Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Efeitos do trem de pulsos de fentosegundos no acoplamento de dois feixes em vapor de rubídio

Nosso objetivo é estudar a interação de um laser contínuo (diodo) com átomos de rubídio na presença de um laser de fentosegundos.

  • Soyez le premier à commenter

  • Soyez le premier à aimer ceci

Efeitos do trem de pulsos de fentosegundos no acoplamento de dois feixes em vapor de rubídio

  1. 1. Efeitos do trem de pulsos de fentosegundos no acoplamento de dois feixes em vapor de rubídioMarco Polo, Carlos Bosco, Daniel Felinto, Lúcio Acioli e Sandra ViannaDepartamento de Física – UFPE - Recife
  2. 2. Introdução Nosso objetivo é estudar a interação de um lasercontínuo (diodo) com átomos de rubídio na presençade um laser de fentosegundos.
  3. 3. RoteiroEsquema experimental e resultadosTeoria para um sistema de dois níveisDependência com a temperaturaConclusão e perspectivas
  4. 4. Esquema experimental
  5. 5. Diagrama de níveis do rubídio
  6. 6. O laser de fentosegundos EL (t )   L (t )eiLt Para uma sequência    t  nTR  in   t   L (t )   L  sec h  e R  de pulsos: n 0   T  L (t )  sech     p    T   p * Lin Xu et al, Opt. Lett. Vol. 21 (1996)
  7. 7. Resultados
  8. 8. TeoriaVamos primeiramente estudar a evolução temporal da população do estadoexcitado quando um trem de pulsos ultra-curtos incide em um meio atômicocom tempo de vida (de população e de coerência) maior que o intervaloentre dois pulsos do laser.Equação de Liouville,  i   H ,   t   H  12 2 2   . E (t )22  i21 L* (t )     12  L    12  c.c.   22 t   T22    t  nTR  in   L (t )   L  sec h  e R  12 i  (t )  n 0   T         12 L (2 22  1)  i 12  12 p t T12
  9. 9. Teoria Sistema de equações de Bloch pode ser resolvido numericamente.
  10. 10. TeoriaPara um meio com alargamento Doppler,   12  L   DopplerPodemos representar a população de átomos excitados depois que osistema atinge o equilíbrio em função dos vários grupos de átomos,representados por  Doppler
  11. 11. Dependência com a temperatura
  12. 12. Conclusões e perspectivasEstudamos o processo de acumulação experimental e teoricamente,com o campo do laser de diodo fraco. Mostramos a impressão dopente de freqüência no perfil Doppler dos átomos de rubídio.Para explicar a dependência com a temperatura, devemosconsiderar um sistema atômico com pelo menos três níveis, poisos feixes têm polarizações cruzadas e portanto acoplam estadosdistintos.Efeitos de propagação talvez sejam importantes, e portantodevemos incluir a modificação do campo elétrico ao se propagarpelo meio.
  13. 13. Agradecimentos

×