SlideShare une entreprise Scribd logo
1  sur  9


Padre António Vieira
(Sermão pronunciado em São Luís do Maranhão, a 13 de Junho de 1654)
Louvores
em particular

PEIXE DE TOBIAS
- o fel sara a cegueira;
o coração expulsa
os demónios;

"o fel era bom para curar
da cegueira";
"o coração para lançar
fora os demónios

RÉMORA
- tão pequeno no corpo e
tão grande na força e
no poder;

"(...) se se pega ao leme
de uma nau da índia (...)
a prende e amarra mais
que as mesmas âncoras,
sem se poder mover, nem
ir por diante."

TORPEDO
- descarga elétrica
que faz tremer
o braço do pescador;

"Está o pescador com a
cana na mão, o anzol no
fundo e a bóia sobre a
água, e em lhe picando
na isca o torpedo,
começa a lhe tremer o
braço. Pode haver maior,
mais breve e mais
admirável efeito?"

QUATRO-OLHOS
-dois olhos voltados para
cima para se vigiarem
das aves;
-dois olhos voltados para
baixo para se vigiarem
dos peixes.

"e como têm inimigos no mar e
inimigos no ar, dobrou-lhes a
natureza as sentinelas e deulhes dois olhos, que
direitamente olhassem para
cima, para se vigiarem das
aves, e outros dois que
direitamente olhassem para
baixo, para se vigiarem dos
peixes."
Peixe de TOBIAS

RÉMORA

TORPEDO

QUATRO-OLHOS

VIRTUDES
. O fel sara a
cegueira
. O coração lança
fora os demónios

. Pequena no corpo
. grande na força e
no poder.

. Energia

. Dois olhos olham
para cima
.dois olhos olham
para baixo

COMPARAÇÃO
S. António.

Alumiava e curava
as cegueiras dos
homens
. Lançava os
Demónios fora de
casa

S. António.

A Língua de S.
António
Domou a fúria das
paixões humanas:
Soberba, Vingança,
Cobiça, Sensualidade

S. António

22 pescadores
tremeram ouvindo
as palavras de S.
António e
converteram-se

Pregador

O peixe ensinou o
pregador a olhar
para o Céu (para
cima) e para o
Inferno (para baixo)
Imagens
Elementos
Vocabulário
essencial:
• substantivos
• adjetivos
• verbos

Nau Soberba
• velas, vento
• inchadas
• desfazer,
rebentavam

Nau Cobiça

• artilharia, botafogos
• abocada,
acesos
• corriam,
queimariam

• gáveas
•
sobrecarregada,
aberta
• incapaz de
fugir

• cerração
• enganados
• perder

a sua língua
detêm a cobiça

a sua língua
contêm-nos

Efeitos do poder Mão no leme
a sua língua
da língua de S.
detém a fúria
António
Finalidade das
Convencer os ouvintes
interrogações
Comentário
sobre cada
imagem

Nau
Sensualidade

Nau Vingança

Usadas com a finalidade de chamar a atenção dos ouvintes para as várias
tentações a evitar.
CONCLUSÃO – CAP. III
 Tobias: Os homens precisam de ser alumiados e curados da cegueira que lhes
obscurece a razão.

 Rémora: «pegada ao leme da nau, é freio da nau e leme do leme»

=
«virtude e força da língua de António» que teve mão nos soberbos, nos vingativos,
nos cobiçosos, nos sensuais, o que sugere alegoricamente por meio de naus que a
língua do Santo prendeu.
 Torpedo: Aos pescadores da terra fazia-lhes falta um torpedo, para lhes fazer tremer
o braço e arrepiar caminho!
 Quatro-olhos: Mais falta fariam os dois pares de olhos aos homens do que aos
peixes.

O elogio dos peixes termina realçando-se a sua importância na prática
do jejum e o seu mais fácil acesso aos pobres.
Disciplina de Português
Profª: Helena Maria Coutinho


Rémora (peixe pegador)
– possui a barbatana
dorsal
transformada
numa ventosa, com a
qual se fixa a outros
peixes
de
grandes
dimensões, tartarugas
ou mesmo a navios,
podendo assim viajar
grandes distâncias. Isto
permite-lhe
poupar
energia.


