Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Recensão explicativa salvator mundi nq

296 vues

Publié le

Uma pequena homenagem aos dois Mestres: o do Amor – Jesus Cristo; e o da Pintura – Leonardo.
Este meu Salvatore Mundi é, contudo, um tributo simples, humilde, mas bem-intencionado ao apelo que a Vida, Mensagem, Morte e Ressurreição de Cristo inspira em mim e nas pessoas que conheço, assim como na genialidade da obra de Leonardo da Vinci que continua a insuflar de fascínio a minha imaginação e criatividade.
Esta recensão, que tem a mesma data da assinatura do quadro, serve para partilhar com o leitor/ espectador o percurso das minhas pesquisas e reflexões que nortearam o processo criativo até à imagem e objeto estético que hoje dou como finalizado.
Nuno Quaresma
14 de Outubro de 2015

Publié dans : Art & Photos
  • Soyez le premier à commenter

  • Soyez le premier à aimer ceci

Recensão explicativa salvator mundi nq

  1. 1. 2
  2. 2. Salvator Mundi é o nome dado originalmen- te a uma emblemática pintura de Cristo como “Salvador do Mundo”, que foi recentemente atribuída a Leonardo da Vinci. Inspirado por esta descoberta e no contexto do trabalho que faço como ilustrador ao serviço da Fundação Salesianos decidi empreender uma pequena homenagem aos dois Mestres: o do Amor – Jesus Cristo; e o da Pintura – Leonardo. Pintei esta peça-tributo com ampla liberdade in- terpretativa e simbólica em relação à obra que a inspira, mas fiz um esforço sério para fazer cor- responder a composição iconográfica à métrica da imagem patente no Sudário de Turim. Sobre o Sudário de Turim, também conhecido como Santo Sudário, importa saber que é uma peça de linho que mostra a imagem de um ho- mem que aparentemente sofreu traumatismos físicos de maneira consistente com a crucifica- ção. O Sudário está guardado na Catedral de Turim, na Itália, desde o século XIV. Pertenceu desde 1357 à casa de Saboia que em 1983 o doou ao Vaticano. A peça é raramente exibida em público, a última exposição foi no ano 2010 quando atraiu mais de 50 mil fiéis. O Sudário é um dos acheiropoieta (grego bizan- tino: “não feito pelas mãos”) e vários cristãos acreditam que seja o tecido que cobriu o corpo de Jesus Cristo após sua morte. A imagem no manto é na realidade muito mais nítida na im- pressão branca e negra do negativo fotográfico que na sua coloração natural. A imagem do ne- gativo fotográfico do manto foi vista pela primei- ra vez na noite de 28 de maio de 1898 através da chapa inversa feita pelo fotógrafo amador Secondo Pia que recebeu a permissão para fo- tografá-lo durante a sua exibição na Catedral de Turim. A origem da peça tem sido objeto de grande po- lémica, porém existe consenso sobre pelo me- nos sete aspetos: 1. Havia sangue humano no sudário; 2. As gotículas de tinta ocre notadas na re- líquia seriam resultado de contaminação; 3. A habilidade e equipamentos necessá- rios para gerar uma falsificação daquela nature- za seriam incompatíveis com o período da Idade Média, época em que o sudário apareceu e foi guardado; 3
