Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Sete mitos mais um sobre a participação

822 vues

Publié le

A propósito da reflexão sobre o futuro do Cinema S. Geraldo em Braga

Publié dans : Formation
  • Soyez le premier à commenter

Sete mitos mais um sobre a participação

  1. 1. Sete mitos (mais um) sobre a participação José Carlos Mota e Frederico Moura e Sá (docentes da UA) futuros possíveis, antigo cinema S. Geraldo, 4 de março de 2016
  2. 2. 1. Os cidadãos não participam (por mais que nos esforcemos) -> Quando devidamente mobilizados, participam!
  3. 3. 2. Promover a participação é informar! -> É muito importante informar os cidadãos, mas não chega; deve-se também dialogar, partilhar escolhas, envolver para algo mais!
  4. 4. 3. Já passou a oportunidade (inquérito público,…), não estavam atentos, agora não adianta! -> A defesa do interesse público não tem prazo!
  5. 5. 4. Só faz sentido promover participação com projetos concretos (discutir objetivos é muito abstrato) -> É importante dar quadros de referência para sustentar a discussão dos objetos; temos de discutir o queremos coletivamente como comunidade ou cidade antes de discutir as propostas concretas!
  6. 6. 5. A participação procura consensos e não é possível colocar toda a gente de acordo! -> Temos de procurar compromissos!
  7. 7. 6. A participação não muda nada! -> Pode não mudar a decisão, mas influencia o contexto!
  8. 8. 7. A participação acaba na conceção do plano/projecto! -> Não tem de acabar; pode mobilizar para a ação!
  9. 9. (+1) A participação não substitui o processo técnico! -> Os cidadãos não têm obrigação de ter as respostas, mas devem tentar colocar boas perguntas!
  10. 10. Algumas perguntas para ajudar a iniciar o debate… 1. A cultura e as artes são estratégicas para Braga? 2. Haverá excesso ou carência de espaços culturais e salas de espetáculo na cidade? 3. Dada a sua localização e história, o S. Geraldo faz falta enquanto equipamento cultural? Com que função e atividades? 4. Que recursos, competências e atrativos existem na área da cultura, artes e tecnologias que possam ser mobilizados para pensar futuros alternativos? 5. Qual o papel que o edifício e os seus usos alternativos podem ter na regeneração urbana do centro da cidade?
  11. 11. Alguns links http://cidadescomaspessoas.blogs.sapo.pt/ https://www.facebook.com/groups/planearcomascomunidades/ http://www.cpip-planningwithcommunities.eu/ http://contraoalboicortadoaomeio.blogs.sapo.pt/ http://contrapontepedonalnocanalcentral.blogs.sapo.pt/ http://vivacidade.umnovolargo.pt/ https://www.facebook.com/vivobairro/ http://cidadescriativas.blogs.sapo.pt/

×