Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Reforma trabalhista e e social 5 principais desafios do dp em 2018

525 vues

Publié le

eSocial os principais desafios 2018 reflexos da reforma trabalhista grandes especialistas_Tãnia Gurgel #taniagurgel #esocial

Publié dans : Droit
  • Soyez le premier à commenter

Reforma trabalhista e e social 5 principais desafios do dp em 2018

  1. 1. O que vem pela frente? Como os profissionais de RH e de departamento pessoal podem se preparar? De que forma é possível usar a tecnologia para otimizar os resultados da área? Descubra neste ebook! Reforma trabalhista e eSocial:5 principais desafios do DP em 2018
  2. 2. Se 2017 foi um ano de muitas mudanças para os profissionais do departamento de pessoal e de recursos humanos, principalmente no que diz respeito à legislação trabalhista, 2018 promete desafios ainda maiores. É hora de arrumar a casa, adequar processos, buscar soluções inovadoras e entender mais do negócio. Afinal, com a entrada do eSocial e a automatização do envio das obrigações trabalhistas e previdenciárias, as atividades operacionais deixarão de ter espaço. Para Tânia Gurgel, Sócia da TAF Consultoria Empresarial e Professora da área tributária, RH e DP terão um ano atípico. Tânia Gurgel Sócia da TAF Consultoria Empresarial e Professora da área tributária Estamos vivendo um momento não conclusivo de como ficará a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Nós temos, além da implantação dessa nova visão da entrega da folha de pagamento através do eSocial, uma reforma trabalhista sendo realizada em paralelo “ ” 2
  3. 3. O Diretor de Conhecimento e Tecnologia da Decision IT, Mauro Negruni, ressalta que a reforma trabalhista alterará alguns processos e rotinas, mas nada se compara aos desafios que serão impostos pelo eSocial. Mauro Negruni Diretor de Conhecimento e Tecnologia da Decision IT 3 Tenho a impressão que a pior fase será esse momento de ‘virada’. Após seis ou sete meses de uso, estaremos pensando como era antes do eSocial. Afirmo isso pela minha experiência com as notas fiscais eletrônicas. Existiram muitas situações complexas que esse modelo imprimiu às empresas. O eSocial também irá trazer inovação ao dia a dia das companhias assim como o Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), mas através de muito trabalho duro Se de um lado a reforma vai modificar a maneira como as empresas se relacionam com seus funcionários e exigirá maior atenção às novas regras da legislação, de outro o eSocial vai mudar a forma como as companhias entregam a folha de pagamento e as obrigações acessórias ao governo federal. Diante desse cenário de tantas transformações, por onde começar? Especialistas ouvidos pela LG lugar de gente destacam alguns desafios que devem ser priorizados durante o ano de 2018. Confira: “ ”
  4. 4. 1 Tânia Gurgel reforça que é necessário fazer um aditivo aos contratos em vigor e reformular os novos para evitar problemas futuros. Ela destaca que alguns itens, se bem trabalhados, acabam contribuindo para o envio das informações ao eSocial. Concorda com ela, Mauro Negruni: Revisar oscontratos de trabalho Por exemplo, um dos pontos interessantes da reforma trabalhista é a adoção ao banco de horas. Essa opção veio para facilitar a relação entre empresa e funcionário, porque acaba não penalizando o trabalhador em casos de atraso, ao evitar o desconto do Descanso Semanal Remunerado (DSR). Ao mesmo tempo, possibilita fechar a folha de pagamento entre o primeiro e último dia do mês. Isso permite implantar o eSocial sem tantos riscos, no tocante a horário. As folhas fechadas antecipadamente, sem respeitar todo o período de competência, será uma dor de cabeça razoável para as empresas no eSocial. “ “ ” ” 4
  5. 5. 1Já para o Sócio-diretor do Portal SPED Brasil, Jorge Campos, outro assunto que merece atenção é o “teletrabalho”, também conhecido como home office. Revisar os contratos de trabalho 5 Funcionários que trabalham nessa modalidade vão precisar de um novo contrato, contemplando despesas como energia elétrica e internet. Entendo que, nesses casos, o desenvolvimento e aquisição de ferramentas de monitoramento será uma tendência para essa modalidade. Algumas empresas já utilizam soluções que exigem login do trabalhador com o certificado digital, para monitoramento do tempo dedicado às atividades “ ” Jorge Campos Sócio-diretor do Portal SPED Brasil
  6. 6. 2 De acordo com Tânia Gurgel, o saneamento dos dados será fundamental para a entrega das obrigações trabalhistas ao governo federal. Por isso, a orientação dela é que essa atividade comece no recrutamento. Fazer o saneamento dos dados O colaborador só é efetivado após regularizar seu cadastro na Receita Federal, na Caixa Econômica Federal, no Instituto Nacional do Seguro Social e até no Cartório Eleitoral. Em muitos casos, se o trabalhador não justificou o voto ou possui problema com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), seu CPF é bloqueado ” ” A ficha de seleção do funcionário precisa ter as mesmas informações necessárias para o cadastramento do colaborador no eSocial. Nesse momento, a empresa pode confrontar se vai ter problemas ou não para registrar esse determinado trabalhador. Isso vai demandar um trabalho de pré-conferência que a área de DP não está acostumada a fazer, pois antes era obrigatório apenas o número do PIS ou do NIS Jorge Campos comenta que muitas empresas já adotaram esse processo para novos contratados. “ “ 6