Torpedo – gera eletricidade através
dos órgãos que se localizam ao
longo de quase todo o corpo. Tratase de tecidos musculares, que, em
vez de contrair, como fazem os
músculos, libertam energia para o
meio ambiente. Surge assim, à volta
do peixe, um campo elétrico
que, ao ser modificado pela
presença
de
um
corpo
estranho, alerta o peixe e este
emite uma descarga elétrica no
intruso. As descargas produzidas
prestam-se quer à subsistência
alimentar, quer à autodefesa do
animal em razão de perigo
iminente.
Peixe quatro-olhos – tem, na verdade, apenas dois olhos.
Cada olho é dividido em duas parte por uma tira opaca
horizontal. Cada metade tem sua córnea e íris próprias, mas
apenas uma única retina. Os cristalinos ovais são como óculos
bifocais: a parte superior é própria para enxergar no ar e a
parte inferior para enxergar na água. O peixe nada na
superfície da água, com metade de cada um dos olhos
submersa, e usa as duas séries de visão ao mesmo tempo.

Contenu connexe

Tendances

Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
Daniel Sousa
 
Sermao de santo antonio aos peixes
Sermao de santo antonio aos peixesSermao de santo antonio aos peixes
Sermao de santo antonio aos peixes
Liliana Matos
 
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesEstrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
beonline5
 
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes   resumo-esquema por capítulosSermão aos peixes   resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
ClaudiaSacres
 
Repreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particularesRepreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particulares
Dina Baptista
 
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Alexandra Madail
 
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Alexandra Madail
 

Tendances (20)

Sermao de S. Antonio aos peixes - Capítulo v
Sermao de S. Antonio aos peixes - Capítulo vSermao de S. Antonio aos peixes - Capítulo v
Sermao de S. Antonio aos peixes - Capítulo v
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e IIISermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
Sermão de Santo António aos Peixes - Cap. II e III
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Cap vi
Cap viCap vi
Cap vi
 
Canto IX - estâncias 88-95, Reflexões do Poeta
Canto IX - estâncias 88-95, Reflexões do PoetaCanto IX - estâncias 88-95, Reflexões do Poeta
Canto IX - estâncias 88-95, Reflexões do Poeta
 
Sermao de santo antonio aos peixes
Sermao de santo antonio aos peixesSermao de santo antonio aos peixes
Sermao de santo antonio aos peixes
 
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixesEstrutura do sermão de sto antónio aos peixes
Estrutura do sermão de sto antónio aos peixes
 
Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa  Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa
 
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes   resumo-esquema por capítulosSermão aos peixes   resumo-esquema por capítulos
Sermão aos peixes resumo-esquema por capítulos
 
Repreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particularesRepreensões gerais e particulares
Repreensões gerais e particulares
 
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo III Sermão de Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
 
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
Sermão de Santo António aos Peixes - Peixes pegadores
Sermão de Santo António aos Peixes - Peixes pegadoresSermão de Santo António aos Peixes - Peixes pegadores
Sermão de Santo António aos Peixes - Peixes pegadores
 
Sermão de santo antonio aos peixes
Sermão de santo antonio aos peixesSermão de santo antonio aos peixes
Sermão de santo antonio aos peixes
 
Gil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraGil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereira
 
Frei luís de sousa
Frei luís de sousaFrei luís de sousa
Frei luís de sousa
 
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo VSermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
Sermão de santo antónio aos peixes - Capítulo V
 

Similaire à Cap iii louvores particular

Sermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesSermaodesantoantonioaospeixes
Sermaodesantoantonioaospeixes
camoespirata
 
Sermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesSermaodesantoantonioaospeixes
Sermaodesantoantonioaospeixes
Mónica Alexandra
 
Resumo do-sermao-de-santo-antonio-aos-peixes.pdf recursos estilisticos
Resumo do-sermao-de-santo-antonio-aos-peixes.pdf recursos estilisticosResumo do-sermao-de-santo-antonio-aos-peixes.pdf recursos estilisticos
Resumo do-sermao-de-santo-antonio-aos-peixes.pdf recursos estilisticos
Inácio Vitorino
 
Trabalho de área de projecto
Trabalho de área de projectoTrabalho de área de projecto
Trabalho de área de projecto
rebeldes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
vermar2010
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
marfat
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
vermar2010
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
vermar2010
 

Similaire à Cap iii louvores particular (20)

Sermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesSermaodesantoantonioaospeixes
Sermaodesantoantonioaospeixes
 
Sermaodesantoantonioaospeixes
SermaodesantoantonioaospeixesSermaodesantoantonioaospeixes
Sermaodesantoantonioaospeixes
 
Sermão Santo António
Sermão Santo AntónioSermão Santo António
Sermão Santo António
 
