Le métier passionnant de pharmacien

298 vues

Publié le

Mon parcours professionnel.
Un parcours de pharmacien parmi des milliers.
Quelle formation incroyable ouvrant des perspectives étonnantes.

Publié dans : Santé
0 commentaire
0 j’aime
Statistiques
Remarques
  • Soyez le premier à commenter

  • Soyez le premier à aimer ceci

Aucun téléchargement
Vues
Nombre de vues
298
Sur SlideShare
0
Issues des intégrations
0
Intégrations
102
Actions
Partages
0
Téléchargements
2
Commentaires
0
J’aime
0
Intégrations 0
Aucune incorporation

Aucune remarque pour cette diapositive
  • Formations, expérience professionnelle
  • Le métier passionnant de pharmacien

    1. 1. I. Le métier passionnant de pharmacien 1 pharmacien = 1 parcours professionnel. La route est devant vous... 1
    2. 2. FORMATIONS UNIVERSITÉ PARIS SUD (PARIS XI) Docteur en Pharmacie (Thèse sur l’industrialisation de l’officine), 2000 – 2006 Association Sportive (Président 2004) CENTRE D'ENSEIGNEMENT DE LA STATISTIQUE APPLIQUÉE À LA MÉDECINE ET À LA BIOLOGIE MÉDICALE Méthodologie statistique, 2005 CONSERVATOIRE NATIONAL DES ARTS ET MÉTIERS CS Santé publique & Développement, 2004 UNIVERSITÉ PARIS DAUPHINE DESS Economie et gestion des services de santé, 2004 – 2005 ECOLE CENTRALE DE PARIS MS Management et Technologie des établissements et réseaux de santé, 2004 – 2006 2
    3. 3. De San Francisco À Buenos Aires… «Pharmacies du bout du monde » Expédition en deux roues 3
    4. 4. 4
    5. 5. 5
    6. 6. CÂNDIDO HENRIQUE SILVA Depois de formados, o usual é que os estu- dantes pensem em arrumar um trabalho e se preparem para um futuro dentro da profissão. No entanto, esse não foi o caminho escolhido por dois farmacêuticos franceses. Em 22 de se- tembro de 2006, Morgan Remoleur, 28, e Ro- main Socquet, 26, pegaram suas bicicletas, ar- rumaram as bagagens e mantimentos e foram a San Francisco, na Califórnia, Estados Unidos, para começar uma aventura de 16 mil km pela América que terminará em junho, em Buenos Aires, Argentina. Para a viagem acontecer, os franceses tive- e que ajudou no sonho dos farmacêuticos. Há duas semanas, os dois aventureiros gringos desembarcaram em Belo Horizonte cheios de histórias para contar dos mais de 10 mil quilômetros percorridos até então em cima de suas bicicletas. Histórias que provam que, mais do que paisagens, são as pessoas que con- hecemos pelo caminho é que tornam encanta- dora ou “demoníaca” as estadas em cada cida- de ou povoado. Com um português excelente, Morgan e Romain se dizem apaixonados pelo Brasil. O primeiro namorou por quatro anos com uma carioca e é torcedor do Flamengo. Já o segun- do tem parentes no Uruguai e também conhece bem nosso país. A descoberta de um “novo” Brasil fascina esses franceses, que passaram pelo Norte e Nordeste e não escondem a prefe- rência pelo país tupiniquim durante o percurso. nos Estados Unidos. “Tínhamos uma imagem muito ruim dos norte-americanos e isso se aca- bou”, completou. A fama de povo acolhedor do brasileiro foi sentida pelos franceses no Estado do Espírito Santo, perto de Vitória. “Ficamos sem comida por um dia no Brasil. Encontramos uma peque- na casa e um homem nos deu bebida e comida. Tudo gratuito. Queríamos pagar algo, e eles disseram não. Isso na França é impossível a- creditar”, recordou Romain. Se no Brasil e Colômbia sobrou generosi- dade, o mesmo não aconteceu no Panamá, país localizado na América Central. Lá, Morgan e Romain passaram por maus bocados e quase foram assassinados. Durante uma sessão de surf em uma praia do país, Morgan foi ameaça- do por locais praticantes do esporte, que o pro- curaram pela cidade em uma noite e quase o ‘flash’ do tiro. Pulei no chão. Depois, pulei pa- ra o outro lado, ele atirou de novo. E depois corri e me escondi no jardim. No dia seguinte, fomos embora”, lembrou Morgan. Ainda no Panamá, depois de pedirem água em uma residência, o morador cobrou US$ 4 por uma jarra de água de torneira, o que revol- tou os franceses. Na discussão, o panamenho foi para cima deles com um facão. Felizmente, mais uma vez, nada aconteceu. Esses momentos