Ce diaporama a bien été signalé.
Le téléchargement de votre SlideShare est en cours. ×

Folha do Café Nº 285

Prochain SlideShare
Acabou-se a vergonha
Acabou-se a vergonha
Chargement dans…3
×

Consultez-les par la suite

1 sur 16
1 sur 16

Plus De Contenu Connexe

Livres associés

Gratuit avec un essai de 30 jours de Scribd

Tout voir

Livres audio associés

Gratuit avec un essai de 30 jours de Scribd

Tout voir

Folha do Café Nº 285

  1. 1. ANO VI | Nº 285 5ª feira 17 Fevereiro 2011 2 por: Luís Arriaga Chiça!!! Estamos a perder a Soberania e nada acontece. Não reagimos. Ninguém mexe uma palha. A nossa Soberania é o consubstanciar de mil anos de História, é a alma do amor Pátrio, como que o documento de identida- de deste Portugal onde nascemos, onde vivemos, onde um dia vamos passar para a dimensão do além. A população devia estar alertada para o que de muito grave e irreversível se passa na “União Europeia”, que nasceu como aliança para a compra de aço e carvão e, seguindo uma estratégia hegemónica da França e da Alemanha, já pretende tomar de assalto a Soberania de alguns países periféricos, como é o caso de Portugal. A etapa começa pela centralização do poder económico e qualquer dia açambarcam o pouco que resta. A situação é dramática e não se vislumbra o mínimo sinal de preocupação por parte das mais altas entidades do Estado. O Presidente da República está incomodado com o facto das farmácias poderem assumir autonomia na substituição de um medicamento de marca por um genérico com o mesmo princípio activo, mas não se mostra incomodado com o discurso da senhora Merkl que ameaça objectivamente a Soberania nacional. Será que os portugueses sofrem todos de disfunção eréctil? Será que os chefes militares serão autistas? Não é suposto serem as Forças Armadas o garante da nossa dignidade, da nossa independência, enfim... da nossa SOBE- RANIA? Reconheço razoabilidade nas palavras de Marcelo Rebelo de Sousa, quando há dias e a propósito deste mesmo assunto recordava as ajudas que a Europa ocidental e todas as nações ocidentais deram ao povo alemão após a 2ª Guerra Mundial e sobretudo após a queda do Muro de Berlim. Nessas ocasiões, apesar da economia alemã estar pior que a do Zimbabue de Roberto Mugabe, ninguém expressou amea- ças à independência e soberania do estado alemão. Que pena!
  2. 2. Ei-la feliz com o Diploma que certifica que a nossa ANA JORGE é a nº 1 dos An- gariadores REMAX. Foi numa cerimónia realizada especialmente para o efeito e o respectivo Prémio foi-lhe entregue pelo Broker da Latina (Mafra, Torres Vedras e Lisboa), o conhecido Pedro Fonseca. Mais uma vez, felicitamos a talentosa ANA JORGE, com votos de muitos mais su- cessos ao longo da sua brilhante carreira. Parabéns.

×