Padre antónio vieira sermão de santo antónio aos peixes
Padre antónio vieira sermão de santo antónio aos peixesPadre antónio vieira sermão de santo antónio aos peixes
Padre antónio vieira sermão de santo antónio aos peixes
 
Resumo do-sermao-de-santo-antonio-aos-peixes
Resumo do-sermao-de-santo-antonio-aos-peixesResumo do-sermao-de-santo-antonio-aos-peixes
Resumo do-sermao-de-santo-antonio-aos-peixes
 
Resumo do-sermao-de-santo-antonio-aos-peixes.pdf recursos estilisticos
Resumo do-sermao-de-santo-antonio-aos-peixes.pdf recursos estilisticosResumo do-sermao-de-santo-antonio-aos-peixes.pdf recursos estilisticos
Resumo do-sermao-de-santo-antonio-aos-peixes.pdf recursos estilisticos
 
ESTRUTURA DO SERMÃO DE SANTO ANTÓNIO AOS PEIXES
ESTRUTURA DO SERMÃO DE SANTO ANTÓNIO AOS PEIXESESTRUTURA DO SERMÃO DE SANTO ANTÓNIO AOS PEIXES
ESTRUTURA DO SERMÃO DE SANTO ANTÓNIO AOS PEIXES
 
Especialidade de tubarões
Especialidade de tubarõesEspecialidade de tubarões
Especialidade de tubarões
 
Sermao
SermaoSermao
Sermao
 
Trabalho de área de projecto
Trabalho de área de projectoTrabalho de área de projecto
Trabalho de área de projecto
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)Sermão de santo antónio aos peixes(2)
Sermão de santo antónio aos peixes(2)
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 

Plus de Helena Coutinho

Plus de Helena Coutinho (20)

. Maias simplificado
. Maias simplificado. Maias simplificado
. Maias simplificado
 
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhançasSanto antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
Santo antónio e padre antónio vieira – diferenças e semelhanças
 
Relato hagiografico
Relato hagiograficoRelato hagiografico
Relato hagiografico
 
P.ant vieira bio
P.ant vieira bioP.ant vieira bio
P.ant vieira bio
 
Epígrafe sermao
Epígrafe sermaoEpígrafe sermao
Epígrafe sermao
 
1. introd e estrutura
1. introd e estrutura1. introd e estrutura
1. introd e estrutura
 
Contexto histórico padre antónio vieira
Contexto histórico padre antónio vieiraContexto histórico padre antónio vieira
Contexto histórico padre antónio vieira
 
. O texto dramático
. O texto dramático. O texto dramático
. O texto dramático
 
. Batalha de alcácer quibir
. Batalha de alcácer quibir. Batalha de alcácer quibir
. Batalha de alcácer quibir
 
Fls figuras reais
Fls figuras reaisFls figuras reais
Fls figuras reais
 
. Enredo
. Enredo. Enredo
. Enredo
 
. A obra e o contexto
. A obra e o contexto. A obra e o contexto
. A obra e o contexto
 
Ondados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzenteOndados fios de ouro reluzente
Ondados fios de ouro reluzente
 
Sete anos de pastor jacob servia
Sete anos de pastor jacob serviaSete anos de pastor jacob servia
Sete anos de pastor jacob servia
 
Oh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em anoOh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em ano
 
O dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereçaO dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereça
 
Erros meus, má fortuna, amor ardente
Erros  meus, má fortuna, amor ardenteErros  meus, má fortuna, amor ardente
Erros meus, má fortuna, amor ardente
 
Enquanto quis fortuna que tivesse
Enquanto quis fortuna que tivesseEnquanto quis fortuna que tivesse
Enquanto quis fortuna que tivesse
 
Aquela triste e leda madrugada
Aquela triste e leda madrugadaAquela triste e leda madrugada
Aquela triste e leda madrugada
 
Amor é fogo que arde
Amor é fogo que ardeAmor é fogo que arde
Amor é fogo que arde
 

Dernier

Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
andreaLisboa7
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
FLAVIA LEZAN
 
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdfAPOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
lbgsouza
 

Dernier (20)

Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolarMODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdfAPOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 

