo
FAMÍLIA DAS AGAVEÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: plantas lenhosas ou semi-lenhosas, com caules quase sempre eretos e folhas...
 
 
FAMÍLIA DAS ARÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: plantas em geral lenhosas, trepadeiras ou não, algumas são bastantes grandes ...
<ul><li>USOS PAISAGÍSTICOS: o antúrio (herbácea) é próprio para ambientes internos, varandas, terraços e jardins de invern...
Lírio da Paz Antúrio
Costela de Adão Filodendro
FAMÍLIA DAS ARALIÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: arbustivas ou trepadeiras, folhas bastante divididas. </li></ul><ul><li>EX...
Árvore da Felicidade  ( macho ) Árvore da Felicidade  ( fêmea )
Cheflera Hera trepadeira
 
FAMÍLIA DAS EUFORBIÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: semi-lenhosas, algumas arbustivas, com seiva leitosa e venenosas, outras...
Bico de Papagaio
Coroa de Cristo
Acalifa
cróton
FAMÍLIA DAS  BROMELIÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS:  plantas em forma de roseta, com crescimento mais no sentido horizontal...
Bromélia Gravatá
Abacaxi ornamental
Neoregélia (ninho de passarinho)
Aequiméia
FAMÍLIA DAS MARANTÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: plantas baixas, não lenhosas, folhas em geral coloridas, mas quase sempre...
Maranta
 
Calatheia Tenante
FAMÍLIA DAS BEGONIÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: plantas herbáceas, folhas assimétricas, porte até 70 cm. São em geral de ...
Begônia híbrida
Begônia Begônia sempre florida
FAMÍLIA DAS MALVÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: arbustos, árvores semi-lenhosas, flores quase sempre vistosas. </li></ul><u...
Hibisco
 
Malvavisco Sininho
FAMÍLIA DAS MORÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: árvores, arbustos, trepadeiras, folhas simples, perenes, com flores minúscul...
Ficus beijamin Ficus variegata
Ficus aspera
FAMÍLIA DAS CACTÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: plantas suculentas, as folhas em geral armazenam muita água </li></ul><ul><...
Cacto
Cacto bandeira
SAMAMBAIAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS:  não lenhosas, sem flores, são em geral epífitas. </li></ul><ul><li>EXEMPLOS: renda po...
Avenca Chifre de veado
Samambaia americana Samambaia de metro
FAMÍLIA DAS RUSCÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: não lenhosas, algumas arbustivas, suculentas ou bulbosas. Flores às vezes v...
Pata de elefante (nolina)
Dracena tricolor Dracena vermelha
 
ROSEIRAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: são plantas híbridas de muitas gerações. De clima brando (quentes e frios), têm tido bas...
Rosa chá Roseira miniatura
FAMÍLIA DAS PALMEIRAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: de grande efeito paisagístico, em jardins internos e externos, são típicas ...
<ul><li>LUMINOSIDADE: em geral toleram bem a luminosidade plena (evitar luz solar nos primeiros 30 dias depois do plantio)...
Palmeira imperial
Palmeira cariota  e Palmeira rabo-de-peixe
Palmeira bambu Palmeira leque
Palmeira areca-bambu
Palmeira de Bismark Bismarckia nobilis Palmeira triângulo  Dypsis decaryi
Ambiente: Pleno Sol. Clima: Subtropical, Tropical, Tropical de altitude, Tropical úmido. Época de Floração: Primavera, Ver...
Ixora sp.
Mussaenda sp.
GRAMADOS E FORRAÇÕES <ul><li>A s forrações servem para cobrir solos, muros, paredes, pergolados, etc.  </li></ul><ul><li>S...
Grama azul Grama esmeralda
Grama preta Pelo de urso Grama santo agostinho ou inglesa
Grama amendoim
 