difíceis, Romain disse que não conta para a família. “Eles não sabem dis- so. Eu falei para minha mãe que perdi meu sa- co de dormi, e ela ficou muito nervosa com is- so. Se eu falo que fui quase morto com um fa- cão ou tiro, ela vai ficar louca. Eu não falo na- da de mau. Só coisas legais”, destacou o aven- tureiro. Diferenças im- pressionam aven- tureiros o percurso de 16 mil km na Argentina Depois de percorrer mais de 10 mil km, Romain (esq.) e Morgan (dir.) chegam a BH; eles parti- ram de San Francisco, EUA (detalhe) Além das ondas das praias paradisíacas e das pedaladas pe- las estradas das Américas, os franceses têm que encontrar tempo também para escrever so- bre sua profissão. Patrocinados por revistas especializadas em farmácia e também por sua uni- versidade, Romain e Morgan fa- zem um comparativo sobre a realidade de sua profissão nos países que visitam com a france- sa. As diferenças encontradas são muitas, e impressionam os dois farmacêuticos. “Vemos também se o dono da farmácia é um farmacêutico. Aqui não é as- sim. Na França, para ser farma- cêutico, você tem que estudar por seis anos, assim como um médico. Por exemplo, um far- macêutico na França ganha mais JACKSON ROMANELLI ROTEIRO DE VIAGEM EDITOR 6
    7. 7. 7 Expérience
    8. 8. ! 7( ))/+&P&, ++U5"+&$"&9( # "+&V& G%3 "+"$&4W& ! "#$%&''%()'%)*"#)$%+(, - %)., *, - &/0%)& D%2)"/.)&, ))%0/7)& <& C& @& X' , .( "+&), &$7- "2$, 20"& 1%$.)2%)3, - %($.(45 ) DE%/)/+&), &# 75E%$"&$>, ++U5& = 45"2/+&)%2&- +%5%0%."&$75, /..7& 8 ! "# "$"%&' %( )&%*+"&$")&, - - ./0, 1%2)&3 "4&/22%' , 25")&- %( +&, 00%# - , 62"+&., &- %- ( ., 1%2& $, 2)&., &6")1%2&$"&), &), 2578&"2&- , +5"2, +/, 5&, ' "0&.")&- +%9"))/%22".)&$"&), 257:& ; %)&- +%$( /5)& <:&= +/"25"+&' "+)&., &! "#$$"%&"'( ) *%+"',( - *. &, ' "0&( 2& , 00%# - , 62"# "25&$"&.>, ( 5%# 7$/0, 1%2&?& @:&A( /$"+&' "+)&., &- +, 1B( "&$")&/01&*,'2'/( - *. &?& C:&D%2)"/.."+&( 2&- +%5%0%."&$"&)%/2)&- "+)%22, ./)7& - %( +&3. %,,#&'4'( &&5*"&'+"'6%! "&:& ; %5+"&# 75E%$%.%6/"& F")&6727+, 5"( +)&$"&D%2)"/.)&G"+)%22, ./)7)& "2&H, 257&- "+# "I , 25&J& <:&K$"21L0, 1%2&$"&.>( 1./), 5"( +&?& !71- ,"#$'+"',( - *. ' @:&K2576+, 1%2&$"&.>%*+"&$( &- , +5"2, /+":& !8 &#"- *( 91- '0&1+%#*,'2',"&: #;",' ; %5+"&9%201%22"# "25& ; %( )&- +%- %)%2)&2%)&, - - ./0, 1%2)&, ( M&, 05"( +)&$"&., & ), 257&)%( E, /5, 25&0%# # ( 2/B( "+&6+N0"&, ( M&2%( ' "..")& 5" 0E 2%.%6/" )&$" &.>/29%+# , 1 %2&" 5&$" &., & 0%# # ( 2/0, 1%2:& ; %5+"&7B( /- "& ; %( )&)%# # ")&( 2"&7B( /- "&$"&- E, +# , 0/"2)& "5&$"&- +%9"))/%22".)&$( &3 "48&"25%( +7"&$"& 2%# 4+"( )")&+797+"20")&)0/"21LB( ")&"5& /2)15( 1%22".."):&; >E7)/5"O&- , )&P&2%( )& 0%25, 05"+&Q&- , +5"2, /+")R +"# "$"%:0%# & S05"( +&$>"T), 257&/22%' , 25"& [ %( 6"+&- %( +&' %5+"&), 257&V& ' @1%&'$"'0( 9"- *'Q& 70%( ' +/+&.")&)- %+5)&B( /&0%2' /"22"25&P&)")&# , ., $/")8&B( /& 0%++")- %2$"25&P&)")&6%] 5)&- "+)%22".)&"5&"2&9%201%2&$"&), &.%0, ./), 1%2:& ' @1%&' $"' 0( &*"- ( #&"' Q&G+%# %( ' %/+&., &- +, 1B( "&$( &)- %+5&, ( &4727L0"&$"&., & ), 257&$"&., &- %- ( ., 1%2:& ' F'GC"' ^6"8&_( 5( +"`a"( 2"&# , # , 2' ' H' ' F'. *( *'+"',( - *. ' <b&6+%( - ")&c&Cd&- , 5E%.%6/")& ' H'' F',01&*' G, +# /&eb&)- %+5)&0., ))7)&- , +& 24&f%( "( +)8&K2`XM57+/"( +&"5& ."&5W- "&$>"*%+5& ' H' ' F';"- *&"',01&96' A7%.%0, ./)7"&g, $+"))"h& i %+, /+")&$>%( ' "+5( +"& G+/M& I ' J 1%*'01%&'K1%C"&'L' & G%3 "+"$&4W& F 0&2%()+%($)0#)$; "(.), 2, ; .>&
    9. 9. Le réseau. Le réseau. Le réseau. 9
    10. 10. 10 BLOG : www.Jaibobola.fr
    11. 11. 11
    12. 12. 12 SITE : www.totum.fr
    13. 13. 13
    14. 14. Morgan REMOLEUR Avec un passé d'entrepreneur digital, je suis Pharmacien spécialisé en stratégie multicanal. Consultant & Manager de transition, j'aide les entreprises à développer leur business dans un monde digital. En faisant notamment de vos données un atout stratégique, je contribue à optimiser la productivité de votre chaine de valeur : de la R&D aux Ventes en passant par la Logistique et le Marketing. Je suis toujours à la recherche d'opportunités pour répondre à des questions et offrir mon expertise aux publics intéressés.14

    ×