Cap iii louvores particular

  • 1.   Padre António Vieira (Sermão pronunciado em São Luís do Maranhão, a 13 de Junho de 1654)
  • 2. Louvores em particular PEIXE DE TOBIAS - o fel sara a cegueira; o coração expulsa os demónios; "o fel era bom para curar da cegueira"; "o coração para lançar fora os demónios RÉMORA - tão pequeno no corpo e tão grande na força e no poder; "(...) se se pega ao leme de uma nau da índia (...) a prende e amarra mais que as mesmas âncoras, sem se poder mover, nem ir por diante." TORPEDO - descarga elétrica que faz tremer o braço do pescador; "Está o pescador com a cana na mão, o anzol no fundo e a bóia sobre a água, e em lhe picando na isca o torpedo, começa a lhe tremer o braço. Pode haver maior, mais breve e mais admirável efeito?" QUATRO-OLHOS -dois olhos voltados para cima para se vigiarem das aves; -dois olhos voltados para baixo para se vigiarem dos peixes. "e como têm inimigos no mar e inimigos no ar, dobrou-lhes a natureza as sentinelas e deulhes dois olhos, que direitamente olhassem para cima, para se vigiarem das aves, e outros dois que direitamente olhassem para baixo, para se vigiarem dos peixes."
  • 3. Peixe de TOBIAS RÉMORA TORPEDO QUATRO-OLHOS VIRTUDES . O fel sara a cegueira . O coração lança fora os demónios . Pequena no corpo . grande na força e no poder. . Energia . Dois olhos olham para cima .dois olhos olham para baixo COMPARAÇÃO S. António. Alumiava e curava as cegueiras dos homens . Lançava os Demónios fora de casa S. António. A Língua de S. António Domou a fúria das paixões humanas: Soberba, Vingança, Cobiça, Sensualidade S. António 22 pescadores tremeram ouvindo as palavras de S. António e converteram-se Pregador O peixe ensinou o pregador a olhar para o Céu (para cima) e para o Inferno (para baixo)
  • 4. Imagens Elementos Vocabulário essencial: • substantivos • adjetivos • verbos Nau Soberba • velas, vento • inchadas • desfazer, rebentavam Nau Cobiça • artilharia, botafogos • abocada, acesos • corriam, queimariam • gáveas • sobrecarregada, aberta • incapaz de fugir • cerração • enganados • perder a sua língua detêm a cobiça a sua língua contêm-nos Efeitos do poder Mão no leme a sua língua da língua de S. detém a fúria António Finalidade das Convencer os ouvintes interrogações Comentário sobre cada imagem Nau Sensualidade Nau Vingança Usadas com a finalidade de chamar a atenção dos ouvintes para as várias tentações a evitar.
  • 5. CONCLUSÃO – CAP. III  Tobias: Os homens precisam de ser alumiados e curados da cegueira que lhes obscurece a razão.  Rémora: «pegada ao leme da nau, é freio da nau e leme do leme» = «virtude e força da língua de António» que teve mão nos soberbos, nos vingativos, nos cobiçosos, nos sensuais, o que sugere alegoricamente por meio de naus que a língua do Santo prendeu.  Torpedo: Aos pescadores da terra fazia-lhes falta um torpedo, para lhes fazer tremer o braço e arrepiar caminho!  Quatro-olhos: Mais falta fariam os dois pares de olhos aos homens do que aos peixes. O elogio dos peixes termina realçando-se a sua importância na prática do jejum e o seu mais fácil acesso aos pobres.
  • 6. Disciplina de Português Profª: Helena Maria Coutinho
  • 7.  Rémora (peixe pegador) – possui a barbatana dorsal transformada numa ventosa, com a qual se fixa a outros peixes de grandes dimensões, tartarugas ou mesmo a navios, podendo assim viajar grandes distâncias. Isto permite-lhe poupar energia.
  • 8.  Torpedo – gera eletricidade através dos órgãos que se localizam ao longo de quase todo o corpo. Tratase de tecidos musculares, que, em vez de contrair, como fazem os músculos, libertam energia para o meio ambiente. Surge assim, à volta do peixe, um campo elétrico que, ao ser modificado pela presença de um corpo estranho, alerta o peixe e este emite uma descarga elétrica no intruso. As descargas produzidas prestam-se quer à subsistência alimentar, quer à autodefesa do animal em razão de perigo iminente.
  • 9. Peixe quatro-olhos – tem, na verdade, apenas dois olhos. Cada olho é dividido em duas parte por uma tira opaca horizontal. Cada metade tem sua córnea e íris próprias, mas apenas uma única retina. Os cristalinos ovais são como óculos bifocais: a parte superior é própria para enxergar no ar e a parte inferior para enxergar na água. O peixe nada na superfície da água, com metade de cada um dos olhos submersa, e usa as duas séries de visão ao mesmo tempo.