Ce diaporama a bien été signalé.
Nous utilisons votre profil LinkedIn et vos données d’activité pour vous proposer des publicités personnalisées et pertinentes. Vous pouvez changer vos préférences de publicités à tout moment.

Desenvolvendo com qualidade em ambientes caóticos

1 316 vues

Publié le

Como entregar softwares cada vez mais robustos em ambientes cada vez mais caóticos ? Nessa sessão veremos um pouco de algumas formas de alcançar esse objetivo.

Publié dans : Technologie
  • Soyez le premier à commenter

  • Soyez le premier à aimer ceci

Desenvolvendo com qualidade em ambientes caóticos

  1. 1. Desenvolvendo com Qualidade em Ambientes Caóticos Guilherme Cardoso Especialista ALM & DevOps | Arquiteto de Software guilherme.silvacardoso@hotmail.com / @guilhermescard blog.guilhermescardoso.com.br
  2. 2. O mercado atualmente ….
  3. 3. Funcionalidade Prazo Orçamento Funcionalidade Prazo Orçamento Qualidade
  4. 4. Causadores desses problemas • “Visibilidade do andamento do projeto” • “Não existe comunicação na equipe” • “Difícil conciliar necessidade do usuário com riscos” • “Modelos de desenvolvimento complexos” • “Soluções não são testadas”
  5. 5. Impacto no desenvolvimento Desenvolvedores sentem-se desmotivados • Bug ping/pong • Falta de acesso a ambientes seguros • Tempo para preparação do ambiente excessivo Testadores não são respeitados • Preparar testes e ambiente consomem 30%-50% do ciclo de testes • Maioria dos defeitos fechados como “não-reproduzíveis”” • Ferramentas não integradas ao ciclo de desenvolvimento Impacto no negócio • Falta de agilidade para responder ameaças ou oportunidades • Alta taxa de falha em projetos • Quem sente “dor” é o usuário final
  6. 6. 5S no desenvolvimento de software
  7. 7. Senso de utilização • Apagar códigos comentados desnecessários; • Otimizar os ambientes utilizados; • Diminuir a quantidade de dependências.
  8. 8. Senso de organização • Separar papeis e funcionalidades; • Aderir a padrões – que facilitem a vida; • Não aderir a política do ‘jeitinho brasileiro’.
  9. 9. Senso de limpeza • Tratar fluxos alternativos; • Testar, testar e testar; • Refatorar o código constantemente – de preferência removendo código não utilizados;
  10. 10. Senso de padronização • Aderir a padrões – de novo; • Implementar integração continua, deploy contínuo e qualidade contínua;
  11. 11. Senso de disciplina • Seguir tudo o que falamos até agora.
  12. 12. Ferramentas para se alcançar
  13. 13. Obrigado !!! Guilherme Cardoso Especialista ALM & DevOps | Arquiteto de Software guilherme.silvacardoso@hotmail.com / @guilhermescard blog.guilhermescardoso.com.br

×