Grama são carlos
Maria sem vergonha
Prochain SlideShare
Chargement dans…5
×

Tipos de-vegetais-aplicados-ao-paisagismo aula 25-08

40 763 vues

Publié le

Botânica aplicada ao paisagismo

Publié dans : Formation
  • Soyez le premier à commenter

Tipos de-vegetais-aplicados-ao-paisagismo aula 25-08

  1. 1. Botânica aplicada ao paisagismo e arborização urbana Prof. Marcelo Antoniol [email_address]
  2. 2. <ul><li>PAISAGISMO E TIPOS DE VEGETAIS UTILIZADOS NO PAISAGISMO </li></ul>
  3. 3. <ul><li>A finalidade do paisagismo é a integração do homem com a natureza , buscando melhores condições de vida pelo equilíbrio do meio ambiente. Ele abrange todas as áreas onde se registra a presença do ser humano. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>O paisagismo urbano tem por objeto os espaços abertos (não construídos) e as áreas livres, com funções de recreação, amenização e circulação, entre outras, sendo diferenciadas entre si pelas dimensões físicas, abrangência espacial, funcionalidade, tipologia ou quantidade de cobertura vegetal. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Com o aumento do estresse urbano, a necessidade de estar próximo à natureza tem aumentado. </li></ul><ul><li>As áreas verdes proporcionam áreas de lazer, áreas para prática de esportes, meditação, estudo e entretenimento. </li></ul><ul><li>Nos últimos anos, aumentou a busca de informações sobre como amenizar o “cinza” dos prédios, do asfalto, como anular o efeito da poluição urbana. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>As áreas verdes, os parques, a arborização das ruas, as avenidas, as praças públicas, os clubes, os jardins públicos ou particulares, passaram de locais com algumas plantas dispostas sem nenhum cuidado a locais desenhados e com composições de cores, formas e texturas, proporcionando um visual extremamente amenizador e relaxante. </li></ul>
  7. 7. CONCEITOS E DEFINIÇÕES <ul><li>Espaço Livre : trata-se do conceito mais abrangente, integrando os demais e contrapondo-se ao espaço construído, em áreas urbanas. A Floresta da Tijuca, localizada dentro da cidade do Rio de Janeiro, é um espaço livre. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Área Verde : onde há o predomínio de vegetação arbórea, englobando as praças, os jardins públicos e os parques urbanos. Os canteiros centrais de avenidas e os trevos e rotatórias de vias públicas, que exercem apenas funções estéticas e ecológicas também. As árvores que acompanham o leito das vias públicas, não devem ser consideradas como tal, pois as calçadas são impermeabilizadas. </li></ul>
  9. 9. Amparo, SP.
  10. 10. Canteiro central. Pedreira, SP
  11. 11. <ul><li>Parque Urbano : é uma área verde, com função ecológica, estética e de lazer, entretanto com uma extensão maior que as praças e jardins públicos. </li></ul><ul><li>Praça : como área verde, tem a função principal de lazer. Uma praça, inclusive, pode não ser uma área verde, quando não tem vegetação e encontra-se impermeabilizada ( exemplo, a Praça da Sé em São Paulo; Praça dos 3 Poderes em Brasília). </li></ul>
  12. 16. <ul><li>Arborização Urbana : diz respeito aos elementos vegetais de porte arbóreo, dentro da cidade. Nesse enfoque, as árvores plantadas em calçadas, fazem parte da arborização urbana, porém, não integram o sistema de áreas verdes. </li></ul><ul><li>Área Livre e Área Aberta : são termos que devem ter sua utilização evitada, pela imprecisão na sua aplicação. </li></ul><ul><li>Espaço Aberto : traduzido erroneamente e ao pé da letra do termo inglês &quot;open space&quot;. Deve ser evitada sua utilização, preferindo-se o uso do termo espaço livre. </li></ul>
  13. 18. Praça <ul><li>Em uma definição bastante ampla, praça é qualquer espaço público urbano livre de edificações e que propicie convivência e/ou recreação para seus usuários. Normalmente, a apreensão do sentido de &quot;praça&quot; varia de população para população, de acordo com a cultura de cada lugar. Em geral, este tipo de espaço está associado à ideia de haver prioridade ao pedestre e não acessibilidade de veículos, mas esta não é uma regra. </li></ul>