  7. 7. 7 2Segundo Mauro Negruni, para manter os cadastros saneados e compatíveis com cada período de vigência dos dados enviados ao eSocial, é preciso visualizar além do cenário atual. Temos, por exemplo, o caso dos cônjuges que alteram seus nomes ao longo do tempo quando casam ou separam. O papel dos sistemas e das rotinas do DP será monitorar e informar essas alterações contextualizadas nos períodos de vigência, bem como suas lotações e horários Para Jorge Campos, quando o assunto é o “status quo” dos trabalhadores atuais, a grande mudança está na quebra de paradigmas. É preciso criar procedimentos em que o trabalhador, ao provocar alterações na sua situação com a empresa, entre automaticamente em contato para atualizar estado civil, corrigir o nome e informar o nascimento de filhos “ “ ” ” Fazer o saneamento dos dados
  8. 8. 3 Além de fazer a revisão de seus processos e orientar as lideranças quanto à reforma trabalhista e eSocial, RH e DP ainda têm o papel de conscientizar os colaboradores com relação às mudanças, para que não haja descontentamento e queda de produtividade. Para a Diretora Jurídica da Santos & Go Sociedade de Advogados, Dagmar dos Santos, a área de gestão de pessoas é fundamental no equilíbrio entre as relações humanas e o cumprimento da legislação. Nessa fase de mudanças nas leis trabalhistas e, consequentemente, nas relações de trabalho, a atuação do RH é essencial para dar norte às empresas e, ao mesmo tempo, acalmar os colaboradores, esclarecendo suas dúvidas. Do contrário, teremos profissionais desmotivados Orientar os colaboradores “ ” Dagmar dos Santos Diretora Jurídica da Santos & Go Sociedade de Advogados 8
  9. 9. 3Ela aconselha que o RH repasse aos funcionários da empresa, o quanto antes, como as novas regras da reforma trabalhista vão afetar sua rotina, quais são seus direitos e deveres, e se coloquem à disposição para tirar suas dúvidas. Essas informações podem ser compartilhadas com os colaboradores por meio de palestras, informativos ou comunicados. Tenho acompanhado apresentações promovidas pelas organizações, explicando os principais tópicos, como a questão da jornada de trabalho, novas formas contratuais que não os atingirão enquanto estiverem com seus contratos ativos etc. Observo excelentes resultados, já que eles passam a entender melhor o que está acontecendo 9 “ ” Orientar os colaboradores
  10. 10. 4Flexibilizar suas atividades Do mesmo modo que a reforma vai mudar a forma de trabalho, as relações entre empregadores e trabalhadores também serão modificadas. Segundo Wolnei Ferreira, Diretor Jurídico da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH) e sócio- fundador da Ferreira Rodrigues Sociedade de Advogados, a principal mudança será que “o negociado prevalecerá sobre o legislado”. Ou seja, a nova lei permite que os acordos entre empregadores e profissionais contratados tenham força de lei, sem a necessidade de envolvimento do judiciário. As alterações na CLT trarão maior flexibilidade nas relações empregatícias, valorizarão a negociação coletiva, além de contemplar novas formas e sistemas de trabalho e jornada “ ” Wolnei Ferreira Diretor Jurídico da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH) e sócio-fundador da Ferreira Rodrigues Sociedade de Advogados 10
  11. 11. 11 4Esse é um cenário novo para RH e DP. De acordo com Sáttila Silva, Gerente de Planejamento da LG lugar de gente, toda vez que é feita uma alteração nas leis trabalhistas, surge uma responsabilidade a mais para a área de gestão de pessoas, que precisa revisar seus processos para que eles estejam aderentes a essa nova realidade. Agora, visto que a negociação vai prevalecer perante o que a lei determina, há uma necessidade de formalizar esse alinhamento com os colaboradores de maneira mais segura. Isso faz com que o RH precise ter mais conhecimento, atenção e cuidado ao firmar esses acordos “ ” Sáttila Silva Gerente de Planejamento da LG lugar de Gente Flexibilizar suas atividades
  12. 12. 12 4Para Mauro Negruni, o momento exige cautela, pois é preciso chegar a um consenso com os funcionários. A ideia de que haverá liberdade para negociar feriados, jornadas, horários e períodos de férias é uma novidade impactante. Minha consideração central é sobre como será administrada essa nova liberdade, evitando disputas jurídicas posteriores aos fatos. Será que os DPs estarão aptos a fazer a mediação entre equipes? Por exemplo, sobre uma alteração de política de férias de uma empresa que não pretende negociar individualmente com cada um de seus profissionais? “ ” Flexibilizar suas atividades