  3. 3. 4. As marcas do Sudário são um duplo ne- gativo fotográfico do corpo inteiro de um ho- mem. Existe a imagem de frente e de dorso; 5. A figura do Sudário, ao contrário de ou- tras figuras bidimensionais testadas até então, contém dados tridimensionais; 6. Não existe ainda explicação científica de como as imagens do Sudário foram feitas; 7. O Sudário apresenta marcas compatíveis com a descrição da crucificação nos Evangelhos. A obra que compus não reclama naturalmente a pretensão da “Vera Icona” (verdadeira imagem) de Jesus, mas nele procuro representar Cristo no seu Carisma e Universalidade que senti re- presentada na obra de Leonardo. Sobre esta obra executada pelas mãos de Leo- nardo importa também saber que apesar de co- nhecida e dada como perdida, foi recentemente redescoberta, restaurada, autenticada e exibida no ano de 2011. A pintura mostra Cristo, em trajes renascentis- tas, a dar uma bênção com a mão direita levan- tada e dedos cruzados, e a segurar uma esfera de cristal na mão esquerda. Este sinal da mão direita tem fundamento na história da Igreja Cristã. O sinal é encontrado nos mais antigos exemplos do “Pantocrator”, ícone atribuído à figura do Cristo-Deus, como aquele que domina todas as coisas, sejam elas terrestres ou celestes. A palavra “Pantocrator” deriva do grego e significa “aquele que tudo go- verna”, “todo-poderoso”, “onipotente”. Esta mão direita de Cristo, que desponta sob o 4
  4. 4. 5
  5. 5. 6
  6. 6. seu manto, está erguida fazendo o gesto de bên- ção «à maneira grega» em que o posicionamen- to dos dedos forma, em sinal, as letras IC XC que representam “Jesus Cristo” em grego. Leonardo da Vinci pintou a obra, em França, por encomenda de Luís XII entre 1506 e 1513 e o trabalho foi recentemente autenticado, recons- tituindo-se o circuito de posse da obra desde Charles I da Inglaterra que a tinha registada na sua coleção de arte em 1649, até ser leiloada pelo filho do Duque de Buckingham e Normanby em 1763. Foi posteriormente comprada por um colecionador britânico, Francis Cook, visconde de Monserrate, altura em que a pintura foi da- nificada em tentativas de restauração. Os des- cendentes de Cook venderam a peça em leilão em 1958 e em 2005, a pintura foi adquirida por um consórcio de negociantes de arte que incluía Robert Simon, especialista em antigos mestres. No início a obra também foi fortemente con- testada por parecer uma cópia, descrita como “um naufrágio, escuro e sombrio” mas após o restauro foi autenticada como uma pintura de Leonardo e exibida pela National Gallery de Lon- dres durante a exposição “Leonardo da Vinci: pintor na Corte de Milão” entre 9 de novembro de 2011 e 5 de Fevereiro de 2012. Em 2013, a pintura foi vendida ao colecionador russo Dmitry Rybolovlev por 58,2 milhões de eu- ros Este meu Salvatore Mundi é, contudo, um tribu- to simples, humilde, mas bem-intencionado ao apelo que a Vida, Mensagem, Morte e Ressurrei- ção de Cristo inspira em mim e nas pessoas que conheço, assim como na genialidade da obra de Leonardo da Vinci que continua a insuflar de fas- cínio a minha imaginação e criatividade. Esta recensão, que tem a mesma data da assi- natura do quadro, serve para partilhar com o leitor/ espectador o percurso das minhas pes- quisas e reflexões que nortearam o processo criativo até à imagem e objeto estético que hoje dou como finalizado. Nuno Quaresma 14 de Outubro de 2015 7
  7. 7. Fontes: https://en.wikipedia.org/wiki/Salvator_Mundi_(Leo- nardo) https://pt.wikipedia.org/wiki/Salvator_Mundi http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/qua- dro-de-leonardo-vendido-por-mais-de-50-milhoes- -de-euros-1627303 https://pt.wikipedia.org/wiki/Sud%C3%A1rio_de_ Turim The Shroud Of Turin and The 3D Face of Jesus Christ: https://www.youtube.com/watch?v=qBJ9MDv- GL1Q&list=PLu3o56IazmP2s5JdVzT4OuV26QpW- tWW0Y&index=78 BBC Shroud of Turin New Evidences: https://www.youtube.com/watch?v=iVXXZcN8R- VI&list=PLu3o56IazmP2s5JdVzT4OuV26QpW- tWW0Y&index=79 8
  8. 8. 9

×