  14. 19. <ul><li>No Brasil, a ideia de praça normalmente está associada à presença de ajardinamento, sendo os espaços conhecidos por largos correspondentes à ideia que se tem de praça em países como a Itália, a Espanha e Portugal. Neste sentido, um largo é considerado uma &quot;praça seca&quot;. </li></ul>
  15. 24. AS DIFERENTES FUNÇÕES DAS ÁREAS VERDES URBANAS <ul><li>As áreas verdes urbanas proporcionam melhorias no ambiente impactado das cidades e benefícios para os habitantes </li></ul><ul><li>A função ecológica - a presença da vegetação, do solo não impermeabilizado e da fauna, com melhorias no clima da cidade e na qualidade do ar, água e solo. </li></ul><ul><li>A função social- relacionada com a possibilidade de lazer que essas áreas oferecem à população. </li></ul>
  16. 25. <ul><li>A função estética- diversificação da paisagem construída e o embelezamento da cidade. Importância da vegetação. </li></ul><ul><li>A função educativa - a possibilidade de oferecer ambiente para desenvolver atividades extra-classe e programas de educação ambiental. </li></ul><ul><li>A função psicológica- as pessoas em contato com os elementos naturais dessas áreas, relaxam, funcionando como anti-estresse. Este aspecto está relacionado com o exercício do lazer e da recreação nas áreas verdes </li></ul>
  17. 26. Tipos de vegetais aplicados ao paisagismo
  18. 27. FAMÍLIA DAS AGAVEÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: plantas lenhosas ou semi-lenhosas, com caules quase sempre eretos e folhas dispostas em círculos. </li></ul><ul><li>EXEMPLOS: agave branco, agave americano, agave dragão, agave cinzento etc. </li></ul><ul><li>LUMINOSIDADE: toleram sol pleno, ventos e maresia. </li></ul><ul><li>USOS PAISAGÍSTICOS: podem ser usados isoladamente ou em fileiras, junto a muros. </li></ul><ul><li>Combinam bem com cactos, bromélias, babosa e outras suculentas, junto a seixos, rochas e pedriscos, cascas de madeira. </li></ul>
  19. 30. FAMÍLIA DAS ARÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: plantas em geral lenhosas, trepadeiras ou não, algumas são bastantes grandes e outras ainda, são pequenas e epífitas . A flores se apresentam em inflorescências como lanças, rodeada por uma bráctea (tipo de folha modificada) parecida com uma pétala. </li></ul><ul><li>São em geral venenosas, devendo ser usadas com restrição. </li></ul><ul><li>EXEMPLOS: antúrio, costela-de-adão, comigo-ninguém-pode, copo de leite, jibóia. </li></ul><ul><li>LUMINOSIDADE: não gostam de luz direta. Suportam ar condicionado indireto </li></ul>
  20. 31. <ul><li>USOS PAISAGÍSTICOS: o antúrio (herbácea) é próprio para ambientes internos, varandas, terraços e jardins de inverno. </li></ul><ul><li>Costela-de adão: trepadeira, sobe em troncos, pilastras. Pode ser usada também em vasos e forrações, em maciços. </li></ul>
  21. 32. Lírio da Paz Antúrio
  22. 33. Costela de Adão Filodendro
  23. 34. FAMÍLIA DAS ARALIÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: arbustivas ou trepadeiras, folhas bastante divididas. </li></ul><ul><li>EXEMPLOS: heras, cheflera, árvore da felicidade ou da fortuna. </li></ul><ul><li>LUMINOSIDADE: luz solar indireta, embora tolerem o sol brando. </li></ul><ul><li>USOS PAISAGÍSTICOS: a hera é muito utilizada para treliças, divisórias, caramanchões. </li></ul><ul><li>As arbustivas são ideais para cercas vivas, isoladas. </li></ul>
  24. 35. Árvore da Felicidade ( macho ) Árvore da Felicidade ( fêmea )
  25. 36. Cheflera Hera trepadeira