  13. 13. “ É fundamental que cada departamento preste seus dados para não sobrecarregar o RH. Agora, a gestão de pessoas também precisa demonstrar isso à alta direção e proporcionar pré- requisitos que vão ajudar a suscitar esses possíveis problemas “ ” ”5 Mauro reforça ainda que os profissionais responsáveis pelas atividades jurídico- trabalhista deverão estar ainda mais perto do DP. Essa área será demandada quase que a todo momento, por conta da reforma. Especialmente em médias empresas, haverá muitas alterações, pois, não sendo suficientemente grandes, não terão força de pressão para ajustar negociaçõesEstreitar relaciona mento com outras áreas 13 Segundo Tânia, muitos eventos que devem ser prestados ao eSocial também possuem informações divididas em outras áreas. Gostou do conteúdo? Leia também o post “Reforma trabalhista: veja o que muda para as empresas”.
  14. 14. 14 BÔNUSDiante de tantos desafios e mudanças, como o DP pode se tornar mais produtivo e conseguir equilibrar todas as demandas? Para Jorge Campos, não existem fórmulas mágicas: A capacitação é a melhor estratégia, assim como fomentar a discussão interna com as áreas de negócio. A afirmação de Jorge vai ao encontro do resultado de uma pesquisa realizada pela Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Fenacon) com mais de 1.300 empresas brasileiras em 2017. O estudo mostrou que 58% das participantes tinham a necessidade de investir em treinamento para promover a adaptação dos funcionários ao novo formato de envio das informações trabalhistas. Dicas para aumentar a produtividade do seu DP em 2018 ” “
  15. 15. BônusDicas para aumentar a produtividade do seu DP em 2018 Mas não basta apenas investir em capacitação. Mauro Negruni destaca que é importante substituir sistemas arcaicos ou não especialistas. Não haverá mais espaço para geradores de contra-cheque. O mercado irá excluir soluções incompletas ou deficientes. Quem apostar logo e certeiramente terá menos situações a gerir no futuro Outros recursos tecnológicos que estão entrando em cena são os robôs. Para Mauro, a robotização está gerando oportunidades de redução de custos e menos esforços em todo o backoffice. A visão de que um robô é importante para aumentar a produtividade na área de produção já está associada à mesma situação na gestão de pessoas. Então, assim como na área tributário-contábil, a gestão terá sua vez com internet das coisas, robotização e automação de processos ” ” “ “ 15
  16. 16. BônusDicas para aumentar a produtividade do seu DP em 2018 Concorda com ele, Jorge Campos. Para o sócio-diretor do Portal SPED, esse é um momento de transição, no qual os gestores estão assimilando as novas tecnologias, assim como aconteceu com as notas fiscais. Acredito que as ferramentas de ‘machine learning’ entrarão pesado para melhorar a produtividade. Em 2013, quando fizemos um trabalho sobre o cenário fiscal de alguns clientes, o olhar era justamente verificar o que era feito manualmente e por que não estava automatizando ainda, bem como as dificuldades e facilidades para otimizar o processo. Entendo que esse rito de passagem deva acontecer também com o RH Para finalizar, Tânia Gurgel reforça que é possível aproveitar os novos contratos de trabalho aprovados pela reforma trabalhista para aumentar a produtividade em tempos de eSocial. “Assim como as lojas fazem uso do contrato intermitente durante os meses de maior pico de vendas, outras empresas podem utilizar essa forma de contratação. Dessa maneira, é possível suprir as demandas de forma mais rápida, principalmente nos seis primeiros meses de implantação”, comenta a professora. 16 ” “
  17. 17. Há mais de 30 anos no mercado, a LG lugar de gente é a maior empresa brasileira especializada em tecnologia para RH do país. Com sede em Goiás e atuação em todo território nacional, possui cerca de 900 clientes que inclui nomes como Ambev, Carrefour, Ipiranga, Lojas Renner, Oi, Rede Globo, Santander e Vale. Atuando de modo consultivo e comprometido com a realidade de cada cliente, oferece uma solução completa e integrada para gestão do capital humano, que reúne as mais novas tecnologias do mercado e atende todas as necessidades do RH. Tendo uma história marcada por inovações, a LG lugar de gente aplicou mais de R$ 30 milhões no desenvolvimento de sua nova suíte de produtos, lançando em 2016 a Suíte Gen.te nuvem: a primeira e mais completa plataforma em nuvem para gestão de pessoas do Brasil. *Segundo o Anuário Informática Hoje 2017. ALGUNS dos nossos clientes A LGlugar de gente 17
  18. 18. 1 Pesquisa TOP 500 HCM 2016 realizada pela Apps Run the World. 2 Promovida pela Editora Gestão e RH. 3 Segundo o Anuário Informática Hoje 2017. > > > Mais de 1,5 milhão de trabalhadores em todo Brasil têm sua folha de pagamento processada pelos produtos da LG; Está entre os maiores fornecedores de software para HCM do mundo; ¹ Eleita 12 vezes consecutivas entre “100 Melhores Fornecedores para RH”; ² É a maior empresa brasileira especializada em soluções de tecnologia para gestão de pessoas do país; ³ > CONHEÇA nossos números 18
  19. 19. www.lg.com.br

×