  26. 38. FAMÍLIA DAS EUFORBIÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: semi-lenhosas, algumas arbustivas, com seiva leitosa e venenosas, outras parecidas com cactos. </li></ul><ul><li>EXEMPLOS: crótons, acalifa, bico de papagaio, coroa de cristo. </li></ul><ul><li>LUMINOSIDADE: sol pleno ou meia sombra </li></ul><ul><li>USOS PAISAGÍSTICOS: cercas vivas, maciços ou isoladas. </li></ul><ul><li>As acalifas são boas para forrações. </li></ul><ul><li>A coroa de cristo para bordaduras ao longo de muros. </li></ul>
  27. 39. Bico de Papagaio
  28. 40. Coroa de Cristo
  29. 41. Acalifa
  30. 42. cróton
  31. 43. FAMÍLIA DAS BROMELIÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: plantas em forma de roseta, com crescimento mais no sentido horizontal. Folhas em forma de lança (lanceoladas), algumas com flores, outras com brácteas. </li></ul><ul><li>Algumas são epífitas (vivem sobre outras sem parasitar). Só florescem uma vez na vida e depois morrem, quando os filhotes já vem embaixo crescendo. </li></ul><ul><li>EXEMPLOS: gravatá, aequiméia, neorgélia, bilbérgia, bromélias. </li></ul><ul><li>LUMINOSIDADE: a maioria suporta sol pleno ou luz indireta forte. </li></ul><ul><li>USOS PAISAGÍSTICOS: vasos, em cima de troncos, pequenos maciços, combinação com pedras e seixos. </li></ul>
  32. 44. Bromélia Gravatá
  33. 45. Abacaxi ornamental
  34. 46. Neoregélia (ninho de passarinho)
  35. 47. Aequiméia
  36. 48. FAMÍLIA DAS MARANTÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: plantas baixas, não lenhosas, folhas em geral coloridas, mas quase sempre insignificantes. </li></ul><ul><li>São de interiores. Ar condicionado leve. </li></ul><ul><li>Quando anoitece juntam as folhas duas a duas, sendo conhecidas como “plantas rezadeiras”. </li></ul><ul><li>EXEMPLOS: calatéia (prateada, pena de pavão e barriga de sapo); maranta; zebrina; tenante. </li></ul><ul><li>LUMINOSIDADE: não suportam luz direta muito tempo, nem vento. O ideal é a luz indireta ou sombra. </li></ul><ul><li>USOS PAISAGÍSTICOS: margens de caminhos, pés de muro, embaixo de árvores, varandas. </li></ul>
  37. 49. Maranta
  38. 51. Calatheia Tenante
  39. 52. FAMÍLIA DAS BEGONIÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: plantas herbáceas, folhas assimétricas, porte até 70 cm. São em geral de colecionadores. </li></ul><ul><li>EXEMPLOS: begônias rex, imperial, sempre florida, cruz de ferro, etc. </li></ul><ul><li>LUMINOSIDADE: luz indireta. Aquelas que produzem flores, necessitam de luz indireta forte. </li></ul><ul><li>USOS PAISAGÍSTICOS: vasos, peitoris, ambientes internos a exceção de banheiros. </li></ul>
  40. 53. Begônia híbrida
  41. 54. Begônia Begônia sempre florida
  42. 55. FAMÍLIA DAS MALVÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: arbustos, árvores semi-lenhosas, flores quase sempre vistosas. </li></ul><ul><li>EXEMPLOS: hibiscos, sininho, lanterninha japonesas, malvavisco, algodoeiro da praia. </li></ul><ul><li>LUMINOSIDADE: luz solar direta. </li></ul><ul><li>USOS PAISAGÍSTICOS: cercas-vivas, maciços, ou isoladas. </li></ul>
  43. 56. Hibisco
  44. 58. Malvavisco Sininho
  45. 59. FAMÍLIA DAS MORÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: árvores, arbustos, trepadeiras, folhas simples, perenes, com flores minúsculas. </li></ul><ul><li>EXEMPLOS: ficos, unha de gato, árvore da borracha </li></ul><ul><li>LUMINOSIDADE: sol e meia sombra. </li></ul><ul><li>USOS PAISAGÍSTICOS: cercas vivas, isoladas, varandas, salas. </li></ul><ul><li>A unha de gato, serve para cobrir muros e paredes externas. </li></ul>
  46. 60. Ficus beijamin Ficus variegata
  47. 61. Ficus aspera
  48. 62. FAMÍLIA DAS CACTÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: plantas suculentas, as folhas em geral armazenam muita água </li></ul><ul><li>EXEMPLOS: mandacaru, cactos. </li></ul><ul><li>LUMINOSIDADE: sol pleno, próprias para solos fracos. </li></ul><ul><li>USOS PAISAGÍSTICOS: isoladas, cercas vivas, em composição com agaves, bromélias, seixos, pedras e rochas. </li></ul>
  49. 63. Cacto
  50. 64. Cacto bandeira
  51. 65. SAMAMBAIAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: não lenhosas, sem flores, são em geral epífitas. </li></ul><ul><li>EXEMPLOS: renda portuguesa, samambaia americana, de metro, de fita, chifre de veado (boa para troncos, como a bromélia). </li></ul><ul><li>LUMINOSIDADE: luz indireta. </li></ul><ul><li>USOS PAISAGÍSTICOS: interiores e sombreados dos jardins e embaixo de árvores. </li></ul>
  52. 66. Avenca Chifre de veado
  53. 67. Samambaia americana Samambaia de metro
  54. 68. FAMÍLIA DAS RUSCÁCEAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: não lenhosas, algumas arbustivas, suculentas ou bulbosas. Flores às vezes vistosas. </li></ul><ul><li>EXEMPLOS: dracenas, pata de elefante (NOLINAS). </li></ul><ul><li>LUMINOSIDADE: em geral toleram bem a luminosidade até o meio dia. </li></ul><ul><li>As iucas, sol pleno. </li></ul><ul><li>USOS PAISAGÍSTICOS: isoladas, maciços, cerca viva (iucas), caminhos(clorófitos) </li></ul>
  55. 69. Pata de elefante (nolina)
  56. 70. Dracena tricolor Dracena vermelha
  57. 72. ROSEIRAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: são plantas híbridas de muitas gerações. De clima brando (quentes e frios), têm tido bastante sucesso em sua produção no Brasil, inclusive no Nordeste. </li></ul><ul><li>Suportam o sol, com regas abundantes, mas sem encharcar. </li></ul><ul><li>EXEMPLOS: estão classificadas em mini –rosas, trepadeiras, arbustivas. Existem mais de 35 mil variedades de rosas. </li></ul><ul><li>USOS PAISAGÍSTICOS: isoladas, maciços, cerca viva. </li></ul>
  58. 73. Rosa chá Roseira miniatura
  59. 74. FAMÍLIA DAS PALMEIRAS <ul><li>CARACTERÍSTICAS: de grande efeito paisagístico, em jardins internos e externos, são típicas das regiões tropicais e semi-tropicais. </li></ul><ul><li>O caule raramente se ramifica. </li></ul><ul><li>As folhas podem ser em forma de leque (flabeliformes) ou em forma de pena (pinadas). </li></ul><ul><li>No ápice apresentam uma uma gema apical (palmito), de onde saem as folhas novas. </li></ul><ul><li>EXEMPLOS: o coqueiro é um tipo de palmeira (por causa das raízes deve ser plantado no mínimo a 5 metros da construção, ou até 10 metros distante de outras árvores, de tubulações etc). </li></ul><ul><li>Areca-bambu, palmeira imperial, rabo-de-peixe, rhapis, liquala (plissada e a estrela / palmeiras flabeladas). </li></ul>
  60. 75. <ul><li>LUMINOSIDADE: em geral toleram bem a luminosidade plena (evitar luz solar nos primeiros 30 dias depois do plantio). </li></ul><ul><li>USOS PAISAGÍSTICOS: as de pequeno porte (rhapis) para interiores. </li></ul><ul><li>Médio porte (areca bambu e rabo de peixe, para jardins). </li></ul><ul><li>As de grande porte (imperial), para grande áreas. </li></ul>
  61. 76. Palmeira imperial
  62. 77. Palmeira cariota e Palmeira rabo-de-peixe
  63. 78. Palmeira bambu Palmeira leque
  64. 79. Palmeira areca-bambu
  65. 80. Palmeira de Bismark Bismarckia nobilis Palmeira triângulo Dypsis decaryi
  66. 81. Ambiente: Pleno Sol. Clima: Subtropical, Tropical, Tropical de altitude, Tropical úmido. Época de Floração: Primavera, Verão, Outono. Propagação: Estaquia. Mes(es) da Propagação: Inverno. Persistência das folhas: Permanente. Obs: Floresce principalmente no verão. Exemplos: Ixora FAMÍLIA RUBIACEAE
  67. 82. Ixora sp.
  68. 83. Mussaenda sp.
  69. 84. GRAMADOS E FORRAÇÕES <ul><li>A s forrações servem para cobrir solos, muros, paredes, pergolados, etc. </li></ul><ul><li>São plantas herbáceas, rasteiras, geralmente em comunidades densamente enraizadas, com altura até 30 – 45 cm, e não suportam o pisoteio. </li></ul><ul><li>Os pisos vegetais são plantas herbáceas, rasteiras, fortemente enraizados e muito resistente a pisoteio, rente ao solo. </li></ul>
  70. 85. Grama azul Grama esmeralda
  71. 86. Grama preta Pelo de urso Grama santo agostinho ou inglesa
  72. 87. Grama amendoim
  73. 89. Grama são carlos
  74. 90. Maria sem vergonha

×